terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Isaías 47:1-15 - ISAÍAS E A QUEDA DA BABILÔNIA.



Para você não se perder na leitura capítulo por capítulo, nós nos encontramos aqui:
Parte IV – ISAÍAS E O JULGAMENTO BABILÔNICO – 40:1 – 66:24.
C. Os dois instrumentos de Deus para a restauração (44:24 – 55:13).
1. O plano de Deus para Ciro – 44:24 até 48:22.
Como já falamos, Ciro, imperador da  Pérsia, contemporâneo de Esdras, Neemias, Zorobabel, Ester e Mordecai, é mencionado tanto por seu próprio nome, algo espetacular demais que tem intrigado estudiosos e tem feito os céticos afirmarem que Isaías fora escrito depois do exílio,  quanto por implicação ao longo de toda a passagem.
Ciro, que  já fora mencionado em 41:1 e nos versículos seguintes, seria:
·         O pastor de Deus para o seu povo  - 44:28.
·         O ungido de Deus – 45:1.
·         Aquele a quem Deus levantaria 45:13.
·         Uma ave de rapina do oriente que realizaria os propósitos de Deus – 46:11.
·         O aliado escolhido de Deus contra a Babilônia – 48:14.
Além dessas referências explícitas, a questão da escolha de Ciro por Deus está implícita em vários pontos desses capítulos, como teremos a oportunidade de vermos em riqueza de detalhes.
Esse plano de Deus para Ciro pode ser dividido também em 8 partes para melhor entendimento do texto e seu contexto. a. O hino de autoglorificação do Senhor – 44:24-28 – já vimos; b. Oráculo real acerca de Ciro – 45:1-8 – já vimos; c. Ai dos contendores – 45:9-14 – já vimos; d. Aceitação do plano de Deus – 45:15-17 – já vimos; e. O Senhor é capaz – 45:18-25 – já vimos; f. O destino certo da Babilônia – 46:1-13 – já vimos; g. Julgamento contra a Babilônia – 47:1-15 – veremos agora; e, finalmente, h. O chamado para ouvir e partir – 48:1-22.
g. Julgamento contra a Babilônia – 47:1-15.
Neste capítulo veremos o julgamento contra a Babilônia. Seria Deus capaz de levar adiante seu plano com relação a Ciro? A resposta positiva leva a um oráculo que garante a queda da Babilônia.
Muitos duvidavam de que Deus poderia mudar um quadro desses e que estavam ali por pura vontade soberana de Deus, antes criam que ali estavam porque Babilônia e seus deuses tinham prevalecido contra todos os outros deuses, inclusive contra o Senhor.
O que vemos nos primeiros quatros versículos é que Babilônia, a senhora dos reinos – vs 5 -, seria ordenada a descer do seu trono e tornar-se escrava.
A sua queda seria tão fantástica que jamais se ergueria novamente. A história nos comprova isso, pois já se tem passado muitos anos – mais de 2700 anos - e a realidade é que jamais mesmo reascendeu para ocupar sua posição inicial de senhora de reinos.
Por outro lado, vive o nosso Redentor, cujo nome é o Santo de Israel – vs 4. Sião, a jovem cativa, receberia a ordem de ascender ao seu trono – 52:12.
Houve da parte de Deus muito agaste contra o seu povo – vs 6 -, o povo de sua possessão – Jr 12:7 - o qual ele mesmo profanou a aliança e os entregou nas mãos da Babilônia, mas elas não usaram de misericórdia (49:24,25; 51:13,19; Lm 5:12,14) como se esperaria dela e até dos seus velhos que estavam cativos fizeram deles pesados os seus jugos.
Ela cria que seria perpétua e dizia para si mesma que seria senhora para sempre – vs 7 -, por isso que não se importava com coisa alguma nem se lembrava do fim delas.
O orgulho blasfemo da Babilônia estava baseado no seu desprezo pelas verdades de que Deus tanto é soberano quanto governava a História e a julgaria pela sua crueldade – vs 6. Todas as suas estruturas eram vitalícias e não tinham qualquer consideração por Deus – Ap 18:2.
A sua força estava baseada em seu poder, em seus números, em seus exércitos de homens e em suas parcerias as quais eram sustentadas pela opressão. Tal reino não tinha como auto suster-se por muito tempo.
No verso 8 ela está tão segura de si que chega a dizer que não ficará viúva, nem conhecerá a perda de filhos, ou seja, não perderá a esperança no futuro, e que fora dela não há outra igual. Isso contrasta com a “virgem filha” nos vs 1, 5; com seu envio para a escravidão e a morte; e, com o fato de que somente Deus é sem igual ou incomparável com qualquer outra força ou poder.
Aquilo que ela estava segura seria alvo de ataques, pois num só momento, repentinamente, ambas as coisas viriam sobre ela, no mesmo dia, a perda de filhos e sua viuvez. Em toda a sua plenitude viriam contra ela.
É o anúncio de uma catástrofe repentina no Dia do Senhor que a Babilônia seria incapaz de livrar-se ou proteger-se do julgamento de Deus. Semelhantemente também a queda da Babilônia de Apocalipse que anuncia que numa só hora viria a sua destruição – Ap 18:10, 17, 19.
Sobre ela viria o seu juízo por causa da multidão de suas feitiçarias e da grande abundância dos seus muitos encantamentos. Isso é uma referência às inúmeras práticas mágicas da Babilônia por meio das quais ela tentava impor o ser poder e manipular os seus inimigos – vs 12.
