sábado, 13 de fevereiro de 2016

I Timóteo 3 1-15 - AOS QUE ASPIRAM O EPISCOPADO

Como já dissemos, Paulo escreveu essa epístola para orientar Timóteo em sua oposição aos falsos mestres em Éfeso. Estamos no capítulo 3/6.
Breve síntese do capítulo 3.
Aqui Paulo fala aos que aspiram a excelente obra, ou seja, o episcopado. Ele enumera uma série de virtudes que devem ser característicos do homem de Deus que vai ficar à frente da obra de Deus. Também fala dessas mesmas características aos diáconos homens e mulheres.
Não existe maior honra do que servir ao Senhor. Você consegue enxergar maior obra a ser feita enquanto vivo aqui na terra? Não há! É muita glória!
Vejamos o presente capítulo com mais detalhes, conforme ajuda da BEG:
III. A CONDUTA NA IGREJA (2.1-3.16).
Como dissemos, Paulo desafiou a desarmonia dos falsos mestres ao resumir suas ideias a respeito da oração, da modéstia no culto e da liderança da igreja. Dos vs. 2.1 ao 3.16, estaremos vendo essa conduta na igreja.
Estamos seguindo nossa divisão proposta, conforme a BEG: A. Oração e culto (2.1-15) – já vimos; B. Liderança da igreja (3.1-13) – veremos agora; e, C. A responsabilidade de Timóteo (3.14-16) – veremos também agora.
B. Liderança da igreja (3.1-13).
Paulo voltou ao tópico da liderança na igreja. Seu foco nas qualidades pessoais daqueles que serviriam nesses cargos, em vez de frisar seus deveres, indica a sua preocupação de que pessoas certas ocupassem tais cargos.
Talvez alguns falsos mestres houvessem ocupado posições de liderança, ou estivessem em busca delas. Ele discutiu as qualificações dos bispos (vs. 1-7) e a seguir as dos diáconos (vs. 8-13).
Aos bispos/presbíteros – vs. 1-7.
Paulo tratou primeiro das qualificações dos bispos ou presbíteros.
O uso dessa expressão “Fiel é a palavra” aqui reflete a importância que Paulo associava à tarefa do bispo. Se alguém desejasse servir a Cristo como epíscopo, estaria desejando uma nobre função.
O bispo era aquele homem, dentro de um grupo, responsável pelo cuidado geral da igreja (vs. 5; Fp 1.1). A palavra é usada de maneira intercambiável com "presbítero" (At 20.17,28; Tt 1.5-7).
Dos vs. 2 ao 7, ele elenca esses atributos desejáveis em um bispo:
ü  Irrepreensível.
Um título genérico para as qualificações do bispo. Essa expressão não significa "sem pecado", o que desqualificaria todos os homens, mas "acima de qualquer repreensão escandalosa".
A preocupação maior de Paulo era que os presbíteros gozassem de um bom conceito tanto entre os não cristãos (vs. 7) como entre os cristãos (veja também Tt 1.6-9).
ü  Marido de uma só mulher.
Essa expressão difícil (vs. 12; 5.9; Tt 1.6) pode ser compreendida como proibição à poligamia, outro casamento depois de um divórcio sem embasamento bíblico, ou infidelidade conjugal. O presbítero poderá ser solteiro.
ü  Sóbrio.
ü  Prudente.
ü  Respeitável.
ü  Hospitaleiro.
ü  Apto para ensinar.
A menção do aspecto de ensinar dentre as tarefas do presbítero é importante dado o problema vivido em Éfeso (5.17).
Deve-se lembrar também das responsabilidades pastorais dos presbíteros, o que inclui o ensino (At 20.28; 1 Pe 5.1-4).
ü  Não apegado ao vinho.
ü  Não violento.
ü  Amável.
ü  Pacífico.
ü  Não apegado ao dinheiro.
ü  Que governe bem sua própria família.
O primeiro teste de seu episcopado é a sua família. Ela é a sua primeira igreja e criar os filhos nos caminhos do Senhor é um grande desafio.
Paulo chega a dizer que se não soubesse governar a sua própria casa, estaria já reprovado.
