sábado, 4 de maio de 2013

Salmo 107: 1-43 - DEUS NOS SALVA DE TODAS AS NOSSAS TRIBULAÇÕES

Gostei tanto deste salmo, em especial. Ele nos parece ser algo preparado para ser uma grande lição de Jeová para nós, do Espírito Santo, para nós em todos os tempos, desde quando foi escrito e disponibilizado a todos em todo o mundo.
Tudo começa com render graças! E devemos render graças porque o Senhor é bom e porque a sua misericórdia dura para sempre. Isto quer dizer que ele tem cuidado de nós e nos dado em justa medida de tudo o que necessitamos para nossa vida ter evolução.
É um salmo que fala de Deus como soberano sobre todas as coisas. No seu governo, no entanto, não está o anular de nossas vontades. Não somos bonecos de marionete em suas mãos, sem vontades e sem responsabilidades. Por isso nos metemos em tantas confusões e em nossas angústias, clamamos a Deus que nos livra e nos coloca em lugar seguro.
Neste salmo há 5 repetições, envolvendo 5 situações em que por causa de nossas vontades nos metemos em confusões, precisando assim do socorro do Senhor e da sua ajuda. O salmista explora cada uma delas e faz análise em simples palavras que envolvem a alção de Deus e a ação dos homens.
Os que aceitam a repreensão do Senhor serão curados, mas os que se endurecem, apesar da graça e da misericórdia de Deus ainda permitir a eles vida, serão preservados, mas não para a salvação. Deus não admite que o homem o rejeite!
Eu entendo assim. É como se Deus falasse para mim. Filho, eu existo. Eu criei todas as coisas. Eu governo todas as coisas. Eu não preciso da sua ajuda em nada. Você tem recebido, todos os dias de minha graça e misericórdia. Portanto, não admito que rejeites o meu conhecimento.
Se eu não o rejeito, irei fazer o quê? Como diz este salmo: render-lhe graças porque ele é bom e a sua misericórdia dura para sempre. Se o rejeito? Ele simplesmente me entrega a mim mesmo para eu “ser livre” para fazer o que quiser. Ele continuará me dando de sua graça e misericórdia, mas... as consequências serão terríveis.
Calvino, em seu comentário, na sua introdução, fala sobre o que este salmo nos ensina que nossos destinos não são determinados pela sorte, mas é Deus quem está no controle de tudo.
O salmista nos ensina, em primeiro lugar, que os assuntos humanos não são regulados pela roda inconstante e incansável da fortuna, mas que devemos observar os julgamentos de Deus nas diferentes vicissitudes que ocorrem no mundo e que os homens imaginam acontecer por acaso. Por conseguinte, a adversidade e todos os males que a humanidade sofre, como naufrágios, fome, destruição, doenças e desastres na guerra, devem ser considerados como tantos tokens do desagrado de Deus, pelo qual ele os convoca, por causa de seus pecados, antes seu trono judicial. Mas a prosperidade e a questão feliz dos acontecimentos também devem ser atribuídos à sua graça, para que ele sempre receba o louvor que ele merece, o de ser um Pai misericordioso e um juiz imparcial. Sobre o fim do salmo, ele fala daqueles homens ímpios que não reconhecerão a mão de Deus, em meio a demonstrações tão palpáveis de sua providência.
Sl 107:1 Rendei graças ao SENHOR,
porque ele é bom,
e a sua misericórdia dura para sempre.
Sl 107:2 Digam-no os remidos do SENHOR,
os que ele resgatou da mão do inimigo
Sl 107:3 e congregou de entre as terras,
do Oriente e do Ocidente, do Norte e do mar.
Sl 107:4 Andaram errantes pelo deserto,
por ermos caminhos,
sem achar cidade em que habitassem.
Sl 107:5 Famintos e sedentos,
desfalecia neles a alma.
Sl 107:6 Então, na sua angústia,
clamaram ao SENHOR,
e ele os livrou das suas tribulações.
Sl 107:7 Conduziu-os pelo caminho direito,
para que fossem à cidade em que habitassem.
Sl 107:8 Rendam graças ao SENHOR
