sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Faltam 826 dias para 26/04/13 (Inicio: 31/07/10).

TEMA: Como vencer o pecado?

 

Não faço o que aprovo. O que quero, isso não faço. O que aborreço, isso faço. Se faço o que não quero, consinto, então, que a lei é boa. Logo, já não sou eu que faço isto. Quem faz isto é o pecado que habita em mim. O pecado habita em mim?

 

Sim, na minha carne não habita bem algum. Existe algum bem que habita em mim? Na minha carne, não. Não habita bem algum na minha carne! O querer o bem, o bom, o justo, as coisas de Deus está em mim, no entanto, não consigo realizá-las. Por quê?

 

Por que não faço o bem que quero. Eu não faço o bem que quero! E o mal que não quero? Esse, sim, eu faço. Eu faço o mal que não quero! Eu, tanto não faço o bem que quero, como também, faço o mal que não quero. A culpa é do pecado! A culpa é do pecado que habita em mim!

 

É uma lei! Qual lei? A lei de que quando quero fazer o bem, o mal está comigo. Quem está comigo quando eu quero fazer o bem? O mal! Impressionante, não é? Existe uma lei que é mais forte do que a gente e que se aplica quando quero fazer o bem. Já quando quero fazer o mal não há lei alguma porque faço o que é da minha própria natureza adâmica decaída.

 

Vemos que há duas leis nesses versículos: a lei do pecado e a lei do meu entendimento. Com a carne sirvo o pecado. Com meu entendimento, à lei de Deus. Ora, apareceu mais uma lei, a lei de Deus. Por isso que não vencemos o pecado nunca, pois ele se faz lei para nós. Quando tento dominar o pecado, caio na lei do pecado e ao invés de dominá-lo, torno-me mais dependente dele, mais escravo.

 

Se, por um tempo, eu o venço ou o subjugo, na verdade, na verdade, não estou vencendo, mas fabricando uma bomba atômica que quando for detonada irá me abater até ao pó. Outro risco, com vitórias aparentes ou temporárias, é o do orgulho. Passo a achar-me forte, poderoso, dominador e começo também a despresar os que não são como eu, forte.

 

Acho, então, que são fracos, sem vergonhas e que merecem castigo, punição, justiça e juízo. Então ao vencer, eu não estou vencendo, mas tendo a ilusão de que estou vencendo. Como então vencer o pecado? Resistindo e subjugando-o? Sinceramente, não creio. Eu não deixarei de pecar, deixando de pecar, pois isto é obra: "eu deixei de pecar" ou "eu estou deixando de pecar".

 

Não devemos ter como objetivo ou "neura" o deixarmos de pecar. Não seja isso o que ocupe a nossa mente. Se estamos enxertados na videira verdadeira, somos ramos dela. Se somos ramos da videira, produziremos frutos, muitos frutos. Não dá para eu produzir qualquer fruto estando fora da videira, mas estando na videira.

 

Se eu tenho fé, a fé não é minha, pois não posso estar, nem ser , nem viver independentemente. Eu não posso ter fé estando fora da videira. A fé é dom de Deus, dom gratuíto de Deus. Eu somente tenho fé operante quando estou na videira enxertado. Tudo vem de Deus. Tudo é para Deus. Tudo é por Deus.

 

"15. Porque o que faço não o aprovo; pois o que quero isso não faço, mas o que aborreço isso faço.16. E, se faço o que não quero, consinto com a lei, que é boa. 17. De maneira que agora já não sou eu que faço isto, mas o pecado que habita em mim. 18. Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem algum; e com efeito o querer está em mim, mas não consigo realizar o bem. 19. Porque não faço o bem que quero, mas o mal que não quero esse faço. 20. Ora, se eu faço o que não quero, já o não faço eu, mas o pecado que habita em mim. 21. Acho então esta lei em mim, que, quando quero fazer o bem, o mal está comigo. 22. Porque, segundo o homem interior, tenho prazer na lei de Deus; 23. Mas vejo nos meus membros outra lei, que batalha contra a lei do meu entendimento, e me prende debaixo da lei do pecado que está nos meus membros. 24. Miserável homem que eu sou! quem me livrará do corpo desta morte? 25. Dou graças a Deus por Jesus Cristo nosso Senhor. Assim que eu mesmo com o entendimento sirvo à lei de Deus, mas com a carne à lei do pecado"

 

A Deus toda a glória!

