domingo, 16 de junho de 2013

Sl 150.1-6 - DOXOLOGIA FINAL

O Salmo 150 encerra a última série de cânticos de louvor (146-150) que começaram e terminaram com “louvai ao Senhor”. Chegamos finalmente ao fim do livro de salmos e como trabalhamos um salmo por dia, já se passaram 150 dias ou 5 meses. O incrível nesses propósitos de estudos, leitura, meditação e escrita é que os dias passam e a soma deles completa o propósito.
Da mesma forma, o tempo está passando aqui na terra, e viver com propósitos diante de Deus é bem melhor. Logo, estaremos rumando para a nossa pátria verdadeira.
Aprendi muito com os salmistas, principalmente a orar a Deus por reconhecer nele tudo. Aqui o livro de salmo se encerra com o convite para louvarmos ao Senhor. Ele aqui nos pede que nos derramemos diante de Deus em louvores por qualquer que seja o motivo e ocasião.
Como iremos deixar de louvar a Deus sendo que ele se faz presente diante de nós todo tempo pelas coisas criadas e pela vida que se renova a cada manhã? Eu estou aprendendo a reconhecer a Deus em todos os meus caminhos e isso me tem ajudado e me fortalecido neste mundo que o despreza e o rejeita na maior cara dura...
Os que não creem nele ou não o compreendem ficam pedindo evidências como se fossem abastados por si mesmos e não dependessem de Deus para respirar e da sua misericórdia para lhes dar mais um dia de vida. Não basta a coisa criada nem as suas pegadas na criação, preferem crer no “deus acaso” que ao final levará suas vidas vãs para o nada de onde também vieram. Isso não é sabedoria nem ciência, mas pura soberba e orgulho.
A rejeição do conhecimento de Deus que claramente se manifesta a todos é um ato insano de consequências terríveis e eternas. Esses não louvam ao Senhor e Deus permita que jamais desanimemos de anunciar o evangelho quer ouçam quer deixem de ouvir na esperança de que um dia a sensatez volte e se convertam e se arrependam de tudo.
O comentário de Calvino sobre este salmo apenas diz na sua introdução que ele é o mesmo que o primeiro e mais nada.
The argument of this Psalm is the same with that of the former.
Hallelujah
Sl 150:1 Louvai ao SENHOR.
Louvai a Deus no seu santuário;
louvai-o no firmamento do seu poder.
Sl 150:2 Louvai-o pelos seus atos poderosos;
louvai-o conforme a excelência da sua grandeza.
Sl 150:3 Louvai-o com o som de trombeta;
louvai-o com o saltério e a harpa.
Sl 150:4 Louvai-o com o tamborim e a dança,
louvai-o com instrumentos de cordas e com órgãos.
Sl 150:5 Louvai-o com os címbalos sonoros;
louvai-o com címbalos altissonantes.
Sl 150:6 Tudo quanto tem fôlego
louve ao SENHOR.
Louvai ao SENHOR.
Termino conclamando a todos para louvarmos o Senhor em todo tempo e por todo o motivo. Liberte-se das cadeias que te prendem louvando o teu Criador e Redentor hoje e sempre, amém.
        Terminamos nossas reflexões e segmentações de todo o livro de Salmos. Foram 150 reflexões realizadas no período de 18 de janeiro de 2013 a 16 de junho de 2013, exatos 150 dias que correspondem aos 150 capítulos de Salmos.
Aprendemos com Davi e com os principais salmistas como eles oravam, adoravam e reagiam diante das circunstâncias da vida.
Davi, como Jesus - o Filho de Deus, o Filho de Davi -, tinha uma noção fenomenal de Deus como soberano Senhor. Davi esperava no Senhor. Jesus, em seu Pai. Ambos tinham a sabedoria e o discernimento para entenderem os retos caminhos do Senhor e o momento certo de se levantarem e enfrentarem qualquer inimigo que os queriam matar.
A confiança de Davi e de Jesus estava em Deus que não deixaria eles sem o seu socorro e proteção.
Ao ler salmos e segmentá-lo notei ainda em Davi, principalmente, e também nos outros salmistas, um forte clamor e apelo à justiça! Para apelar dessa forma, ou ele buscava a justiça ou estava sendo injustiçado ou via muitas injustiças. Ele conhece o seu Deus o qual é justo e se admira: porque não faria justiça a própria justiça?
Davi fala de justiça, de governo, de administração, de reino, de trono, de juiz, em fim, fala de Deus e de sua providência. Deus é o seu Pai e também o justo juiz de toda a terra!
Davi entende que tudo vem de Deus e é por ele controlado. Davi crê na soberania de Deus e na sua providência.
E o que dizer das características proféticas relacionadas a salmos que se aplicaram e se encaixaram como luva na vida e obra de Jesus e do início da igreja? E o que esperar daquelas que sabidamente ainda não ocorreram, mas vemos sendo anunciada profeticamente em salmos?
Salmos é um livro que deve ser estudado de dia e de noite buscando sorver todo seu conteúdo que é inspirado por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça a fim de que o homem de Deus, nós os cristãos, sejamos perfeitos e perfeitamente instruídos para toda boa obra do Pai.
II Timóteo 3:16 Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça;
II Timóteo 3:17 Para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra.

 A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdete – 

...


Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.