sábado, 25 de maio de 2013

Salmo 128: 1-6 - TEMOR DE DEUS E FELICIDADE NO LAR

Sem dúvidas um salmo magnífico que exalta o Senhor mostrando todos os benefícios daqueles que o temem e guardam a sua aliança. É bem-aventurado tanto o que teme quanto o que anda nos seus caminhos.
Ao anunciar os benefícios e bênçãos que estão sobre os bem-aventurados temos por tabela uma demonstração da graça de Deus nessas vidas como exemplo às demais pessoas que vivem nesse mundo. O caminho para o sucesso necessariamente deve passar pelo Senhor e quanto mais intimidades eu tiver com Deus, melhor será para mim.
Por exemplo, no filme EM BUSCA DA FELICIDADE, o autor principal tem um sonho e para realizá-lo vai atrás de tudo e sacrifica todas as coisas, mas chega lá. O custo de sua conquista é um rastro de destruição. Será, então, que vale a pena uma conquista assim?
Eu sempre tenho dito a qualquer um, inclusive em minhas raras oportunidades de prédicas, que não somos administradores de contingências de forma que escolheremos as circunstâncias que iremos enfrentar, viver e passar por elas, mas nelas, no meio do fogo, somos convidados sim a darmos glórias a Deus, a reconhecê-lo em tudo, a termos corações agradecidos nele e a confiar cabalmente em seu socorro quer ele aconteça, quer não aconteça.
É como os três rapazes diante da fornalha de fogo em Daniel. Não havia como escapar da fornalha, exceto renunciando as suas crenças, razão das suas vidas. Eles não renunciaram e tiveram que enfrentar uma fornalha aquecida sete vezes mais. Os que os lançaram na fornalha, foram de imediato sacrificados pelo fogo ardente.
Diante daquela situação difícil, eles não recuaram e preferiram enfrentar o fogo sem ao menos saber se iriam sair vivos ou não. Eles disseram ao rei: - Ó Nabucodonosor, quanto a isto não necessitamos de te responder. Se o nosso Deus, a quem servimos, quer livrar-nos, ele nos livrará da fornalha de fogo ardente e das tuas mãos, ó rei. Se não, fica sabendo, ó rei, que não serviremos a teus deuses, nem adoraremos a imagem de ouro que levantaste. (Dn 3:16-18).
Neste caso específico, Deus os livrou e o quarto homem da fornalha era sim Jesus Cristo, a segunda pessoa da Trindade, na sua forma divina. De uma coisa estou certo: - quer nos livrando, quer não nos livrando, jamais sairemos perdendo, mesmo que enfrentando a morte cruel como tantos de nossos irmãos enfrentaram e não receberam as suas recompensas.
Deus tem preparado o momento certo quando receberemos dele nosso galardão. Por isso que a Bíblia também chama de bem-aventurados os que dormem no Senhor para que descansem de suas obras, pois as suas obras os acompanham.
Apocalipse 14:13 Então, ouvi uma voz do céu, dizendo: Escreve: Bem-aventurados os mortos que, desde agora, morrem no Senhor. Sim, diz o Espírito, para que descansem das suas fadigas, pois as suas obras os acompanham.
Calvino em seu comentário, apenas falando de sua introdução, não entra muito em detalhes. Ele comenta ser este salmo semelhante ao anterior e, por assim dizer, uma espécie de apêndice dele, pois declara que a bênção divina, para a difusão do que entre toda a raça humana Salomão declarou, é para ser visto mais visivelmente na facilidade de verdadeiros e sinceros servos de Deus.
Este salmo é semelhante ao precedente e, por assim dizer, uma espécie de apêndice para ele; pois declara que a benção divina, cuja difusão entre todo a raça humana, Salomão testificou, deve ser vista de forma mais visível na facilidade dos verdadeiros e sinceros servos de Deus.
Uma canção de degraus.
Sl 128:1 Bem-aventurado
aquele que teme ao SENHOR
e anda nos seus caminhos!
Sl 128:2 Do trabalho de tuas mãos comerás,
feliz serás,
e tudo te irá bem.
Sl 128:3 Tua esposa,
no interior de tua casa,
será como a videira frutífera;
teus filhos,
como rebentos da oliveira,
à roda da tua mesa.
Sl 128:4 Eis como será abençoado
o homem que teme ao SENHOR!
Sl 128:5 O SENHOR te abençoe desde Sião,
para que vejas a prosperidade de Jerusalém
durante os dias de tua vida,
Sl 128:6 vejas os filhos de teus filhos.
Paz sobre Israel!

