segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Faltam 837 dias para 26/04/13 (Inicio: 31/07/10).


TEMA: A Ressurreição de Cristo em João 3 – Jo 20-1:18

Depois de relatar o fato, João e Pedro, sem perderem tempo saem correndo na direção do sepulcro onde deveria jazer o corpo de Cristo. Começa então uma corrida em direção ao Jardim do Gtsêmani. João, bem mais ligeiro, corre na frente de Pedro. Os dois correm juntos, mas é João quem chega primeiro.

Que riqueza de detalhes teve o narrador de João! Sabe o que significam tais detalhes que o narrador não era outro se não o próprio João. O evento mais importante de toda a história do homem acabara de ocorrer no universo.

O primeiro evento mais significativo do homem, sem dúvidas é a sua criação. Eu não disse evolução porque não creio que evoluímos, mas creio que fomos criados. Eu preciso ter mais fé para crer na fantasiosa estória da evolução do que na criação. Deus, nosso criador, nos deu inteligência não para sermos burros, mas para sermos inteligentes.

O primeiro homem foi criado por Deus. Ele é o primeiro Adão. Criado e não gerado. Infelizmente, o primeiro Adão caiu na astúcia da serpente e se tornou pecador. Perdeu de Deus a inocência, inclusive o seu livre arbítrio, pois Adão poderia ter escolhido entre o bem e o mal. Escolheu desobedecer a Deus e isso trouxe o pecado ao homem.

Agora, naquele domingo, enquanto João corria mais rápido que Pedro, uma nova história estava sendo contada po Deus. O segundo Adão, não criado, mas gerado, filho do Pai estava ali vencendo aquela que derrotou o homem, a morte. A morte não pode deter o Filho de Deus. Bem que ela tentou, mas o Filho de Deus foi mais forte.

A vitória de Jesus sobre a morte, pois era impossível que esta o retivesse consigo, deu-lhe o direito de resgatar  a vida dos pecadores. Por meio de seu sangue, de sua vida, em obediência plena ao seu Pai, em confiança absoluta nos planos e propósitos de seu Pai, Jesus, resgatou da morte o meu destino certo: a morte.

A morte não poderá mais nos deter, pois ela não teve poder de deter o Filho do Homem. O segundo Adão, ao contrário do primeiro Adão, foi obediente e obediente até a morte. O que estava passando nas mentes de João e de Pedro enquanto corriam? E na mente de Maria Madalena que foi a primeira a perceber as mudanças?

Que mulher incrível e que sensibilidade e percepção. Ela foi a primeira a ver a pedra removida, o sepulcro vazio, os lençois que envolviam tanto o corpo quanto a cabeça, a chamar os outros discípulos, a segui-los para ver o que aconteceria. Maria Madalena a mulher estava ali mais presente e crente que qualquer um dos dicípulos.

Ela deve ter vindo junto com João e Pedro. Sim, certamente veio e veremos isso mais adiante. Se eu fosse Gregório e pudesse voltar no tempo e tivesse o encargo de organizar e arrumar o calendário, eu marcaria aquele domingo da ressurreição como o primeiro dia de uma nova era. Foi o nascimento de Jesus Cristo que dividiu a história em Antes de Cristo e Depois de Cristo. Gregório errou nos cálculos e na data de nascimento de Cristo.

O erro humano tem significado diante de Deus que tudo criou. Deus permitiu que o erro ficasse registrado para mostrar ao homem que ele, o homem, é falível e que sem Deus não pode fazer coisa alguma de valor e de significado. O Sl 118:8 e o 9, em resumo diz que é melhor confiar em Deus do que nos homens.

Há uma curiosidade sobre este salmos... veremos amanhã.

A Deus toda a glória!

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.