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Faltam 827 dias para 26/04/13 (Inicio: 31/07/10).

TEMA: Amor de Pastor 3!

 

Por ninguém! Eu não quero ser reconhecido por ninguém! Que diminua eu para que tua glória cresça mais e mais.

 

"15. Porque o que faço não o aprovo; pois o que quero isso não faço, mas o que aborreço isso faço.16. E, se faço o que não quero, consinto com a lei, que é boa. 17. De maneira que agora já não sou eu que faço isto, mas o pecado que habita em mim. 18. Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem algum; e com efeito o querer está em mim, mas não consigo realizar o bem. 19. Porque não faço o bem que quero, mas o mal que não quero esse faço. 20. Ora, se eu faço o que não quero, já o não faço eu, mas o pecado que habita em mim. 21. Acho então esta lei em mim, que, quando quero fazer o bem, o mal está comigo. 22. Porque, segundo o homem interior, tenho prazer na lei de Deus; 23. Mas vejo nos meus membros outra lei, que batalha contra a lei do meu entendimento, e me prende debaixo da lei do pecado que está nos meus membros. 24. Miserável homem que eu sou! quem me livrará do corpo desta morte? 25. Dou graças a Deus por Jesus Cristo nosso Senhor. Assim que eu mesmo com o entendimento sirvo à lei de Deus, mas com a carne à lei do pecado"

 

O homem sempre procura diante de Deus se justificar e dificilmente aceita o seu favor e graça. Ele sempre quer estar fazendo algo, ainda que seja mínimo ele quer ter o mérito por algo. Dificilmente o homem aceita a graça de Deus por causa de seu orgulho. Aceitar que a salvação é gratuíta, totalmente gratuíta, é como um ato de ofensa ao homem.

 

Reparem na questão da fé e das obras. O que me justifica diante de Deus? As minhas obras? Não! Elas não me justificam diante de Deus, mas as minhas obras justificam a minha fé. Se tenho fé, como provarei que tenho fé se não pelas minhas obras? Mostra-me a tua fé sem obras e eu te mostrarei a minha fé pelas minhas obras.

 

Não me justifico diante de Deus pelas minhas obras por que se não Deus seria meu devedor. Cada obra me geraria o direito de reclamar de Deus o salário devido. Logo, as minhas obras não são minhas, pois se fosse, eu teria direitos sobre elas. Na oração isso fica bem claro, pois não dou graças por que faço obras.

 

Imaginem eu chegando a Deus e lhe falando: obrigado Senhor pelas obras que fiz e que justificam a minha fé. Não dá, não é? Eu não sou justo por que eu pratico a justiça, mas por que Deus me fa justo em Cristo Jesus. da mesma forma, eu não faço obras porque eu as pratico, mas por que Deus me concede a sua graça.

 

Ninguém será justificado por obras diante de Deus, logo: eu não sou justo, nem bom, nem reto, nem santo. No entanto, em Cristo Jesus, Deus me faz justo, bom, reto, santo. Quanto ao pecado, temos escrito que não sou eu quem faço, mas o pecado que está em mim. Pois o querer o bem está em mim, mas não o executá-lo.

 

Glórias a Deus que por nós tudo faz! É a graça de Deus que me faz ter fé, ter obras. Se é a graça de Deus, não tenho do que me orgulhar, mas temer e tremer diante de Deus. Já não sou eu quem faço o bem, mas a graça de Deus é quem me faz fazer o bem. Não há glórias em mim, não há, portanto, reconhecimento algum pelo qual passo a merecer algo.

 

Uma coisa faço e farei, esquecendo-me das coisas que para trás ficam, prossigo avante para o prêmio da soberana vocação em Cristo Jesus. Quando eu acho que eu tenho fé e que portanto tenho obras, eu já perdi tanto a fé quanto as obras.  Para eu produzir mais frutos a Deus, eu preciso estar na videira, pois não posso produzir frutos sem estar nela enxertado.

 

Eu  não tenho méritos, por isso que minhas obras são trapos de imundície e sujidade. Elas não tem valor algum para minha santificação, mas quando estou nele ligado, enxertado, as obras que ele me permite fazer por sua graça, servem para glorificá-lo e honrá-lo. Essa obra, sim, não é trapo de imundície, nem sujidade.

