quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Faltam 827 dias para 26/04/13 (Inicio: 31/07/10).

TEMA: Amor de Pastor 3!

 

Por ninguém! Eu não quero ser reconhecido por ninguém! Que diminua eu para que tua glória cresça mais e mais.

 

"15. Porque o que faço não o aprovo; pois o que quero isso não faço, mas o que aborreço isso faço.16. E, se faço o que não quero, consinto com a lei, que é boa. 17. De maneira que agora já não sou eu que faço isto, mas o pecado que habita em mim. 18. Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem algum; e com efeito o querer está em mim, mas não consigo realizar o bem. 19. Porque não faço o bem que quero, mas o mal que não quero esse faço. 20. Ora, se eu faço o que não quero, já o não faço eu, mas o pecado que habita em mim. 21. Acho então esta lei em mim, que, quando quero fazer o bem, o mal está comigo. 22. Porque, segundo o homem interior, tenho prazer na lei de Deus; 23. Mas vejo nos meus membros outra lei, que batalha contra a lei do meu entendimento, e me prende debaixo da lei do pecado que está nos meus membros. 24. Miserável homem que eu sou! quem me livrará do corpo desta morte? 25. Dou graças a Deus por Jesus Cristo nosso Senhor. Assim que eu mesmo com o entendimento sirvo à lei de Deus, mas com a carne à lei do pecado"

 

O homem sempre procura diante de Deus se justificar e dificilmente aceita o seu favor e graça. Ele sempre quer estar fazendo algo, ainda que seja mínimo ele quer ter o mérito por algo. Dificilmente o homem aceita a graça de Deus por causa de seu orgulho. Aceitar que a salvação é gratuíta, totalmente gratuíta, é como um ato de ofensa ao homem.

 

Reparem na questão da fé e das obras. O que me justifica diante de Deus? As minhas obras? Não! Elas não me justificam diante de Deus, mas as minhas obras justificam a minha fé. Se tenho fé, como provarei que tenho fé se não pelas minhas obras? Mostra-me a tua fé sem obras e eu te mostrarei a minha fé pelas minhas obras.

 

Não me justifico diante de Deus pelas minhas obras por que se não Deus seria meu devedor. Cada obra me geraria o direito de reclamar de Deus o salário devido. Logo, as minhas obras não são minhas, pois se fosse, eu teria direitos sobre elas. Na oração isso fica bem claro, pois não dou graças por que faço obras.

 

Imaginem eu chegando a Deus e lhe falando: obrigado Senhor pelas obras que fiz e que justificam a minha fé. Não dá, não é? Eu não sou justo por que eu pratico a justiça, mas por que Deus me fa justo em Cristo Jesus. da mesma forma, eu não faço obras porque eu as pratico, mas por que Deus me concede a sua graça.

 

Ninguém será justificado por obras diante de Deus, logo: eu não sou justo, nem bom, nem reto, nem santo. No entanto, em Cristo Jesus, Deus me faz justo, bom, reto, santo. Quanto ao pecado, temos escrito que não sou eu quem faço, mas o pecado que está em mim. Pois o querer o bem está em mim, mas não o executá-lo.

 

Glórias a Deus que por nós tudo faz! É a graça de Deus que me faz ter fé, ter obras. Se é a graça de Deus, não tenho do que me orgulhar, mas temer e tremer diante de Deus. Já não sou eu quem faço o bem, mas a graça de Deus é quem me faz fazer o bem. Não há glórias em mim, não há, portanto, reconhecimento algum pelo qual passo a merecer algo.

 

Uma coisa faço e farei, esquecendo-me das coisas que para trás ficam, prossigo avante para o prêmio da soberana vocação em Cristo Jesus. Quando eu acho que eu tenho fé e que portanto tenho obras, eu já perdi tanto a fé quanto as obras.  Para eu produzir mais frutos a Deus, eu preciso estar na videira, pois não posso produzir frutos sem estar nela enxertado.

 

Eu  não tenho méritos, por isso que minhas obras são trapos de imundície e sujidade. Elas não tem valor algum para minha santificação, mas quando estou nele ligado, enxertado, as obras que ele me permite fazer por sua graça, servem para glorificá-lo e honrá-lo. Essa obra, sim, não é trapo de imundície, nem sujidade.

 

Meditar nesse assunto é bastante complexo e pode gerar muita confusão de compreensão. Também é difícil falar dele, mas está em mim e ainda falarei muito disso. Meu filho acaba de me perguntar coisas difíceis e eu lhe disse que nos sentimos down porque na realidade estamos buscando justificativas para praticar o que não convêm, pois, sem estas justificativas, não temos como encarar o Espírito Santo.

 

A Deus toda a glória!

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.