segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

I Timóteo 5 1-25 - É TÃO BOM RESPEITAR O OUTRO!

Como já dissemos, Paulo escreveu essa epístola para orientar Timóteo em sua oposição aos falsos mestres em Éfeso. Estamos no capítulo 5/6.
Breve síntese do capítulo 5.
Como aprendemos tanto com Paulo quando ele procura ensinar a Timóteo dando-lhe conselhos que servem de regra bíblica para nossas igrejas hoje. Percebe-se em Paulo um respeito muito grande pelas pessoas. Ele trata as pessoas como pessoas ou trata gente como gente.
É tão bom respeitar o outro! Um dia desses ouvi uma pregação maravilhosa da Pra. Maria que aprendeu a amar as pessoas independentemente do que elas podem ou estão querendo fazer com ela. Ela disse que já não tinha mais inimigos porque seu inimigo é satanás.
Então quando alguém a afronta, ela procura pela oração, amor e a muita paciência levar aquela pessoa a Cristo. Quando aquela pessoa encontra o Cristo, ela se envergonha e nota que estava sendo usada pelo maligno.
Que tal olhar para aquele bêbado ou drogado ou prostituta ou inimigo mortal e enxergar nele, pela fé, um irmão e orar por ele e evangeliza-lo?
Vejamos o presente capítulo com mais detalhes, conforme ajuda da BEG:
IV. A FALSA DOUTRINA E O ASCETISMO (4.1-5.2) - continuação.
Já dissemos que Paulo desafiou o ascetismo legalista dos falsos mestres explicando como todas as coisas foram criadas para o nosso proveito. A falsa doutrina em Éfeso tinha muitas dimensões. Nesse ponto, Paulo tocou na inclinação de pelo menos alguns para o ascetismo, a negação dos prazeres físicos. Nós dividimos essa parte IV, conforme a BEG: A. A falsa doutrina (4.1-5) – já vimos; e, B. A responsabilidade de Timóteo (4.6 - 5.2) – concluiremos agora.
B. A responsabilidade de Timóteo (4.6 - 5.2) - continuação.
Nós vimos que dos vs. 4.6 a 5.2, Paulo fala sobre a responsabilidade de Timóteo. Tendo exposto a verdade a respeito dos falsos mestres, Paulo continuou numa série de admoestações a Timóteo em relação à sua reação a esse problema.
Paulo o orienta a não repreender ao homem idoso, mas ter paciência e jeito com eles. Uma ordem que tinha de ser equilibrada com 4.12. Timóteo não deveria abusar da autoridade que lhe fora concedida. Exorta-o, ou "incentiva-o". Um bom ministro se dirige aos outros fiéis com uma atitude de respeito que é semelhante àquela reservada aos membros da família.
V. INSTRUÇÕES COM RESPEITO A GRUPOS ESPECÍFICOS (5.3-6.2).
Paulo explicou como Timóteo deveria ministrar aos diferentes grupos da igreja que haviam se tornado vítimas de falsos mestres.