Sim, o homem que teme ao Senhor não deve ter medo de nada mais e ainda será abençoado por Deus. Meus queridos, vale a pena continuarmos firmes e fortes sem desanimar em nossa caminhada rumo à glória. Tenhamos paciência que nosso dia está chegando! Um bom dia a todos e até amanhã.
A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdete – 
http://www.jamaisdesista.com.br

...


sexta-feira, 24 de maio de 2013

Jesus está voltando!!!


Papai te ama, filha!


Aranha andando por sobre as águas


Companheiros de postagens

Todos os dias eu posto minhas mensagens no Jamais Desista e adivinhem quem são meus companheiros diários pela mnhã?
Exatamente estes lindos pássaros que ficam à distância de menos de 2 metros de onde estou, no 10º andar.
Eles amam esta janela e de lá cantam e saltam em direção ao vazio num mergulho que, sinceramente, me dá inveja.
Às vezes juntam-se mais de dois e o cenário é lindo. Sinto-me privilegiado com essas criaturas encantadoras criadas por Deus.
A Deus toda a glória! Obrigado Senhor!!!
Posted by Picasa

Salmo 127: 1-5 - TODO BEM PROCEDE DE DEUS


Um belo salmo muito citado principalmente quando vamos falar de nossos filhos. O começo deste salmo fala que todos os nossos esforços em trabalhar e guardar serão inúteis sem a graça e a misericórdia de Deus.
Eu chego a imaginar que é ilusão a força e o talento, bem como todo aparato de segurança uma vez que tudo em que confio de uma para outra hora poderá parar de funcionar e produzir. Eu não irei deixar de fazer a minha parte e esforçar-me em tudo. Quanto maior a luta, maior é nosso preparo, no entanto, tudo o que tenho e faço é pura graça de Deus.
Quando oramos, mesmo que tenhamos lutado muito para obter algo ou ter chegado em algum lugar, dizemos sempre “obrigado Senhor” em reconhecimento que aquilo que obtive e conquistei foi fruto da graça e da misericórdia de Deus.
Assim, eu irei  trabalhar sim na edificação da casa, bem como tomarei todos os cuidados para que ela seja guardada com segurança, mas o resultado disso não está no meu controle. Se Deus quiser ou não é que será útil meu esforço e segura a minha guarda.
Os dons, talentos, bens, riquezas, bens e valores pertencem ao Senhor. Vejam o que Deus falou ao povo em Deuteronômio:
Deuteronômio 8:17 Não digas, pois, no teu coração: A minha força e o poder do meu braço me adquiriram estas riquezas.
Deuteronômio 8:18 Antes, te lembrarás do SENHOR, teu Deus, porque é ele o que te dá força para adquirires riquezas; para confirmar a sua aliança, que, sob juramento, prometeu a teus pais, como hoje se vê.
Depois de meditar na providência do Deus provedor e soberano ele, o salmista, fala dos filhos como herança também do Senhor. São dádivas, bênçãos, flechas nas mãos do arqueiro. Tudo vem do Senhor, inclusive os nossos filhos.
No comentário de Calvino, em sua introdução, sobre este salmo 127, ele diz que este salmo mostra a ordem política e social na sociedade sendo mantidas e seguras pelas bênçãos de Deus e não pelo exercício da política, das diligências, da sabedoria dos homens. Também fala que a procriação é o seu peculiar prazer e presente divino.
Este Salmo mostra que a ordem da sociedade, tanto política como doméstica, é mantida somente pela bênção de Deus e não pela política, diligência ou sabedoria dos homens; e que a procriação de crianças é seu presente peculiar.
Uma Canção dos Degraus de Salomão.
Sl 127:1 Se o SENHOR não edificar a casa,
em vão trabalham os que a edificam;
se o SENHOR não guardar a cidade,
em vão vigia a sentinela.
Sl 127:2 Inútil vos será
levantar de madrugada,
repousar tarde,
comer o pão que penosamente granjeastes;
aos seus amados
ele o dá enquanto dormem.
Sl 127:3 Herança do SENHOR são os filhos;
o fruto do ventre, seu galardão.
Sl 127:4 Como flechas na mão do guerreiro,
assim os filhos da mocidade.
Sl 127:5 Feliz o homem
que enche deles a sua aljava;
não será envergonhado,
quando pleitear com os inimigos à porta.
A ordem política e social que temos na sociedade bem como todo aparato público para manter a segurança e o serviço público em todas as escalas vem do Senhor Deus que criou os céus e a terra e não dos homens e de suas ideologias, políticas e acertos. Ela está como está pela pura graça e misericórdia de Deus para com os seus filhos.
Onde não há profecia o povo se corrompe, diz Provérbios 29:18 “Não havendo profecia, o povo se corrompe; mas o que guarda a lei, esse é feliz.” – Se queremos viver dias melhores então deveremos proclamar o nome do Senhor pela pregação de sua palavra, pela oração e por um viver mais coerente com as nossas crenças.
A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdete – 
http://www.jamaisdesista.com.br

