domingo, 10 de maio de 2015

Ezequiel 41:1-26 - EZEQUIEL NÃO PODE ENTRAR NO SANTO DOS SANTOS.

Em nossa leitura, nos encontramos aqui, na terceira e última parte “III”, na seção “B” – a última -, na subseção “3”, no capítulo 41. O livro de Ezequiel é composto de 48 capítulos.
Ressaltamos que já vimos:
·         Os oráculos de advertência sobre a destruição de Jerusalém (caps. 1-24) – preocupação do profeta com o passado e com o presente de Jerusalém.
·         Uma seção de oráculos contra outras nações (caps. 25-32) – com foco na destruição de outras nações.
E agora, estamos vendo a terceira e última parte de nossa divisão proposta para o livro de Ezequiel (com foco nas futuras bênçãos de restauração que Judá gozaria após o exílio). Veja nosso mapinha de leitura abaixo para se situar no texto:
Parte III - FUTURAS BÊNÇÃOS PARA JUDÁ E JERUSALÉM - 31.1-48.35.
B. Visão de Jerusalém restaurada (40.1-48.35).
2. As estruturas do templo (40.5-42.20) - continuação.
Como já dissemos, estamos vendo doravante, até o capítulo 42. 20, as estruturas do templo. Foi mostrado a Ezequiel como seria o glorioso templo do futuro.
Para melhor reflexão de nossa parte, também dividimos essas estruturas do templo em três, conforme ele tinha observado: a. Os átrios e as portas do templo (40.5-49) – já vimos; b. O santuário (41.1-26) – veremos agora; c. As câmaras para os sacerdotes (42.1-20);
b. O santuário (41.1-26).
Neste capítulo, até o final dele, estaremos vendo essa subseção “b” que continua a falar do templo, sendo que já vimos os textos sobre os átrios e as portas do templo e agora, neste capítulo, sobre o santuário. Ezequiel viu o lugar santíssimo do templo.
Ezequiel estava sendo conduzido, por isso que fala que “então me levou...”. O ser que o acompanhava era aquele que se encontra no início do capítulo 40, verso 3, um homem com aparência do bronze.
Ele não estava indo de per-se, mas sendo conduzido pelo templo e primeiro passa pelo santuário exterior onde faz suas anotações de medidas e outras observações – vs. 1 e 2.
Nos versos 3 e 4, este ser angelical é que penetra e faz as medições no  Santo dos Santos. O acesso ao Santo dos Santos era restrito ao sumo sacerdote no Dia da Expiação (Lv 16; Hb 9.11-14); o anjo pôde entrar nesse recinto, mas Ezequiel não. Em Cristo Jesus hoje, temos pleno acesso! - Hb 10.19.
Ezequiel era uma espécie de testemunha ou escrivão que deveria estar anotando tudo, pois assim como ele levava Ezequiel pelo templo, ele media as partes do templo e as passava a Ezequiel que deveria estar anotando, se não, não haveria esses registros tão precisos e detalhados de cada parte do templo.
As dimensões do Santo dos Santos no tabernáculo e no templo de Salomão também formavam um cubo que tinha o comprimento, a largura e a altura na mesma medida (cf. Ap 21.16).
Dos versos de 5 ao 12, ele descreverá as câmaras laterais. As câmaras ou quartos eram construídas ao redor dos lados norte, oeste e sul do edifício do templo; essa estrutura em três andares aparentemente deveria ser utilizada para guardar os equipamentos e as riquezas do templo (cf. 42.13; 1Rs 6.5-10).
O segundo e terceiro andares formavam um ressalto, de modo que cada um era um côvado mais largo que o andar inferior. Haviam 30 quartos em cada um dos andares.
O anjo ia medindo cada detalhe e Ezequiel observando e anotando outros. Eles pareciam bem compenetrados naquela missão. Foram medidas as paredes, os quartos, as áreas abertas, bem como foram descritos como eram as portas, os andares, o templo todo, o pátio, corredores, paredes.
Chama a atenção que dentro do templo havia obras de escultura – vs 17 – 20. Compare com 1 Rs 6.18; 2Cr 3.5-7. No espaço acima do lado exterior da entrada do santuário interno e nas paredes, a intervalos regulares, em volta de todo o santuário interior e exterior, havia querubins e tamareiras em relevo.
