terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Números 23: 1-30 - AS PROFECIAS DE BALAÃO.

Como Balaque é astuto. Como o inimigo é sujo. Ele rodeava o acampamento de Israel procurando por brechas para desferir sua maldição, mas por onde ele andava, Balaão somente proferia bênçãos.
Ele ficava zangado com Balaão que da sua boca somente sai bênçãos e ia assim rodeando o acampamento na esperança de achar um lugar de onde Deus quisesse fazer parte de seus planos malignos, mas tudo era em vão.
Quando andamos com o Senhor e não damos brechas ao inimigo, este vive nos cercando, nos rodeando procurando uma oportunidade, mas nada encontra porque a sombra do Altíssimo nos abriga e suas asas nos dão proteção.
Se, no entanto, pecarmos, não percamos as esperanças, mas logo confessemos nossos pecados que Deus é fiel e justo para nos perdoar e assim termos nossas brechas todas tampadas e à prova do inimigo.
O tempo todo neste capítulo é voltado para a insistência de Balaque, astuto, que não desistia de seu propósito de derrotar Israel, mas sabia que não poderia fazê-lo de frente, antes teria que conquistar sua vitória derrotando-os junto a Deus e é isso exatamente o que ele tenta fazer de todo jeito.
Eu consigo ver aqui, no inimigo, inteligência, astúcia, persistência, estratégia, paciência, perseverança. Ele quer praticar o mal usando as profecias de Balaão, mas Deus não consente com isso. Ele é tão persistente que diante da derrota que ele já está sentindo, ele ainda armará contra Israel um ardil usando suas mulheres.
Não é à toa que Jesus disse que os filhos das trevas são mais astutos que os filhos da luz, por que se em nós houvesse as mesmas coisas, mas procurando o bem e a divulgação da Palavra de Deus, como não seríamos mais eficazes?
Como é bom vermos pessoas decididas que vão à luta e que se esforçam e que não desistem jamais. A pena é que este era do maligno...
Foram aqui registradas três tentativas de Balaque usando Balaão. Na primeira, Balaão disse que não poderia amaldiçoar aqueles a quem o Senhor não havia amaldiçoado. Balaque já estava ligado e sabia que para amaldiçoar Israel, somente depois de Deus os amaldiçoar.
Na segunda, Balaão reafirmou a resolução de Deus de abençoar os israelitas dando-lhes vitórias sobre os moabitas. Aqui, Balaque temeu que Balaão desse mais bênçãos, mas mesmo assim, tentou ainda mais uma vez. Veremos isso no próximo capítulo.
Nm 23:1 Então Balaão disse a Balaque:
               Edifica-me aqui sete altares, e prepara-me aqui
                              sete novilhos e sete carneiros.
Nm 23:2 Fez, pois, Balaque como Balaão dissera:
               e Balaque e Balaão ofereceram um novilho e um carneiro
                              sobre cada altar.
Nm 23:3 Então Balaão disse a Balaque:
               Fica-te junto do teu holocausto, e eu irei;
                              porventura o SENHOR me sairá ao encontro,
                                            e o que me mostrar te notificarei.
               Então foi a um lugar alto. Nm 23:4 E encontrando-se Deus
                              com Balaão, este lhe disse:
               Preparei sete altares, e ofereci um novilho e um carneiro
                              sobre cada altar.
Nm 23:5 Então o SENHOR pôs a palavra na boca de Balaão, e disse:
               Torna-te para Balaque, e assim falarás. Nm 23:6 E tornando para ele,
                              eis que estava junto do seu holocausto,
                                            ele e todos os príncipes dos moabitas.
Nm 23:7 Então proferiu a sua parábola, e disse:
               De Arã, me mandou trazer Balaque, rei dos moabitas,
                              das montanhas do oriente, dizendo:
               Vem, amaldiçoa-me a Jacó; e vem, denuncia a Israel.
               Nm 23:8 Como amaldiçoarei o que Deus não amaldiçoa?
               E como denunciarei, quando o SENHOR não denuncia?
                              Nm 23:9 Porque do cume das penhas o vejo, e dos outeiros
                                            o contemplo; eis que este povo habitará só,
                                                           e entre as nações não será contado.
                              Nm 23:10 Quem contará o pó de Jacó e o número da quarta
                                            parte de Israel? Que a minha alma morra
                                            da morte dos justos, e seja o meu fim como o seu.
Nm 23:11 Então disse Balaque a Balaão:
