sábado, 29 de junho de 2013

Provérbios 13: 1-25 segmentado


Continuamos com os contrastes e mais instruções estamos recebendo para processá-las e guarda-las em nosso peito a fim de que nos lembremos em todo tempo das promessas, recompensas e dos castigos e advertências.
Neste capítulo, em especial, encontraremos os seguintes contrastes: o filho sábio e o escarnecedor; o poder da língua para o bem e para o mal; o preguiçoso e o diligente; o justo e o ímpio; a verdade e a mentira; a justiça e a impiedade; a riqueza resultado do mal e o trabalho; a riqueza resultado do trabalho e a pobreza; a esperança adiada e o desejo atendido; o que despreza a lei e o que a teme; a doutrina da vida e os laços da morte; o prudente e o insensato; o mal e o bem, entre outros.
Dizem que não podemos conhecer a força da alegria sem nos mergulharmos na profundidade da dor da tristeza. De fato há sentido nisso, mas não vivemos num mundo dual com dois reinos fortes e igualmente poderosos a disputar o espaço final em nossas mentes e vida.
Eu somente acredito em um único reino e um único Senhor e portanto creio que há somente um trono, uma majestade, um domínio e este pertence a Deus que também é perfeito, completo, uno e relacional.
No entanto, o mal é bem real e eu sinto a sua força que é totalmente destrutiva e sem sentido algum. Por exemplo, creio que ontem, em certo lugar acontecia um assalto e uma criança de 4 anos começou a chorar e o bandido pedia com insistência para a criança parar de chorar e a mãe se esforçava para consolar seu filho e silenciá-lo, mas não teve jeito. O bandido, filho de satã, seu seguidor infiel, não teve paciência e executou a criança à queima roupa com um tiro em sua cabeça e assim pois fim ao choro que o incomodava.
Este é um pequenino exemplo de crueldade e maldade juntas proveniente do mal bem real em nossas vidas. Eu contudo somente creio numa força: a do bem e não na do mal. Para mim, o reino do mal não é um reino verdadeiro em si nem pode vir a ser, antes é um reino parasita que depende do reino verdadeiro para existir por um tempo. Para mim, embora pareça difícil entender – o meu justo viverá pela fé -, Deus está no controle de tudo, mesmo quando o mal parece triunfar.
Pv 13:1 O filho sábio atende à instrução do pai;
mas o escarnecedor não ouve a repreensão.
Pv 13:2 Do fruto da boca cada um comerá o bem,
mas a alma dos prevaricadores comerá a violência.
Pv 13:3 O que guarda a sua boca conserva a sua alma,
mas o que abre muito os seus lábios se destrói.
Pv 13:4 A alma do preguiçoso deseja, e coisa nenhuma alcança,
mas a alma dos diligentes se farta.
Pv 13:5 O justo odeia a palavra de mentira,
mas o ímpio faz vergonha e se confunde.
Pv 13:6 A justiça guarda ao que é de caminho certo,
mas a impiedade transtornará o pecador.
Pv 13:7 Há alguns que se fazem de ricos, e não têm coisa nenhuma,
e outros que se fazem de pobres e têm muitas riquezas.
Pv 13:8 O resgate da vida de cada um são as suas riquezas,
mas o pobre não ouve ameaças.
Pv 13:9 A luz dos justos alegra,
mas a candeia dos ímpios se apagará.
Pv 13:10 Da soberba só provém a contenda,
mas com os que se aconselham se acha a sabedoria.
Pv 13:11 A riqueza de procedência vã diminuirá,
mas quem a ajunta com o próprio trabalho a aumentará.
Pv 13:12 A esperança adiada desfalece o coração,
mas o desejo atendido é árvore de vida.
Pv 13:13 O que despreza a palavra perecerá,
mas o que teme o mandamento será galardoado.
Pv 13:14 A doutrina do sábio é uma fonte de vida
para se desviar dos laços da morte.
Pv 13:15 O bom entendimento favorece,
mas o caminho dos prevaricadores é áspero.
Pv 13:16 Todo prudente procede com conhecimento,
mas o insensato espraia a sua loucura.
Pv 13:17 O que prega a maldade cai no mal,
mas o embaixador fiel é saúde.
Pv 13:18 Pobreza e afronta virão ao que rejeita a instrução,
mas o que guarda a repreensão será honrado.
Pv 13:19 O desejo que se alcança deleita a alma,
mas apartar-se do mal é abominável para os insensatos.
Pv 13:20 O que anda com os sábios ficará sábio,
mas o companheiro dos tolos será destruído.
Pv 13:21 O mal perseguirá os pecadores,
mas os justos serão galardoados com o bem.
Pv 13:22 O homem de bem deixa uma herança aos filhos de seus filhos,
mas a riqueza do pecador é depositada para o justo.
Pv 13:23 O pobre, do sulco da terra, tira mantimento em abundância;
mas há os que se consomem por falta de juízo.
Pv 13:24 O que não faz uso da vara odeia seu filho,
mas o que o ama, desde cedo o castiga.
Pv 13:25 O justo come até ficar satisfeito,
mas o ventre dos ímpios passará necessidade.
São tantos provérbios lindos e maravilhosos para comentar e estudar seu profundo significado que se fôssemos ousar a fazê-los gastaríamos toda a nossa vida e não chegaríamos ao fim. Mas este último versículo deste capítulo é especial e afirma que o justo se satisfaz, mas não o ímpio. E o que é que busca o ímpio na impiedade não é justamente a satisfação de seus desejos? Coitado do ímpio...
p.s.: link da imagem original:
Contagem regressiva: Faltam 348 dias para a Copa, sem álcool nos estádios.... também faltam 766 dias para 05/05/2015, quando eu irei concluir a Segmentação de toda a Bíblia.

A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdetehttp://www.jamaisdesista.com.br

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.