Salmo 127 por Augustus Nicodemus Lopes



...


quinta-feira, 23 de maio de 2013

Marilene: exemplo de uma vencedora!


Veja a reportagem completa no link: http://r7.com/TWHn 

Catadora de latinhas dribla dificuldades e é aprovada em concurso da Justiça do DF

Ela chegou a cozinhar com fogueira de gravetos e estudou com apostilas emprestadas
Ex-catadora de latas se tornou técnica judiciáriaTJDF
A catadora de latinhas Marilene Lopes, que tem cinco filhos, conseguiu encontrar tempo para estudar e realizar um sonho: se tornar funcionária pública. Ela foi aprovada em concurso do TJDF (Tribunal de Justiça do Distrito Federal) para técnico judiciário, com salário de R$ 7 mil.   
A servidora, nos tempos difíceis, quando trabalhava como catadora, usava fogueiras feitas com gravetos para cozinhar, pois não tinha dinheiro para comprar gás. Foi nessa fase que ela começou a estudar. Em 2001, ela foi aprovada no concurso público do TJDF.  
Ela precisou pedir dinheiro a conhecidos para conseguir pagar a taxa de inscrição, que foi feita no último dia de prazo. Marilene usava uma apostila emprestada para o processo seletivo. 
Veja também o vídeo com a entrevista ao Jornal da Record, no link a seguir: http://r7.com/EKjs.
Vamos queridos parar de dar desculpas e darmos um jeito na situação! 
"A FORÇA DE VONTADE SEMPRE DÁ UM JEITO, MAS A FALTA DE VONTADE, DESCULPAS"

