Vamos conhecer o Caminho do Senhor?

Saiba que "O caminho do SENHOR é fortaleza para os íntegros, mas ruína aos que praticam a iniqüidade." (Pv 10:29). Saiba também que aqui no 'JAMAIS DESISTA do Caminho do Senhor' você encontrará, todos os dias uma mensagem baseada na Bíblia que representa o pensamento do autor na sua contínua busca das coisas pertencentes ao reino de Deus e a sua justiça.

segunda-feira, 31 de maio de 2010

365 dias de propósito! Dia 314/365

TEMA: Deus Não Precisa De Métodos, Mas De Homens Obedientes 2 – 2 Sm 6

Continuando nossa meditação de ontem a qual tive a honra de pregá-la  na Igreja Presbiteriana do Vicente Pires (para ter acesso à integra da mensagem, visite: http://www.scribd.com/doc/32254723/Pregacao-Deus-nao-precisa-de-metodos-mas-de-homens-obedientes ).

 

A igreja não deve imitar os métodos do mundo nem usá-los como ferramentas que poderão dar certo. Eu não creio que Deus se interessa por métodos, mas quer homens obedientes que estão dispostos a respeitá-lo, a crer que existe, que ele é o único que é e que está disposto a trabalhar por aqueles que nele esperam. “Porque desde a antiguidade não se ouviu, nem com ouvidos se percebeu, nem com os olhos se viu um Deus além de ti que trabalha para aquele que nele espera.” (Is 64:4).

 

Eu também não sou contra os métodos, técnicas, táticas, planejamento, organização, direção e controles. Acho que Deus capacita os homens e lhes dá dons para servi-lo mais e mais eficaz e eficientemente. No entanto, o método tem de estar abaixo da obediência. Primeiro, Deus, depois os métodos. Estando debaixo da obediência, os métodos e técnicas serão abençoados. Exemplo de método empregado corretamente: o conselho de Jetro a Moisés na administração do povo de Israel.

 

Todos os irmãos que estudam, trabalham, fazem treinamentos e se aperfeiçoam em técnicas e métodos está servindo o Reino de Deus e a sua Justiça. Que isso fique bem claro.

 

O resultado daquele transporte feito imitando os Filisteus trouxe uma tragédia. Havia uma pedra de tropeço e nela os bois tropeçaram e, instintivamente, Uzá segurou a Arca, colocando a sua mão nela para a proteger, mas Deus o feriu por irreverência. Davi muito se entristeceu. Aquilo foi demais para ele. Ele mesmo exclamou: como virá a mim a Arca do Senhor? No entanto, como era homem segundo o coração de Deus, não ficou ali prostrado. Levantou-se, ergueu-se, buscou ao Senhor.

 

A Arca então ficou provisoriamente na casa de Obede-Edom (levita, da família de Corá, da Clã de Coate, autorizado, sim, para cuidar da Arca da Aliança) e por causa da Arca foi ele muito abençoado. Avisaram Davi e este com grande alegria e agora seguindo as instruções de Deus transportaram a Arca da casa de Obede-Edom à Cidade de Davi.

 

Reparem que a Arca da Aliança para Obede-Edom representou bênçãos e não havia nele temor algum em recebê-la em sua casa, mas para Uzá, significou a morte, haja vista a sua irreverência. Fazendo-se um paralelo, poderemos ver que Cristo a quem a Arca tipifica foi pedra de tropeço para Uzá, mas para Obede-Edom, pedra de esquina, eleita e preciosa – I Pe 2:6-8.

 

Eles agora não estavam usando carros novos como fizeram os Filisteus, mas a transportava conforme está escrito em Ex 25:14; Js 6:6, nos ombros dos sacerdotes. Depois dos primeiros seis passos pararam e sacrificaram sete novilhos e sete carneiros e como tudo ia bem, prosseguiram até o final.

 

Para tomar parte do cerimonial, Davi teve de usar roupas sacerdotais, pois não serviam os trajes civis nem os reais, pois representariam irreverência e profanação. Na sua euforia, Davi fez subir com júbilo e ao som de trombetas a Arca do Senhor. Ele saltava e dançava na presença do Senhor de forma tão frenética que que as suas roupas esvoaçavam e partes desnudas de seu corpo apareciam aos olhos de suas servas. Sua esposa Mical o desprezou em seu coração.

 

Ao chegar em casa, Mical ainda o censurou, mas ele respondeu: “Disse, porém, Davi a Mical: Perante o SENHOR, que me escolheu preferindo-me a teu pai, e a toda a sua casa, mandando-me que fosse soberano sobre o povo do SENHOR, sobre Israel, perante o SENHOR tenho me alegrado. E ainda mais do que isto me envilecerei, e me humilharei aos meus olhos; mas das servas, de quem falaste, delas serei honrado.”.

 

A palavra de Deus diz que Mical, filha de Saul, não teve filhos até o dia de sua morte. Amanhã, comentaremos mais. Entraremos na terceira parte. Uma boa semana a todos.

 

A Deus toda a glória! - Acompanhamento de Minhas Leituras Diárias – estou pensando em armazenar essas informações em algum outro lugar, enquanto isso, as atualizações somente serão feitas futuramente.

domingo, 30 de maio de 2010

365 dias de propósito! Dia 313/365

TEMA: Deus Não Precisa De Métodos, Mas De Homens Obedientes – 2 Sm 6.


Deus está me chamando para pregar a sua palavra! Eu creio nisso! Ele já me disse que a obra que ele iniciou somente ele poderá detê-la. Eu ainda me julgo um aprendiz. O Senhor me tem dito para eu não me preocupar em pregar nem bem, nem mal, bonito ou feio, agradável ou de forma mais dura, mas tão somente a sua palavra. Quanto mais fiel eu for a sua palavra e quanto mais eu for honesto e sincero em minhas experiências, mais ele irá me abençoar.


