sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

II Timóteo 3 1-17 - O CRISTÃO DEVE ESPERAR POR PERSEGUIÇÕES?

Como falamos, Paulo escreveu essa sua segunda epístola por volta de 64-68 d.C. para convidar Timóteo a visitá-lo em seus últimos dias e também com o objetivo de animar Timóteo em seu ministério contra os falsos mestres em Éfeso. Estamos no capítulo 3/4.
Breve síntese do capítulo 3.
Estamos vivendo os últimos dias não somente porque é chamado de últimos dias desde que Jesus veio até a sua volta, mas também porque está chegando ao final este período longo da história de grande misericórdia de Deus para com a humanidade toda.
A lista de adjetivos de homens dos últimos dias é enorme quanto é enorme o desprezo às coisas de Deus. A lista começa com a rainha das não virtudes, o egoísmo e avança até chegar aos que tendo forma de piedade negam entretanto o poder de Deus.
Vejamos o presente capítulo com mais detalhes, conforme ajuda da BEG:
IV. TERCEIRAS REFLEXÕES E EXORTAÇÕES (3.1-4.5).
Paulo relembrou a Timóteo que, pelo fato de ele permanecer fiel, deveria esperar sofrer nos últimos dias nas mãos de impostores.
Tendo exortado Timóteo a resistir aos falsos mestres em Éfeso, Paulo lidou com os tempos terríveis dos últimos dias. Essa seção é dividida em duas partes: uma descrição dos últimos dias (3.1-13) e exortações a Timóteo (3.14-4.5). Elas formarão nossa divisão proposta, conforme a BEG: A. Os últimos dias (3.1-13) – veremos agora; e, B. Exortações a Timóteo (3.14-4.5) – começaremos a ver agora.
A. Os últimos dias (3.1-13).
A fim de apresentar uma perspectiva apropriada com relação aos desafios que Timóteo enfrentava em Éfeso, Paulo comentou sobre as expectativas que todos os crentes deveriam ter quanto aos últimos dias. Paulo tocou em duas questões: os falsos mestres (vs.1-9) e sua própria resistência aos sofrimentos (vs.10-13). Elas também formarão nossa divisão proposta, conforme segue: 1. Falsos mestres (3.1-9) – veremos agora; e 2. A firmeza de Paulo (3.10-13) – veremos também agora.
1. Falsos mestres (3.1-9).
Paulo considerava como uma característica dos últimos dias de que o número de pessoas descrentes aumentaria e que elas exerceriam grande influência sobre o povo de Deus, principalmente por causa do surgimento de falsos mestres.
Paulo não tinha em mente primeiramente os tempos imediatamente anteriores ao retorno de Cristo. Sua preocupação era com o seu próprio dia.
Isso se encaixa na perspectiva do Novo Testamento de que os últimos dias começaram com a inauguração do reino de Deus no ministério terreno de Cristo (veja 1Tm 4.1 e o artigo teológico recomendado pela BEG "O plano das eras", em Hb 7).
Paulo listou algumas características daqueles que perturbam a igreja. Os problemas deles iam muito além de meros erros teológicos.
II Tm 3:2 pois os homens serão
egoístas,
avarentos,
jactanciosos,
arrogantes,
blasfemadores,
desobedientes aos pais,
ingratos,
irreverentes,
II Tm 3:3 desafeiçoados,
implacáveis,
caluniadores,
sem domínio de si,
cruéis,
inimigos do bem,
II Tm 3:4 traidores,
atrevidos,
enfatuados,
mais amigos dos prazeres
que amigos de Deus,
II Tm 3:5 tendo forma de piedade,
negando-lhe, entretanto, o poder.
Foge também destes.
O que torna os falsos mestres tão perigosos é que eles parecem ser cristãos (Mt 7.15,21-23).
O que Paulo quis dizer quando falou de que esses se introduzem nas casas e conquistam mulherzinhas sobrecarregadas de pecado, não era que todas as mulheres são sobrecarregadas de pecados, mas que em Éfeso algumas mulheres haviam sido especialmente vulneráveis ao engano. Os falsos mestres em Éfeso devem ter sido bem-sucedidos em enganar algumas mulheres (1 Tm 2.14; 5.13-15).