Assim, dos vs. 5.3 ao 6.2, estaremos vendo essas orientações em relação a grupos específicos.
O foco de Paulo na responsabilidade de Timóteo para se contrapor à apostasia em Éfeso o levou a acrescentar detalhes sobre algumas responsabilidades específicas.
Paulo disse, a Timóteo como ele deveria ministrar para três grupos específicos em Éfeso: viúvas (5.3-16), presbíteros (5.17-25) e escravos (6.1-2). Destarte, dividimos essa parte, conforme a BEG: A. Ministrando às viúvas (5.3-16) – veremos agora; B. Ministrando aos presbíteros (5.17-25) – também veremos agora; e, C. Ministrando aos escravos (6.1-2).
A. Ministrando às viúvas (5.3-16).
A preocupação de Paulo em identificar as viúvas necessitadas e fornecer a elas o cuidado adequado forma o cenário para a discussão dos problemas das viúvas mais jovens, algumas das quais aparentemente haviam sido influenciadas pela falsa doutrina em Éfeso.
Ele deveria honrar as viúvas, isto é, cuidar delas, das viúvas verdadeiramente viúvas. O cuidado com as viúvas, que em muitos casos tinham grandes necessidades materiais, é tema primordial no Antigo Testamento (Dt 24.19-21; Is 1.17; Ir 22.3; Zc 7.9-10; MI 3.5) e era uma preocupação especial da igreja primitiva (vs. 16; At 6.1; Tg 1.27).
A verdadeira viúva necessitada não tinha família de quem receber o sustento (vs. 8,16); se tivesse, esses deveriam aprender a primeiramente colocar a sua religião em prática cuidando delas.
Muitas vezes, a pobreza verdadeira levava as viúvas a terem vidas exemplares de oração e dependência fiel em Deus. Para essas viúvas, a igreja devia ser a "mão" visível de Deus que supria suas necessidades.
No entanto, aquelas que vivem para os prazeres, ainda que estejam vivas, estão mortas – vs. 6. Timóteo deveria ordenar essas coisas e ter cuidado delas para se tornar irrepreensível. Sendo alguém descuidado com seus parentes, e especialmente com os de sua própria família, esse teria negado a própria a fé, tornando-se pior ainda que um descrente – vs. 8.
O primeiro rebanho de um ministro de Cristo é a sua própria família; falhando nela, não poderia ter êxito na igreja de Cristo Jesus.
Alguns veem aqui – vs. 9 - uma ordem oficial ou ofício das viúvas com obrigações a serem executadas (vs. 5,10); outros veem um acordo pelo qual algumas viúvas ofereciam determinados serviços para a igreja em troca do sustento material.
É muito provável que a lista era simplesmente das viúvas que deviam receber o sustento da igreja (vs. 16). Essa lista continha uma parte de um grupo maior de viúvas citadas nos vs. 3-6.
O limite de idade de mais de sessenta anos era uma expressão genérica que reflete a perspectiva cultural da época para a idade em que um segundo casamento seria improvável (cf. vs. 11-14).
Na lista – vs. 9 – as mulheres viúvas a serem incluídas deveriam ter as seguintes características:
ü  Ter mais de 60 anos.
ü  Tenha sido fiel a seu marido.
ü  Tenha sido conhecida pelas suas obras, principalmente por ter criado filhos.
ü  Tenha sido hospitaleira.
ü  Tenha lavado aos pés dos santos.
Uma expressão humilde de hospitalidade numa cultura em que o povo calçava sandálias e caminhava por estradas poeirentas (cf. Jo 13.4-5). Jesus ordenou que seus discípulos lavassem os pés uns dos outros (Jo 13.14-15).
ü  Tenha socorrido aos atribulados.
ü  Tenha se dedicado a todo tipo de boa obra.
ü  Não deveriam ser incluídas aqui as mais jovens.
A preocupação de Paulo não era com o que a viúva ainda podia fazer pela igreja, mas sim com o que ela tinha realizado em sua vida. Observe o conceito estreitamente relacionado em 2.15; 5.14.
O desejo de uma viúva de casar-se de novo não é pecaminoso em si mesmo (vs. 14). A linguagem usada por Paulo aqui é um tanto obscura, mas provavelmente o fato de que elas se tornavam "levianas contra Cristo" (ou seja, que a dedicação da viúva a Cristo havia sido superada pelos seus desejos sensuais), sugere um desejo de casar com um descrente, o que tornava esse desejo impróprio.
Essa condenação do vs. 12, provavelmente não é uma referência ao compromisso do celibato ou à devoção a igreja, mas ao compromisso fundamental com Cristo (vs. 11,15).
O fato da possibilidade de elas viverem falando o que não devem – vs. 13 - pode ser uma referência à falsa doutrina (cf. v. 15; 1.3; 4.7) ou simplesmente à tagarelice e intromissão inadequada na vida dos outros.
O conselho de Paulo, nesses casos, portanto, era que as viúvas mais jovens se casassem, tivessem filhos, administrassem suas casas e não dessem ao inimigo nenhum motivo para maledicência – vs. 14.
O fato de Paulo ter dado muita atenção às viúvas, talvez se explique porque algumas das viúvas mais jovens tivessem se deixado influenciar pelos falsos mestres (2Tm 3.6-7) ou tivessem sido levadas, por causa de seus desejos sensuais, a abandonar a fé (vs. 11-12).
B. Ministrando aos presbíteros (5.17-25).
Do mesmo modo que havia feito com relação às viúvas, Paulo dirigiu-se às questões da honra adequada devida aos presbíteros e a maneira de lidar com os que pecavam.
A honra da posição bem como a remuneração financeira (vs. 18) são destacados por Paulo nesses versículos. Essa é uma referência a dois tipos de presbíteros: aqueles que presidem na igreja e aqueles que acrescentam à governança o ministério mais especializado da pregação e do ensino.
Independentemente dessas diferenças, porém, todos os presbíteros têm a responsabilidade de pastorear o rebanho (At 20.28; 1 Pe 5.1-4).