Assim, minha função nas pregações, não é a de preencher uma lacuna, de quebrar um galho, ou de agradar o povo, ou o pastor ou algum amigo, irmão, parente ou convidado. Eu creio que eu fui chamado e preparado pelo Espírito Santo de Deus para ministrar uma palavra de Deus ao povo de Deus, sendo eu, apenas um instrumento de Deus. Toda a glória pertence a ele. Tudo é dele. E ele é muito bom! Por isso, ncreio que Deus irá derramar em nossos corações o seu amor, a sua graça e a fé.


Irmãos amados, a sensação que temos ao ler a palavra de Deus (sugiro ler 2 Sm 6 - não citei aqui por ser muito longo) é de que Deus é real! Ele existe e tem suas características próprias que fazem dele o ser que ele, Deus, é.

 

Em primeiro lugar, somente Deus é, mais ninguém. Por isso que seu nome é EU SOU. Deus é soberano. Deus é sábio. Deus é bom. Deus é amor. Deus é justiça. Nós somente temos, em parte, de Deus, por sua comunicabilidade, mediante a sua graça, a sabedoria, a bondade, o amor, a justiça. Em todos nós, podem reparar, há o senso inato por exemplo da justiça.

 

Quando examinamos uma situação e vemos desigualdade de tratamento e condições, logo dizemos, isso não é justo. Essa sensação de justiça é muito forte em nós. As maiores desculpas que damos para fugir de Deus é o apelo de nossa consciência à justiça. Só que estamos falando de justiça com a própria justiça, pois somente Deus é justo.

 

Como eu sei que por melhor que eu me esforçe eu nunca serei justo? Ora, não é por eu me comparar com a própria justiça? Como sei que não sou justo, porque há um justo! É isso, eu sei que não sou justo porque ao me comparar com quem é justo, vejo que sou falho, pecador e que não consigo atingir o padrão de justiça perfeita. E quem é o padrão? Deus é! Somente Deus é.

 

Poderíamos seguir o raciocínio e aplicá-lo às demais coisas: bondade, amor, sabedoria, fidelidade, etc... Deus é. Ele é o padrão. Ele, Deus, é.  

 

Em segundo lugar, o Deus que é, o único que é, nos deixou ao criarmos regras, mandamentos, leis. Ao seguirmos suas instruções seremos sempre bem sucedidos, mas ao querermos inventar coisas em desobediência a ele, nos daremos muito mal.

 

Aqui nessa história em que Davi queria trazer a Arca do Senhor para Jerusalém havia uma regra e instruções a serem seguidas. Não se podia mover a Arca de qualquer modo. Na imaginação de Davi, homem segundo o coração de Deus, e do povo que tinha consigo, cerca de 30 mil, o objetivo era retirar a Arca de Balaá de Judá e a levarem para cima, para Jerusalém.

 

A Arca de Deus era a representação, vs 2, sobre a qual se invoca o nome, o nome do SENHOR dos Exércitos, que se assenta entre os querubins. Davi então usa carros novos. A intenção era boa, mas era a imitação do mundo. Foram os Filisteus que colocaram a Arca em carros novos quando a quiseram devolver ao povo de Israel. Vamos continuar amanha...

 

A Deus toda a glória! - Acompanhamento de Minhas Leituras Diárias – estou pensando em armazenar essas informações em algum outro lugar, enquanto isso, as atualizações somente serão feitas futuramente.

sábado, 29 de maio de 2010

365 dias de propósito! Dia 312/365

 

TEMA: O Coração do Homem – Pv 16:9.

 

Nos diz o livro de Provérbios que "O coração do homem planeja o seu caminho, mas o SENHOR lhe dirige os passos." (Pv 16:9). Quem disse para você que a sua vida te pertence e que você faz dela o que deseja, planeja e quer? Ledo, engano. A nossa vida pertence a Deus e é ele quem nos coloca e nos encaixa em seus planos.

 

Hoje foi incrível. Sai com a intenção pura e simples de ajudar meu amigo e pastor Rev. Aluisio Laurindo da Silva em uma reunião com diversas autoridades cujo objetivo era a aprovação do Estatuto do INSTITUTO BRASILEIRO DE CAPELANIA. Levei minha máquina fotográfica e me coloquei à sua disposição para auxiliá-lo no que fosse possível.

 

O Rev. Aluisio já foi meu pastor em Belém/PA. Ele foi quem batizou nas águas minha amada esposa e também quem apresentou meu filho, hoje com 20 anos, Gabriel. Sempre o amamos muito pela sua humildade, competência, zelo pastoral, compromisso com a obra e amizade. Foi ele quem nos deu uma missão que na época abraçamos com muito amor e dedicação.

 

Éramos casais jovens, sem filhos, minha esposa recém-convertida e ele nos designou para acompanhamento de um irmão que tinha aceitado a Jesus no presídio em Belém/PA. Abraçamos com tanto fervor e dedicação que frutificou uma amizade muito grande entre nós, esse irmão que se chamava Osmar (hoje pastor) e alguns outros predidiários.

 

Todo fim de semana lá estávamos no Presídio levando uma palavra, nossa amizade, carinho, amor, atenção e alguma ajuda que Deus nos permitia. Não havia falhas. Isso durou mais de uma ano. Fazíamos cultos, orávamos, cantávamos louvores. Foi muito edificante. Aprendemos muito. Hoje quando vamos para Belém sempre procuramos o Pastor Osmar e grande foi a vitória do Senhor na vida desse homem de Deus.

 

Pois bem, lá estava eu inteiramente à sua disposição. Sempre foi para mim um motivo de grande alegria poder ter a honra de servir esse grande homem de Deus. O Rev. Aluisio é hoje o Presidente da Associação Pró-Capelania Militar Evangélica do Brasil – ACMEB. Para conhecer um pouco mais dela, veja:  http://www.acmeb.com.br/ .

