quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Isaías 49:1-26 - O SERVO FIEL E ISAÍAS DEBATENDO CONTRA A INCREDULIDADE DE ISRAEL.



Para você não se perder na leitura capítulo por capítulo, nós nos encontramos aqui:
Parte IV – ISAÍAS E O JULGAMENTO BABILÔNICO – 40:1 – 66:24.
C. Os dois instrumentos de Deus para a restauração (44:24 – 55:13).
2. O plano de Deus para o seu servo – 49:1 a 55:13.
Acabamos de ver o plano de Deus para Ciro e agora veremos nesses sete capítulos os seus planos para o seu Servo.
O segundo maior instrumento da restauração de Israel à bênção era o grande Filho de Davi, o Servo. Esse servo real já foi mencionado e chamado de servo de Deus – 42:1-4 -, mas aqui o seu papel é explicado em muitos detalhes.
Dividiremos igualmente, seguindo a estrutura já composta da BEG, esta segunda parte “2” em oito partes, para melhor estudo e compreensão da temática: a. Oráculo real acerca do servo – 49:1-13 – veremos agora; b. Debate contra a incredulidade de Israel – 49:14 – 50:3 – iniciaremos agora; c. O salmo de confiança do servo – 50:4 – 11; d. Debate sobre a compaixão e a retidão de Deus – 51:1-8; e. Lamento e respostas – 51:9 – 52:12; f. O servo sofredor e exaltado – 52:13 – 53:12; g. Chamado a que Jerusalém louve – 54:1-17; g. O convite para ir – 55:1-13.
a. Oráculo real acerca do servo – 49:1-13.
Essa seção contém o segundo dos quatro cânticos do servo:
1.      Primeiro - 42:1-4 (o servo do Senhor sobre quem está o Espírito que promulgará o direito aos gentios – já vimos).
2.      Segundo -  49:1-7 (o servo do Senhor é a luz dos gentios – veremos agora),
3.      Terceiro - 50:4-9 (o Servo do Senhor, ultrajado, mas fiel).
4.      Quarto - 52:13-53:12 (o sofrimento vicário do servo do Senhor).
Esses cânticos ligam explicitamente o grande Servo com a casa real de Judá.
O capítulo 49 começa com um imperativo relacionado ao ouvir e ao escutar e assim são chamadas para isso as ilhas e os povos de longe, ou seja, todas as nações de perto e de longe. No entanto, quem fala é a nação de Israel às outras nações e ela reconhece o seu chamado que é desde o ventre materno.
O Servo fiel é chamado de "Israel" (vs. 3) porque ele representaria o Israel fiel quando cumprisse aquilo para o qual Israel fora planejado (43:1; 44:2,24; 45:3; 51:1-16). Fica claro que o Servo não é o próprio Israel, pois ele é diferenciado do Israel infiel (vs. 5-6; 42:18-22; 46:3-12; 48:1-10).
Esse Servo, como uma espada afiada e aguda, anunciaria a mensagem de Deus de salvação e julgamento. Como temos dito a palavra da pregação cumpre sempre dois propósitos principais: nos que creem, gera a fé, mas nos que não creem, serve para endurecimento.
A eficácia de sua palavra é retratada como "espada aguda" e "flecha polida" (Ef 6:17; Hb 4:12; Ap 1:16; 2:12,16; 19:15) por causa de sua capacidade de fazer ferimentos profundos e cortar de ambos os lados, principalmente a espada. Ideias semelhantes são também encontradas em 40:8; 45:19; 55:10-11.
O grande filho de Davi mostraria, revelaria, a maravilha de Deus no mundo. Cristo revelou a glória de Deus no seu ministério terreno e o fará numa extensão ainda maior na sua volta. A reclamação do Servo deixa implícito o fato de ele ter sido rejeitado pela nação de Israel, bem corno o seu sofrimento (42:2). Essa situação não existirá na nova criação (65:17).
