sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Números 5: 1-31 – A IMPORTÂNCIA DO TABERNÁCULO.

Entramos, neste capítulo, com a segunda parte de nossa divisão – O TABERNÁCULO CENTRAL – que vai do capítulo 5:1 ao 9:14, onde há três subdivisões principais.
1.     A importância do tabernáculo – 5:1 ao 6:27.
2.     As ofertas para o tabernáculo – 7:1 a 8:4.
3.     Outros aspectos importantes do tabernáculo – 8:5 ao 9:14.
Começaremos, então, dentro da importância do tabernáculo, com os seguintes temas: vs. 1 ao 4, a expulsão dos impuros. Vs. 5 ao 10, com os casos de restituição e dos vs. 11 ao 31, com a lei para o caso de ciúmes. No capítulo 6, veremos os nazireus – vs. 1 ao 21 e fechando esta primeira parte as bênçãos araônicas do vs. 22 ao 27.
Primeiramente, foram feitas as divisões das tribos em volta do tabernáculo; depois foram definidas a sua centralidade, os trabalhos e tarefas; e, agora, Moisés está voltando a instruir sobre a centralidade do tabernáculo.
Tudo era feito em função dele, do tabernáculo, de forma que a nação dependia dele e nele havia a presença de Deus que também era algo teofânico que durou 40 anos. O maná era outro sinal diário bem como também as roupas e sapatos que cresciam nos pés deles sem ao menos darem fé que isso acontecia.
Tudo estava sendo cuidado em todos os mínimos detalhes para que aquele povo pudesse ter o melhor que poderiam ali mesmo naquele deserto que agora passava a ser a escola deles.
Assim, os casos vistos de impureza não poderiam estar sendo tolerados ali no meio do povo e próximo ao tabernáculo, deveriam estar fora do Arraial para observação e cuidado. Havendo a cura, depois do exame sacerdotal, ele era integrado novamente e poderia participar de tudo.
Devemos entender que ali naquele local as coisas eram diferentes do normal por ai, principalmente pela forte presença teofânica de Deus durante todo aquele tempo e devido aos cuidados especiais que Deus tinha ali com eles.
Os casos de restituição também visavam à centralidade do tabernáculo e se alguém desfraldava outra pessoa, ela deveria fazer a restituição com um acréscimo de vinte por cento, o quinto, e realizar uma oferta pela culpa no tabernáculo. Não tendo a parte lesada condições e não tendo ainda parentes que pudessem receber a restituição, ela deveria ser entregue ao sacerdote, em função do representante do Senhor – Lv 5:14 ao 6:7.
Quanto à lei para o caso de ciúmes como assim ficou conhecida – vs. 29 – somente um sacerdote seguindo um ritual poderia fazer com que o procedimento tivesse a eficácia necessária. O triste aqui era que o homem, se não fosse de fato temente a Deus, poderia expor desnecessariamente sua mulher à vergonha pelo simples fato da existência da dúvida. Isso era muito triste.
Nm 5:1 E falou o SENHOR a Moisés, dizendo:
                Nm 5:2 Ordena aos filhos de Israel que lancem fora do arraial
                               a todo o leproso, e a todo o que padece fluxo,
                               e a todos os imundos por causa de contato com algum morto.
                Nm 5:3 Desde o homem até a mulher os lançareis;
                               fora do arraial os lançareis; para que não contaminem
                                               os seus arraiais, no meio dos quais eu habito.
                Nm 5:4 E os filhos de Israel fizeram assim,
                               e os lançaram fora do arraial;
                                               como o SENHOR falara a Moisés,
                                                               assim fizeram os filhos de Israel.
Nm 5:5 Falou mais o SENHOR a Moisés, dizendo:
                Nm 5:6 Dize aos filhos de Israel:
Quando homem ou mulher fizer algum de todos os pecados humanos,
                transgredindo contra o SENHOR, tal alma culpada é.
Nm 5:7 E confessará o seu pecado que cometeu; pela sua culpa,
                fará plena restituição, segundo a soma total, e lhe acrescentará
                               a sua quinta parte, e a dará àquele
                                               contra quem se fez culpado.
                Nm 5:8 Mas, se aquele homem não tiver resgatador,
                               a quem se restitua a culpa, então a culpa
                                               que se restituir ao SENHOR será do sacerdote,
                além do carneiro da expiação pelo qual por ele se fará expiação.
                Nm 5:9 Semelhantemente toda a oferta de todas as coisas santificadas
                               dos filhos de Israel, que trouxerem ao sacerdote,
                                               será sua.
                Nm 5:10 E as coisas santificadas de cada um serão suas;
                               o que alguém der ao sacerdote será seu.