 

Meditar nesse assunto é bastante complexo e pode gerar muita confusão de compreensão. Também é difícil falar dele, mas está em mim e ainda falarei muito disso. Meu filho acaba de me perguntar coisas difíceis e eu lhe disse que nos sentimos down porque na realidade estamos buscando justificativas para praticar o que não convêm, pois, sem estas justificativas, não temos como encarar o Espírito Santo.

 

A Deus toda a glória!

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Faltam 828 dias para 26/04/13 (Inicio: 31/07/10).

TEMA: Amor de Pastor 2!
 
Sem dúvidas, a minha glória, como pastor, é fazer com que conheçam a ti Senhor. Diz-nos o Catecismo Maior de Westminster na pergunta 1: qual o fim supremo e principal do homem? Resposta: o fim supremo e principal do homem é glorificar a Deus e alegrar-se nele para sempre.
 
Eu entendo que buscar sempre a glória de Deus em tudo e alegrar-se nele é, como se diz, o fim supremo e principal do homem. Reparem que não é somente supremo, mas principal também. Supremo, significa que nada está acima disso. Principal, que é mais importante.
 
Reconhecer o trabalho e a dedicação de alguém é mais importante do que ser reconhecido. Quem reconhece o que os outros fazem tem maior sensibilidade e mostra maior maturidade. Quando reconhecemos o nosso próximo estamos mais próximos de Deus?
 
Reconheço minha necessidade de buscar ao Senhor para que ele me ajude a glorificá-lo em tudo. Aceitar as glórias e não transferi-las a Deus significa que estou buscando o reconhecimento devido e merecido, isto é, Deus está me devendo... mas não é assim.
 
Eu, no entanto, caio num laço terrível quando meu foco de atenção sai da glória de Deus para a glória humana. Pior que muitas vezes alcançamos essa glória e ela vicia, pois massageia o nosso ego e nos torna dependentes de reconhecimentos e novas glórias.
 
Creio que deixando a minha glória e o meu reconhecimento para buscar a glória de Deus e o seu reconhecimento ou o reconhecimento de meu próximo, eu estarei alcançando – não que este seja o objetivo – indiretamente o verdadeiro reconhecimento e glórias devidas.
 
O fato de eu tirar o foco do meu “eu” já me é vitória. Diz a palavra de Deus, em outra parte, que quem quiser se gloriar que se glorie em conhecê-lo e saber que ele faz beneficência, juízo, justiça na terra. “Mas o que se gloriar, glorie-se nisto: em me entender e me conhecer, que eu sou o SENHOR, que faço beneficência, juízo e justiça na terra; porque destas coisas me agrado, diz o SENHOR.” (Jr 19:24).
 
Não é que a palavra diz entender e conhecer? Eu me glorio nisso: em entendê-lo e conhecê-lo. Em outra parte ainda há uma outra palavra profética de que a terra ainda se encherá do conhecimento do Senhor. “Porque a terra se encherá do conhecimento da glória do SENHOR, como as águas cobrem o mar.” (Hb 2:14).
 
Homem de Deus que anuncia a palavra de Deus ao povo de Deus sendo tu instrumento de Deus, não vês que tudo é de Deus e tudo é para Deus?
 
Então, porque a busca pelo reconhecimento, pela glória, pela fama, pelos holofotes, pelas massagens de teu ego, pelos elogios? Não é tudo do Senhor e para a sua glória? O que temos que não temos recebido?
 
Creio que se recebemos, então não veio de nós, mas de Deus, logo que a glória é sempre dele. Isso é saúde para nós e tira de nós a inveja e o desejo de superar o outro para sermos melhores que nosso próximo. Deus não nos chamou para sermos melhores do que ninguém, mas nos chamou para sermos cada dia melhores.
 
Isso mesmo, não tem contradição. Sou e faço o meu melhor quando faço buscando a glória de Deus. Agora, em eu buscando a sua glória, ele, de sua própria vontade, quiser me exaltar, o que tem você com isso?
 
Deus pode todas as coisas e quando ele ou os outros nos exaltam, a nossa exaltação é legítima e a glória sobe para Deus. A sua glória, diz palavra dele, não a darei a ninguém. “Eu sou o SENHOR; este é o meu nome; a minha glória, pois, a outrem não darei, nem o meu louvor às imagens de escultura.” (Is 42:8).
 