As tamareiras alternavam com os querubins e cada um dos querubins tinham dois rostos.
Os rostos deles eram da face de um homem e da face de um leão, cujo rosto do homem era virado para a tamareira de um dos lados, e o rosto do leão era virado para a tamareira do outro lado e eles estavam em relevo ao redor do templo inteiro.
Desde o chão até a área acima da entrada, havia querubins e tamareiras em relevo na parede do santuário exterior.
Nessa passagem, a mesa para o pão da proposição é descrita como um altar, provavelmente porque o pão era consumido pelos sacerdotes como parte de uma refeição sacrificial e porque o incenso que ra colocado junto ao pão era visto como uma oferta memorial (Lv 24.5-9; 1 Sm 21.3-6).
Ez 41:1 Então me levou ao templo, e mediu as umbreiras,
seis côvados de largura de uma banda,
e seis côvados de largura da outra,
que era a largura do tabernáculo.
Ez 41:2 E a largura da entrada era de dez côvados;
e os lados da entrada,
cinco côvados de uma banda e cinco côvados da outra;
também mediu o seu comprimento,
de quarenta côvados,
e a largura,
de vinte côvados.
Ez 41:3 E entrou dentro,
e mediu cada umbral da entrada, dois côvados;
e a entrada, seis côvados; e a largura da entrada,
sete côvados.
Ez 41:4 Também mediu o seu comprimento, vinte côvados,
e a largura, vinte côvados, diante do templo; e disse-me:
Este é o lugar santíssimo.
Ez 41:5 Então mediu a parede do templo, seis côvados,
e a largura de cada câmara lateral, quatro côvados,
por todo o redor do templo.
Ez 41:6 E as câmaras laterais eram de três andares,
câmara sobre câmara, e trinta em cada andar;
e elas entravam na parede que tocava no templo
para essas câmaras laterais em redor,
para se susterem nela, porque não travavam
da parede do templo.
Ez 41:7 Também as câmaras laterais aumentavam
de largura de andar em andar, ao passo
que se aprofundava a reentrância da parede
de andar em andar em volta do templo;
e havia ao lado do templo uma escadaria
pela qual se subia do primeiro ao terceiro andar
mediante o segundo.
Ez 41:8 Vi também que havia ao redor do templo
um pavimento elevado;
os fundamentos das câmaras laterais eram
da medida de uma cana inteira,
seis côvados grandes.
Ez 41:9 A grossura da parede exterior das câmaras laterais
era de cinco côvados; e o que sobrava do pavimento
fora das câmaras laterais,
que estavam junto ao templo,
também era de cinco côvados.
Ez 41:10 E por fora das câmaras havia um espaço livre
de vinte côvados de largura em toda a volta do templo.
Ez 41:11 E as entradas das câmaras laterais estavam voltadas
para a parte do pavimento que sobrava,
uma entrada para o lado do norte,
e outra entrada para o do sul;
e a largura desta parte do pavimento era de
cinco côvados em redor.
Ez 41:12 Era também o edifício que estava diante do lugar separado,
ao lado que olha para o ocidente, da largura
de setenta côvados;
e a parede do edifício era de cinco côvados de largura
em redor, e o seu comprimento de noventa côvados.
Ez 41:13 Assim mediu o templo, do comprimento de cem côvados,
como também o lugar separado, e o edifício,
e as suas paredes, cem côvados de comprimento.
Ez 41:14 E a largura da dianteira do templo, e do lugar separado
que olha para o oriente, cem côvados.
Ez 41:15 Também mediu o comprimento do edifício,
diante do lugar separado, que estava por detrás,
e as suas galerias de um e de outro lado,
cem côvados.
A nave do templo, a câmara interior, e o vestíbulo do átrio
eram forrados;
Ez 41:16 e os três tinham janelas gradeadas.
As galerias em redor nos três andares, defronte do limiar,
eram forradas de madeira em redor,
e isto desde o chão até as janelas
