terça-feira, 1 de setembro de 2015

Mateus 28 1- 20 - O JESUS RESSUSCITADO NOS DEU UMA MISSÃO ATÉ A SUA VOLTA!

Estamos vendo o Evangelho de Mateus escrito com o propósito de inspirar os cristãos ao serviço grato e fiel de promover o reino de Deus ao apresentar Jesus como o tão esperado rei e apresentar o reino que ele trouxe como o cumprimento do plano da redenção de Deus. Estamos concluindo a última parte de Mateus, a parte VII, veremos o último capítulo, o 28.
VII. A PAIXÃO E A RESSURREIÇÃO (26.1-28.20).
Jesus passou por aflições, morreu como o Rei sofredor dos judeus, e foi exaltado na sua ressurreição como o vitorioso Rei. Jesus revelou-se a seus discípulos e os comissionou a espalharem o seu evangelho até aos confins da terra.
Ontem narrávamos a morte de Jesus. Ninguém o matou, nem poderiam, mas voluntariamente deu a sua vida por nós. Agora, o Pai o ressuscita dos mortos e este seu Filho acaba vencendo a rainha e toda poderosa morte que mantinha em seu cativeiro todas as almas dos homens.
Na morte de Cristo, a morte da morte! Jesus Cristo ressuscitou e ninguém poderia impedi-lo de voltar à vida. Agora durante 40 dias estará com seus discípulos dando a eles instruções especiais e os preparando para o grande momento que se daria após a sua partida.
Aqui, duas mulheres, no primeiro dia da semana, resolvem ver o sepulcro. Um grande terremoto ocorre e Mateus o associa a visita de um grande anjo.
Temos de admitir que grande era esse anjo que desceu dos céus provocando um terremoto. Foi ele quem deslocou a grande pedra que bloqueava o sepulcro onde jazia Jesus e que deu instruções às mulheres e ainda lhes mostrou onde Jesus havia estado. O primeiro anuncio então da ressurreição de Jesus foi dado por um anjo!
Também temos de admitir que o ministério de Jesus era cercado de anjos que de uma ou de outra forma estavam sempre atentos aos acontecimentos.
A aparência dele era algo forte, pois que se assemelhava com um relâmpago, sendo as suas vestes tão brancas como a neve. Compare com a descrição do anjo que viu Daniel, no capitulo 10 de Daniel.
Até o temor dos guardas lembra o temor daqueles que estavam com Daniel que se escondiam sem terem visto, nem ouvido nada. Eles se encontravam assim apenas com a presença do ser angelical, provavelmente era ele Gabriel.
Aquele anjo anunciou a ressurreição, deu instruções às mulheres de que Jesus estaria indo adiante deles para a Galiléia, onde todos o veriam e reforça sua fala com uma espécie de palavra confirmatória: “é como vos digo” ou “Notem que eu já os avisei" (NVI).
No verso 9, é de repente que acontece, o próprio Jesus as encontra e se abraçam, elas o adoram, recebem dele palavra de conforto, a mesma que o anjo havia a elas ministrado para não temerem e confirma a palavra do anjo para elas irem para a Galiléia.
O primeiro anúncio de Jesus ressurreto dentre os homens não foi de um homem, nem dos apóstolos, mas de mulheres. O ministério de Jesus é um ministério que comissiona as mulheres no envio delas para anuncio de sua palavra. Jesus queria se encontrar com seus irmãos – vs. 10 – ou seja, Jesus estava se referindo a todos os seus discípulos (cf. 12.49-50; 25.40).
Enquanto anjos, o Senhor e as mulheres estavam fazendo a obra de Deus, dos versos de 11 ao 15, soldados, chefes dos sacerdotes e líderes religiosos estavam armando um golpe contra Cristo ressurreto: eles estavam construindo uma mentira para explicarem o desaparecimento do corpo de Jesus.
Esse incidente demonstra que a evidência empírica mais descarada e clara do mundo não exerce nenhum efeito sobre aqueles que estão comprometidos com a incredulidade.
O fato de que a história de um corpo roubado ainda estava circulando nos dias de Justino Mártir indica algo do desespero que os líderes judeus sentiram para explicar a tumba vazia.
Como a incredulidade é danosa! Mesmo diante da maior evidência possível, ainda assim, a cegueira faz com que rejeitam toda razoabilidade.