 

Desde ontem, à noite estavam reunidos em Assembléia Constituinte na na Igreja Metodista da Asa Sul, à SGAS 610, L2 Sul, diversos irmãos pastores e capelães que em oração e temor a Deus tinham por objetivo a criação do INBRACAP (Instituto Brasileiro de Capelania). Eu mesmo tinha recebido por email uma minuta desse Anteprojeto do Estatuto e, finalmente, hoje pela manhã foi concluido o Estatudo e foi aprovada a sua criação. Em seguida houve a eleição dos membros, da diretoria, do Presidente, do Capelão-Mor, do Conselho Deliberativo (CONDEL), do Conselho Fiscal. Bem, para a honra e glória do Senhor, acabei me tornando membro do CONDEL! Faço, pois, parte da IMBRACAP e ainda como membro fundador! Aleluias!

 

Espero assim com meus serviços e dedicação estar contribuindo significativamente para essa instituição, quero oferecer de todo coração significativa contribuição ao Reino de Deus, à sua Igreja e à Pátria Brasileira. Nada planejei. Nada cobicei. Nada aspirei. Tão somente queria ajudar meu amigo e sempre meu pastor querido e amado, Rev. Aluisio. Como diz a citação inicial: "O coração do homem planeja o seu caminho, mas o SENHOR lhe dirige os passos." (Pv 16:9).

 

A Deus toda a glória! - Acompanhamento de Minhas Leituras Diárias – estou pensando em armazenar essas informações em algum outro lugar, enquanto isso, as atualizações somente serão feitas futuramente.

sexta-feira, 28 de maio de 2010

365 dias de propósito! Dia 311/365

TEMA: Pensamentos de Paz... Jr 29:11

 

Ontem, pela graça de Deus, tivemos nossa reunião no Grupo Familiar Arca da Aliança que acontece todas as quintas-feiras em minha residência no horário das 20h30. Foi bênção pura! Um banquete do qual não me sinto digno.

 

Lamento que os convidados para o banquete não puderam estar presentes por causa de outros compromissos importantes, mas como disse sabiamente a Zezé, somente estavam presentes aqueles que Deus queria que estivessem ali presentes para se banquetearem.

 

A porta está aberta, mas muitos não estão indo buscar a Deus. Não é a Arca da Aliança, nem o GECOR, nem a Igreja que precisa de membros, mas os membros que precisam de buscar e adorar ao Senhor enquanto se pode achá-lo.

 

A palavra de ontem falava de pensamentos de paz. Jeremias era um profeta de Deus que levava a palavra de Deus ao povo de Deus. Ananias era um falso profeta que pregava rebeldia a Deus. Deus tinha falado e advertido o seu povo quanto ao cativeiro que estavam prestes a enfrentar na Babilônia e Jeremias fez um jugo de madeira para simbolizar o cativeiro.

 

O cativeiro não é agradável, mas as vezes necessário para Deus nos corrigir e nos disciplinar. Quem fica sem correção e disciplina não é filho nem amado do seu Pai. Ananias ao ver o jugo nas costa de Jeremias, tomou-o e quebrou e ainda afirmou como palavra do Senhor que assim como ele tirava e quebrava o jugo de Jeremias assim faria o Senhor e o povo não seria levado cativo.

 

Jeremias voltou cabisbaixo, mas Deus lhe falou para preparar um novo jugo, de ferro, inquebrantável e deu a Jeremias uma palavra dura a Ananias, pois estava pregando rebelião, desobediência. Em cima disso, nos advertiu de que Deus nos requer obedientes e não desobedientes. A desobediência é muito grave e tem final muito ruim. Ananias morreu pouco tempo depois devido ao julgamento divino. Com Deus não se brinca!

 

O rei Zedequias que seguia os conselhos de Ananias e desobedeceu as instruções do Senhor acabou sendo apanhado em um campo aberto onde não havia lugar para se esconder, em seguida mataram os seus filhos na sua frente e depois lhe vazaram os seus olhos, ficando cego. A aplicação disso é que quando desobedecemos, seguindo conselhos de falsos profetas e não os conselhos de Deus, ficamos em situação semelhante diante do inimigo.

 

A relva, o campo aberto significa que não há como se esconder. Não há uma árvore, nem um monte, nem matos, mas estamos expostos e Deus tudo vê. Não dá para se esconder e ai o inimigo se aproveita disso, da vítima indefesa e insegura e a apanha com facilidade. Depois mata os seus filhos que significam as suas promessas,  a sua herança e por fim lhe cega os olhos, ou seja, perde a visão e não enxerga mais nada. Aconselhou-nos, o pregador a tomarmos cuidado com a desobediência.

 

Sobre o cativeiro, nos disse que somos como a concha do mar que procura se guardar e se preservar fechada, mas um grão de areia que entrando em seu corpo fica ali alojado começa a lhe incomodar. A reação a isto é que seus anticorpos começam a agir e a produzir enzimas que vão envolvendo este grão em camadas até tornar-se uma bela e valiosa pérola.

 

As dores do presente e o incômodo atual dos cativeiros de nossas vidas irão ao final produzir jóias valorosas em nossas vidas. Aceitar as correções e disciplinas de Deus nos fazem crescer e enriquecer.

 

Por falar em pérolas, jóias e tesouros, podemos comparar a busca do Reino de Deus e da sua Justiça como aquele que sai a cavar a terra procurando por tesouros. No entanto, não pode cavar em qualquer lugar, mas no lugar certo. A Bíblia é o mapa que nos aponta o lugar certo. As ferramentas para cavarmos são a oração, o jejum, a leitura bíblica, a adoração ao Senhor. Geralmente, o tesouro não se acha na superfície da terra, mas é necessário cavar fundo, profundo o que causa desgaste e muito trabalho.  A lógica disso é que cavando no lugar certo e usando as ferramentas certas, o tempo será o limite para encontrarmos tesouros valiosos.

 

A Deus toda a glória! - Acompanhamento de Minhas Leituras Diárias – estou pensando em armazenar essas informações em algum outro lugar, enquanto isso, as atualizações somente serão feitas futuramente.

quinta-feira, 27 de maio de 2010

365 dias de propósito! Dia 310/365

TEMA: A LEI DO JULGAMENTO 3 – Mt 7:1-5; Mc 4:24,25

 

Quantas não são as vezes que perdemos oportunidades de desenvolvermos um relacionamento sadio e proveitoso com nosso irmão por causa de “boberites”? Julgamos os outros pelas aparências e, às vezes, os julgamos por alguns momentos infelizes ou por causa de alguma situação especial porque um determinado cidadão não correspondeu a um comprimento nosso, ou não reagiu como eu esperava que reagisse diante de meu olhar ou diante de meu entusiasmo.

