segunda-feira, 4 de maio de 2015

Ezequiel 35:1-15 - EDOM CONDENADA A SE TORNAR UM DESERTO ABANDONADO.

Em nossa leitura, nos encontramos aqui, na terceira e última parte “III”, na seção “A”, na subseção “4”, no capítulo 35. O livro de Ezequiel é composto de 48 capítulos.
Ressaltamos que já vimos:
·         Os oráculos de advertência sobre a destruição de Jerusalém (caps. 1-24) – preocupação do profeta com o passado e com o presente de Jerusalém.
·         Uma seção de oráculos contra outras nações (caps. 25-32) – com foco na destruição de outras nações.
E agora, estamos vendo a terceira e última parte de nossa divisão proposta para o livro de Ezequiel (com foco nas futuras bênçãos de restauração que Judá gozaria após o exílio).
Parte III - FUTURAS BÊNÇÃOS PARA JUDÁ E JERUSALÉM (31.1-48.35).
A. A queda e a restauração de Judá (33.1-39.29).
Recapitulando, nós falamos que do capítulo 33 até ao capítulo 39, estaremos vendo a queda e a restauração de Judá a qual foi dividia em oito seções principais, que estão sendo nossas subdivisões: 1. Ezequiel novamente vocacionado como atalaia (33.1-20) – já vimos; 2. A queda de Judá e dois grupos de israelitas (33.21-33) – já vimos; 3. Pastores do passado e do futuro (34.1-31) – já vimos; 4. A condenação de Edom (35.1-15) – veremos agora; 5. Urna profecia aos montes de Israel (36.1-38); 6. A ressurreição dos ossos secos (37.1-14); 7. Junção de dois pedaços de madeira (37.15-28); e, 8. Vitória na batalha futura (38.1-39.29).
4. A condenação de Edom (35.1-15).
Este capítulo falará da condenação de Edom. Veremos um oráculo contra o monte Seir, isto é, Edom (Gn 32.3 36.8-9; Nm 24.18; 2Cr 20.2,10; 25,14). Novamente veio ao filho do homem a palavra do Senhor para ele dirigir o seu rosto contra o monte Seir e profetizar contra ele.
O monte Seir é um nome usado como sinónimo para Edom. Edom ficava localizado junto à margem da terra arável a sudeste do mar Morto. Seir era a cadeia de montanhas mais importante do país (35.15; Gn 32.3; 26.8,9; Dt 2.8; Jz 5.4; 2Cr 20.10,22-23; 25.14).
Dos versos de 3 ao 8, Ezequiel, falando pelo Senhor os exorta da gravidade de seus erros que iam se acumulando e que em consequência, o Senhor faria vir sobre eles terrível juízo. Deus faria desertas as suas cidades, as assolaria e saberiam quem é o Senhor – vs. 4.
Eles estavam guardando perpetua inimizade, entregando os filhos de Israel ao poder da espada no tempo da calamidade deles, nos tempos do seu castigo final, por isso o Senhor chega a jurar por si mesmo que os preparará para o sangue e este os perseguirá.
Do monte Seir faria Deus uma grande assolação, um espanto e exterminaria dele todo o que nele passasse e que por ele voltasse e assim encheria os seus montes com os seus mortos, nos outeiros, nos seus vales e em todas as suas correntes de água, cairiam os seus mortos à espada.
As suas desolações seriam perpétuas e não seriam mais habitadas as suas cidades, então, neste exato momento, saberiam que o Senhor é Deus – vs. 9.
Contrastando o vs. 10, com Dt 2.2-8, veremos que Israel fora proibido de tomar o território de Edom porque Deus o havia dado aos descendentes de Esaú, mas aqui, Esaú estava tendo a pretensão de tomar os dois povos do Senhor, Israel e Judá, mesmo sabendo que Deus estava ali.
Em função disso, o Senhor tomou as dores de Israel e Judá e se irou contra Edom e sua arrogância em querer subjugá-los. O Senhor haveria de proceder contra eles na mesma intensidade do ódio deles e da inveja que se desbotava.
Quando isso fosse acontecer, o Senhor daria a se conhecer a Israel e Judá enquanto eles iam sendo julgados pelo Senhor. Somente aqui é que virão a saber que o Senhor é Deus, quando não houvesse mais jeito algum de voltar atrás.
O Senhor não é surdo e está atento a tudo. Ele ouviu as blasfêmias deles que proferiram contra os montes de Israel dizendo que já estavam em suas mãos e que agora iriam ser pasto deles. Engrandeceram-se com suas bocas e o Senhor os ouviu e os julgou.
Edom seria assolada terrivelmente porque riram e se alegraram contra Israel que foi desolada. O Senhor haveria de fazer de Edom uma grande desolação e assolação. E novamente diz que eles saberão que é o Senhor quando tudo isso acontecesse – vs. 15.
Vejamos um pouco mais sobre Edom, sua localização antiga e atual.
Em Gênesis 36, a Bíblia nos relata que Esaú separou-se de seu irmão Jacó e habitou com sua família na montanha de Seir.
Seir era um Horeu da tribo dos Horeus, que habitavam a região sul do Mar Morto. O Monte Seir, que significa áspero, é uma cordilheira que se estende desde o sul do Mar Morto até o braço oriental do Mar Vermelho. Tem 160 km de comprimento por 32 km de largura. Sua altura média está a 600 metros acima do nível do mar. As suas rampas e vales foram primitivamente habitados pelos Horeus. Depois que Esaú chegou a este terra, ele deu origem a nação de Edom. Hoje, essa região pertence à Jordânia, e sua principal cidade é Petra, uma das sete maravilhas do mundo moderno.