Orientado pelas mulheres, por aquele anjo com aparência de relâmpago e por Jesus, os discípulos se dirigem para a Galiléia onde o viram e o adoraram, mas alguns duvidaram.
Essa tradução da expressão idiomática grega significa "mas alguns outros" duvidaram. Uma rara palavra grega que provavelmente significa algo como "não tinham certeza sobre o que pensar". Ou seja, estavam atônitos diante dos fatos que seus olhos estavam comprovando. Não se trata aqui de uma dúvida que gerasse ou fosse gerada pela danosa e maligna incredulidade.
Jesus, ressurreto, se aproxima deles e fala que toda autoridade no céu e na terra lhe tinha sido dada. Jesus agora exercia total autoridade. O Filho do Homem veio diante do Ancião de Dias e recebeu o domínio prometido (Dn 7.13-14 - Eu estava olhando nas minhas visões da noite, e eis que vinha nas nuvens do céu um como o filho do homem; e dirigiu-se ao ancião de dias, e o fizeram chegar até ele. E foi-lhe dado o domínio, e a honra, e o reino, para que todos os povos, nações e línguas o servissem; o seu domínio é um domínio eterno, que não passará, e o seu reino tal, que não será destruído).
O fim da História começou, mas não estará completa até o seu retomo à terra em glória (26.64). Meu Deus, meu Jesus está voltando!
Em função disso é que ele conclui dizendo “portanto” ide. A Grande Comissão procede da autoridade de Cristo. Desde que a nova era começou, o evangelho deve ir a todo o mundo. A autoridade de Jesus em seu mandamento direto e inequívoco é nossa principal razão para o evangelismo e missões.
Embora a palavra não seja um mandamento propriamente dito, esse “ide” compartilha da força imperativa do verbo do qual depende, como no vs. 7, onde a mesma forma sintática para "ide" é certamente intencionada como um comando.
Era para irmos e fazermos discípulos. O verbo aqui “fazei discípulos” é tipicamente entendido como ensinar" ou "treinar". Num certo sentido, somente Deus "faz discípulos”, mas ele nos envia como mestres e treinadores para aqueles que ele efetivamente chama.
Esse treinamento, conforme a BEG, dos discípulos envolve batizá-los e ensiná-los a guardar os seus mandamentos (vs. 20).
Completando sua instrução, era para irmos e fazermos discípulos de todas as nações. A mesma palavra que com frequência é traduzida como "gentios".
Não mais o evangelho é dirigido somente a Israel (contraste com 10.5-6). Ao contrário, a grande promessa de que por meio de Abraão todas as nações seriam abençoadas (Gn 12.3) deve ser agora cumprida à medida que os discípulos de Jesus espalham o reino para todas as nações.
Em todas as nações a fim de ir batizando-as. Compare com 3.11, Aqui, aqueles que se tornaram discípulos são batizados em (lit., “dentro") um nome trino. É um nome (não "nos nomes de”) e um batismo porque o Pai, Filho e Espírito são somente um Deus.
Os discípulos são batizados “em" esse nome porque eles creram "em" (p. ex., colocaram-se à disposição de e confiaram-se a) o Pai, o Filho e o Espírito Santo, e eles são transformados ''em" a nova aliança que as três pessoas da trindade validaram.
O que eles deveriam ensinar/guardar? Tudo o que Jesus lhes tinha ordenado! – vs. 20. Os discípulos não devem somente ensinar a pura verdade; eles devem ensinar a obedecer.
Claro que, para que eles obedeçam, devem saber o que Jesus ensinou; assim, também é necessário que eles conheçam a verdade. Doutrina e obediência não podem andar separadas.
A promessa para eles não desanimarem era que ele, o Senhor, estaria com eles para sempre, até o fim dos tempos ou até a consumação do século (NVI).
Deus não colocou sobre seus discípulos a responsabilidade de disciplinar o mundo sem prometer a sua presença no esforço deles. Nós temos a confiança de que não estamos sozinhos, mesmo nos momentos mais desanimadores, porque ele está conosco "sempre".
As palavras finais de Jesus no Evangelho de Mateus dirigem a atenção para a grande esperança de todos aqueles que seguem a Cristo.