Salmo 126: 1-6 - CÂNTICO PARA OS QUE CHORAM

Que belíssimo salmo, também de cânticos de degraus. É Deus quem restaura a nossa sorte! Alias aqui nos salmos, tenho observado na segmentação de 126 deles, incluindo este, que sempre é Deus quem faz todas as coisas por nós ou seja, Deus sempre está no controle de tudo e de todos e de todas as coisas.
Se foram para o cativeiro, Deus permitiu; se voltaram do cativeiro, Deus agiu pela sua graça e misericórdia. No entanto, Deus jamais em suas atitudes vilipendia a vontade humana deixando-a livre para seguir o seu curso.
Amados, o que nos leva ao cativeiro são os nossos pecados que inclui a rejeição de Deus, de sua aliança, de seus mandatos, de seus mandamentos e de sua graça. No cativeiro, clamamos, choramos, lamentamos e oramos a Deus para nos livrar e nos dar novas oportunidades. Deus nos ouve e responde às nossas orações e nos livra de lá, do cativeiro. Mas voltamos a rejeitá-lo e novamente tudo volta a acontecer, dessa vez, provavelmente, com nossos filhos.
Reclamamos do que não temos e não agradecemos o que temos. Lamentamos o que somos e não vemos os dons e talentos que Deus, certamente nos brindou. Choramos onde estamos e não percebemos que ali Deus nos colocou porque tem conosco propósitos eternos que somente nós poderemos realizar. É lamentável!
Isso tem de mudar! Vamos chamar a gratidão e fazer um pacto com ela de não a abandonarmos jamais. Vamos convidar a sua irmã, ações de graça e igualmente convidá-la a estar conosco. Juntemos a elas, o júbilo e a alegria porque não estamos sozinhos a ver navios, temos um Deus que se importa conosco e está conosco todo o tempo.
Estando todos juntos e felizes, vamos fazer aquilo pelo qual Deus, o criador, nos fez: ADORÁ-LO!
Diz Calvino, em seu comentário, na sua introdução sobre este salmo, que ele se divide em três partes.
Em primeiro lugar, o Profeta exorta os fiéis, que haviam voltado do cativeiro, para terem corações gratos e assim exalta a graça de Deus que lhes proveu a libertação. O sentido é para mostrar-lhes, além de qualquer dúvida, que eles foram trazidos de volta ao seu país, pela mão de Deus, e não por uma conjuntura fortuita de circunstâncias, ou pelo favor dos homens.
Na segunda parte é adicionada uma oração, para Deus aperfeiçoar seu próprio trabalho que tinha começado.
Finalmente, na terceira parte, embora não houvesse nenhuma perspectiva imediata de uma restauração completa, Deus mesmo atenua a sensação de cansaço, que poderia ocasionar atraso, e assim assegura-lhes que, embora no momento a semente fosse regada com lágrimas, a colheita seria feliz.
Veja o comentário (apenas a sua introdução):
Este Salmo consiste em três partes. Primeiro, o Profeta exorta os fiéis, que voltaram do cativeiro, à gratidão, e exalta a graça exibida no seu parto, para mostrar-lhes, sem qualquer dúvida, que foram trazidos de volta para o seu próprio país pela mão de Deus, e não por uma conjuntura fortuita de circunstâncias, ou pelo favor dos homens. Na segunda parte, acrescenta-se uma oração, que Deus aperfeiçoe sua própria obra que ele havia iniciado. Finalmente, embora não existisse uma perspectiva imediata de uma restauração completa, ele mitiga o sentimento de cansaço que o atraso pode ocasionar, e assegura-lhes que, embora no presente a semente fosse regada de lágrimas, a colheita seria alegre.
Uma canção de graus.
Sl 126:1 Quando o SENHOR restaurou a sorte de Sião,
ficamos como quem sonha.
Sl 126:2 Então,
a nossa boca se encheu de riso,
e a nossa língua, de júbilo;
então, entre as nações se dizia:
Grandes coisas o SENHOR tem feito por eles.
Sl 126:3 Com efeito,
grandes coisas fez o SENHOR por nós;
por isso, estamos alegres.
Sl 126:4 Restaura,
SENHOR,
a nossa sorte,
como as torrentes no Neguebe.
Sl 126:5 Os que com lágrimas semeiam
com júbilo ceifarão.
Sl 126:6 Quem sai andando e chorando,
enquanto semeia,
voltará com júbilo,
trazendo os seus feixes.
Que forma linda de encerrar este salmo interessante e muito agradável: voltaremos com júbilo em nossos lábios quando contemplarmos, lá na glória, o lindo jardim que Deus nos permitiu juntamente com o seu Espírito Santo plantar aqui na terra ao pregarmos o evangelho, em obediência a ele, a todas as criaturas.
A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdete – 
http://www.jamaisdesista.com.br


