sábado, 14 de dezembro de 2013

Números 13: 1-33 – PARECÍAMOS COMO GAFANHOTOS ...

Entramos, a partir de agora, na terceira subparte – O período de peregrinação – vs. 13:1 ao 19:22 -, da segunda parte da divisão de Números que pode ser assim distribuída em quatro seções que se alternam entre os erros de Israel e a importância do culto no tabernáculo e do sacerdócio, para melhor compreensão: o pecado e a condenação em Cades-Barneia – 13:1 a 14:45; as ofertas sendo relembradas – 15:1-41; a grande rebelião contra Moisés e Arão – 16:1-50; e, a reafirmação do sacerdócio araônico – 17:1 a 19:22.
1.     A rebelião em Cades-Barneia – 13:1 a 14:45
Doze homens são escolhidos para espiar a terra de Canaã – ver também Dt 1:19-25.
De quem foi a ordem de espiar a terra para ver o que nela havia e depois relatar tudo a Moisés e ao povo de Israel? Quais os homens que foram escolhidos para esta missão e quem deu as ordens e os critérios das escolhas?
Exatamente: o Senhor! Moisés apenas seguiu as ordens do Senhor e cumprindo-as, designou 12 príncipes dentre o povo, de cada tribo um representante, certamente os melhores, para irem e espiarem a terra e depois reportarem tudo o que viram.
Eles estavam no deserto de Parã e assim foi feita a lista com os cabeças dos filhos de Israel e assim foram enviados por Moisés com suas ordens claras com relação à missão que teriam de executar nos próximos 40 dias.
Deus dá a missão. Deus dá os critérios de escolha dos que irão executar a missão. Deus prepara os homens para a missão. Deus tudo faz e tudo executa. Este é o Deus que eu conheço e que quer ser conhecido e reconhecido por seu povo.
Nós aqui com Cristo Jesus, tendo recebido o Espírito Santo, nosso Consolador, o Ajudador, temos também uma missão: pregar o evangelho das boas novas de que o Messias veio como estava escrito dele nas Escrituras e que cumpriu tudo que era preciso cumprir, conforme as Escrituras e que, por um breve tempo – tempo este destinado à pregação das boas novas – se ausentou para estar com seu Pai, nosso Pai e que breve voltará, conforme as Escrituras.
Também aqui Deus preparou a mensagem. Deus escolhe, escolheu e continuará a escolher os mensageiros. Deus preparou o povo para receber a mensagem proclamada pelos seus mensageiros das boas novas. Tudo pronto é somente proclamar!
O relatório dos espias recebido com incredulidade – ver também Dt 1:26-33.
Eles foram e cumpriram a sua missão e estava tudo indo bem até que Calebe percebeu algo diferente no ar e antes da bomba explodir, tentou, de todas as formas evitar a explosão, mas havia uns mensageiros cujo espírito era outro e não o Espírito Santo e se aproveitaram da situação para contaminarem todo o povo com uma mensagem de derrota e de desprezo por aquele que os tinha enviado à missão.
Seus olhos contemplaram os gigantes, suas armas, suas cidades, suas fortalezas, suas coisas e se deixaram levar por elas, esquecendo totalmente do Enviador, daquele que os enviou em missão.
Somente Calebe ali se houvera diferentemente, no próximo capítulo se levantará outro príncipe valente, Josué e juntos irão enfrentar os 10 outros príncipes de Israel que rejeitaram o Senhor.
Vejamos no próximo capítulo a continuação dessa reflexão.
Nm 13:1 E falou o SENHOR a Moisés, dizendo:
                Nm 13:2 Envia homens que espiem a terra de Canaã,
                               que eu hei de dar aos filhos de Israel;
                de cada tribo de seus pais enviareis um homem,
                               sendo cada um príncipe entre eles.
Nm 13:3 E enviou-os Moisés do deserto de Parã,
                segundo a ordem do SENHOR;
                               todos aqueles homens eram cabeças dos filhos de Israel.
Nm 13:4 E estes são os seus nomes:
                Da tribo de Rúben, Samua, filho de Zacur;
                Nm 13:5 Da tribo de Simeão, Safate, filho de Hori;
                Nm 13:6 Da tribo de Judá, Calebe, filho de Jefoné;
                Nm 13:7 Da tribo de Issacar, Jigeal, filho de José;
                Nm 13:8 Da tribo de Efraim, Oséias, filho de Num;
                Nm 13:9 Da tribo de Benjamim, Palti, filho de Rafu;
                Nm 13:10 Da tribo de Zebulom, Gadiel, filho de Sodi;
                Nm 13:11 Da tribo de José, pela tribo de Manassés,
                               Gadi filho de Susi;
                Nm 13:12 Da tribo de Dã, Amiel, filho de Gemali;
                Nm 13:13 Da tribo de Aser, Setur, filho de Micael;
                Nm 13:14 Da tribo de Naftali, Nabi, filho de Vofsi;
                Nm 13:15 Da tribo de Gade, Geuel, filho de Maqui.
Nm 13:16 Estes são os nomes dos homens que Moisés enviou
                a espiar aquela terra;