Tais mulheres e homens são daqueles que estão sempre aprendendo, mas nunca chegam ao conhecimento da verdade, ou seja, não creem, são joios no meio da igreja. São os tais como Janes e Jambres. A tradição judaica identificava esses nomes com os dois mágicos egípcios que se opuseram a Moisés perante o Faraó (Ex 7-8).
Eles resistem à verdade, pois que seu coração já está comprometido com a mentira.
Paulo ao dizer que não iriam muito longe ou tinha em mente aqui que Timóteo exporia os falsos mestres em Éfeso, ou que o verdadeiro caráter dos falsos mestres seria exposto no julgamento final. A última opção parece ser a mais provável.
2. A firmeza de Paulo (3.10-13).
Paulo continuou suas reflexões com relação aos falsos mestres dos últimos dias relembrando a Timóteo que ele (Paulo) também havia sofrido nas mãos dos enganadores na igreja.
Antioquia ficava na província romana da Pisídia, Icônio e Listra na província romana da Galácia. Paulo havia pregado o evangelho em todas essas três cidades durante a sua primeira viagem missionária (At 13.14-14.20) e, contra uma oposição significativa, fundou uma igreja em cada cidade (At 14.21-23).
Ele mencionou essas cidades em particular, incluindo a cidade natal de Timóteo de Listra, para apelar às raízes da fé de Timóteo (vs. 14-15; 1.5).
Paulo suportou muitas perseguições e oposições, mas o Senhor o tinha livrado de todas – vs. 11. Assim, entende e ensina Paulo que todos quantos querem viver piedosamente em Cristo Jesus serão perseguidos. O Novo Testamento ensina que os cristãos deveriam esperar passar por perseguição (Mt 10.17-18; Jo 15.20; 1 Pe 4.12; 5.9).
Essas palavras relacionadas aos homens perversos e impostores deixam claro que Paulo tinha em mente problemas que tinham vindo dos falsos mestres na igreja (vs. 1-5).
B. Exortações a Timóteo (3.14-4.5).
A partir dos vs. 3.14 ao 4.5, Paulo dá diversas exortações a Timóteo. Paulo voltou-se diretamente para Timóteo, enfatizando a responsabilidade que ele tinha em resistir aos falsos mestres e à descrença deles.
Os perversos e impostores teriam o seu destino de irem de mal a pior, enganariam, mas seriam enganados, no entanto, Paulo orientava Timóteo a permanecer nas coisas que aprendeu e que tinha convicções. Ele estava ciente de quem aprendera tudo o que sabia. Uma referência não somente à mãe e à avó de Timóteo (1.5), mas também ao próprio Paulo. Paulo incentivou Timóteo a confiar na verdade do evangelho por causa do caráter de sua mãe e de sua avó.
Paulo lembra a Timóteo que foi desde criança, ou desde "a meninice" que aprendera as sagradas letras. De acordo com o costume, o pai judeu deveria começar a instruir a criança na lei quando ela completasse cinco anos de idade.
Os falsos mestres estavam interpretando de modo incorreto o Antigo Testamento (1 Tm 1.7; Tt 3.9). Timóteo precisava se lembrar da instrução correta que havia recebido de sua mãe e de sua avó.
As "Escrituras" aqui se referem aos livros do Antigo Testamento. O Novo Testamento ainda não existia como uma compilação; além disso, alguns dos livros do Novo Testamento não tinham nem mesmo sido escritos.
Mesmo assim, à medida que a literatura do Novo Testamento se desenvolveu, ela, também, foi chamada de "Escrituras" (veja 2Pe 3.15-16). Somente elas poderiam tornar Timóteo, e qualquer outro que seguisse o mesmo caminho, sábio para a salvação pela fé em Cristo Jesus. O Antigo Testamento aponta claramente para o papel principal de Cristo Jesus no plano geral de Deus para a sua criação.