...


quarta-feira, 22 de maio de 2013

Salmo 125: 1-6 - FÉ INABALÁVEL

Quem pode escolher a sua circunstância ou a sua situação de vida? Assim, todos nós estamos expostos as mais variadas coisas e nelas, sim, somos convidados por Deus a glorifica-lo e adorá-lo. Na verdade, eu não escolho nada, antes recebo a situação que pode ser agravada ou melhorada devido a minha reação a elas.
Assim, todos nós neste mundo estamos ai expostos ao que vier e estamos sem controle da situação. Eu não escolhi nem a hora, nem o dia, nem o mês, nem o ano de meu nascimento; muito menos, escolhi meus pais e a situação econômica, emocional, psicológica, espiritual deles. Simplesmente vim a este mundo no tempo que Deus quis que eu viesse.
Aqui estou eu neste mundo cumprindo minha missão e não estou somente exposto a males, pelo contrário, há muito mais benefícios e bênçãos do que dores. Mas dor é dor e realmente desanima a gente em nossa caminhada, principalmente quando enfrentamos o sofrimento e depois a morte de entes queridos e muito próximo a nós.
Quando a morte vem de forma natural (isso é apenas por um momento porque a própria morte está com seus dias contados), na ordem natural das coisas, as dores são mais aceitas do que situações de violência, doença, tragédias. No entanto, não há garantias alguma de que estamos livres delas.
A única garantia que temos por causa de nossa fé é que Deus está conosco todo tempo e, além disso, no controle de tudo e no devido tempo, tudo se ajeitará dentro de seus planos e propósitos. Sou convidado por Deus a viver pela fé nele e a dar graças, nele se alegrar e a estudar e a entender os seus planos para que eu não viva desorientado e perdido.
Por isso que os que confiam no Senhor são como os montes que não se abalam para sempre. Como Jerusalém está cercada por montes, assim o Senhor nos cerca em nossa jornada nesta vida recebida pelo dom do Espírito Santo.
Quanto aos ímpios, deixem eles à vontade... o fim de todos eles está muito próximo.
Apocalipse 22:11 Continue o injusto fazendo injustiça,
continue o imundo ainda sendo imundo;
o justo continue na prática da justiça,
e o santo continue a santificar-se.
Não sejamos porém como Jonas que fugiu para não pregar. Nossa missão nesta vida é pregar o evangelho na esperança de que Deus nos use para a sua glória.
No comentário de Calvino, em sua introdução, ele comenta neste salmo sobre o fato de ímpios e justos estarem no mesmo mundo expostos a todos os males da vida e comparando-os a Jerusalém que vive cercada de montes, assim, são defendidos por um baluarte invencível.
E mesmo que venham a sofrer tormentas por causa da maldade deles, Deus os exorta a ter boa esperança. Ele no entanto, ao mesmo tempo, faz uma distinção entre o verdadeiro e o falso israelitas. O que certamente é dito aqui sobre a segurança dos justos pode não se aplicar aos hipócritas.
Como os fiéis que vivem neste mundo com os ímpios parecem estar expostos a todos os males da vida da mesma maneira que outras pessoas, o Profeta, comparando-os com Jerusalém, mostra que eles são defendidos por um baluarte invencível. E se Deus, em algum momento, permite o sofrimento pela malícia dos ímpios, ele, no entanto, os exorta a terem de boa esperança. Contudo, ao mesmo tempo, distingue entre verdadeiros e falsos israelitas, que os hipócritas não se aplicam a si mesmos o que se diz sobre a segurança dos justos.
Uma canção de graus.
Sl 125:1 Os que confiam no SENHOR
são como o monte Sião,
que não se abala,
firme para sempre.
Sl 125:2 Como em redor de Jerusalém
estão os montes,
assim o SENHOR,
em derredor do seu povo,
desde agora e para sempre.
Sl 125:3 O cetro dos ímpios
não permanecerá sobre a sorte dos justos,
para que o justo não estenda a mão à iniquidade.
Sl 125:4 Faze o bem, SENHOR,
aos bons e aos retos de coração.
Sl 125:5 Quanto aos que se desviam
para sendas tortuosas,
levá-los-á o SENHOR
juntamente com os malfeitores.
Paz sobre Israel!
Haverá um fim para o ímpio e para os que estão acostumados com a impiedade e rejeitam continuamente o Senhor. Desprezar isso é dormir todos os dias em uma cova de serpentes que uma hora ou outra dará o seu bote fatal. Medite neste salmo e saia já disso!
A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdete – 
http://www.jamaisdesista.com.br