               Que me fizeste? Chamei-te para amaldiçoar os meus inimigos,
                              mas eis que inteiramente os abençoaste.
Nm 23:12 E ele respondeu, e disse:
               Porventura não terei cuidado de falar o que o SENHOR
                              pôs na minha boca?
Nm 23:13 Então Balaque lhe disse:
               Rogo-te que venhas comigo a outro lugar, de onde o verás;
                              verás somente a última parte dele, mas a todo ele não verás;
                                            e amaldiçoa-mo dali.
Nm 23:14 Assim o levou consigo ao campo de Zofim, ao cume de Pisga;
               e edificou sete altares, e ofereceu um novilho e um carneiro
                              sobre cada altar.
Nm 23:15 Então disse a Balaque:
               Fica aqui junto do teu holocausto, e eu irei ali ao encontro
                              do SENHOR. Nm 23:16 E, encontrando-se o SENHOR
                                            com Balaão, pôs uma palavra na sua boca, e disse:
               Torna para Balaque, e assim falarás.
               Nm 23:17 E, vindo a ele, eis que estava junto do holocausto,
                              e os príncipes dos moabitas com ele; disse-lhe pois Balaque:
               Que coisa falou o SENHOR?
Nm 23:18 Então proferiu a sua parábola, e disse:
               Levanta-te, Balaque, e ouve; inclina os teus ouvidos a mim,
                              filho de Zipor. Nm 23:19 Deus não é homem, para que minta;
                                            nem filho do homem, para que se arrependa;
                                                           porventura diria ele, e não o faria?
                                                           Ou falaria, e não o confirmaria?
               Nm 23:20 Eis que recebi mandado de abençoar;
                              pois ele tem abençoado, e eu não o posso revogar.
               Nm 23:21 Não viu iniqüidade em Israel, nem contemplou
                              maldade em Jacó; o SENHOR seu Deus é com ele,
                                            e no meio dele se ouve a aclamação de um rei.
               Nm 23:22 Deus os tirou do Egito; as suas forças são
                              como as do boi selvagem.
               Nm 23:23 Pois contra Jacó não vale encantamento, nem adivinhação
                              contra Israel; neste tempo se dirá de Jacó e de Israel:
                                             Que coisas Deus tem realizado!
               Nm 23:24 Eis que o povo se levantará como leoa,
                              e se erguerá como leão; não se deitará até que coma a presa,
                                            e beba o sangue dos mortos.
Nm 23:25 Então Balaque disse a Balaão:
               Nem o amaldiçoarás, nem o abençoarás.
Nm 23:26 Porém Balaão respondeu, e disse a Balaque:
               Não te falei eu, dizendo:
                              Tudo o que o SENHOR falar isso farei?
Nm 23:27 Disse mais Balaque a Balaão:
               Ora vem, e te levarei a outro lugar; porventura bem parecerá
                              aos olhos de Deus que dali mo amaldições.
Nm 23:28 Então Balaque levou Balaão consigo ao cume de Peor,
               que dá para o lado do deserto.
Nm 23:29 Balaão disse a Balaque:
               Edifica-me aqui sete altares, e prepara-me aqui sete novilhos
                              e sete carneiros. Nm 23:30 Balaque, pois,
                                             fez como dissera Balaão;
                                                           e ofereceu um novilho
                                                           e um carneiro sobre cada altar.
Balaão estava cego quanto as coisas do reino de Deus e somente se interessava nos prêmios e nas recompensas e brindes de Balaque, mesmo assim, Deus o usa para trazer uma palavra de mensagem que inclusive falará do Messias.
Se Deus é onipotente e soberano, eu dependo de sua misericórdia!!! Se ele fosse apenas onipotente, eu poderia manipulá-lo: faça-se a minha vontade... eu tenho a força... eu tenho o poder... eu posso....
Balaque via em Deus uma entidade não soberana, mas poderosa. Aproveito a oportunidade para indicar um vídeo interessante: https://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=57FHlhxZ9u8

A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdete – 
http://www.jamaisdesista.com.br
...


Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.