                               e a Oséias, filho de Num, Moisés chamou Josué.
Nm 13:17 Enviou-os, pois, Moisés a espiar a terra de Canaã; e disse-lhes:
                Subi por aqui para o lado do sul, e subi à montanha:
                Nm 13:18 E vede que terra é, e o povo que nela habita;
                               se é forte ou fraco; se pouco ou muito.
                Nm 13:19 E como é a terra em que habita,
                               se boa ou má; e quais são as cidades em que eles habitam;
                                               se em arraiais, ou em fortalezas.
                Nm 13:20 Também como é a terra, se fértil ou estéril;
                               se nela há árvores, ou não; e esforçai-vos,
                                               e tomai do fruto da terra.
                E eram aqueles dias os dias das primícias das uvas.
Nm 13:21 Assim subiram e espiaram a terra desde o deserto de Zim,
                até Reobe, à entrada de Hamate.
Nm 13:22 E subiram para o lado do sul, e vieram até Hebrom;
                e estavam ali Aimã, Sesai e Talmai, filhos de Enaque
                               (Hebrom foi edificada sete anos antes de Zoã no Egito).
                Nm 13:23 Depois foram até ao vale de Escol,
                               e dali cortaram um ramo de vide com um cacho de uvas,
                                               o qual trouxeram dois homens, sobre uma vara;
                               como também das romãs e dos figos.
                Nm 13:24 Chamaram àquele lugar o vale de Escol,
                               por causa do cacho que dali cortaram os filhos de Israel.
                Nm 13:25 E eles voltaram de espiar a terra, ao fim de quarenta dias. Nm 13:26 E caminharam, e vieram a Moisés e a Arão,
                e a toda a congregação dos filhos de Israel no deserto de Parã,
                               em Cades; e deram-lhes notícias, a eles,
                               e a toda a congregação, e mostraram-lhes o fruto da terra. Nm 13:27 E contaram-lhe, e disseram:
                Fomos à terra a que nos enviaste; e verdadeiramente mana leite e mel,
                               e este é o seu fruto.
                Nm 13:28 O povo, porém, que habita nessa terra é poderoso,
                               e as cidades fortificadas e mui grandes;
                               e também ali vimos os filhos de Enaque.
                Nm 13:29 Os amalequitas habitam na terra do sul;
                e os heteus, e os jebuseus, e os amorreus habitam na montanha;
                e os cananeus habitam junto do mar, e pela margem do Jordão.
Nm 13:30 Então Calebe fez calar o povo perante Moisés, e disse:
                Certamente subiremos e a possuiremos em herança;
                               porque seguramente prevaleceremos contra ela.
Nm 13:31 Porém, os homens que com ele subiram disseram:
                Não poderemos subir contra aquele povo,
                               porque é mais forte do que nós.
                Nm 13:32 E infamaram a terra que tinham espiado,
                               dizendo aos filhos de Israel:
                A terra, pela qual passamos a espiá-la,
                               é terra que consome os seus moradores;
                               e todo o povo que vimos nela são homens de grande estatura.
                Nm 13:33 Também vimos ali gigantes, filhos de Enaque,
                               descendentes dos gigantes;
                e éramos aos nossos olhos como gafanhotos,
                               e assim também éramos aos seus olhos.
Quando não queremos fazer algo, você já reparou que damos desculpas e que quando queremos fazer algo, nós sempre damos um jeito?
Assim eram aqueles homens com aquele discurso nojento e cheio de medo e sei lá do que mais. Para eles, aquela terra consumia seus moradores; aqueles homens vistos eram de grande estatura, como se fossem gigantes e eles, e bem assim todo israelita, como gafanhotos. Em momento algum, eles se quer mencionaram o Senhor.
Algum tempo depois teremos outro episódio semelhante de visão equivocada. Enquanto Israel via o gigante Golias, filisteu que ameaçava e desafiava o exército de Judá, Davi via um incircunciso o qual seria entregue em suas mãos pelo Deus vivo a quem ele de fato afrontava.

E nós, como estamos vendo nossos gigantes e inimigos do evangelho em terras distantes que precisam de ser conquistadas pela poderosa mensagem do evangelho das boas novas?
A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdete – 
http://www.jamaisdesista.com.br
...


Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.