O Servo seria justificado (50:8) e recompensado com uma descendência depois de sua morte (53:8) e ressurreição (53.10). Uma vez que não teve filhos legítimos com uma mulher, mas morreu virgem, em sua total fidelidade e abnegação do serviço ao qual foi comissionado por seu Pai, o Pai lhe deu muitos irmãos, os seus descendentes.
São milhares de milhares, milhões de milhões e bilhões de bilhões de descendentes, irmãos do Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, filhos adotivos do Pai celestial.
Um aspecto da missão do Servo era a reconciliação dos judeus com o seu Deus (42:7). Um segundo aspecto da missão do Servo seria levar as nações a servirem a Deus (Lc 2:32; At 13:47; 26:23). Ele cumpriria o chamado de Abraão (Gn 12:3; 22.:8) e da nação de Israel (Êx 19:5-6).
Hoje, o Cristo que subiu aos céus cumpre esse aspecto da sua missão por meio do seu corpo, a igreja (Mt 28:18-20; At 13:47; 26:23; I Pe 2:9-10).
Paradoxalmente, o Rei que se humilharia para ser o servo dos tiranos receberia deferência deles (4:2; 45:24; 52:15).
Em contraste com o dia da vingança (12:2; 34:8; cf: 35:4; 59:17-18; 61:2; 63:4; Lc 2:14; 2Co 6:2), diz o Senhor que este seria o tempo aceitável – vs 8 – de ouvir e no dia da salvação o ajudar.
O Servo ainda é visto como aquele que cumpriria a aliança de Davi e faria uma nova aliança para os dias posteriores ao exílio, começando com a restauração do exílio (44:26). O Servo é o Pastor-Rei de Israel (40:11; 48:22).
No verso 10, uma alusão ao primeiro êxodo (cf. 42:16; 48:21; Êx 15:13). A salvação de todo Israel é o ponto em questão (11:11-12; 43:5-6).
Os céus, a terra, os montes são convidados a exultarem, alegrarem-se, jubilarem-se porque o Senhor agiu e consolou o seu povo e dos seus aflitos se compadecerá.
b. Debate contra a incredulidade de Israel – 49:14 – 50:3.
Dos versos de 49:14 até 50:3, ocorre um debate contra a incredulidade de Israel, ou seja, Isaías reage contra a prevista descrença entre os israelitas no exilio. Eles acharam difícil acreditar que Deus se lembraria deles porque se sentiam abandonados, por ele (49:14-23), e não pensariam que seria possível vencer os ferozes guerreiros da Babilónia – 49:24 – 50:3.
Isaías repreende a descrença respondendo à ideia de que Deus abandonaria o seu povo no exílio a tal ponto de se esquecer dele. Foi Deus mesmo quem prometeu e Paulo aproveitou para aplicar o versículo bíblico a todos os crentes, dos quais os filhos de Israel se enquadravam: jamais te deixarei, nunca jamais te abandonarei - Js 1:5; Hb 13:5).
Era esperado que alguns israelitas no exílio não confiariam nas promessas de restauração porque se sentiam por demais abandonados por Deus, mas o que nos diz a palavra de Deus sobre a fé, no mesmo livro de Hebreus?
Porque, ainda dentro de pouco tempo, aquele que vem, virá e não tardará; todavia, o meu justo viverá pela fé; e: se retroceder, nele não se compraz a minha alma. – Hb 10:37.
A resposta esperada seria a fé naquele que os sustentava até aquele momento. O Senhor se compara a uma mulher que não poderia esquecer-se do filho que amamenta. Embora as mães humanas ocasionalmente façam o impensável e abandonem ou negligenciem seus filhos, Deus nunca esqueceria o seu povo escolhido.
Sempre haveria um remanescente de Israel que experimentaria a salvação de Deus.
Dos versos 19 ao 21, aparece a palavra desolados que, aqui, significa "sem filhos". Essa palavra é diferente da usada no versículo 8. Moises prometeu que a nação restaurada seria muito mais numerosa do que fora antes (Dt 30:5).