 

Também muitas vezes ficamos chateados por que nutríamos em nós expectativas que uma vez não correspondidas nos trouxeram decepções. Porque tenho eu de ter tão especial atenção a ponto de o outro ser o chato da história e não eu mesmo que o estou julgando? Isso é meninice!

 

Dentro de nossa óptica, eu nunca sou a pessoa antipática e problemática, mas o outro. Ele é que é chato, antipático, descortez, ingrato, etc. quando temos essa atitude mental dentro de nós, algo está errado.

 

Como estar acima de nossos caprichos e vencermos nossos preconceitos, sentimentos e tendências de julgamento de nossos irmãos? Eu creio que isso é possível quando passamos a conhecer mais a Deus, o seu Reino e a sua Justiça.

 

Ao criar cada um de nós, Deus distribui dons, talentos, habilidades que fazem cada um de nós sermos o que somos. Não há uma pessoa igual a outra, todos somos diferentes. Foi Deus quem nos fez, nos distribuiu e nos colocou onde estamos para sermos bênçãos e abençoadores de nossos irmãos que conosco habitam esse mundo confiadamente.

 

Como diz uma canção: “Eu preciso de você. Eu preciso de você, você precisa de mim. Nós precisamos de Cristo até o fim. Sem cessar, sem parar sem vacilar, sem tremer, sem chorar. Sem cessar, sem parar sem vacilar, sem tremer, sem chorar.” (Mensagem Brasil), nós precisamos uns dos outros e ninguém é melhor ou mais especial, todos somos filhos de Deus ,carentes e necessitados uns dos outros.

 

Eu mesmo tenho minhas idiossincrasias que me levam a querer rotular meu irmão, mas eu não me deixarei levar por elas, antes as apresentarei a Cristo e pedirei seu auxílio para vencê-las e me libertar dessa prisão. No final das contas, eu é quem serei o chato irmão da história de muitas vidas. Amar meu irmão é estar além disso e estar cheio do amor de Deus.

 

Esforcemo-nos por não julgarmos nem medirmos aos nossos irmãos para que não sejamos nem julgados nem medidos.

 

1 Não julgueis, para que não sejais julgados. 2 Porque com o juízo com que julgardes sereis julgados, e com a medida com que tiverdes medido vos hão de medir a vós. 3 E por que reparas tu no argueiro que está no olho do teu irmão, e não vês a trave que está no teu olho? 4 Ou como dirás a teu irmão: Deixa-me tirar o argueiro do teu olho, estando uma trave no teu? 5 Hipócrita, tira primeiro a trave do teu olho, e então cuidarás em tirar o argueiro do olho do teu irmão.” (Mt 7: 1-5).

 

A Deus toda a glória! - Acompanhamento de Minhas Leituras Diárias – estou pensando em armazenar essas informações em algum outro lugar, enquanto isso, as atualizações somente serão feitas futuramente.

quarta-feira, 26 de maio de 2010

365 dias de propósito! Dia 309/365

TEMA: A LEI DO JULGAMENTO 2 – Mt 7:1-5; Mc 4:24,25

 

Agradeço seus comentários Bruno. Por favor, qual o seu email? Entre em contato comigo. abração e sucessos. O teu sucesso depende do quanto você está disposto a temer e a honrar ao Senhor.

 

Olhe só, eu estava lendo o jornal gratuíto “DF-Destaque” de hoje que traz em sua matéria principal a manchete: “Para 90% dos brasileiros, violência está cada vez pior”. A reportagem ressalta que a constatação desse índice de violência foi feita por uma pesquisa inédita feita pela PNUD (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento). Vendo os detalhes, veremos que bandidos (56%) e agressões em família (23%) são citados em estudo como pontos mais problemáticos. A pesquisa também ressaltou que o bem-estar é o mais importante para a população em geral.

 

No mesmo jornal, ontem, terça-feira, chamou-me a atenção a coluna “Meu Destak”, de Fábio Santos, sob o título “O apego da vingança” que comenta um caso de separação ocorrido depois de 12 anos de casados. O americano Kevin Cotter ficou arrasado com a separação. Numa tentativa de saber o que fazer com o vestido de noiva que ainda possuía, perguntou para sua ex o que faria com ele, recebeu uma resposta indiferente e inesperada: “faça o que quiser”.

 

Como uma espécie de vingança num objeto que um dia representou algo sólido para ambos, principalmente para a sua ex-esposa, entrou na internet e criou um blog para levantar 1001 utilidades para o vestido de noiva, entre as sugestões mais bizarras, havia uma que servia para vestir um manequim com a cabeça do Darth Vader.

 

O autor da coluna conclui dizendo que a melhor maneira de encarar uma separação dolorida é se apegar aos bons sentimentos que havia antes do rompimento e que o apego à vingança é um abraço com a dor. O que ele está dizendo, na verdade (é a sua própria interpretação), é que não importa o resultado final, por mais traumático que tenha sido o processo, pois sempre terá valido a pena amar alguém e tentar construir algo em comum.

 

Eu mesmo, apesar de ser radicalmente contra toda e qualquer separação, pois creio que Deus pode ajudar e resolver os casos mais complicados que possam estar caminhando rumo à separação, gostei desse conselho de olhar para o fato do apego aos bons sentimentos que houve no relacionamento. E gostei mais ainda de ver a sua análise de que a vingança é um abraço com a dor, realmente um abraço que pode durar muito tempo e trazer muitas marcas e resultados indesejáveis.

 

As duas matérias estão relacionadas à violência. A violência em geral e, em especial, dentro da família e a violência da raiva, da vingança e do ressentimento entre marido e mulher tem assolado a todos nós que vivemos neste mundo moderno. Minha esposa trabalha no MP com violência doméstica, sua monografia abordou o tema de violência doméstica e os casos de violência são histórias de raiva, de ressentimentos e de vingança com finais terroríficos.