...


terça-feira, 21 de maio de 2013

Salmo 124: 1-8 - DEUS NOSSO PROTETOR E LIBERTADOR


Salmo de livramento composto por Davi. Ele é um dos 15 salmos de degraus e nele Davi exalta em boa voz que houve um livramento gigante feito pelo Senhor, pois se não fosse assim, os inimigos nos teriam sucumbido.
Se não é o Senhor conosco... Sempre temos o Senhor como nosso defensor diante do opressor e do inimigo que quer nos afrontar. Por isso que arma nenhuma, nem nenhum inimigo tem poder sobre nós, antes o Senhor.
Não adianta apontar um arsenal de armas potentes sobre a nossa cabeça e fazer ameaças: não querendo o Senhor até as armas atirarão ao contrário e todos os inimigos sucumbirão. Então não é o inimigo que nos tira a vida ou nos prejudica, mas é Deus quem permite ou não.
Não temos de temer o inimigo, antes o Senhor. Quando estamos em seus planos e propósitos para os cumprir e andar com ele em integridade, mal nenhum nos apanhará e se nos apanhar, não prevalecerá contra nós, mas se ainda prevalecer é porque Deus tem outros planos conosco. Davi sempre confiava no Senhor.
O convite deste salmo é para descansarmos no Senhor e na força de seu poder. Eu agora me lembrei do apóstolo Paulo que nas prisões quando o inimigo achava que estava prevalecendo, ele mesmo dizia: não sou prisioneiro do sistema, nem injustiçado, nem prisioneiro de César ou do governo, antes sou prisioneiro em cadeias de Cristo!
Assim, também sou empregado de Cristo; cidadão de Cristo; aposentado de Cristo; afastado do trabalho por motivo de tratamento de saúde de Cristo; ou empresário de Cristo e, portanto, sou sim devedor a Cristo. Não há assim espaço em minha vida para as reclamações e murmurações e lamentos da minha sorte ou azar porque simplesmente não estou abandonado, nem sou coitadinho. A graça de Cristo está sobre mim!
No Comentário de Calvino, em sua introdução acerca deste salmo, ele diz que como o povo tinha sido grandemente livrado de seus inimigos, Davi exorta os crentes às ações de graças e ensina pelo seu memorável exemplo que a nossa segurança depende exclusivamente do poder de Deus
A Igreja foi providencialmente libertada do extremo perigo, Davi exorta os verdadeiros crentes a ações de graças e ensiná-os por este exemplo memorável, de que sua segurança depende unicamente da graça e do poder de Deus.
Uma canção dos graus de David.
Salmos 124:1 Não fosse o SENHOR,
que esteve ao nosso lado,
Israel que o diga;
Sl 124:2 não fosse o SENHOR,
que esteve ao nosso lado,
quando os homens se levantaram contra nós,
Sl 124:3 e nos teriam engolido vivos,
quando a sua ira se acendeu contra nós;
Sl 124:4 as águas nos teriam submergido,
e sobre a nossa alma teria passado a torrente;
Sl 124:5 águas impetuosas
teriam passado sobre a nossa alma.
Sl 124:6 Bendito o SENHOR,
que não nos deu por presa aos dentes deles.
Sl 124:7 Salvou-se a nossa alma,
como um pássaro do laço dos passarinheiros;
quebrou-se o laço,
e nós nos vimos livres.
Sl 124:8 O nosso socorro
está em o nome do SENHOR,
criador do céu e da terra.