(ora as janelas estavam cobertas),
Ez 41:17 até o espaço em cima da porta para a câmara
interior, por dentro e por fora.
E em todas as paredes em redor, por dentro e por fora,
tudo por medida.
Ez 41:18 havia querubins e palmeiras de entalhe;
e havia uma palmeira entre querubim e querubim;
e cada querubim tinha dois rostos,
Ez 41:19 de modo que o rosto de homem olhava
para a palmeira de um lado,
e o rosto de leão novo para a palmeira do outro lado;
assim era pela casa toda em redor.
Ez 41:20 Desde o chão até acima da entrada estavam entalhados
querubins e palmeiras, como também pela parede do templo.
Ez 41:21 As ombreiras das portas do templo eram quadradas;
e diante do santuário havia uma coisa semelhante
Ez 41:22 a um altar de madeira,
de três côvados de altura, e o seu comprimento
era de dois côvados; os seus cantos,
o seu fundamento e as suas paredes
eram de madeira;
e disse-me:
Esta é a mesa que está perante a face do Senhor.
Ez 41:23 Ora, a nave e o santuário ambos tinham portas duplas.
Ez 41:24 As portas tinham cada uma duas folhas que viravam,
duas para uma porta, e duas para a outra.
Ez 41:25 E havia nas portas da nave querubins
e palmeiras de entalhe, como os que estavam nas paredes;
e havia um grande toldo de madeira
diante do vestíbulo por fora.
Ez 41:26 Também havia janelas fechadas e palmeiras,
de uma e de outra banda, pelos lados do vestíbulo.
O capítulo 10 do livro de Hebreus fala de termos ousadia, intrepidez para entrarmos no Santo dos Santos. Trata-se do verso 19: tendo, pois irmãos intrepidez, ousadia, entremos com confiança no Santo dos Santos...
No Santo dos Santos, somente poderia entrar o sumo-sacerdote e uma única vez por ano e uma única vez em toda a sua vida! Por causa do Mediador, Jesus Cristo, Nosso Senhor, temos acesso a qualquer momento! Você fecha os seus olhos em oração e pronto está diante do Pai!
Aqui neste capítulo, vimos que Ezequiel que ali se encontrava de uma forma especial e acompanhado de um ser angelical impressionante não pode entrar no Santo dos Santos. O anjo entrou, mediu e passou as descrições para ele. Hoje em Cristo Jesus, temos acesso direto a ele! Que bênção!
Isso porque nos temos agora um sacerdote eterno, conforme nos fala hebreus 8:
Nós temos um sumo sacerdote! Ele está assentado à destra do trono da majestade nos céus como ministro do santuário e do verdadeiro tabernáculo erigido não pelos homens ou por homem algum, mas por Deus, pelo próprio Senhor!
Nós temos um sumo sacerdote! Ele, Jesus, está a interceder por nós. Eu agora sou filho de Deus por meio de Jesus, o sumo sacerdote eterno e estou agora diante do trono da graça!
Nós temos um sumo sacerdote! Ah se caísse a ficha e despertássemos para a realidade que agora temos este sumo sacerdote e que não fazemos outra coisa se não pregarmos a sua palavra de vitória, de libertação, de cura e de salvação.
Nós temos um sumo sacerdote! Pregador! Desperta! Anuncie a palavra do Senhor, em nome do Senhor, crendo no Senhor como aquele que fará, inclusive, o maior dos milagres, sinais e prodígios, a salvação do homem perdido!
Nós temos um sumo sacerdote! Acesso completo ao Trono da Graça, mediante o Mediador... (meu Senhor não me deixes passar desta vida sem que a sua palavra em mim seja um martelo que esmiuça a penha.).
Eu não posso morrer com um tesouro nas mãos capaz de salvar a vida de homens! “Senhor, dá-me almas, se não eu morro!” - John Hyde, “o homem que orava”, missionário na Índia.
p.s.: link da imagem original:
Contagem regressiva: Faltam 84 dias para 04/08/2015, quando eu irei concluir a Segmentação de toda a Bíblia.

A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdetehttp://www.jamaisdesista.com.br
...

Reações:

1 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.