 

Nossos corações estão sobrecarregados de egoísmo e nos esquecemos de Deus por isso agimos desesperadamente, pois não acreditamos mais em justiça, no amor, na bondade. O orgulho, a vaidade e a falta de respeito consigo mesmo e com o nosso próximo tem alcançado altos níveis e os resultados descambam pela violência como uma saída, uma válvula de escape.

 

O que usa de violência, em primeiro lugar violenta a sua própria alma porque o seu coração está apodrecido, corrompido e cheio de imaginações más e vãs. Ao nos ensinar a não julgarmos os outros, Deus está nos ensinando a perdoar. Somente o perdão é capaz de transformar um amargor e uma dor em doçura que é capaz de trazer a paz e não a violência.

 

Tudo isso ao meu ver está ocorrendo e vai piorar ainda mais por causa da rejeição voluntário do conhecimento de Deus. Nós rejeitamos o conhecimento de Deus e, devido a isso, fomos entregues a nós mesmos, aos nossos próprios sentimentos e desejos malígnos. Continuaremos....

 

1 Não julgueis, para que não sejais julgados. 2 Porque com o juízo com que julgardes sereis julgados, e com a medida com que tiverdes medido vos hão de medir a vós. 3 E por que reparas tu no argueiro que está no olho do teu irmão, e não vês a trave que está no teu olho? 4 Ou como dirás a teu irmão: Deixa-me tirar o argueiro do teu olho, estando uma trave no teu? 5 Hipócrita, tira primeiro a trave do teu olho, e então cuidarás em tirar o argueiro do olho do teu irmão.” (Mt 7: 1-5).

 

A Deus toda a glória! - Acompanhamento de Minhas Leituras Diárias – estou pensando em armazenar essas informações em algum outro lugar, enquanto isso, as atualizações somente serão feitas futuramente.

terça-feira, 25 de maio de 2010

365 dias de propósito! Dia 308/365

TEMA: A LEI DO JULGAMENTO – Mt 7:1-5; Mc 4:24,25

 

1 Não julgueis, para que não sejais julgados. 2 Porque com o juízo com que julgardes sereis julgados, e com a medida com que tiverdes medido vos hão de medir a vós. 3 E por que reparas tu no argueiro que está no olho do teu irmão, e não vês a trave que está no teu olho? 4 Ou como dirás a teu irmão: Deixa-me tirar o argueiro do teu olho, estando uma trave no teu? 5 Hipócrita, tira primeiro a trave do teu olho, e então cuidarás em tirar o argueiro do olho do teu irmão.” (Mt 7: 1-5).

 

Primeiro, está o Espírito Santo nos advertindo para não julgarmos. A lição que eu aprendo aqui é que quem julga ou fica fazendo uso do julgamento está sendo julgado. É automático, comecei a julgar o meu irmão, eu também começo a ser julgado.

 

A palavra ainda acrescenta e fala de medidas, medidas de julgamento. Uma medida representa um padrão que com base nele comparamos as outras coisas para vermos e confirmarmos se determinada coisa que estamos medindo está dentro daquele padrão que estabelecemos.

 

Quem fica fazendo uso de julgamentos está sendo medido, comparado da mesma forma e com a mesma intensidade. Poderíamos tirar daqui uma lei ou um princípio. Toda vez que você julgar alguém e medi-lo, você automaticamente será julgado e também medido.

 

O Espírito Santo continua a nos exortar de que estamos muito preocupados com o cisco que está visivelmente no olho de nosso irmão. Estamos sim tão preocupados com ele que nem reparamos na trava, na lasca, no pedaço que está no nosso próprio olho. Isso sim que é cegueira.

 

Por um lado somos hábeis para enxergar nos outros inúmeros ciscos, mas incapazes de enxergarmos a trave que está nos nossos olhos. Se primeiro tirássemos de nossos olhos as traves que nos impedem de ver direito, seríamos capazes de ajudar o nosso irmão retirando dele todo cisco inconveniente.

 

O Espírito Santo nos chama então de hipócritas, isto é, chama os que são apressados no julgamento de hipócritas. Sabendo então da existência dessa lei espiritual a qual eu a chamarei a lei do julgamento, sensato seria se vigiássemos para não cairmos na tentação de ficar julgando ninguém para que nós mesmos não sejamos julgados por ninguém.

 

E disse-lhes: Atendei ao que ides ouvir. Com a medida com que medirdes vos medirão a vós, e ser-vos-á ainda acrescentada a vós que ouvis. Porque ao que tem, ser-lhe-á dado; e, ao que não tem, até o que tem lhe será tirado. (Mc 4:24,25).

 

O texto de Marcos ainda adverte que a medida do nosso julgamento será maior do que a do julgamento que fizermos. Quer dizer que se eu fui duro com meu irmão, serão ainda mais severos comigo.

 

Deus está nos ensinando que devemos amar, perdoar e conviver. Sabe um desafio interessante, uma espécie de ginástica espiritual que irá fortalecer nossa musculatura e nos deixar atletas no Reino de Deus e de sua Justiça? É você aceitar o desafio de vencer em você mesmo a barreira que se levanta dentro de você mesmo contra alguém que você considere antipático, chato, desprezível!

 

Ao dizer que meu irmão é antipático, chato e desprezível o que estou fazendo se não julgando? Ainda há muito o que meditar. Deus abençoe você nesse dia. Surpreenda alguém “chato” hoje, sabe como, dizendo a ele que você o ama e está orando por ele.

 

A Deus toda a glória! - Acompanhamento de Minhas Leituras Diárias – estou pensando em armazenar essas informações em algum outro lugar, enquanto isso, as atualizações somente serão feitas futuramente.

segunda-feira, 24 de maio de 2010

365 dias de propósito! Dia 307/365

TEMA: Contentai-vos Com o Que Tendes 4 – Hb 13: 5-8

 

Ontem, pela graça de Deus, preguei a palavra de Deus ao povo de Deus lá na Igreja Presbiteriana do Residencial Santos Dumont, Rev. Saulo Dourado Pereira. Amei a igreja, os irmãos,  a acolhida, o carinho, o respeito e o local. Fiquei muito à vontade para na liberdade do Espírito Santo falar aquilo que Deus colocou em meu coração.

