segunda-feira, 21 de julho de 2014

Jó 11:1-20 - ZOFAR ABRE A SUA BOCA PARA FALAR DE COISAS QUE NÃO SABE NEM ENTENDE

Continuamos na parte II, de cinco, de nossa divisão proposta, que está tratando do diálogo entre Jó e os seus amigos. Jó continua se defendendo e seus amigos o acusando ao invés de consolá-lo – Jó 6:14.
Parte II - DIÁLOGOS ENTRE JÓ E SEUS AMIGOS – 3:1 a 27:23.
B. O primeiro ciclo de discursos – 4:1 – 14:22.
Nessa primeira série de discursos, como já dissemos, se fará referência a muitas perspectivas diferentes e possíveis explicações, mas todas serão insuficientes.
Dividimos essa parte “B”, como na BEG, em seis: 1. Elifaz – 4:1 – 5:27 – já vista. 2. A resposta de Jó a Elifaz – 6:1 – 7:21 – já vista. 3. Bildade – 8:1 – 22. 4. A resposta de Jó a Bildade – 9:1 – 10:22 – já vista. 5. Zofar – 11:1 – 20 – veremos agora. 6. A resposta de Jó a Zofar – 12:1 – 14:22.
5. Zofar – 11:1 – 20
Chegou, finalmente, a hora do seu amigo Zofar lhe dirigir palavras. Por ser o último, devem portanto, ser o mais jovem deles.
Zofar, como seus amigos, sustentará a premissa de culpa em Jó e procurará defender Deus, o deus que eles creem. Zofar parece inquieto com a fala de Jó que o incomodou ao externá-la.
Ele também parece ser o mais severo dos conselheiros de Jó e expressa cruelmente a sua opinião sobre a difícil condição de Jó, aplicando incorretamente algumas verdades sobre Deus no processo.
Primeiro, ele confronta Jó por sua palavras vãs – vs 1 ao 6. Depois, enaltece o poder e a sabedoria de Deus – vs 7 ao 12. E, finalmente, chama Jó ao arrependimento – vs 13 – 20.
Vejamos mais precisamente esse confrontamento  com Jó. Zofar expressa frustração ao ver que ninguém estava confrontando Jó e corrigindo suas avaliações incessantes acerca de Deus e da sua situação.
Ele estava particularmente aborrecido com as fortes declarações certas e verdadeiras de Jó de que estava com sua doutrina pura e totalmente límpido diante de Deus.
Para Zofar e seus amigos, engraçado que unânimes no mesmo parecer contra Jó, Jó somente poderia estar em pecado para que aquelas coisas estivessem acontecendo com ele.
Quando Jó se declarava inocente, aquilo os enfurecia por que ia contra aquilo que acreditavam e defendiam.
Em seguida, dos versos de 7 ao 12, Zofar expressa louvores pela sabedoria e pelo poder de Deus o que constituem numa expressão eloquente da transcendência de Deus em contraste com o estado humilde do homem.
Ainda assim o foco deles é a visão da iniquidade – vs 11 – que não escapa de jeito algum dos olhos do Criador.
Zofar estava enaltecendo a transcendência de Deus para em seguida mostrar que Jó estava em pecado, em iniquidade, e se Deus era capaz de ver tudo no universo, ele veria Jó em seu pecado o que justificaria as consequências pelas quais estava passando.
Zofar nos ensina que é muita presunção de nossa parte querer explicar e querer mesmo entender as coisas que se sucedem com um homem, veja lá com uma nação inteira.
Na última parte de seu discurso, totalmente baseado em seu pressuposto de pecado em Jó, Zofar, chama ao arrependimento a Jó. Conquanto esse seja um bom conselho para um pecador devasso e mesmo para qualquer pecador, não se aplicaria propriamente a Jó.
Como Bildade, Zofar não abre espaço para a misericórdia: na opinião dele, Jó teria de se tornar justo para que Deus então o aceitasse.
Graças a Deus que os aceitáveis diante de Deus, em Cristo Jesus, são aqueles que o temem e fazem o que é justo – At 10:35 -, ou seja, agora os que recebem a Jesus em seu coração como o Salvador e Senhor de suas vidas.
Jó 11:1 Então respondeu Zofar, o naamatita, e disse:
                Jó 11:2 Porventura não se dará resposta à multidão de palavras?
                               E o homem falador será justificado?
                Jó 11:3 As tuas mentiras se hão de calar os homens?
                               E zombarás tu sem que ninguém te envergonhe?
                Jó 11:4 Pois dizes:
                               A minha doutrina é pura, e limpo sou aos teus olhos.
                Jó 11:5 Mas na verdade, quem dera que Deus falasse
                               e abrisse os seus lábios contra ti!
                Jó 11:6 E te fizesse saber os segredos da sabedoria,
                               que é multíplice em eficácia; sabe,
                                               pois, que Deus exige de ti menos
                                                               do que merece a tua iniqüidade.
                Jó 11:7 Porventura alcançarás os caminhos de Deus,
                               ou chegarás à perfeição do Todo-Poderoso?
                Jó 11:8 Como as alturas dos céus é a sua sabedoria;
                               que poderás tu fazer? E mais profunda do que o inferno,
                                               que poderás tu saber?
                Jó 11:9 Mais comprida é a sua medida do que a terra,
                               e mais larga do que o mar.
                Jó 11:10 Se ele passar, aprisionar, ou chamar a juízo,
                               quem o impedirá?
                Jó 11:11 Porque ele conhece aos homens vãos, e vê o vício;
                               e não o terá em consideração?
                Jó 11:12 Mas o homem vão é falto de entendimento;
                               sim, o homem nasce como a cria do jumento montês.
                Jó 11:13 Se tu preparares o teu coração,
                               e estenderes as tuas mãos para ele;
                Jó 11:14 Se há iniqüidade na tua mão, lança-a para longe de ti
                               e não deixes habitar a injustiça nas tuas tendas.
                Jó 11:15 Porque então o teu rosto levantarás sem mácula;
                               e estarás firme, e não temerás.
                Jó 11:16 Porque te esquecerás do cansaço,
                               e lembrar-te-ás dele como das águas que já passaram.
                Jó 11:17 E a tua vida mais clara se levantará do que o meio dia;
                               ainda que haja trevas, será como a manhã.
                Jó 11:18 E terás confiança, porque haverá esperança;
                               olharás em volta e repousarás seguro.
                Jó 11:19 E deitar-te-ás, e ninguém te espantará;
                               muitos suplicarão o teu favor.
                Jó 11:20 Porém os olhos dos ímpios desfalecerão,
                               e perecerá o seu refúgio;
                               e a sua esperança será o expirar da alma.
Como se tornaria Jó justo para ser aceitável diante de Deus e dos homens?
Na visão de Zofar, pela prática das obras da lei; mas por Jó, pela fé! Jó sempre foi crente em Deus e suficiente maduro para perceber que suas obras eram como trapos de imundície, por isso que não eram elas a base de sua fé.
Sabem quando seremos mais abundantes e daremos mais frutos? Quando isso – produzir frutos - não for lei para nós, mas isso – a produção dos frutos – brotar do nosso interior como os rios que disse o Senhor que fluiriam de nosso ser - Jo 7:38.
Mas como é isso? Deixaremos essas explicações para uma outra oportunidade, mas se desejar saber como, faça contato com a gente.
p.s.: link da imagem original:
Contagem regressiva: Faltam 379 dias para 04/08/2015, quando eu irei concluir a Segmentação de toda a Bíblia.

A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdetehttp://www.jamaisdesista.com.br
...

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.