A Babilônia estava tão arrogante por causa de suas tradições religiosas, mágicas, adivinhações e intelectualidade, que já se auto deificava e assim usurpava o nome de Deus – vs 10. Mas a sua confiança estava em sua maldade a qual estava segura que ninguém poderia vê-la, julgá-la ou atrever-se a dizer: - o que fazes? Sua autodeterminação dependia dos presságios dos corpos celestes – Dn 2:10.
A palavra profética promete a ela uma surpresa tal que astro nenhum poderia prever e portanto um mal viria sobre ela da qual não saberia a sua origem, não poderia ser previsto, uma tal destruição cairia sobre ela que não poderia ser evitada e repentinamente lhe sobreviria, seria uma tão grande desolação que não poderia conhecer – vs 11.
No verso 12, o profeta zomba e desafia ao mesmo tempo para que ela mediante os seus poderes pudesse ou prever ou evitar o dano que iria sofrer. Qual seria o proveito de suas consultas? Nenhum proveito, de nenhuma serventia, pois tudo era engano e mentira em que confiava e estava segura.
Embora os astrólogos da babilônia  - vs 13 – praticavam a sua arte na tentativa de defender a Babilônia dessas profecias, elas jamais poderiam gerar para eles salvação.
O fato era que também haviam se cansado da multidão dos seus próprios conselhos – vs 13. Os seus olhos se voltavam para os agoureiros, para os que contemplam os astros, para os prognosticadores, mas em nenhum deles havia salvação.
Em consequência – vs 14 e 15 -, seriam como a pragana onde o fogo as queimará sem que haja salvação. Eles não poderiam salvarem-se do poder das chamas; não poderiam se aquentar em suas brasas, nem se assentarem junto ao fogo, pois que cada um irá vagueando pelo seu caminho sem ninguém para salvá-los.
Is 47:1 Desce, e assenta-te no pó, ó virgem filha de Babilônia;
                assenta-te no chão; já não há trono, ó filha dos caldeus,
                               porque nunca mais serás chamada a tenra nem a delicada.
                Is 47:2 Toma a mó, e mói a farinha; remove o teu véu,
                               descalça os pés, descobre as pernas e passa os rios.
                Is 47:3 A tua vergonha se descobrirá, e ver-se-á o teu opróbrio;
                               tomarei vingança, e não pouparei a homem algum.
                Is 47:4 O nosso redentor cujo nome é o SENHOR dos Exércitos,
                               é o Santo de Israel.
                Is 47:5 Assenta-te calada, e entra nas trevas, ó filha dos caldeus,
                               porque nunca mais serás chamada senhora de reinos.
                Is 47:6 Muito me agastei contra o meu povo,
                               profanei a minha herança, e os entreguei na tua mão;
                                               porém não usaste com eles de misericórdia,
                                               e até sobre os velhos fizeste muito pesado o teu jugo.
                Is 47:7 E disseste:
                               Eu serei senhora para sempre;
                                               até agora não te importaste com estas coisas,
                                                               nem te lembraste do fim delas.
                Is 47:8 Agora, pois, ouve isto, tu que és dada a prazeres,
                               que habitas tão segura, que dizes no teu coração:
                                               Eu o sou, e fora de mim não há outra;
                                               não ficarei viúva, nem conhecerei a perda de filhos.
                Is 47:9 Porém ambas estas coisas virão sobre ti num momento,
                               no mesmo dia, perda de filhos e viuvez;
                                               em toda a sua plenitude virão sobre ti,
                               por causa da multidão das tuas feitiçarias,
                               e da grande abundância dos teus muitos encantamentos.
                Is 47:10 Porque confiaste na tua maldade e disseste:
                               Ninguém me pode ver; a tua sabedoria e o teu conhecimento,
                                               isso te fez desviar, e disseste no teu coração:
                                                               Eu sou, e fora de mim não há outra.
                Is 47:11 Portanto sobre ti virá o mal, sem que saibas a sua origem,
                               e tal destruição cairá sobre ti, sem que a possas evitar;
                                               e virá sobre ti de repente desolação
                                                               que não poderás conhecer.
                Is 47:12 Deixa-te estar com os teus encantamentos,
                               e com a multidão das tuas feitiçarias,
                                               em que trabalhaste desde a tua mocidade,
                                                               a ver se podes tirar proveito,
                                                               ou se porventura te podes fortalecer.
                Is 47:13 Cansaste-te na multidão dos teus conselhos;
                               levantem-se pois agora os agoureiros dos céus,
                                               os que contemplavam os astros,
                                               os prognosticadores das luas novas,
                                                               e salvem-te do que há de vir sobre ti.
                Is 47:14 Eis que serão como a pragana, o fogo os queimará;
                               não poderão salvar a sua vida do poder das chamas;
                                               não haverá brasas, para se aquentar,
                                                               nem fogo para se assentar junto dele.
                Is 47:15 Assim serão para contigo aqueles com quem trabalhaste,
                               os teus negociantes desde a tua mocidade;
                                               cada qual irá vagueando pelo seu caminho;
                                                               ninguém te salvará.
Somente no Senhor há salvação! Engana-se quem pensa que o mundo está entregue a si mesmo ou que alguma força ou poder o domine, como pensam muitos povos por ai, em seus países.
Jesus Cristo, converta nações e povos a ti mesmo antes de sua gloriosa segunda vinda! Amém!
p.s.: link da imagem original:
Contagem regressiva: Faltam 203 dias para 04/08/2015, quando eu irei concluir a Segmentação de toda a Bíblia.
A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdetehttp://www.jamaisdesista.com.br
...

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.