 

No link http://www.scribd.com/doc/31847218/Pregacao-Contentai-vos-com-o-que-tendes está minha pregação de forma completa. Os irmãos que quiserem estudá-la, comentar algo pra melhorarmos a sua exposição fiquem à vontade. Com certeza, deverei repeti-la muitas vezes em outras oportunidades que o Senhor abrir.

 

Como os irmãos já sabem, todas as minhas ministrações estão na forma escrita neste site do www.SCRIBD.com/CRERPARAVER. É um hábito meu escrever todo sermão que tenho a honra de partilhar com a igreja e assim prosseguirei até a volta de Jesus. A vantagem desse meu proceder é que estou sendo transparente e todos podem ter uma idéia de minha teologia e cosmovisão. A desvantagem é que sou falho – somente as Escrituras são inerrantes – e posso ser exageradamente perseguido por algum detalhe.

 

Sendo a minha consciência o meu árbitro, não tenho o que temer, pelo contrário, posso com confiança dizer que o Senhor é o meu ajudador o que me poderá fazer o homem?

 

Diversos temas estão, agora que estou terminando este, fervilhando em meu coração. Estou orando para que o Espírito Santo me use para ser útil, nem que seja somente para mim mesmo. Agora, no momento, estou sentindo vontade de meditar no fato do fazermos juízo dos outros. Quem julga os outros está se medindo. Quem está se medindo está fazendo comparações. Quem anda se comparando, entende que é superior. Será que somos superiores ao mais vil dos seres humanos ou será que somos tão vis como o pior dos seres humanos.

 

O que de bom há em mim? A minha justiça e bondade são trapos de imundície! Se não é Deus em minha vida, eu serei uma miserável víbora pronta para morder o calcanhar de meu irmão. É por isso que Deus nos ensina o perdão. Amanhã, prosseguiremos.

 

1 Não julgueis, para que não sejais julgados. 2 Porque com o juízo com que julgardes sereis julgados, e com a medida com que tiverdes medido vos hão de medir a vós. 3 E por que reparas tu no argueiro que está no olho do teu irmão, e não vês a trave que está no teu olho? 4 Ou como dirás a teu irmão: Deixa-me tirar o argueiro do teu olho, estando uma trave no teu? 5 Hipócrita, tira primeiro a trave do teu olho, e então cuidarás em tirar o argueiro do olho do teu irmão.” (Mt 7: 1-5).

 

A Deus toda a glória! - Acompanhamento de Minhas Leituras Diárias – estou pensando em armazenar essas informações em algum outro lugar, enquanto isso, as atualizações somente serão feitas futuramente.

domingo, 23 de maio de 2010

365 dias de propósito! Dia 306/365

 

TEMA: Contentai-vos Com o Que Tendes 3 – Hb 13: 5-8

 

Hoje, pela graça de Deus, estarei pregando uma palavra de Deus ao povo de Deus sendo eu um instrumento de Deus na Igreja Presbiteriana do Residencial Santos Dumont, Brasília-DF, Pastor: Rev. Saulo Dourado Pereira, Endereço: QRI 01 Casa 02, 02 - Santa Maria - CEP: 72500-000, Sínodo: Brasília, Presbitério: Taguatinga e o tema e o assunto será esse que estamos expondo aqui no Jamais Desista! Será um prazer receber a sua visita.

 

Eu tenho usado a partícula "Já" ao invés da partícula "Se" para daí extrair conclusões, por exemplo, eu não estou dizendo "Se Jesus Cristo é o mesmo, ontem, e hoje, e eternamente e, ainda, que ele nos disse "JAMAIS TE DEIXAREI, NUNCA JAMAIS TE ABANDONAREI", então:", mas estou dizendo "Já que Jesus Cristo é o mesmo, ontem, e hoje, e eternamente e, ainda, que ele nos disse "JAMAIS TE DEIXAREI, NUNCA JAMAIS TE ABANDONAREI", então:".

 

Deu para perceber a sutil diferença? Entre o "se" e o "já"? o primeiro, o "se" indica possibilidade enquanto o outro o "já" indica certeza. O primeiro parte da hipótese colocada em dúvida, o segundo, já parte da idéia da certeza do fato. Eu tenho agido assim com relação às promessas de Deus em minha vida e isso tem feito diferença.

 

"se o Senhor está comigo, então...", eu, parei de falar assim, mas agora somente falo" já que o Senhor está comigo, então...".  Em nossa vida devemos ter a certeza das coisas, especialmente de nossa fé. Chega de tantas dúvidas, medos e receios. Nossa palavra tem de ser de fé:

 

"Antes, como Deus é fiel, a nossa palavra para convosco não foi sim e não. Porque o Filho de Deus, Jesus Cristo, que entre vós foi pregado por nós, isto é, por mim, Silvano e Timóteo, não foi sim e não; mas nele houve sim. Porque todas quantas promessas há de Deus, são nele sim, e por ele o Amém, para glória de Deus por nós." (2 Co 1: 18-20).

 

Antes como Deus é fiel, eu posso dizer, a nossa palavra não é "se", mas "já". Há muitos vícios que carregamos em nossa vida que não condiz com nossa fé e de tudo isso devemos ir tomando distância. As mui ricas promessas de Deus em nossas vidas são tantas e sua presença tão real que devemos de fato estarmos contentes em toda e qualquer situação, sabendo que Deus está conosco.

 

Alguém poderia perguntar assim: tudo bem, eu concordo, mas e se Deus não estiver conosco? Meu irmão, não sou eu, mas é a sua palavra que nos dá a garantia. Quando Jesus morreu por nós, éramos pecadores, seus inimigos, odiosos e não queríamos saber dele. Ele morreu por nós sendo nós ainda pecadores, mas agora é fiferente, somos salvos, seus filhos, da família de Deus! Aleluias!