por sua bondade
e por suas maravilhas para com os filhos dos homens!
Sl 107:9 Pois dessedentou a alma sequiosa
e fartou de bens a alma faminta.
Sl 107:10 Os que se assentaram nas trevas
e nas sombras da morte,
presos em aflição e em ferros,
Sl 107:11 por se terem rebelado contra a palavra de Deus
e haverem desprezado o conselho do Altíssimo,
Sl 107:12 de modo que lhes abateu com trabalhos o coração
- caíram, e não houve quem os socorresse.
Sl 107:13 Então, na sua angústia,
clamaram ao SENHOR,
e ele os livrou das suas tribulações.
Sl 107:14 Tirou-os das trevas
e das sombras da morte
e lhes despedaçou as cadeias.
Sl 107:15 Rendam graças ao SENHOR
por sua bondade
e por suas maravilhas para com os filhos dos homens!
Sl 107:16 Pois arrombou as portas de bronze
e quebrou as trancas de ferro.
Sl 107:17 Os estultos,
por causa do seu caminho de transgressão
e por causa das suas iniqüidades,
serão afligidos.
Sl 107:18 A sua alma aborreceu toda sorte de comida,
e chegaram às portas da morte.
Sl 107:19 Então, na sua angústia,
clamaram ao SENHOR,
e ele os livrou das suas tribulações.
Sl 107:20 Enviou-lhes a sua palavra,
e os sarou,
e os livrou do que lhes era mortal.
Sl 107:21 Rendam graças ao SENHOR
por sua bondade
e por suas maravilhas para com os filhos dos homens!
Sl 107:22 Ofereçam sacrifícios de ações de graças
e proclamem com júbilo as suas obras!
Sl 107:23 Os que, tomando navios,
descem aos mares,
os que fazem tráfico na imensidade das águas,
Sl 107:24 esses vêem as obras do SENHOR
e as suas maravilhas nas profundezas do abismo.
Sl 107:25 Pois ele falou
e fez levantar o vento tempestuoso,
que elevou as ondas do mar.
Sl 107:26 Subiram até aos céus,
desceram até aos abismos;
no meio destas angústias,
desfalecia-lhes a alma.
Sl 107:27 Andaram,
e cambalearam como ébrios,
e perderam todo tino.
Sl 107:28 Então, na sua angústia,
clamaram ao SENHOR,
e ele os livrou das suas tribulações.
Sl 107:29 Fez cessar a tormenta,
e as ondas se acalmaram.
Sl 107:30 Então, se alegraram com a bonança;
e, assim, os levou ao desejado porto.
Sl 107:31 Rendam graças ao SENHOR
por sua bondade
e por suas maravilhas para com os filhos dos homens!
Sl 107:32 Exaltem-no também na assembléia do povo
e o glorifiquem no conselho dos anciãos.
Sl 107:33 Ele converteu rios
em desertos
e mananciais,
em terra seca;
Sl 107:34 terra frutífera,
em deserto salgado,
por causa da maldade dos seus habitantes.
Sl 107:35 Converteu o deserto
em lençóis de água
e a terra seca,
em mananciais.
Sl 107:36 Estabeleceu aí
os famintos,
os quais edificaram uma cidade em que habitassem.
Sl 107:37 Semearam campos,
e plantaram vinhas,
e tiveram fartas colheitas.
Sl 107:38 Ele os abençoou,
de sorte que se multiplicaram muito;
e o gado deles não diminuiu.
Sl 107:39 Mas tornaram a reduzir-se
e foram humilhados
pela opressão,
pela adversidade
e pelo sofrimento.
Sl 107:40 Lança ele o desprezo
sobre os príncipes
e os faz andar errantes,
onde não há caminho.
Sl 107:41 Mas levanta da opressão
o necessitado,
para um alto retiro,
e lhe prospera famílias como rebanhos.
Sl 107:42 Os retos vêem isso
e se alegram,
mas o ímpio
por toda parte fecha a boca.
Sl 107:43 Quem é sábio
atente para essas coisas
e considere as misericórdias do SENHOR.
Quem é sábio, como diz este salmo 107, deve atentar para essas coisas e considerar as misericórdias do Senhor e nelas se alegrar porque os ímpios não agirão assim, antes fecharão as suas bocas negando o Senhor e trazendo sobre eles mesmos a recompensa do endurecimento dos seus corações que estão rejeitando o conhecimento do Altíssimo.
A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdete – 
http://www.jamaisdesista.com.br

...


Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.