sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Isaías 57:1-21 - A DIVISÃO ENTRE JUSTOS E ÍMPIOS EM ISRAEL (PARA OS ÍMPIOS NÃO HÁ PAZ!).

Em nossa leitura, meditação e reflexão, capítulo por capítulo, nós nos encontramos aqui, no capítulo 57 e nas seguintes partes:
Parte IV – ISAÍAS E O JULGAMENTO BABILÔNICO – 40:1 – 66:24.
D. O caminho de arrependimento e restauração que Israel precisava percorrer para poder desfrutar da restauração (56:1 – 66:24).
1. A importância do sábado da justiça (56:1-58:14).
Como já dissemos, de 56:1 a 58:14, desta parte “1”, veremos a ênfase na importância do sábado da justiça, não pelo sábado em si, mas por causa da palavra de Deus e do senso da justiça. Nesses capítulos, Isaías se concentrará na guarda do sábado como uma provisão de justiça e retidão de Israel.
Nós dividimos esse material em três partes principais: a. Os judeus e os gentios e o sábado e a justiça (56:1-8) – já vista; b. A divisão entre justos e ímpios em Israel (56:9-57:21) – em continuação, concluiremos agora; e, c. A necessidade de guardar o sábado como um dia de justiça (58:1-14).
b. A divisão entre justos e ímpios em Israel (56:9-57:21) - continuação.
Dos versos 56:9 a 57:21, conforme falamos no capítulo anterior, estaremos vendo o justo e o ímpio em Israel. Depois de enfatizar a justiça (e o sábado) ao indicar que os gentios que mostrassem ter compromisso com esse ideal receberiam salvação, Isaías adverte que, entre os israelitas no exílio, haveriam os justos e os ímpios.
Perece o justo, mas quem se importa com isso? Assim começa este capítulo falando do arrebatamento do justo, dos compassivos, dos que andam na retidão que entrarão em paz e descansarão nas suas camas. Há um tempo determinado por Deus para esse propósito e todos os outros de sua vontade soberana!
Já não será da mesma forma com os filhos da agoureira, da linhagem da prostituta, da adúltera - uma alusão aos rituais de fertilidade dos cananeus (cf. Ez 16:3,45).
No verso 4, perguntas retóricas (27:7; 40:12) aos filhos da transgressão, à estirpe da falsidade, aos ímpios que estão cheios de sarcasmo e crítica (cf. 5:18-19; 28:9-10; 37:3). São esses que debaixo de toda árvore frondosa e “sagrada” – Dt 12:2; Ez 6:13 - sacrificavam seus filhos.
Na adoração a Moloque era praticado o sacrifício de crianças (vs. 9; cf. II Re 23:10; Sl 106:37-38; Jr 7:31; Ez 20:28,31; Mq 6:7). Ao invés de o Senhor ser o seu quinhão e a sua porção (Dt 4:19-20; 9:26; Sl 16:5; 142:5; Jr 10:16), os ídolos haviam se tornado seus parceiros de aliança, para desgraça deles.
Era bem ali, sobre os montes altos e elevados que punham o seu leito para práticas imorais e idólatras nos lugares sagrados (Os 4:13) e, também era ali, por detrás das portas e dos umbrais – vs. 8 - que colocavam seu memorial, numa espécie de aliança com a imoralidade e a luxúria.
Isso, para oferecerem ao rei - Moloque, um deus amonita (vs. 5) - óleo, tendo seu corpo sido banhado em perfumes. Eram esforços extremos que eram feitos numa área extensa para aplacar os deuses e nisso se submetiam até o Seol, ou seja, em sua idolatria e servidão religiosa, estavam dispostos a irem o máximo que podiam. O Seol aqui trata-se de uma hipérbole para expressar até que ponto essas pessoas haviam caído.
No verso 10, podemos ver que o ímpio encontrou uma vida falsa na imoralidade e na idolatria que o satisfez, que lhe concedeu renovação de suas forças, mas que, no final, levava à morte. O que adianta então essa satisfação que nos leva ao fim à morte e ao Lago de Fogo para passarmos a eternidade com o diabo e os seus anjos?
