domingo, 9 de junho de 2013

Salmo 143: 1-12 - O SENHOR OUVE AS NOSSAS ORAÇÕES

Todo salmo de Davi é um ensino para mim de oração e de relacionamento profundo com o Espírito Santo. Reparem no começo do salmo ao qual ele clama para ser ouvido e por isso se dirige a Deus pedindo que se incline e que o escute segundo à verdade e à justiça.
Ele pede para Deus se inclinar porque reconhece em tudo as mãos poderosas de Deus agindo, mesmo que não compreenda seus caminhos. Deus está lá nos céus e nós aqui na terra, mas Deus está atento ao nosso clamor quando a ele nos dirigimos com energia e com vontade de encontrá-lo na certeza de que seremos por ele ouvidos.
Assim Davi pede ao seu Deus com fé, com certeza. Ele sabe que está se aproximando de Deus e que ele é muito superior e ele uma nadinha de nada... O sofrimento e as perseguições que ele sofre, ele entrega nas mãos de Deus que é justo Juiz. Tem gente que pensa que Deus agora se tornou a sua força disponível a ele em qualquer momento que ele quiser como se fosse um anel mágico do tipo do SHAZAN que quando ele invocar, ele terá A FORÇA e O PODER!!!
Deus jamais foi nem será essa força disponível a nós para realização de nossas vontades e desejos como se fôssemos seu Co-Igual... Ou como se ele agora estivesse preso à sua palavra de forma que agora eu posso fazer o que quiser e ele estará obrigado a realizar por causa de minha potente e operosa fé... Isso chega a ser ridículo... infantil... Davi, neste salmo conhecia o seu Deus.
Ele invoca a verdade e a justiça e crê no triunfo dela ao final. Dessa forma, ele mostra para Deus os seus inimigos e a terrível perseguição que está sofrendo. Já pensou se Davi tivesse A FORÇA e O PODER? Agora mesmo ele estaria pulverizando tudo com seus potentes raios energéticos. Lembrei-me, agora dos discípulos de Jesus que disseram ao Senhor: - E os seus discípulos, Tiago e João, vendo isto, disseram: Senhor, queres que digamos que desça fogo do céu e os consuma, como Elias também fez? – Lc 9:54.
A resposta de Jesus foi bem interessante ao dizer que eles não sabiam bem de qual espírito eles eram. Jesus não veio destruir os homens, mas salvá-los. O meu poder e a minha força não está no fazer, mas no obedecer e confiar que Ele sabe o que faz e quando faz.
Calvino, em seu comentário sobe salmos, na introdução relativa a este salmo diz que embora os inimigos que Davi tinha de enfrentar eram maus, e sua perseguição injusta e cruel, Davi reconheceu o justo juízo de Deus em tudo, e assim busca conciliar seu favor por humildemente suplicar perdão.
Tendo reclamado da crueldade de seus inimigos, e declarado que no meio de toda a sua aflição, ele ainda se lembrava de Deus, ele ora para a ser restaurado e ter a orientação do Espírito de Deus a fim de poder dedicar o resto de sua vida ao temor de Deus.
Embora os inimigos com os quais Davi tivesse que lutar fossem perversos, e sua perseguição tão injusta quanto cruel, Davi reconheceu o juízo justo de Deus em tudo, e procura conciliar o seu favor, suplicando humildemente o perdão. Tendo reclamado da crueldade de seus inimigos, declarou que, em meio a toda a sua aflição, ele ainda se lembrava de Deus, orava pela restauração e pela orientação do Espírito de Deus, para que o resto de sua vida pudesse dedicar-se ao seu temor a Deus.
Um salmo de Davi.
Sl 143:1 <<Salmo de Davi>> O SENHOR,
ouve a minha oração,
inclina os ouvidos às minhas súplicas;
escuta-me
segundo a tua verdade,
e segundo a tua justiça.
Sl 143:2 E não entres em juízo com o teu servo,
porque à tua vista não se achará justo nenhum vivente.
Sl 143:3 Pois o inimigo
perseguiu a minha alma;
atropelou-me até ao chão;
fez-me habitar na escuridão,
como aqueles que morreram há muito.
Sl 143:4 Pois que o meu espírito se angustia em mim;
e o meu coração em mim está desolado.
Sl 143:5 Lembro-me dos dias antigos;
considero todos os teus feitos;
medito na obra das tuas mãos.
Sl 143:6 Estendo para ti as minhas mãos;
a minha alma tem sede de ti,
como terra sedenta. (Selá.)
Sl 143:7 Ouve-me depressa, ó SENHOR;
o meu espírito desmaia.
Não escondas de mim a tua face,
para que não seja semelhante aos que descem à cova.
Sl 143:8 Faze-me ouvir a tua benignidade pela manhã,
pois em ti confio;
faze-me saber o caminho que devo seguir,
porque a ti levanto a minha alma.
Sl 143:9 Livra-me, ó SENHOR, dos meus inimigos;
fujo para ti, para me esconder.
Sl 143:10 Ensina-me a fazer a tua vontade,
pois és o meu Deus.
O teu Espírito é bom;
guie-me por terra plana.
Sl 143:11 Vivifica-me, ó SENHOR,
por amor do teu nome;
por amor da tua justiça,
tira a minha alma da angústia.
Sl 143:12 E por tua misericórdia
desarraiga os meus inimigos,
e destrói a todos os que angustiam a minha alma;
pois sou teu servo.

Sim, os ímpios serão desarraigados e destruídos para sempre Davi, como você pediu neste salmo. Esta é uma palavra antiga e bem conhecida mesmo daqueles que se julgam descrentes. A própria natureza que fala sem palavras diz em alto e bom som que o juízo de Deus virá certamente. Ai dos que destroem a terra... Ai dos que insistem em rejeitar o conhecimento de Deus... Maranata! Vem logo Senhor Jesus!
A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdete – 
http://www.jamaisdesista.com.br

...


Reações:

1 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.