 

Veja o que nos diz Romanos 5: de 6 a 11.

6

¶ Porque Cristo, estando nós ainda fracos, morreu a seu tempo pelos ímpios.

7

Porque apenas alguém morrerá por um justo; pois poderá ser que pelo bom alguém ouse morrer.

8

Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores.

9

Logo muito mais agora, tendo sido justificados pelo seu sangue, seremos por ele salvos da ira.

10

Porque se nós, sendo inimigos, fomos reconciliados com Deus pela morte de seu Filho, muito mais, tendo sido já reconciliados, seremos salvos pela sua vida.

11

E não somente isto, mas também nos gloriamos em Deus por nosso Senhor Jesus Cristo, pelo qual agora alcançamos a reconciliação.

 

E agora, você também pode dizer "JÁ!"? Sim, pode, um excelente domingo. Vá para a melhor escola do mundo e aprenda mais de Jesus.

 

A Deus toda a glória! - Acompanhamento de Minhas Leituras Diárias – estou pensando em armazenar essas informações em algum outro lugar, enquanto isso, as atualizações somente serão feitas futuramente.

sábado, 22 de maio de 2010

365 dias de propósito! Dia 305/365

 

TEMA: Contentai-vos Com o Que Tendes 2 – Hb 13: 5-8

 

Já finalizando e repetindo o que já disse atrás: cremos então que o Espírito Santo está a nos falar para termos, estarmos e vivermos o nosso cotidiano de forma a que estejamos contentes quer tenhamos, quer não tenhamos, quer sejamos, quer não sejamos, quer estando, quer não estando, pois não é isso, o ter, o ser e o estar a essência da nossa vida nem do nosso viver, mas sim Deus a quem toda a glória, honra e louvores pertencem.

 

Irmãos queridos, enquanto for possível nos aperfeiçoarmos. Por favor, não confundam as coisas: eu não estou defendendo o conformismo, a resignação, o autoflagelo (Ah, que legal, estou preso, vão cortar a minha cabeça, .... ou puxa, tenho câncer grau 4 e irei morrer em breve.... ou minha mulher me abandonou e a desgraça ruiu sobre mim...eu estou contente, feliz....ah...ah...ah...).

 

Toda circunstância ruim que você enfrenta e que está enfrentando não é agradável, dói, machuca, tira o sono, a tranqüilidade, nos fragiliza. Eu mesmo sou uma pessoa normal e como tal me aborreço, me decepciono, me alegro, me entristeço, tenho frustrações, medo, gostaria de ganhar mais, de ser reconhecido, valorizado, etc...

 

No entanto, quanto mais cedo eu entender e saber que Jesus Cristo é o mesmo, ontem, e hoje, e eternamente e, ainda, que ele jamais me deixará, nunca jamais me abandonará, melhor será pra mim e para o reino de Deus.

 

Vou encerrar cantando um hino da Harpa Cristã que fala que devemos cantar louvores ao invés de murmurarmos e reclamarmos de nossa vida, costumes, cotidiano e situação que envolvam o nosso ter, o nosso estar e o nosso ser.

 

Pare de reclamar, meu irmão! Em vez de murmurares, cante um hino ao Senhor. não temos por bem aventurados os que se entregaram à murmuração e o próprio autor de Hebreus nos adverte de que não haja entre nós corações descuidados. A murmuração é uma porta que quando aberta entra toda sorte de animais impuros, áspides, serpentes e víboras. Aqueles que mantêm essa porta aberta é amigo do destruidor.

 

 Vede, irmãos, que nunca haja em qualquer de vós um coração mau e infiel, para se apartar do Deus vivo. (Hb 3:12); Sendo hospitaleiros uns para com os outros, sem murmurações, (I Pe 4:9);  E não murmureis, como também alguns deles murmuraram, e pereceram pelo destruidor. (I Co 10:10); Fazei todas as coisas sem murmurações nem contendas; (Fp 2:14); Estes são murmuradores, queixosos da sua sorte, andando segundo as suas concupiscências, e cuja boca diz coisas mui arrogantes, admirando as pessoas por causa do interesse. (Jd 1:16)

 

No mundo murmura-se tanto,

Entre os que cristãos dizem ser;

Em vez de Iouvores há pranto,

Fraqueza em lugar de poder.

Murmuram - assim no deserto,

Em Mara, Israel murmurou;

Oh! Não vêem que Deus está perto;

Jamais Seu auxilio negou.

 

Em vez de murmurares, canta

Um hino de louvor a Deus;

Jesus quer te dar vida santa,

Qual noiva levar-te p'ra os céus.

 

Tu vives, irmão, murmurando,

Tal como um escravo do mal;

Se Deus a tua fé stá provando,

Tu não tens razão para tal.

Deus castiga aquele a quem ama,

De ti. também não se esqueceu;

Qual pai amoroso te chama,

E cuida, sim, do que é Seu.

 

E mesmo se as ondas rugirem.

No revolto e bravio mar,

Os céus poderás ver se abrirem,

Se um hino tua alma cantar,

Não temas ciladas, nem morte,

Pra cima tu deves olhar;

O leme segura bem forte,

Até do céu a luz raiar.

 

Se um hino cantar tu puderes,

Nas horas de grande aflição.

Então voarás, se quiseres,

Até a celeste mansão;

Nas asas da águia levado.

Bem perto do mar de cristal

E por fim então libertado,

A terra, chegar, celestial.

 

A Deus toda a glória! - Acompanhamento de Minhas Leituras Diárias – estou pensando em armazenar essas informações em algum outro lugar, enquanto isso, as atualizações somente serão feitas futuramente.

sexta-feira, 21 de maio de 2010

365 dias de propósito! Dia 304/365

TEMA: Contentai-vos Com o Que Tendes 1 – Hb 13: 5-8

 

Embora eu já tenho dito isso antes, eu volto aqui a reforçar, com algumas correções e acréscimos. Já que Jesus Cristo é o mesmo, ontem, e hoje, e eternamente e, ainda, que ele nos disse “JAMAIS TE DEIXAREI, NUNCA JAMAIS TE ABANDONAREI”, então:

 

·         Você está onde Deus quer que você esteja.