O nosso Deus nos coroou com a mente de Cristo onde, plenamente, habitam riquezas de sabedoria, de conhecimento e de amor. A busca da glória de Deus nos enche de glória, não nossa, dele. É tudo mistério, lindo, maravilhoso, profundo. O amor de pastor nos constrange a darmos as glórias a Deus: glórias a Deus!
 
Soli Deo Gloria!
 

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Faltam 829 dias para 26/04/13 (Inicio: 31/07/10).

TEMA: Amor de Pastor!
 
Eu não preciso ser reconhecido por ninguém... Assim começa uma canção do TOQUE NO ALTAR.
 
Uma coisa devemos fazer sempre e a canção continua: A minha glória é fazer com que conheçam a Ti. E que diminua eu pra que tu cresças, Senhor, mais e mais.
 
Nada é mais triste que não ser reconhecido quando nos esforçamos e procuramos de todos os meios despertar a atenção dos que estão a nossa volta. Na obra do Senhor, como sofre o pastor quando cria expectativas de reconhecimentos. Se a motivação de eu fazer algo estiver na resposta do outro eu não estarei agindo no amor.
 
A indiferença, o descuido, o desprezo, a negligência, a não correspondência aliada a cobrança acabam sugando o desejo de agradar, de corresponder, de surpreender. Então o que o pastor deve fazer? Não espero nunca o reconhecimento pelo que faço, embora sinta a falta dele.
 
O momento experimentado de dor causada pela indiferença, eu apresento a Deus em sacrifício e digo ao Senhor: Pai, ajudá-me a amar livremente, liberalmente, prontamente. Que a minha motivação esteja sempre em ti.
 
Pastorear um rebanho exige o amor de pastor que dá a sua vida pelas suas ovelhas embora essas ovelhas nem reconheçam seu esforço, sua dedicação, seu amor voluntário e abnegado. Estou preparado para amar incondicionalmente ainda que minhas ovelhas me crucifiquem?
 
Reparem na vida de Jesus Cristo que teve em si mesmo a dor da rejeição e foi desprezado, humilhado e abandonado até pelos seus amigos íntimos, seus seguidores eleitos. Na hora da sua prisão quem ficou com ele? Creio que somente João e isso de longe. Ficaram também algumas mulheres lhe dando apoio.
 
Eu não vejo vingança em Cristo, mas amor liberal, total, voluntário, independente do que ofereciam em troca. Jesus nos ensinou a amar sempre e a recompensa pelo seu amor não aconteceu se não ao longo de muito tempo de devoção incondicional.
 
Creio que eu devo amar os que estão a minha volta da mesma forma que Cristo nos ama. O amor de Cristo também está centrado na certeza de que os seus atos estão, mesmo que não valorizados, causando uma revolução nos corações de todos os que o conhecem.
 
Irmãos e irmãs do rebanho do Senhor valorizem e tratem com respeito aqueles que presidem sobre as suas almas e que por elas gemem todos os dias em agonia até que Cristo esteja formado em cada um de vós.
 
Servos do Senhor, pastores de rebanho, o Pastor de vossas almas espera que vocês amem a igreja como ele a amou. Ele jamais excitou em dar a sua própria vida para que ela, sua igreja, estivesse cada vez mais bela e preparada.
 
O amor de Deus derramado em nossos corações nos constrangem a nos doarmos em amor pleno por todos aqueles que o Senhor traz para nós pastorearmos. Faça tudo pela sua ovelha, mas não espere reconhecimentos. Amar é dar sem esperar jamais qualquer retorno.
 
Soli Deo Gloria!
 

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Faltam 830 dias para 26/04/13 (Inicio: 31/07/10).

TEMA: Maridos, amai a vossas mulheres – Ef 5:22-33
 
Jesus Cristo foi, era e é o segredo de nosso casamento. Quando tomamos a decisão de convidá-lo a fazer parte de nossa união matrimonial, tudo passou a ser diferente e bom, aliás, muito bom. Nos casamos em janeiro de 1987, mas naquele mesmo ano tomamos a maior decisão de nossas vidas.
 
Um dia muito especial foi aquele que decidimos que Jesus Cristo faria parte de nossas vidas em nosso relacionamento conjugal. Tudo mudou. Não havia nada errado conosco, mas o que já era bom, tornou-se muito bom com a chegada do Mestre de nossas almas.
 
