quarta-feira, 16 de setembro de 2009

365 dias de propósito! Dia 57/365

Minha LB de hoje foi até Dt 15:23. Saber quem é ou que é ou como é Deus é muito importante para podermos compreendermos o mundo ao nosso redor e com ele melhor interagirmos. A Bíblia é a nossa única regra de fé e prática. É da Bíblia que extrairemos esses conceitos. Se formos buscá-lo em outras fontes, correremos sérios riscos de cairmos em erros até grosseiros. Na Bíblia também se pegarmos suas idéias isoladas, iremos também torcer a verdade.

 

Eu vou lançar um desafio às nossas mentes que o Senhor nos deu: nós nos relacionamos com Deus ou com a idéia que formamos de Deus em nossas cabeças? Vamos fazer um paralelo disso: eu me relaciono com meu amigo ou me relaciono com a idéia que faço de meu amigo? Certamente, meu relacionamento é com meu amigo. A idéia que dele faço pode estar equivocada, pois se baseia naquilo que julgo. Dificilmente, faríamos uma idéia errada de nosso amigo mais fiel. Nós, na verdade, somos até capazes de prever a sua reação em determinadas circunstâncias, pois o conhecemos.

 

Quanto mais conhecermos o nosso amigo, mais iremos aperfeiçoar nossa idéia sobre o nosso amigo. O conhecimento do amigo vem com a convivência, isto é viver juntos, compartilhando as circunstâncias da vida. Eu sou amigo de meu amigo, logo meu amigo é meu amigo. Se eu sou amigo de Deus, Deus é meu amigo. Ele prometeu estar comigo em todo o tempo e até nos disse "Já vos não chamarei servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor, mas tenho-vos chamado amigos, porque tudo quanto ouvi de meu Pai vos tenho feito conhecer." (Jo 15:15). Abraão foi também chamado amigo de Deus (Tg 2:23).

 

No entanto, o próprio Senhor nos adverte dizendo que para sermos seu amigo, nós deveremos fazer o que ele nos manda: "Vós sereis meus amigos, se fizerdes o que eu vos mando" (Jo 15:14). O Senhor não apenas é nosso amigo, mas nosso Senhor. Se fizermos as nossas vontades e o desprezarmos em nossos corações, como poderemos chamá-lo de amigo? Diz-se que como o ferro afia o ferro, assim o homem ao seu amigo (Pv 27:17). A convivência com o Senhor vai nos moldando nos amalgamando de forma que isso faz com que fiquemos parecidos com nosso amigo.

 

Quem não se relaciona com Deus, o Deus da Bíblia e diz se relacionar com algum deus, na verdade está se relacionando com a idéia que o mesmo faz desse deus. Nosso mundo está cheio de idéias e elas ganham espaço nas mentes das pessoas quando conseguem persuadi-las a aceitá-las. Por exemplo, não adianta combater contra, por exemplo, Adolfo Hitler (é óbvio que foi necessário combatê-lo à época devido o seu poder ter se tornado potencialmente prejudicial aos outros seres humanos), mas o nazismo. O nazista é aquele que se deixou convencer pelo nazismo, mas, esclarecido, poderá abandonar a idéia do nazismo.

 

O campo das idéias é muito vasto. Há muitas idéias que estão por ai sobre a divindade que leva milhares de pessoas para bem longe do verdadeiro Deus, do Amigo, daquele que morreu e ressuscitou por nós pecadores. O mundo das idéias dá uma boa e prolongada meditação... eu ainda voltarei ao assunto, mais para a frente. A Deus toda a glória! Amém!

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.