Jesus inaugurou o reino e nos enviou para espalhá-lo para longe e em todo o mundo. No entanto, o grande objetivo no qual colocamos toda a nossa esperança é o de que o reino levará este mundo a um fim e introduzirá a plenitude do reino glorioso de Cristo quando ele retornar.
Mt 28:1 No findar do sábado,
ao entrar o primeiro dia da semana,
Maria Madalena
e a outra Maria
foram ver o sepulcro.
Mt 28:2 E eis que houve um grande terremoto;
porque um anjo do Senhor desceu do céu,
chegou-se,
removeu a pedra
e assentou-se sobre ela.
Mt 28:3 O seu aspecto era como um relâmpago,
e a sua veste, alva como a neve.
Mt 28:4 E os guardas tremeram espavoridos
e ficaram como se estivessem mortos.
Mt 28:5 Mas o anjo,
dirigindo-se às mulheres, disse:
Não temais;
porque sei que buscais Jesus, que foi crucificado.
Mt 28:6 Ele não está aqui;
ressuscitou, como tinha dito.
Vinde ver onde ele jazia.
Mt 28:7 Ide, pois,
depressa
e dizei aos seus discípulos
que ele ressuscitou dos mortos
e vai adiante de vós para a Galiléia;
ali o vereis.
É como vos digo!
Mt 28:8 E, retirando-se elas apressadamente do sepulcro,
tomadas de medo
e grande alegria,
correram a anunciá-lo aos discípulos.
Mt 28:9 E eis que Jesus
veio ao encontro delas e disse:
Salve!
E elas, aproximando-se,
abraçaram-lhe os pés
e o adoraram.
Mt 28:10 Então, Jesus lhes disse:
Não temais!
Ide avisar a meus irmãos
que se dirijam à Galiléia
e lá me verão.
Mt 28:11 E, indo elas,
eis que alguns da guarda foram à cidade
e contaram aos principais sacerdotes tudo o que sucedera.
Mt 28:12 Reunindo-se eles em conselho com os anciãos,
deram grande soma de dinheiro aos soldados,
Mt 28:13 recomendando-lhes que dissessem:
Vieram de noite os discípulos dele
e o roubaram enquanto dormíamos.
Mt 28:14 Caso isto chegue ao conhecimento do governador,
nós o persuadiremos
e vos poremos em segurança.
Mt 28:15 Eles, recebendo o dinheiro,
fizeram como estavam instruídos.
Esta versão divulgou-se entre os judeus
até ao dia de hoje.
Mt 28:16 Seguiram os onze discípulos
para a Galiléia,
para o monte que Jesus lhes designara.
Mt 28:17 E, quando o viram,
o adoraram;
mas alguns duvidaram.
Mt 28:18 Jesus,
aproximando-se,
falou-lhes, dizendo:
Toda a autoridade me foi dada
no céu e na terra.
Mt 28:19 Ide, portanto,
fazei discípulos de todas as nações,
batizando-os
em nome do Pai,
e do Filho,
e do Espírito Santo;
Mt 28:20 ensinando-os a guardar
todas as coisas que vos tenho ordenado.
E eis que estou convosco
todos os dias
até à consumação do século.
Recapitulando o que já dissemos, antes mesmo de elas irem passar a informação recebida do anjo, elas encontram o Senhor dos anjos e de tudo o que neles há, o próprio Jesus ressuscitado! É ele quem conclui as instruções e avisa as mulheres para que os discípulos se preparem para encontrá-lo.
Finalmente, Jesus forma a grande comissão: esta para mim é a “Missio Dei”. A missão dada a todos os seguidores de Jesus, independentemente de serem ou terem títulos. Todos os que creem devem seguir a Jesus e obedecerem suas instruções de Mt 28:19, 20:
Ide, portanto,
fazei discípulos de todas as nações,
batizando-os
em nome do Pai,
e do Filho,
e do Espírito Santo;
ensinando-os
a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado
E qual a promessa que temos ao fazermos tudo isso? Que ele, em todo tempo, estará conosco até a consumação dos séculos.
p.s.: link da imagem original:
Contagem regressiva: Faltam 232 dias para 20/04/16 (Inicio: 05/05/15). Tu, SENHOR, conservarás em perfeita paz aquele cujo propósito é firme; porque ele confia em ti. (Is 26.3).

A Deus toda glória! p/ pr. Daniel Deusdetehttp://www.jamaisdesista.com.br
...


Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.