terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Números 30: 1-16 – REFORÇO NAS INSTRUÇÕES SOBRE O VOTO.

Ainda visando inculcar na mente da segunda geração a importância da centralidade do tabernáculo, estaremos vendo hoje, novamente, um reforço das instruções sobre os votos.
Novamente, por que já foi vista a questão referente aos votos em capítulos, por exemplo 21, e livros anteriores, por exemplo Levítico 7, 17, 22, 23, 27.
Moisés começa o presente capítulo dizendo para os novos cabeças das tribos dos filhos de Israel a palavra que o Senhor tinha ordenado. E assim, começa sua instrução.
Ela não foi produzida pela mente de Moisés, nem imaginada na mente de Arão ou de qualquer outro israelita. Era Deus o instrutor que ensinava o povo sobre as questões dos votos.
A palavra chave do voto é não fazer votos, mas se fizer, cumprir. Como já vimos anteriormente, os votos geralmente são feitos em momentos de grande tribulação, dificuldade ou desejo intenso por uma resposta divina importante.
Não é que Deus tenha de se sentir pressionado para ai então oferecer a sua resposta por exigência de votos. Os votos não têm a capacidade de dobrar a vontade divina a nosso favor como se fosse uma mandinga ou um encantamento.
Há crentes que creem na onipotência divina, mas não creem na sua soberania. Como eu creio em ambos, eu não sou dos que tentam manipular a Deus, antes daqueles que como Cristo, Paulo, Pedro, os apóstolos, Davi, Moisés, José, aceitam o governo de Deus, embora nem ainda consigamos, no presente momento, entender.
Os que manipulam a fé ou não creem na soberania divina, acham que o poder está a eles disponível como uma chave de conhecimento ou como um mantra ou como se fosse uma lei espiritual que a partir de seu conhecimento “Shazam!”[1] tudo se resolve.
Eu não tenho o poder, a força, o domínio, antes sou instrumento de Deus que me usa como quer, podendo ser com poder, com força e com domínio. Repararam como é diferente?
As instruções então são detalhadíssimas aos que irão fazer uso dos votos ao Senhor. Há os casos dos homens, das mulheres, das casadas, das que estão na dependência dos pais. Em cada caso, instruções para tudo ser feito com temor e tremor diante de Deus.
Eu mesmo gosto de fazer votos a Deus e continuarei a fazê-los, mas sempre crendo em sua onipotência e soberania.
Nm 30:1 E falou Moisés aos cabeças das tribos dos filhos de Israel, dizendo:
                Esta é a palavra que o SENHOR tem ordenado.
Nm 30:2 Quando um homem fizer voto ao SENHOR, ou fizer juramento,
                ligando a sua alma com obrigação, não violará a sua palavra:
                               segundo tudo o que saiu da sua boca, fará.
Nm 30:3 Também quando uma mulher, na sua mocidade,
                estando ainda na casa de seu pai, fizer voto ao SENHOR,
                               e com obrigação se ligar, Nm 30:4 E seu pai ouvir o seu voto
                                               e a sua obrigação, com que ligou a sua alma;
                e seu pai se calar para com ela, todos os seus votos serão válidos;
                               e toda a obrigação com que ligou a sua alma, será válida.
                Nm 30:5 Mas se seu pai lhe tolher no dia que tal ouvir,
                               todos os seus votos e as suas obrigações com que tiver ligado
                                               a sua alma, não serão válidos;
                               mas o SENHOR lhe perdoará, porquanto seu pai lhos tolheu.
                Nm 30:6 E se ela for casada, e for obrigada a alguns votos,
                               ou à pronunciação dos seus lábios, com que tiver ligado
                                               a sua alma; Nm 30:7 E seu marido o ouvir,
                                               e se calar para com ela no dia em que o ouvir,
                                                               os seus votos serão válidos;
                               e as suas obrigações com que ligou a sua alma, serão válidas.
                Nm 30:8 Mas se seu marido lhe tolher no dia em que o ouvir,
                               e anular o seu voto a que estava obrigada,
                               como também a pronunciação dos seus lábios,
                                               com que ligou a sua alma; o SENHOR lhe perdoará.
Nm 30:9 No tocante ao voto da viúva, ou da repudiada,
                tudo com que ligar a sua alma, sobre ela será válido.
                               Nm 30:10 Porém se fez voto na casa de seu marido,
                                               ou ligou a sua alma com obrigação de juramento;
                Nm 30:11 E seu marido o ouviu, e se calou para com ela,
                               e não lho tolheu, todos os seus votos serão válidos,
                               e toda a obrigação, com que ligou a sua alma, será válida.
                Nm 30:12 Porém se seu marido lhos anulou no dia em que os ouviu;
                               tudo quanto saiu dos seus lábios, quer dos seus votos,
                                               quer da obrigação da sua alma, não será válido;
                                               seu marido lhos anulou, e o SENHOR lhe perdoará.
Nm 30:13 Todo o voto, e todo o juramento de obrigação,
                para humilhar a alma, seu marido o confirmará, ou anulará.
                               Nm 30:14 Porém se seu marido, de dia em dia, se calar
                                               inteiramente para com ela, então confirma
                                               todos os seus votos e todas as suas obrigações,
                                                               que estiverem sobre ela;
                               confirmado lhos tem, porquanto se calou para com ela
                                               no dia em que o ouviu.
                Nm 30:15 Porém se de todo lhos anular depois que o ouviu,
                               então ele levará a iniqüidade dela.
Nm 30:16 Estes são os estatutos que o SENHOR ordenou a Moisés
                entre o marido e sua mulher;
                entre o pai e sua filha, na sua mocidade,
                               em casa de seu pai.
Os votos são estatutos que o Senhor ordenou e não que Moisés ordenou ou permitiu. São regras e orientações e mandamentos que devem ser observados e praticados por marido e mulher, pais e filhas em sua mocidade.



[1] Os poderes do Capitão Marvel ou Shazam são oriundos de um herói real e cinco heróis lendários que lhe concedem tais características — sendo eles, Salomão (personagem bíblica real que obteve sabedoria de Deus), Hércules (vasta força física), Atlas (resistência, invulnerabilidade), Zeus (poder), Aquiles (coragem) e Mércurio (velocidade, capacidade de voo).
A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdete – 
http://www.jamaisdesista.com.br
...


Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.