quarta-feira, 17 de abril de 2013

Salmo 90: 1-17 segmentado


Moisés é o autor deste salmo espetacular que fala da brevidade de nossa vida por causa da ira divina que nos consome devido aos nossos pecados. Moisés não fala de Jesus diretamente, mas ora em todo o tempo pedindo a Deus que tenha misericórdia e derrame a sua graça sobre nós. Eu vejo na graça, na fidelidade e naquilo que ele pede a Deus a pessoa bendita da segunda pessoa da Trindade: Jesus Cristo, a razão de ser de todo homem e de toda a humanidade e criação de Deus.
Eu costumo citar o verso 12 a todos os meus chegados que fazem aniversário. Ensina-nos, Senhor, a contar os nossos dias a fim de que alcancemos corações sábios. Primeiro está que é Deus quem faz tudo em nossa vida e aqui ele está a nos ensinar com a vida. Se ele não nos ensinar, o que aprenderemos? Se ele não tomar a iniciativa, como nos desenvolveremos?
Assim, Deus está nos ensinando e nos ensinando a contar e  a contar os nossos dias. Em todo o tempo meu coração é do Senhor e eu estou contando suas maravilhas e graça na minha vida. Cada dia vivido é mais um dia que vou somando e vendo o quanto Deus tem feito e ainda continua a fazer, apesar de mim.
Este Jamais Desista é o meu altar no qual todos os dias me curvo diante dele e de sua palavra para meditar nas Escrituras e aprender a contar mais um pouquinho. Meu coração não tem sido rebelde e eu tenho assim aprendido a contar. Contando estou me tornando mais sábio e pronto para a obra que ele me deu a fazer para concluir.
À Josué, que depois Paulo aplicou a nós, a palavra de Deus é clara: ela nos ensina a meditar, a ler, a buscar nas Escrituras a vida e a sabedoria. Elas, como disse Deus, não falam de outra coisa, se não de Jesus Cristo! Ele é a nossa vida, esperança, graça, sabedoria e aquele que nos ensina todos dias por ter nos enviado, sem merecimento algum, o Espírito Santo.
Calvino contextualiza, explica, fala de detalhes importantes do salmo que nos ajudam a entender mais ainda a palavra escrita e entendendo mais um pouquinho, mais passamos a adora o seu verdadeiro autor: o Espírito Santo!
As Moses is about to treat as well of the brevity and miseries of human life, as of the punishments inflicted upon the people of Israel, in order to minister some consolation for assuaging the grief and fear which the faithful might have entertained upon observing the operation of the common law, to which all mankind are subject, and especially, upon considering their own afflictions, he opens the psalm by speaking of the peculiar grace which God had vouchsafed to his chosen tribes. He next briefly recites, how wretched the condition of men is, if they allow their hearts to rest in this world, especially when God summons them as guilty sinners to his judgment seat. And after he has bewailed, that even the children of Abraham had experienced for a time such severity, that they were almost consumed with sorrow, confiding in God's free favor, by which He had adopted them to himself, he prays that He would deal towards them in a merciful and gracious manner, as he had done in times past, and that he would continue even to the end the ordinary course of his grace.
A Prayer of Moses, the man of God.
It is uncertain whether this psalm was composed by Moses, or whether some one of the prophets framed it into a song for the use of the people, from a formula of prayer written by Moses, and handed down from age to age. It is, however, highly probable, that it is not without some ground ascribed to Moses in the title; and since psalms were in use even in his time, I have no doubt that he was its author. [562] Some maintain that the reason why his name appears in the inscription is, that it was sung by his posterity; but I cannot see why they should have recourse to such a groundless conceit. The epithet, The man of God, given to Moses, which is immediately added, clearly confutes them. [563] This honorable designation is expressly applied to him, that his doctrine may have the greater authority. If conjectures are to be admitted, it is probable, that when the time of his death drew near, he endited this prayer to assuage the prolonged sorrow under which the people had almost pined away, and to comfort their hearts, under the accumulation of adversities with which they were oppressed. Although the wonderful goodness of God shone brightly in their deliverance from Egypt, which, burying the miseries formerly endured by them, might have filled them with joy; yet we know that, soon after, it was extinguished by their ingratitude; so that for the space of not less than forty years, they were consumed with continual languor in the wilderness. It was therefore very seasonable for Moses at that time to beseech God that he would deal mercifully and gently with his people, according to the number of the years in which he had afflicted them.
Sl 90:1 Senhor,
tu tens sido o nosso refúgio,
de geração em geração.
Sl 90:2 Antes que os montes nascessem
e se formassem a terra e o mundo,
de eternidade a eternidade,
tu és Deus.
Sl 90:3 Tu reduzes o homem ao pó e dizes:
Tornai, filhos dos homens.
Sl 90:4 Pois mil anos, aos teus olhos,
são como o dia de ontem que se foi
e como a vigília da noite.
Sl 90:5 Tu os arrastas na torrente,
são como um sono,
como a relva que floresce de madrugada;
Sl 90:6 de madrugada,
viceja e floresce;
à tarde,
murcha e seca.
Sl 90:7 Pois somos consumidos
pela tua ira
e pelo teu furor,
conturbados.
Sl 90:8 Diante de ti
puseste as nossas iniqüidades
e, sob a luz do teu rosto,
os nossos pecados ocultos.
Sl 90:9 Pois todos os nossos dias
se passam na tua ira;
acabam-se
os nossos anos
como um breve pensamento.
Sl 90:10 Os dias da nossa vida
sobem a setenta anos
ou, em havendo vigor,
a oitenta;
neste caso, o melhor deles
é canseira e enfado,
porque tudo passa rapidamente,
e nós voamos.
Sl 90:11 Quem conhece o poder da tua ira?
E a tua cólera,
segundo o temor que te é devido?
Sl 90:12 Ensina-nos
a contar os nossos dias,
para que alcancemos coração sábio.
Sl 90:13 Volta-te,
SENHOR!
Até quando?
Tem compaixão dos teus servos.
Sl 90:14 Sacia-nos
de manhã com a tua benignidade,
para que cantemos de júbilo
e nos alegremos todos os nossos dias.
Sl 90:15 Alegra-nos
por tantos dias
quantos nos tens afligido,
por tantos anos
quantos suportamos a adversidade.
Sl 90:16 Aos teus servos
apareçam as tuas obras,
e a seus filhos,
a tua glória.
Sl 90:17 Seja sobre nós
a graça do Senhor, nosso Deus;
confirma sobre nós
as obras das nossas mãos,
sim,
confirma
a obra das nossas mãos.
Qual seria a obra que Moisés pede a Deus para que confirme sendo sobre nós a sua graça, isto é, sendo sobre nós tão grande salvação, Jesus Cristo? A obra é a evangelização, o anúncio das boas novas que Deus nos incumbiu de fazer por todos os dias que temos recebido de sua graça e verdade.
p.s.: link da imagem original:
Contagem regressiva: Faltam 11 dias para 26/04/13 (Inicio: 31/07/10). (hoje: 17/04/2013) e 421 dias para a Copa, sem álcool nos estádios....
A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdetehttp://www.jamaisdesista.com.br

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.