Nm 5:11 Falou mais o SENHOR a Moisés, dizendo:
                Nm 5:12 Fala aos filhos de Israel, e dize-lhes:
Quando a mulher de alguém se desviar, e transgredir contra ele,
                Nm 5:13 De maneira que algum homem se tenha deitado com ela,
                               e for oculto aos olhos de seu marido, e ela o tiver ocultado,
                                               havendo-se ela contaminado,
                e contra ela não houver testemunha, e no feito não for apanhada,
                               Nm 5:14 E o espírito de ciúmes vier sobre ele,
                                               e de sua mulher tiver ciúmes,
                                                               por ela se haver contaminado, ou sobre ele
                               vier o espírito de ciúmes, e de sua mulher tiver ciúmes,
                                               não se havendo ela contaminado,
                Nm 5:15 Então aquele homem trará a sua mulher perante o sacerdote,
                               e juntamente trará a sua oferta por ela;
                               uma décima de efa de farinha de cevada,
                                               sobre a qual não deitará azeite,
                               nem sobre ela porá incenso, porquanto
                                               é oferta de alimentos por ciúmes, oferta memorativa,
                                                               que traz a iniqüidade em memória.
                Nm 5:16 E o sacerdote a fará chegar, e a porá perante
                               a face do SENHOR.
                Nm 5:17 E o sacerdote tomará água santa num vaso de barro;
                               também tomará o sacerdote do pó que houver
                                               no chão do tabernáculo, e o deitará na água.
                Nm 5:18 Então o sacerdote apresentará a mulher perante o SENHOR,
                               e descobrirá a cabeça da mulher; e a oferta memorativa,
                                               que é a oferta por ciúmes, porá sobre as suas mãos,
                               e a água amarga, que traz consigo a maldição,
                                               estará na mão do sacerdote.
                Nm 5:19 E o sacerdote a fará jurar, e dirá àquela mulher:
                Se ninguém contigo se deitou, e se não te apartaste de teu marido
                               pela imundícia, destas águas amargas, amaldiçoantes,
                                               serás livre.
                Nm 5:20 Mas, se te apartaste de teu marido, e te contaminaste,
                               e algum homem, fora de teu marido, se deitou contigo,
                Nm 5:21 Então o sacerdote fará jurar à mulher
                               com o juramento da maldição; e o sacerdote dirá à mulher:
                O SENHOR te ponha por maldição e por praga no meio do teu povo,
                               fazendo-te o SENHOR consumir a tua coxa
                                               e inchar o teu ventre.
                               Nm 5:22 E esta água amaldiçoante entre nas tuas entranhas,
                                               para te fazer inchar o ventre,
                                                               e te fazer consumir a coxa.
                               Então a mulher dirá: Amém, Amém.
                Nm 5:23 Depois o sacerdote escreverá estas mesmas maldições
                               num livro, e com a água amarga as apagará.
                Nm 5:24 E a água amarga, amaldiçoante, dará a beber à mulher,
                               e a água amaldiçoante entrará nela para amargurar.
                Nm 5:25 E o sacerdote tomará a oferta por ciúmes da mão da mulher,
                               e moverá a oferta perante o SENHOR;
                                               e a oferecerá sobre o altar.
                Nm 5:26 Também o sacerdote tomará um punhado
                               da oferta memorativa, e sobre o altar a queimará;
                                               e depois dará a beber a água à mulher.
                Nm 5:27 E, havendo-lhe dado a beber aquela água, será que,
                               se ela se tiver contaminado,
                               e contra seu marido tiver transgredido,
                                               a água amaldiçoante entrará nela para amargura,
                               e o seu ventre se inchará, e consumirá a sua coxa;
                               e aquela mulher será por maldição no meio do seu povo.
                Nm 5:28 E, se a mulher se não tiver contaminado, mas estiver limpa,
                               então será livre, e conceberá filhos.
                Nm 5:29 Esta é a lei dos ciúmes, quando a mulher,
                               em poder de seu marido, se desviar e for contaminada;
                Nm 5:30 Ou quando sobre o homem vier o espírito de ciúmes,
                               e tiver ciúmes de sua mulher,
                                               apresente a mulher perante o SENHOR,
                               e o sacerdote nela execute toda esta lei.
                Nm 5:31 E o homem será livre da iniqüidade,
                               porém a mulher levará a sua iniqüidade.
A lei maior de fato é o amor. Onde há o amor, prevalece todos os direitos e onde não há, somente os interesses. O homem poderia expor sua mulher a um vexame enorme pela dúvida oriunda de ciúmes.
Há que se separar então ciúmes dos espíritos de ciúme. Principalmente porque o primeiro se trata de uma doença do caráter e fraqueza de personalidade que vê o mal sem nem o mal existir.
Quem trai o outro às escondidas, independentemente do fato de ser homem ou mulher, é falho de caráter e com certeza deve atrair sobre si algo maligno nessa relação fora da presença de Deus em meio à rebeldia.
É desse espírito, creio, que se trata aqui as regras estabelecidas. Tudo o que está narrado terá então seu cumprimento e o adultério então que fora praticado feito às ocultas, agora é revelado com uma cruel maldição.
A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdete – 
http://www.jamaisdesista.com.br
...


Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.