Em resposta, o Senhor se calou, mas a opção deles foi a mentira e o esquecimento com a consequente falta de temor. A justiça deles não era genuína (58:2-3; 64:6), nem suas obras aproveitáveis.
Haveriam também de clamarem, mas quem os livraria? Seus ídolos de vento? O próprio vento os levaria e um assopro os arrebataria. Somente os que confiam no Senhor é que possuirão a terra e herdarão o seu santo monte – vs. 13.
No vs. 14, Isaías lembrou Israel que um tempo de restauração estava para chegar. E num imperativo duplo, com efeito de ênfase, como em 40:1; 51:9,17; 52:1,11; 62:10; 65:1 ele dizia para aplainar, aterrar e preparar o caminho do seu povo.
Por que o Alto, o Sublime - um epíteto para o Senhor (6:1) – que habita na eternidade, cujo nome é santo também, da mesma forma, habita com o contrito e também com o abatido de espírito.
Tendo exposto a pecaminosidade dos exilados, Isaías deixa claro que Deus viveria com aqueles que humildemente se arrependessem (Sl 34:17-18; 51:17; I Pe 5:6) e estaria presente com todo aquele que caminhasse de maneira prudente diante dele (Mq 6:8). Este era o segredo, a chave para a vitória, para ser abençoado pelo Senhor e estar totalmente seguro e restaurado.
Até ao dia de hoje esse segredo de prosperidade não mudou. Somente os que se arrependerem é que serão alcançados para salvação e restauração de suas vidas.
Não seria para sempre que Deus contenderia com toda a carne, nem com ela ficaria irado por toda a eternidade – vs. 16. Em vez disso, em sua graça soberana, Deus concederia perdão e salvação para os arrependidos no exílio (54:9; 57:19; Gn 8:21-22; Sl 130:3-4) e para todos os que ouviriam a mensagem do evangelho e se arrependessem. Ela tem alcançado vidas em todas as eras e continuará a alcançar até a volta gloriosa do Senhor nas nuvens onde todo olho o verá – At 1:11; Ap 1:7.
Foi por causa de sua iniquidade e de sua avareza que o Senhor se indignou, o feriu e se escondeu. Rebelando-se ele contra o Senhor, seguiu seu próprio caminho de destruição e morte de seu coração enfermo pelo pecado.
Apesar disso, nos vs 18 e19 o Senhor promete que o sarará, que lhe dará consolação. O Senhor é o médico (30:26), o mestre (49:10) e o consolador perfeito (12:1; 40:1; Jo 14:26; 15:26). O Senhor tem visto os seus caminhos que são caminhos de morte, mas ainda assim o sarará, o guiará e o consolará.
É o Senhor quem cria o fruto dos lábios que concede a paz ao que está longe e ao que está perto, o que sara aquele que sofre com seu caminho errado, de rebeldia e de morte. Onde quer que os exilados se encontrassem, o humilde e o arrependido, entre eles, seria restaurado (At 2:39; Ef 2:13,17) para a glória de Deus.
Agora quanto aos ímpios e aos perversos – vs. 20 e 21 – são como o mar agitado que não pode estar quieto e cujas águas lançam de si lama e lodo – Jd 13 - e nada mais. O fim do ímpio em Israel é contrastado com o daqueles que humildemente haviam servido a Deus.
Is 57:1 Perece o justo, e não há quem se importe com isso;
                os homens compassivos são arrebatados,
                               e não há ninguém que entenda.
                                               Pois o justo é arrebatado da calamidade,
                Is 57:2 entra em paz; descansam nas suas camas todos
                               os que andam na retidão.
                Is 57:3 Mas chegai-vos aqui, vós os filhos da agoureira,
                               linhagem do adúltero e da prostituta.
                Is 57:4 De quem fazeis escárnio? Contra quem escancarais a boca,
                               e deitais para fora a língua?