Isaías anunciou que Jerusalém seria pequena demais para receber todos os que seriam redimidos do julgamento de Deus. É desnecessário dizer que essa profecia foi parcialmente cumprida quando os israelitas voltaram depois do edito de Ciro, em 539 a.C. Esse esforço de repovoamento fracassou porque os retornados deixaram de servir ao Senhor. Será somente no reino de Cristo que Jerusalém e a Terra Prometida não comportarão todos os redimidos.
Deus diz no verso 22 que estenderia suas mãos para os gentios. O povo de Deus seria numeroso demais porque, depois da restauração do exilio, Deus chamaria também os gentios para si. Essa visão da restauração futura foi iniciada na primeira vinda de Cristo, continuou com os apóstolos e continua no ministério do evangelho hoje e terá o seu cumprimento final na volta de Cristo para a glória de Deus Pai - 49:6; At 9:13; 10:43; Cl 3:14: Ap 7:9-17.
Is 49:1 Ouvi-me, ilhas, e escutai vós, povos de longe:
                O SENHOR me chamou desde o ventre,
                               desde as entranhas de minha mãe fez menção do meu nome.
                Is 49:2 E fez a minha boca como uma espada aguda,
                               com a sombra da sua mão me cobriu;
                                               e me pôs como uma flecha limpa,
                                                               e me escondeu na sua aljava;
                Is 49:3 E me disse:
                               Tu és meu servo;
                                               és Israel, aquele por quem hei de ser glorificado.
                Is 49:4 Porém eu disse:
                               Debalde tenho trabalhado, inútil
                                               e vãmente gastei as minhas forças;
                                               todavia o meu direito está perante o SENHOR,
                                                               e o meu galardão perante o meu Deus.
                Is 49:5 E agora diz o SENHOR,
                               que me formou desde o ventre para ser seu servo,
                                               para que torne a trazer Jacó;
                                                               porém Israel não se deixará ajuntar;
                                               contudo aos olhos do SENHOR serei glorificado,
                                                               e o meu Deus será a minha força.
                Is 49:6 Disse mais:
                               Pouco é que sejas o meu servo,
                                               para restaurares as tribos de Jacó,
                                                               e tornares a trazer os preservados de Israel;
                               também te dei para luz dos gentios,
                                               para seres a minha salvação
                                                               até à extremidade da terra.
                Is 49:7 Assim diz o SENHOR, o Redentor de Israel, o seu Santo,
                               à alma desprezada, ao que a nação abomina,
                                               ao servo dos que dominam:
                               Os reis o verão, e se levantarão, como também os príncipes,
                                               e eles diante de ti se inclinarão,
                                                               por amor do SENHOR, que é fiel,
                                                               e do Santo de Israel, que te escolheu.
                Is 49:8 Assim diz o SENHOR:
                               No tempo aceitável te ouvi e no dia da salvação te ajudei,
                                               e te guardarei, e te darei por aliança do povo,
                                                               para restaurares a terra,
                                               e dar-lhes em herança as herdades assoladas;
                Is 49:9 Para dizeres aos presos:
                               Saí;
                e aos que estão em trevas:
                               Aparecei.
                Eles pastarão nos caminhos, e em todos os lugares altos
                               haverá o seu pasto.
                Is 49:10 Nunca terão fome, nem sede, nem o calor,
                nem o sol os afligirá; porque o que se compadece deles
                               os guiará e os levará mansamente aos mananciais das águas.
                Is 49:11 E farei de todos os meus montes um caminho;
                               e as minhas estradas serão levantadas.
                Is 49:12 Eis que estes virão de longe,
                               e eis que aqueles do norte, e do ocidente,
                                               e aqueles outros da terra de Sinim.
                Is 49:13 Exultai, ó céus, e alegra-te, ó terra, e vós, montes,
                               estalai com júbilo, porque o SENHOR consolou o seu povo,
                                               e dos seus aflitos se compadecerá.
                Is 49:14 Porém Sião diz:
                               Já me desamparou o SENHOR, e o meu Senhor
                                               se esqueceu de mim.
                Is 49:15 Porventura pode uma mulher esquecer-se tanto de seu filho
                               que cria, que não se compadeça dele, do filho do seu ventre?
