quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Faltam 841/1000 dias! Meu propósito: Começou: 31/07/10. Acaba: 26/04/13.

TEMA: A Nossa Opção Deve Ser Pela Fé - 2
 
Ontem preguei uma palavra de Deus ao povo de Deus na Primeira Igreja Presbiteriana de Taguatinga cujo tema foi “Bem aventurados os que não viram e creram”, baseado no texto bíblico do evangelho de João 20:19-31.
 
Confira, na íntegra a pregação ministrada: http://www.scribd.com/doc/44859856/Pregacao-Bem-Aventurados-os-que-nao-veem-mas-creem-%E2%80%93-Jo-20-19-31 com a seguinte sinopse: “Jesus advertiu Tomé pela sua opção pela incredulidade. A incredulidade não deve ser, nunca, a regra geral quando a temática se referir ao Senhor Jesus Cristo.
 
Repito o que disse ontem e enfatizei na pregação ministrada de que “no que concerne a Deus e ao seu reino e a sua justiça, jamais deixe a opção da incredulidade ser a regra geral, mas a sua fé. Confie em Deus! Não seja como Tomé que precisou ser repreendido e somente depois de ver, creu. Antecipe-se aos fatos e confie na palavra do Senhor para sua vida.
 
Ontem, conversei muito com meus dois filhos tentando os convencer da providência divina sobre as nossas vidas. Tudo está no controle de Deus. Tudo! Até nos mínimos detalhes, Deus está governando e cuidando e administrando. Não sei por que esquecemos de Deus nas mínimas coisas. Na verdade nem parece que ele existe.
 
Como podemos ser assim tão negligentes e descuidados para enxergarmos Deus em tudo o que fazemos ou deixamos de fazer? Eu fui fundo em nossa conversa a ponto de dizer-lhes que em relação às circunstâncias não temos sobre elas qualquer gerência e muitas delas nos trazem dor e sofrimento.
 
Conclui, como Carlos Drumond de Andrade, que ambas são inevitáveis, tanto a dor quanto o sofrimento, mas a amargura, o medo, a insegurança, a raiva e a melancolia quando persistem e ultrapassam a faixa do normal, são opcionais e mais ainda uma afronta a Deus.
 
Mas porque afronta a Deus? Por causa da dúvida do amor de Deus, da falta de confiança em sua gestão e providência. Quem vive debaixo do jugo do medo, faz do medo o seu senhor e lhe presta homenagens cada vez que a ele se sucumbe e deixa de celebrar a vida. Isso vicia! A pessoa se diz atormentada pelo medo, mas o medo a faz alimentar o seu pecado e o escraviza num vazio eterno de dor e sofrimento.
 
Deus é vida, energia, luz, alegria, amor, movimento, segurança. Quando deixamos de confiar em Deus estamos assumindo um compromisso com o diabo e com tudo que o representa: pecado, morte, desesperança, insegurança, medo, terror e muitos, mas muitos maus pensamentos.
 
O termômetro de nossa fé são os nossos pensamentos! Diga-me no que estás constantemente pensando e eu te direi em quem tu confias a tua vida. A constância de maus pensamentos indica a necessidade de concerto diante de Deus.
 
A nossa opção pela fé vai gerar em nós pensamentos de Deus, pois temos a mente de Cristo!
 
A Deus toda a glória!
 

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.