Ele encerra o salmo falando do socorro do Senhor que se encontra no nome do Senhor criador do céu e da terra e de tudo o que neles há. Precisamos confiar plenamente no Senhor para estarmos à sua disposição para realização da obra que ele quer realizar por nosso intermédio hoje mesmo.
A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdete – 
http://www.jamaisdesista.com.br

...


segunda-feira, 20 de maio de 2013

Salmo 123: 1-4 - APELO PELO AUXÍLIO DIVINO

Este é um salmo pequeno, com apenas 4 versículos, chamados de canções ou cânticos de degraus que ninguém sabe ao certo o significado exato do porquê de ser intitulado assim 15 dos salmos na Bíblia (os salmos de 120 a 134).[1]
Estamos então no quarto salmo de degraus e eu vejo aqui o salmista dirigindo-se àquele que habita nos céus em busca de seu auxílio, socorro e proteção. No salmo 121, no segundo salmo de degraus, lá estava Davi olhando para os montes e clamando a Deus o socorro. Aqui, ele está olhando para Deus na mesma expectativa.
Olhar para os montes, olhar para Deus, olhar para a situação difícil, olhar para os problemas, olhar para a vida e seus enigmáticos caminhos, olhar para o sofrimento irá fazer parte do processo de nossas vidas pela qual não podemos escolher situações, nem circunstâncias, mas vivê-las, passar por elas, enfrentá-las.
Ele elevou os olhos dele para o alto e para Deus porque já imaginava que são seria capaz de passar pelo que teria de passar sem a força e ajuda de seu Deus. Era como se ele estivesse dizendo: tudo bem, irei passar por isso, mas fortalece-me a fim de que eu passa dando glórias ao teu excelso nome.
Assim, somos coagidos a passar por elas, mas não somos coagidos a glorificar a Deus nelas. A glorificar Deus nessas situações e circunstâncias não escolhidas, somos convidados por Deus e pelo Espírito Santo. Devemos, portanto glorificá-lo em primeiro lugar e em seguida encontrar motivos inteligentes de rendermos graças a Ele.
Os nossos olhos já estão postos nele e agora vem o pedido de misericórdia ao Deus misericordioso porque os soberbos estão escarnecendo e desprezando nossa alma afligida.
Calvino, na introdução, em seu comentário, fala apenas do fiel que oprimido e perseguido roga a Deus por livramento onde não há mais nenhuma fonte de esperança e proteção.
Neste salmo, os fiéis oprimidos com a cruel tirania de seus inimigos, imploram a Deus para libertá-los, não havendo outra fonte de esperança, exceto em sua proteção.
Uma canção de degraus.
Sl 123:1 A ti,
que habitas nos céus,
elevo os olhos!
Sl 123:2 Como os olhos dos servos
estão fitos nas mãos dos seus senhores,
e os olhos da serva,
na mão de sua senhora,
assim os nossos olhos estão fitos no SENHOR,
nosso Deus,
até que se compadeça de nós.
Sl 123:3 Tem misericórdia de nós,
SENHOR,
tem misericórdia;
pois estamos sobremodo fartos de desprezo.
Sl 123:4 A nossa alma
está saturada do escárnio
dos que estão
à sua vontade
e do desprezo
dos soberbos.
Não há uma conclusão neste salmo, apenas o pedido de clamor a misericórdia de Deus e a demonstração a ele da saturação de nossa alma pelo escárnio e desprezo dos soberbos.


[1] Há explicações interessantes no site http://www.biblegems.com/MIKE_WSPSALMS120-134.HTM e também no blog http://dnstephen.blogspot.com.br/2011/03/os-salmos-de-subidas-ou-degraus.html, mas seu resumo e conclusão são de que não há consenso em uma interpretação geral aceitável.