                                               Porventura não sois vós filhos da transgressão,
                                                               estirpe da falsidade,
                               Is 57:5 que vos inflamais junto aos terebintos,
                                               debaixo de toda árvore verde, e sacrificais os filhos
                                               nos vales, debaixo das fendas dos penhascos?
                Is 57:6 Por entre as pedras lisas do vale está o teu quinhão;
                               estas, estas são a tua sorte; também a estas derramaste
                                               a tua libação e lhes ofereceste uma oblação.
                                                               Contentar-me-ia com estas coisas?
                Is 57:7 sobre um monte alto e levantado puseste a tua cama;
                               e lá subiste para oferecer sacrifícios.
                Is 57:8 Detrás das portas e dos umbrais colocaste o teu memorial;
                               pois te descobriste a outro que não a mim,
                                               e subiste, e alargaste a tua cama;
                                               e fizeste para ti um pacto com eles;
                                                               amaste a sua cama, onde quer que a viste.
                Is 57:9 E foste ao rei com óleo, e multiplicaste os teus perfumes,
                               e enviaste os teus embaixadores para longe,
                                               e te abateste até o Seol.
                Is 57:10 Na tua comprida viagem te cansaste; contudo não disseste:
                               Não há esperança; achaste com que renovar as tuas forças;
                                               por isso não enfraqueceste.
                Is 57:11 Mas de quem tiveste receio ou medo, para que mentisses,
                               e não te lembrasses de mim, nem te importasses?
                                               Não é porventura porque eu me calei,
                                                               e isso há muito tempo, e não me temes?
                Is 57:12 Eu publicarei essa justiça tua; e quanto às tuas obras,
                               elas não te aproveitarão.
                Is 57:13 Quando clamares, livrem-te os ídolos que ajuntaste;
                               mas o vento a todos levará, e um assopro os arrebatará;
                                               mas o que confia em mim possuirá a terra,
                                                               e herdarão o meu santo monte.
                Is 57:14 E dir-se-á:
                               Aplanai, aplanai, preparai e caminho,
                                               tirai os tropeços do caminho do meu povo.
                Is 57:15 Porque assim diz o Alto e o Excelso,
                               que habita na eternidade e cujo nome é santo:
                                               Num alto e santo lugar habito,
                                               e também com o contrito e humilde de espírito,
                                                               para vivificar o espírito dos humildes,
                                                               e para vivificar o coração dos contritos.
                Is 57:16 Pois eu não contenderei para sempre,
                               nem continuamente ficarei irado;
                                               porque de mim procede o espírito,
                                                               bem como o fôlego da vida que eu criei.
                Is 57:17 Por causa da iniquidade da sua avareza me indignei e o feri;
                               escondi-me, e indignei-me; mas, rebelando-se,
                                               ele seguiu o caminho do seu coração.
                Is 57:18 Tenho visto os seus caminhos, mas eu o sararei;
                               também o guiarei, e tornarei a dar-lhe consolação,
                                               a ele e aos que o pranteiam.
                Is 57:19 Eu crio o fruto dos lábios;
                               paz, paz, para o que está longe, e para o que está perto
                                               diz o Senhor; e eu o sararei.
                Is 57:20 Mas os ímpios são como o mar agitado;
                               pois não pode estar quieto,
                                               e as suas águas lançam de si lama e lodo.
                                Is 57:21 Não há paz para os ímpios,
                                               diz o meu Deus.
Novamente a declaração enfática de que para o ímpio não há paz, ou seja, não há salvação. Se não nos arrependermos de nossos pecados, estaremos como os ímpios, sem a paz do Senhor, sem a sua salvação e com nossos dias contados para passarmos a eternidade no Lago de Fogo, junto com o diabo e seus anjos, junto com o inferno e todos os ímpios.
p.s.: link da imagem original:
Contagem regressiva: Faltam 193 dias para 04/08/2015, quando eu irei concluir a Segmentação de toda a Bíblia.

A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdetehttp://www.jamaisdesista.com.br
...

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.