ü  Não pode ser recém-convertido.
O fato de um recém-convertido a Cristo ocupar o ofício de presbítero pode levar à soberba e assim incorrer na condenação do diabo. Paulo não contemplava de modo brando a queda de um presbítero, talvez porque alguns presbíteros estivessem envolvidos com a falsa doutrina.
ü  Ter boa reputação perante os de fora.
Dos vs. 3.8 ao 3.13, Paulo passou dos presbíteros para o segundo escalão da igreja: os diáconos. Sobre eles e o seu ofício ele fala no vs. 13 que os que servirem bem alcançarão uma excelente posição e grande determinação na fé em Cristo Jesus.
Do mesmo modo, dos vs. 8 ao 13, ele elenca esses atributos desejáveis em um bispo:
ü  Devem ser dignos.
ü  Homens de palavra.
ü  Não amigos de muito vinho nem de lucros desonestos.
ü  Devem apegar-se ao mistério da fé com a consciência limpa.
Em outras passagens, Paulo usa o termo "mistério" para referir-se à verdade revelada por meio do evangelho (vs. 16; Rm 16.25-26; 1Co 2.7; 4.1; Ef 1.9; 3.3-9; 6.19; Cl 1.26-27; 2.2; 4.3). Talvez alguns dos diáconos em Éfeso tivessem sido enganados pela falsa doutrina.
ü  Devem ser primeiramente experimentados; depois, se não houver nada contra eles, que atuem como diáconos.
Essa provavelmente não é referência a um período específico de teste, mas, na verdade, um cuidadoso exame da conduta e compromisso com a sã doutrina.
Paulo usou essa mesma palavra grega quando se referiu aos bispos/presbíteros em Tt 1.6-7.
ü  As mulheres igualmente sejam dignas, não caluniadoras, mas sóbrias e confiáveis em tudo.
Literalmente, "as mulheres devem ser". Três identificações principais dessas mulheres foram fornecidas:
(1)      As esposas de diáconos (e, por implicação, dos presbíteros).
(2)      As assistentes do sexo feminino dos diáconos.
(3)      As mulheres que exerciam a função de diácono (ou diaconisas).
As duas últimas sugestões são mais prováveis que a primeira. É provável que a aparente aspereza da declaração direta a respeito das mulheres reflita a preocupação de Paulo com as mulheres em especial, as quais não haviam conseguido se desvencilhar dos falsos mestres (2.14; 5.11-15).
ü  O diácono deve ser marido de uma só mulher e governar bem seus filhos e sua própria casa.
É clara a referência aqui aos oficiais da igreja que trabalhavam lado a lado com os presbíteros (cf. Fp 1.1). As incumbências precisas do diácono não foram enumeradas nessa passagem.
A igreja tem visto o ministério dos diáconos em termos dos sete escolhidos para ajudar os apóstolos em At 6.1-6, embora o termo "diácono" não tenha sido usado nessa passagem.
C. A responsabilidade de Timóteo (3.14-16).
Dos vs. 14 ao 16, Paulo está desejoso em vê-lo, em breve, mas fala dessa responsabilidade de Timóteo. Paulo esclareceu pela segunda vez a responsabilidade de Timóteo em Éfeso (veja 1.12-20).
Paulo resumiu a sua discussão sobre a conduta na vida da igreja. Havia regras e orientações a serem seguidas (2.1-3.16).
A casa de Deus, a igreja do Deus vivo, era e é a coluna e fundamento da verdade. Coluna vem do grego stylos - a igreja sustenta a verdade.
Ela é também um baluarte. Não é apenas sinônimo de coluna, pois traduz outra palavra com significado diferente (hedraioma). Expressa a ideia de estabilidade e permanência.
A intenção de Paulo era enfatizar, em contraste com os falsos mestres, que a verdade do evangelho é encontrada e sustentada por meio da igreja de Deus.
O que se segue quando ele fala que sem dúvida grande era o mistério da piedade, pode ser parte de um antigo hino cristão.
ü  Aquele que foi manifestado na carne.
Uma referência à encarnação, com indicação da preexistência de Cristo.