                                               Mas ainda que esta se esquecesse dele,
                                                               contudo eu não me esquecerei de ti.
                Is 49:16 Eis que nas palmas das minhas mãos eu te gravei;
                               os teus muros estão continuamente diante de mim.
                Is 49:17 Os teus filhos pressurosamente virão,
                               mas os teus destruidores e os teus assoladores
                                               sairão do meio de ti.
                Is 49:18 Levanta os teus olhos ao redor, e olha;
                               todos estes que se ajuntam vêm a ti; vivo eu, diz o SENHOR,
                                               que de todos estes te vestirás,
                                               como de um ornamento, e te cingirás deles
                                                               como noiva.
                Is 49:19 Porque nos teus desertos, e nos teus lugares solitários,
                               e na tua terra destruída, agora te verás
                                               apertada de moradores, e os que te devoravam
                                                               se afastarão para longe de ti.
                Is 49:20 E até mesmo os filhos da tua orfandade dirão
                               aos teus ouvidos:
                                               Muito estreito é para mim este lugar;
                                               aparta-te de mim, para que possa habitar nele.
                Is 49:21 E dirás no teu coração:
                               Quem me gerou estes? Pois eu estava desfilhada e solitária;
                                               entrara em cativeiro, e me retirara;
                               quem, pois, me criou estes?
                                               Eis que eu fui deixada sozinha;
                                                               e estes onde estavam?
                Is 49:22 Assim diz o Senhor DEUS:
                               Eis que levantarei a minha mão para os gentios,
                                               e ante os povos arvorarei a minha bandeira;
                                                               então trarão os teus filhos nos braços,
                                               e as tuas filhas serão levadas sobre os ombros.
                Is 49:23 E os reis serão os teus aios,
                               e as suas rainhas as tuas amas;
                                               diante de ti se inclinarão com o rosto em terra,
                                                               e lamberão o pó dos teus pés;
                                                                              e saberás que eu sou o SENHOR,
                               que os que confiam em mim não serão confundidos.
                Is 49:24 Porventura tirar-se-ia a presa ao poderoso,
                               ou escapariam os legalmente presos?
                Is 49:25 Mas assim diz o SENHOR:
                               Por certo que os presos se tirarão ao poderoso,
                                               e a presa do tirano escapará;
                               porque eu contenderei com os que contendem contigo,
                                               e os teus filhos eu remirei.
                Is 49:26 E sustentarei os teus opressores com a sua própria carne,
                               e com o seu próprio sangue se embriagarão,
                                               como com mosto;
                               e toda a carne saberá que eu sou o SENHOR,
                                               o teu Salvador, e o teu Redentor, o Forte de Jacó.
Durante o período de restauração e depois de um tempo de guerra - Ez 38; Am 9:11-13 -, nações que anteriormente oprimiram Israel servirão ao Messias e, assim, encontrarão salvação. Quem sabe alguém dentro do islamismo ao qual estão esperando como profeta, venha, cative as multidões e, para surpresa de todos, em todo o mundo e em todos os tempos e eras e religiões, aponte, como João Batista, para Jesus Cristo e diga em alto e bom som: EIS O CORDEIRO DE DEUS QUE TIRA OS PECADOS DO MUNDO! – Jo 1:29.
A partir do vs 24 até o 3, do próximo capítulo, Isaías responderá à ideia de que os guerreiros babilônicos eram poderosos demais para serem vencidos.
Isaías tinha proclamado que Deus resgataria o seu povo daqueles que o haviam conquistado. Dúvidas permaneceriam na mente de muitos israelitas, uma vez que eles duvidavam que os terríveis exércitos babilônicos pudessem ser vencidos.
O Senhor assumiria a causa dos necessitados e seria justo na retribuição – vs 26; Ap 16:6; 18:20. O próprio Deus lutaria pelo seu povo e o redimiria da adversidade.
p.s.: link da imagem original:
Contagem regressiva: Faltam 201 dias para 04/08/2015, quando eu irei concluir a Segmentação de toda a Bíblia.
A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdetehttp://www.jamaisdesista.com.br
...

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.