Pr. Daniel Deusdete

 ...


domingo, 19 de maio de 2013

Salmo 122: 1-9 - VAMOS À IGREJA RENDER GRAÇAS A DEUS

Começa o salmista estando alegre com o convite feito a ele para irem à Casa do Senhor. Assim, também nós devemos nos alegrar quando vamos à igreja. Principalmente aos domingos, no dia do Senhor e poderemos aproveitar para estarmos dedicados a Deus.
Neste salmo, o povo, as tribos, os que habitam Jerusalém, todos estão indo para renderem graças ao Senhor. Quando nos reunimos também em nossas igrejas nos domingos, a multidão sobe para ir adorar ao Senhor.
Não há nada que temos que não recebemos de alguém. Somente damos valor a algo que temos quando perdemos este algo. Quando perdemos, entristecemos e o desespero nos assalta. Se achamos de volta, nos alegramos; se não, iremos atrás de algo para substitui-lo que certamente custará algum valor.
Tudo o que temos vem das mãos de Deus devido a sua graça e amor, mas não agradecemos a Deus, antes reclamamos e lamentamos tudo. Deus nos ensina a render graças em tudo, por isso que neste salmo, o salmista está alegre subindo em direção ao Senhor para render-lhe graças.
A ingratidão é tão ruim e maligna que todos os nossos esforços nos deveriam levar para a gratidão. Quem escolhe a ingratidão e tem nela seu escape e vive reclamando de tudo, não conhece a Deus. Ninguém vive do que não tem, antes vivemos com o que temos. Se reclamamos do que não temos e não agradecemos o que temos, nunca estaremos satisfeitos com nada.
Eu entendo então que a gratidão e a ingratidão são sim escolhas que fazemos que irão comprometer as demais fases de nossas vidas. Vamos aproveitar o momento para agradecer a Deus pelo Espírito Santo de Deus que está conosco como penhor da nossa salvação.
Calvino, em seu comentário, na sua introdução, fala de Davi que está se parabenizando a si mesmo e toda a Igreja, sobre o fato de que agora tinham um lugar para a arca da aliança e para se reunirem em adoração a Deus. Depois, para incitar e encorajar os fiéis a participar na adoração do santuário, ele declara brevemente, que a condição próspera das pessoas dependia de Deus ter escolhido a sede da realeza para estar em Jerusalém, de onde era seu propósito de defender, manter e ajudar o seu povo
Neste salmo, Davi agradece a si mesmo e a toda a Igreja sobre o fato de que um lugar foi designado para a arca da aliança e que Deus escolheu um lugar onde seu nome deveria ser continuamente chamado. Em seguida, para incitar e encorajar os fiéis a se envolverem no culto do santuário, ele declara brevemente que a condição próspera do povo dependia de que Deus tivesse escolhido a sede da realeza em Jerusalém, de onde era seu propósito defender, manter e ajudar seu povo.
Uma canção dos graus de Davi.
Sl 122:1 Alegrei-me quando me disseram:
Vamos à Casa do SENHOR.
Sl 122:2 Pararam os nossos pés junto às tuas portas,
ó Jerusalém!
Sl 122:3 Jerusalém,
que estás construída como cidade compacta,
Sl 122:4 para onde sobem as tribos,
as tribos do SENHOR,
como convém a Israel,
para renderem graças
ao nome do SENHOR.
Sl 122:5 Lá estão os tronos de justiça,
os tronos da casa de Davi.
Sl 122:6 Orai pela paz de Jerusalém!
Sejam prósperos os que te amam.
Sl 122:7 Reine paz dentro de teus muros
e prosperidade nos teus palácios.
Sl 122:8 Por amor dos meus irmãos e amigos,
eu peço:
haja paz em ti!
Sl 122:9 Por amor da Casa do SENHOR,
nosso Deus,
buscarei o teu bem.

Suas palavras finais são o pedido de paz por Jerusalém e de prosperidade por todos os que a amam e é por isso que ele, Davi, por amor da Casa do Senhor, empenhará por ter seus esforços concentrados na busca do bem. Assim nós também como Davi neste salmo tenhamos o mesmo desejo e empenho.
A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdete – 
http://www.jamaisdesista.com.br

...