Contemos os dias como nos diz o Salmo 90:12: hoje estamos comemorando 8766 dias de união matrimonial em Cristo Jesus para a glória de Deus Pai. Sim, estamos comemorando 24 anos de casados hoje, neste 17 de janeiro de 2011.
 
Irmã minha no Senhor, a minha esposa é minha mulher, a mãe de nossos filhos e futuramente a mãe de nossos netos, é companheira, auxiliadora, ajudadora, idônea, além de inteligente, charmosa, bela: seus olhos são lindos e com eles me encanto.
 
Tantas histórias temos a contar nestes 24 anos... o que poderíamos dizer aos que estão caminhando, ou que começaram a sua caminhada, ou que ainda pensam em caminhar, mas têm medo do futuro, do esfriamento do amor, do desinteresse, da indiferença, da traição, da velhice, ou da ignorância, dos vícios, das mazelas ou da dor?
 
Eu posso testemunhar de que há muitas lutas e momentos de muitas contradições e ajustes de personalidades, mas em todo tempo, Jesus fez a diferença e passamos por todas as fases tranquilamente. Não tememos o presente, nem tememos o futuro, pois cremos que Ele nos ajuda sempre.
 
As nossas maiores dores e lutas foram vencidas na oração e no louvor. Estamos criando três lindos filhos e eles são a nossa alegria, a nossa vitória. Todos eles foram gerados em nosso amor e em oração e muita confiança em Deus. Criamos ou estamos criando três pessoas preparadas para enfrentarem o mundo no nome de Jesus e sairem vencedoras.
 
Muito me alegro do dia em que tive uma experiência que eu gosto de repetir. Por duas vezes, o Senhor me perguntou se eu amava minha mulher e eu lhe respondia que sim. Na terceira vez, perguntou-me se eu a amava como ele ama a igreja e por ela deu a sua vida. Ai, tive que ser honesto e dizer-lhe que era impossível. Ele então concluiu: tudo então, meu filho, de esforço que você fizer por amá-la, será insuficiente ao que quero de ti nesta área.
 
O resultado deste diálogo foi o entendimento de que em meu casamento eu preciso de Deus, pois de mim mesmo, eu nem dou conta do que ele me solicita. Por meio dele, não sou eu, mas a sua graça que me capacita a ir além, como Cristo que amou a sua igreja e deu a sua vida por ela. Eu te amo, meu amor! Meus parabéns a você que está cada vez mais meiga, doce, amável, linda e cheia de Deus.
 
22. Vós, mulheres, sujeitai-vos a vossos maridos, como ao Senhor;
23. Porque o marido é a cabeça da mulher, como também Cristo é a cabeça da igreja, sendo ele próprio o salvador do corpo.
24. De sorte que, assim como a igreja está sujeita a Cristo, assim também as mulheres sejam em tudo sujeitas a seus maridos.
25. Vós, maridos, amai vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela,
26. Para a santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela palavra,
27. Para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível.
28. Assim devem os maridos amar as suas próprias mulheres, como a seus próprios corpos.  Quem ama a sua mulher, ama-se a si mesmo.
29. Porque nunca ninguém odiou a sua própria carne; antes a alimenta e sustenta, como também o Senhor à igreja;
30. Porque somos membros do seu corpo, da sua carne, e dos seus ossos.
31. Por isso deixará o homem seu pai e sua mãe, e se unirá a sua mulher; e serão dois numa carne.
32.Grande é este mistério; digo-o, porém, a respeito de Cristo e da igreja.
33. Assim também vós, cada um em particular, ame a sua própria mulher como a si mesmo, e a mulher reverencie o marido.” (Ef 5:22-33).
 
A Deus toda a glória!
 

domingo, 16 de janeiro de 2011

Faltam 831 dias para 26/04/13 (Inicio: 31/07/10).

 

TEMA: A Ressurreição de Cristo em João 9 – Jo 20-1:18

 

Esboço da minha pregação – parte 2/2 - A RESSURREIÇÃO DE CRISTO CONFORME JO 20:1-18

 

Uma pequenina pausa: hoje, no culto das 17hs, na Primeira Igreja Presbiteriana de Taguatinga, na Sandu Norte, estarei pela graça de Deus pregando esta palavra e já convido a você a estar conosco adorando o Deus que ressuscitou dos mortos.