Edom é o outro nome de Esaú, e significa Vermelho, pelo motivo da cor vermelha da sopa de lentilhas, pela qual ele vendeu a Jacó o seu direito de primogenitura. Edom primitivamente se chamava "Monte Seir" e era habitado pelos Horeus. É uma região de profundos vales e de férteis planícies, com um clima magnífico, mas o aspecto geral do país é áspero e inculto. No Novo Testamento, Edom era conhecida como Iduméia, e seus habitantes eram os Idumeus. Os Idumeus eram um povo guerreiro, habitantes das cavernas, como tinham sido os Horeus, a quem eles haviam afugentados daqueles sítios, sendo além disso idólatras. Eles recusaram aos hebreus a passagem pelo seu território e foram acusados de inveterado ódio para com o povo israelita.
Em tempos posteriores, o território de Edom (ou Iduméia) estendia-se desde o deserto da Arábia até o Mediterrâneo. Era Bozra (Bezer) a capital, mas a principal fortaleza era Petra (Sela).
As palavras dos profetas foram completamente cumpridas - "Edom se fará um deserto abandonado" (Jr 49.17; Jl 3.19). É hoje de tal sorte o deserto de Edom, que a gente se espanta, e pergunta como é que uma região tão estéril e acidentada pôde, em tempos antigos, ser adornada de cidades e habitada por um poderoso e opulento povo. O seu atual aspecto devia desmentir a sua história, se essa história não fosse confirmada por muitos vestígios de sua primitiva grandeza, pelos sinais de uma antiga cultura, isto é, pelas ruínas de cidades e fortificações, vendo-se ainda também os restos de muralhas e de estradas empedradas.[1]
Ez 35:1 Veio a mim a palavra do Senhor, dizendo:
Ez 35:2 Filho do homem, dirige o teu rosto contra o monte Seir,
e profetiza contra ele.
Ez 35:3 E dize-lhe:
Assim diz o Senhor Deus:
Eis que eu estou contra ti, ó monte Seir,
e estenderei a minha mão contra ti,
e te tornarei em desolação e espanto.
Ez 35:4 Farei desertas as tuas cidades, e tu serás assolado;
e saberás que eu sou o Senhor.
Ez 35:5 Pois que guardaste perpétua inimizade,
e entregaste os filhos de Israel ao poder da espada
no tempo da sua calamidade,
no tempo do castigo final;
Ez 35:6 por isso vivo eu, diz o Senhor Deus,
que te prepararei para sangue,
e o sangue te perseguirá;
visto que não aborreceste o sangue,
por isso o sangue te perseguirá.
Ez 35:7 Farei do monte Seir um espanto e uma desolação,
e exterminarei dele o que por ele passar,
e o que por ele voltar;
Ez 35:8 e encherei os seus montes dos seus mortos;
nos teus outeiros, e nos teus vales,
e em todas as tuas correntes d'água cairão
os mortos à espada.
Ez 35:9 Em desolações perpétuas te porei,
e não serão habitadas as tuas cidades.
Então sabereis que eu sou o Senhor.
Ez 35:10 Visto como dizes:
Estes dois povos e estas duas terras serão meus,
e havemos de possuí-los,
sendo que o Senhor se achava ali;
Ez 35:11 portanto, vivo eu, diz o Senhor Deus,
que procederei conforme a tua ira,
e conforme a tua inveja, de que usaste,
no teu ódio contra eles;
e me darei a conhecer entre eles, quando eu te julgar.
Ez 35:12 E saberás que eu, o Senhor,
ouvi todas as tuas blasfêmias,
que proferiste contra os montes de Israel, dizendo:
Já estão assolados, a nós nos são entregues por pasto.
Ez 35:13 Vós vos engrandecestes contra mim com a vossa boca,
e multiplicastes as vossas palavras contra mim.
Eu o ouvi.
Ez 35:14 Assim diz o Senhor Deus:
Quando a terra toda se alegrar, a ti te farei uma desolação.
Ez 35:15 Como te alegraste com a herança da casa de Israel,
porque foi assolada, assim eu te farei a ti:
assolado serás, ó monte Seir, e todo o Edom,
sim, todo ele;
e saberão que eu sou o Senhor.
Os povos pecam, passam dos limites, abusam da confiança e da oportunidade, não se arrependem, mesmo sabendo que o Senhor existe e que é fiel e julga todas as coisas. Preferem acreditar que tudo irá dar certo ao final, mesmo sendo os meios e os fins malévolos.
Na verdade, não se importam e desprezam o Senhor que não esquece e que a cada um retribui conforme as suas obras. Parece-me que a falta de punição tempestiva favorece um andar leviano ou revela a verdadeira natureza maligna de todos nós.
Todos iremos nos dobrar diante do Senhor, pena que tardiamente quando não houver mais jeito, nem oportunidade – “e saberão que eu sou o Senhor quando...”. No entanto, há ainda tempo e o dia de se arrepender se chama hoje! (Hb 3.7). Vai desprezar novamente? Melhor, não.
p.s.: link da imagem original:
Contagem regressiva: Faltam 90 dias para 04/08/2015, quando eu irei concluir a Segmentação de toda a Bíblia.
A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdetehttp://www.jamaisdesista.com.br


Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.