O vs. 16 é especial por afirmar, claramente, uma verdade fundamental sobre as Escrituras. Toda a Escritura - o Antigo Testamento (e também o Novo Testamento) é inspirada por Deus.
II Tm 3:16 Toda a Escritura
é inspirada por Deus
e útil
para o ensino,
para a repreensão,
para a correção,
para a educação na justiça,
II Tm 3:17 a fim de que o homem de Deus
seja perfeito
e perfeitamente habilitado
para toda boa obra.
Essa declaração – vs. 16 e 17 - é uma das mais importantes expressões no Novo Testamento da doutrina da divina inspiração da Escritura: ela foi inspirada por Deus (cf. 2Pe 1.21). Deus é tanto a fonte como o principal autor da Escritura. Apesar de ter sido escrita por autores humanos, ela é inspirada por Deus e revela o total peso de sua autoridade.
II Tm 3:1 Sabe, porém, isto: nos últimos dias,
sobrevirão tempos difíceis,
II Tm 3:2 pois os homens serão
egoístas,
avarentos,
jactanciosos,
arrogantes,
blasfemadores,
desobedientes aos pais,
ingratos,
irreverentes,
II Tm 3:3 desafeiçoados,
implacáveis,
caluniadores,
sem domínio de si,
cruéis,
inimigos do bem,
II Tm 3:4 traidores,
atrevidos,
enfatuados,
mais amigos dos prazeres que amigos de Deus,
II Tm 3:5 tendo forma de piedade,
negando-lhe, entretanto, o poder.
Foge também destes.
II Tm 3:6 Pois entre estes se encontram
os que penetram sorrateiramente nas casas
e conseguem cativar mulherinhas
sobrecarregadas de pecados,
conduzidas de várias paixões,
II Tm 3:7 que aprendem sempre
e jamais podem chegar ao conhecimento da verdade.
II Tm 3:8 E, do modo por que Janes e Jambres resistiram a Moisés,
também estes resistem à verdade.
São homens de todo
corrompidos na mente,
réprobos quanto à fé;
II Tm 3:9 eles, todavia, não irão avante;
porque a sua insensatez será a todos evidente,
como também aconteceu com a daqueles.
II Tm 3:10 Tu, porém, tens seguido, de perto,
o meu ensino,
procedimento,
propósito,
fé,
longanimidade,
amor,
perseverança,
II Tm 3:11 as minhas perseguições
e os meus sofrimentos, quais me aconteceram em
Antioquia,
Icônio
e Listra, - que variadas perseguições tenho suportado!
De todas, entretanto, me livrou o Senhor.
II Tm 3:12 Ora, todos quantos
querem viver piedosamente em Cristo Jesus
serão perseguidos.
II Tm 3:13 Mas os homens perversos e impostores
irão de mal a pior,
enganando
e sendo enganados.
II Tm 3:14 Tu, porém, permanece
naquilo que aprendeste
e de que foste inteirado,
sabendo de quem o aprendeste
II Tm 3:15 e que, desde a infância,
sabes as sagradas letras,
que podem tornar-te sábio
para a salvação pela fé
em Cristo Jesus.
II Tm 3:16 Toda a Escritura
é inspirada por Deus
e útil para o ensino,
para a repreensão,
para a correção,
para a educação na justiça,
II Tm 3:17 a fim de que o homem de Deus
seja perfeito
e perfeitamente habilitado
para toda boa obra.
A conclusão do presente capítulo nos remete para nossa única regra de fé e prática, as Escrituras. É somente nela e com ela que poderemos triunfar nos últimos dias para não cairmos em erros, heresias e enganos de satanás ardilosamente preparados.
p.s.: link da imagem original:
Contagem regressiva: Faltam 62 dias para 20/04/16 (Inicio: 05/05/15). Tu, SENHOR, conservarás em perfeita paz aquele cujo propósito é firme; porque ele confia em ti. (Is 26.3).

A Deus toda glória! p/ pr. Pr. Daniel Deusdete. 
...


Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.