 

Continuação:

O que significava aqueles lençois postos a parte e aquele invólucro de linho e aromas (Jo 19:40) parecendo um casulo? João então entrou no túmulo e, diz a palavra de Deus: VIU E CREU. A forma como estavam dispostos os lençois denunciavam que algo diferente e extraordinário tinha ocorrido ali. Se não fosse assim, como estaria escrito que "viu e creu"?

 

E nós, em pleno século 21, passados já mais de 2000 anos deste evento fabuloso, ao vermos um povo, como o povo de Deus, que mantém na íntegra, como sua regra de fé e prática, um livro cuja autalização mais recente tem já  quase 2000 anos também, podemos afirmar como o narrador de João: viu e creu, ou, vimos e cremos?

 

Se vimos e cremos, logo falaremos, como dizem as Escrituras: "E temos, portanto, o mesmo espírito de fé, como está escrito: Cri, por isso falei; nós cremos também, por isso também falamos." (2 Coríntios 4:13 ).

 

1)            Voltaram para casa.

2)            MM que foi chamá-los e que veio com eles novamente ficou e olhou para o sepúlcro, sem entrar.

 

Que riqueza de detalhes teve o narrador de João! O evento mais importante de toda a história do homem acabara de ocorrer no universo. O homem, não foi testemunha de nenhumdos maiores eventos que envolveram a ele.

 

O primeiro evento mais significativo do homem, sem dúvidas é a sua criação. A criação X A Evolução!

 

O segundo evento mais significativo do homem, sem dúvidas é a ressurreição de Cristo!

 

O que significa a ressurreição de Cristo? Ou o que aprendo disso tudo?

ð        O homem não teve participação alguma: O erro de Gregório – Sl 118:8

ð        A ressurreição como pilar do cristianismo: Ela é o pilar de sustentação do cristianismo. Sem ressurreição, diz Paulo, "comamos e bebamos, porque amanhã morreremos" (I Co 15:32). Isaias também fala em "comamos e bebamos, porque amanhã morreremos" (Is 22:13), mas referindo-se ao povo de Jerusalém que ao invés de se humilharem como pedia o Senhor, diante do exército de Senaqueribe que os ameaçava, resolveram fazer uma espécie de banquete de despedida, já que iriam morrer mesmo.

ð        Que a morte era a rainha do pecado! O medo da morte aprisionava os homens ao pecado! Mas pela ressurreição de Cristo houve A morte da morte!

ð        Que o dom de Deus, gratuito, é a vida eterna!

 

3)            Ela viu dois anjos vestidos de branco, um na cabeceira e outro nos pés de onde estava o corpo de Jesus è eles dizem a ela:

 

- Mulher porque choras? Ela não notou que eram anjos! Ela pede que os mesmos revelem a ela onde colocaram o corpo de Jesus.

 

4)            Ela olha para trás e vê a Jesus, mas ela não o reconhece também. Ele lhe diz:

 

- Mulher por que choras? A quem buscais? Ela pede que revele o paradeiro de Jesus e pergunta-lhe se viu onde o puseram. Ele lhe diz: "Maria!". Ela lhe responde: "Raboni!". Foi somente depois de Jesus ter lhe falado e lhe chamado pelo seu nome que ela reconheceu ao Senhor.

 

Como perdemos tempo e ficamos presos a fantasmas por desconhecermos as Escrituras. Jesus mesmo disse: "Examinais as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de mim testificam;" (João 5:39). As Escrituras são cristocêntricas e do que falam elas? De Jesus Cristo!

 

Jesus nos conhece pelo nosso nome

 

Jesus nos comissiona a cumprirmos uma missão.

 

Ato contínuo, entramos no verso 19, de onde havíamos pregado na quarta-feira passada.

 

A Deus toda a glória!

sábado, 15 de janeiro de 2011

Faltam 832 dias para 26/04/13 (Inicio: 31/07/10).


TEMA: A Ressurreição de Cristo em João 8 – Jo 20-1:18

Meus queridos, como havia prometido, seguem os links da publicação deste sermão e de seu esboço: do sermão: http://www.scribd.com/doc/46870291/Pregacao-A-Ressurreicao-de-Cristo-Jo-20-1-18. Do esboço: http://www.scribd.com/doc/46870579/Esboco-da-Pregacao-A-Ressurreicao-de-Cristo-conforme-Jo-20-1-18

Ontem, estive, como já comentado, em oração das 18hs da sexta-feira até às 7hs do sábado. Em seguida, fomos orar por duas irmãs gêmeas acometidas de um mal incurável: DOENÇA DE HUNTINGTON (acesse, conheça, ajude, divulgue, ore: www.upadh.org.br).