ü  Foi justificado em Espírito.
Uma referência à ressurreição de Cristo (Rm 1.4).
ü  Contemplado por anjos.
Uma referência à ascensão (At 1.10-11).
ü  Pregado entre os gentios.
Uma referência ao ministério universal de Cristo abrangendo todos os povos.
ü  Crido no mundo.
Uma referência aos que receberam o evangelho, tanto judeus como gentios.
ü  Recebido na glória.
Uma referência à exaltação de Cristo na glória.
I Tm 3:1 Fiel é a palavra:
                se alguém aspira ao episcopado,
                               excelente obra almeja.
I Tm 3:2 É necessário, portanto,
                que o bispo seja irrepreensível,
                esposo de uma só mulher,
                temperante,
                sóbrio,
                modesto,
                hospitaleiro,
                apto para ensinar;
                I Tm 3:3 não dado ao vinho,
                não violento, porém cordato,
                inimigo de contendas,
                não avarento;
                I Tm 3:4 e que governe bem a própria casa,
                               criando os filhos sob disciplina,
                               com todo o respeito
                                               I Tm 3:5 (pois, se alguém não sabe governar a própria casa,
                                                               como cuidará da igreja de Deus?);
                I Tm 3:6 não seja neófito,
                               para não suceder que se ensoberbeça e incorra na condenação do diabo.
                I Tm 3:7 Pelo contrário, é necessário
                               que ele tenha bom testemunho dos de fora,
                                               a fim de não cair no opróbrio e no laço do diabo.
I Tm 3:8 Semelhantemente, quanto a diáconos, é necessário
                que sejam respeitáveis,
                de uma só palavra,
                não inclinados a muito vinho,
                não cobiçosos de sórdida ganância,
                I Tm 3:9 conservando o mistério da fé
                               com a consciência limpa.
                I Tm 3:10 Também sejam estes primeiramente experimentados;
                e, se se mostrarem irrepreensíveis,
                               exerçam o diaconato.
                I Tm 3:11 Da mesma sorte, quanto a mulheres,
                               é necessário que sejam elas respeitáveis,
                               não maldizentes,
                               temperantes
                               e fiéis em tudo.
                I Tm 3:12 O diácono seja marido de uma só mulher
                e governe bem seus filhos e a própria casa.
I Tm 3:13 Pois os que desempenharem bem o diaconato
                alcançam para si mesmos justa preeminência
                e muita intrepidez
                               na fé em Cristo Jesus.
I Tm 3:14 Escrevo-te estas coisas,
                esperando ir ver-te em breve;
                I Tm 3:15 para que, se eu tardar,
                               fiques ciente de como se deve proceder na casa de Deus,
                                               que é a igreja do Deus vivo,
                                               coluna
                                               e baluarte da verdade.
I Tm 3:16 Evidentemente, grande é o mistério da piedade:
                Aquele que foi manifestado na carne
                foi justificado em espírito,
                contemplado por anjos,
                pregado entre os gentios,
                crido no mundo,
                recebido na glória.
Ele conclui o capítulo falando do mistério da piedade o que parecia ser uma canção que entoavam quando a igreja estava vivendo sua primeira fase.
Sobre alguns dos mistérios que Paulo e outros profetas falam na Bíblia:
ü  Da fé. I Tm 3.9.
ü  Da piedade. I Tm 3.16.
ü  De Deus. I Co 4.1; Cl 2.2; Ap 10.7.
ü  Da sua vontade. Ef 1.9.
ü  Entre os gentios. Cl 1.27.
ü  De Cristo. Ef 3.4; Cl 4.3.
ü  Da iniquidade. II Ts 2.7
ü  Da mulher. Ap 17.7.
ü  Das sete estrelas. Ap 1.20.
p.s.: link da imagem original:
Contagem regressiva: Faltam 68 dias para 20/04/16 (Inicio: 05/05/15). Tu, SENHOR, conservarás em perfeita paz aquele cujo propósito é firme; porque ele confia em ti. (Is 26.3).

A Deus toda glória! p/ pr. Pr. Daniel Deusdete. 
...


Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.