O fato de Paulo ter citado tanto Dt 25.4 como uma palavra de Jesus registrada em Lc 10.7 como "Escritura", indica como eram antigos os textos ora incluídos no Novo Testamento, que foram colocados no mesmo nível de autoridade daqueles do Antigo Testamento (2Pe 3.15-16).
Os presbíteros que pecam ou que vivem no pecado – v. 20. Talvez alguns estivessem envolvidos com a falsa doutrina, embora o conselho seja aplicável a outros pecados graves que causam impacto na igreja. O vs.1 indica que nem todo pecado dos presbíteros devia ser tratado dessa maneira.
Paulo exortava solenemente, diante de Deus, de Cristo Jesus e dos anjos eleitos - aqueles que presumivelmente servirão de testemunhas no juízo (cf. Mt 25.31; Ap 14.10) – que eles deveriam procurar observar essas instruções sem parcialidade, nem favoritismos.
Paulo ainda os ensinava que a ninguém deveria ele impor precipitadamente as mãos. Esse versículo foi interpretado de vários modos.
Se a "imposição de mãos" refere-se à ordenação, pode significar que a ordenação de um presbítero sem qualificação significaria aprovação tácita e, portanto, participação nos pecados do mesmo.
Caso se refira à restauração e confirmação de um presbítero acusado de pecar (vs. 19-20), ou pecadores repreendidos em geral, pode indicar que a restauração precipitada é uma maneira pecaminosa de favoritismo (vs. 21).
Em todo caso, o que prevaleceria seria que ele se conservasse a si mesmo puro. Veja 4.12,16.
A prática de se abster do vinho como questão de princípio talvez reflita a influência do conceito de pureza dos falsos mestres (4.3), ou talvez fosse para proteger os cristãos mais fracos de tropeçar (Rm 14.21). Paulo reconhecia o valor medicinal do vinho – vs. 23.
Nos vs. 24 e 25, ele novamente faz outra referência à importância da triagem cuidadosa dos candidatos à ordenação.
I Tm 5:1 Não repreendas ao homem idoso; antes,
exorta-o como a pai;
aos moços,
como a irmãos;
I Tm 5:2 às mulheres idosas,
como a mães;
às moças,
como a irmãs, com toda a pureza.
I Tm 5:3 Honra as viúvas verdadeiramente viúvas.
I Tm 5:4 Mas, se alguma viúva tem filhos ou netos,
que estes aprendam primeiro a exercer piedade
para com a própria casa
e a recompensar a seus progenitores;
pois isto é aceitável diante de Deus.
I Tm 5:5 Aquela, porém, que é verdadeiramente viúva e não tem amparo
espera em Deus
e persevera em súplicas e orações, noite e dia;
I Tm 5:6 entretanto, a que se entrega aos prazeres,
mesmo viva, está morta.
I Tm 5:7 Prescreve, pois, estas coisas,
para que sejam irrepreensíveis.
I Tm 5:8 Ora, se alguém não tem cuidado dos seus
e especialmente dos da própria casa,
tem negado a fé e
é pior do que o descrente.
I Tm 5:9 Não seja inscrita senão viúva
que conte ao menos sessenta anos de idade,
tenha sido esposa de um só marido,
I Tm 5:10 seja recomendada pelo testemunho de boas obras,
tenha criado filhos,
exercitado hospitalidade,
lavado os pés aos santos,
socorrido a atribulados, se viveu na prática zelosa de toda boa obra.
I Tm 5:11 Mas rejeita viúvas mais novas,
porque, quando se tornam levianas contra Cristo,
querem casar-se,
I Tm 5:12 tornando-se condenáveis por anularem
o seu primeiro compromisso.
I Tm 5:13 Além do mais,
aprendem também a viver ociosas,
andando de casa em casa;
e não somente ociosas,
mas ainda tagarelas e intrigantes,
 falando o que não devem.
I Tm 5:14 Quero, portanto, que as viúvas mais novas
se casem,
criem filhos,
sejam boas donas de casa
e não dêem ao adversário ocasião favorável de maledicência.
I Tm 5:15 Pois, com efeito,
já algumas se desviaram,
seguindo a Satanás.
I Tm 5:16 Se alguma crente tem viúvas em sua família,
socorra-as,
e não fique sobrecarregada a igreja,
para que esta possa socorrer
as que são verdadeiramente viúvas.
I Tm 5:17 Devem ser considerados merecedores de dobrados honorários
os presbíteros
que presidem bem,
com especialidade os que se afadigam
na palavra
e no ensino.
I Tm 5:18 Pois a Escritura declara:
Não amordaces o boi, quando pisa o trigo.
E ainda:
O trabalhador é digno do seu salário.
I Tm 5:19 Não aceites denúncia contra presbítero,
senão exclusivamente sob o depoimento de duas ou três testemunhas.
I Tm 5:20 Quanto aos que vivem no pecado,
repreende-os na presença de todos,
para que também os demais temam.
I Tm 5:21 Conjuro-te,
perante Deus,
e Cristo Jesus,
e os anjos eleitos,
que guardes estes conselhos,
sem prevenção,
nada fazendo com parcialidade.
I Tm 5:22 A ninguém
imponhas precipitadamente as mãos.
Não te tornes cúmplice de pecados de outrem.
Conserva-te a ti mesmo puro.
I Tm 5:23 Não continues a beber somente água;
usa um pouco de vinho,
por causa do teu estômago
e das tuas freqüentes enfermidades.
I Tm 5:24 Os pecados de alguns homens
são notórios
e levam a juízo,
ao passo que os de outros só mais tarde se manifestam.
I Tm 5:25 Da mesma sorte também as boas obras,
antecipadamente, se evidenciam
e, quando assim não seja,
não podem ocultar-se.
Chamou-me a atenção o vs. 21 quando Paulo pede para Timóteo guardar esses conselhos. Ele conjura, ou seja, ele fala a ele chamando-o à responsabilidade perante Deus, Cristo Jesus e os anjos eleitos...
p.s.: link da imagem original:
Contagem regressiva: Faltam 66 dias para 20/04/16 (Inicio: 05/05/15). Tu, SENHOR, conservarás em perfeita paz aquele cujo propósito é firme; porque ele confia em ti. (Is 26.3).

A Deus toda glória! p/ pr. Pr. Daniel Deusdete. 
...


Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.