·         Você é o que Deus quer que você seja.

·         Você tem o que Deus quer que você tenha.

 

Eu explico:

 

·         Você está onde Deus quer que você esteja. No dia que Deus quiser te tirar desse lugar, ninguém poderá impedi-lo. Há um propósito nisso e somente depois de concluí-lo é que você sairá.

 

Repare na vida de José se foi ele que escolheu passar 13 anos na prisão sem ao menos ter cometido crime para isso – preso injustamente! José foi um homem que sofre muito, mas que sempre buscava se aperfeiçoar e se superar. Deus o exaltou tanto que o colocou no topo do mundo da época sendo abaixo apenas do Faraó e isso em terra estrangeira, no Egito.

 

E Daniel? Foi ele que escolheu ser levado cativo para a Babilônia? O que é ser levado em cativeiro? Será que foi com pompas e gala e com direito a transporte especial? Ou talvez acorrentado, algemado, em cadeias? – Daniel viveu toda sua vida, talvez 100 anos de vida no cativeiro, longe de sua terra natal, servindo outro país. Até na sua velhice com seus 85 anos de idade ainda foi, no reinado de Dario, o principal líder acima dos outros 2 presidentes e 120 príncipes. Somente o rei no reino dos Medos e dos Persas era superior a Daniel.

 

E o apóstolo Paulo que passou muito tempo preso? Admiramos seu senso de soberania de Deus que mesmo em prisões, cadeias, dizia em suas cartas “eu, prisioneiro de Cristo” e não prisioneiro de César, ou do sistema romano, ou por injustiça. E ele diz em uma de suas epístolas que aprendeu o segredo de viver contente com tudo e em todas as circunstâncias (Fp 4:12). Quando o apóstolo Paulo no diz que aprendeu, isso para mim tem o sentido de que Paulo tinha uma mente ensinável, aberta, disposta a receber as instruções. Gamaliel também foi professor de Paulo, mas este aprendizado não foi obtido com ele, mas aos pés de Cristo! Assim, nós também podemos aprender esse segredo se tivermos um coração maleável, disposto a aprender.

 

Poderia citar mais nomes e exemplos, mas estes já são mais do que suficientes para fixar a idéia de quem controla todas as coisas é Deus e que você está onde Deus quer que você esteja.

 

·         Você é o que Deus quer que você seja. Porque se lamentar? Deus te fez especial e somente você poderá cumprir com êxito aquilo que ele preparou para você.

 

O problema de todos nós é a comparação. Estamos sempre nos comparando e conforme o padrão que temos na mente poderemos ficar ou não chateados e tristes. Reparem que isso se aplica a onde estamos, ao que somos e ao que temos.

 

Tem gente que não se ama, não se aceita, vive um inferno por isso e é revoltado com a vida, com Deus. Esse amargor dentro dele é como um demônio que encontrando uma porta aberta (a murmuração!) se aloja, se instala, se sente dono e vai dstruindo o docê da sua vida.

 

·         Você tem o que Deus quer que você tenha. Deus pode tornar-te rico ou pobre em instantes, por isso, não se angustie querendo ir além, acalme-se que Deus te dará tudo o que você necessita.

 

Crente verdadeiro, os filhos de Deus, não necessita de dinheiro para aquisição de coisas, pois Deus dá e também tira de quem quer para quem ele quer. Na verdade, nada temos, nem possuímos, pois Deus é o dono de tudo e de todos.

 

Há um vídeo no YouTube em que, teatralizando, o Senhor entrega a uma jovem uma coca-cola geladinha e ela fica toda feliz e radiante que mal consegue se conter em si mesma. Até que vê um amigo seu com uma coca-cola de 300ml. Resultado? Tristeza! Então, pede ao Senhor uma coca-cola também de 300ml e o Senhor lhe diz “você não estava contente com a que te dei? Porque queres uma de 300ml?” Ainda assim o Senhor lhe dá uma coca-cola de 300ml e ela volta a ficar tão feliz, mas quando vê outra pessoa com uma coca-cola de 600ml, entristece-se novamente. Parece que não há limites para nossa cobiça e estamos sempre querendo mais e mais e não conseguimos nos contentar e nos alegrar com o que temos.

 

Enquanto eu estava tomando um cafézinho reparei que um jovem faxineiro preparava cartões de loteria para fazer a sua aposta e me veio ao coração: por que aquele jovem tinha aquele sonho de ganhar na loteria? Obviamente que seria para resolver os problemas do ter em sua vida, mas ter dinheiro é solução? Precisamos mesmo de dinheiro? É de dinheiro que estamos precisando? Nosso deus é mamon? Ou o Senhor?

 

Em casa, por exemplo, eu gostaria, se pudesse, de fazer uma boa reforma e os custos devem ficar na faixa dos R$ 50.000,00. Também gostaria de trocar meus carros e fazer outros investimentos, mas meu limite financeiro não me dá essa possibilidade no momento. O que devo fazer? Será que eu deveria então me endividar de forma irresponsável para conseguir meus objetivos?

 

Eu estou pregando que eu tenho o que Deus quer que eu tenha! Quem me deu o que eu tenho? Deus é quem me deu tudo o que eu tenho e me dará tudo o que conquistarei nesta vida. A prova de que meu patrimônio não é meu, mas de Deus é que eu não o levarei comigo em minha cova ou para o além. Tudo ficará aqui para outro, para aquele a quem Deus quiser dá-lo.

 

O que eu estou ajuntando não me pertence, nem me pertencerá, mas passará para outro, porque então desesperar-me querendo conquistar o mundo todo?

 

 A Deus toda a glória! - Acompanhamento de Minhas Leituras Diárias – estou pensando em armazenar essas informações em algum outro lugar, enquanto isso, as atualizações somente serão feitas futuramente.