Esboço da minha pregação – parte 1/2 - A RESSURREIÇÃO DE CRISTO CONFORME JO 20:1-18

Introdução.
Jesus ressuscitou no 1º dia da semana, num domingo.
Hoje, estamos no 734.533 dias DC: hoje é um sábado!

O cap. 19 se encerra c/ Jesus sendo posto num sepulcro, num jardim (Jardim do Gtesêmani – "prensa do azeite"), num monte (Monte das Oliveiras).

Curiosidades quanto ao Jardim:
ð        Era local costumeiro de visitas por parte de Jesus e dos discípulos (iam ali para orar, assim como muitos vão ao monte do P-Sul)
ð        O 1º Adão foi criado
ð        O 1º Adão fez uma escolha errada e o pecado entrou na humanidade
ð        O 1º Adão sofreu o juízo de Deus:
o      Morreu
o      Foi expulso do Jardim
o      Foi impedido de voltar
ð        O 2º Adão lutou em oração p/ OBDC – os discípulos foram convidados por ele para combaterem juntos, mas dormiram...
ð        O 2º Adão escolheu a OBDC ao seu Pai...
ð        O 2º Adão começou a sofrer os resultados de sua escolha pela OBDC:  foi preso com um beijo "o beijo da traição" de Judas e ali começou um processo, sem volta, que o conduziria à sua morte – fruto de sua escolha.
ð        O 2º Adão colheu o fruto da sua escolha pela OBDC: ressuscitou dos mortos!

Reflexões/aplicações:
Isso nos prova que é Deus quem nos dá a sua vida e é ele quem nos gera em Cristo sem que o homem interfira ou queira participar. O homem não tem participação na vida, mas recebe a vida de Deus para começar a sua história.

Se o primeiro Adão não tivesse existido, eu não existiria; se o segundo Adão não tivesse ressuscitado, eu não estaria aqui falando desse dia histórico e o mais importante de todo o universo. O dia da ressurreição de Cristo é o dia do meu aniversário.

Jesus ressuscitou dos mortos. Ressuscitou num Jardim. O Jardim do Getsêmani, no Monte das Oliveiras. No jardim cujo nome significa a prensa do azeite. Jesus foi realmente moido por nossos pecados.

Logo:
1.        Devemos orar
2.        Devemos OBDC
3.        Devemos aceitar o governo do Pai – as circunstâncias e a sua soberania.
4.        Devemos ter esperanças de que seremos galardoados.

ORDEM DOS EVENTOS NA RESSURREIÇÃO
1)            No 1º dia da semana, sendo ainda de madrugada, MM foi ao sepulcro e notou que a pedra tinha sido removida.
2)            Correu e avisou Pedro e João.
3)            Ambos correram para o sepulcro.
4)            João chegou primeiro, olhou, mas não entrou.
5)            Pedro chegou e já entrou.
6)            João entrou também: 'viu e creu". Eles ainda não tinham entendido as Escrituras.

A Deus toda a glória!

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Faltam 833 dias para 26/04/13 (Inicio: 31/07/10).

TEMA: A Ressurreição de Cristo em João 7 – Jo 20-1:18
 
Estamos encerrando mais este tema e, novamente, neste domingo, no culto das 17h, na Primeira Igreja Presbiteriana de Taguatinga, terei a oportunidade de pregar novamente este sermão sobre a ressurreição de Cristo.
 
Hoje estarei em consagração de oração e jejum a partir das 18h até às 7h de sábado, buscando a Deus, o seu reino e a sua justiça. Meu desejo é o de ser cada vez mais impactado com a presença da glória de Deus.
 
Oração para mim é coisa séria e não há como brincar de orar. Quando oramos, entramos na presença de Deus, no Santo dos Santos, pelo novo e vivo caminho que Jesus nos consagrou, pelo véu, isto é, pela sua carne (Hb 10:20). Deus nos ouve sempre! Se ele nos ouve sempre, a certeza é também da sua resposta SEMPRE.
 
Relativamente a ressurreição, concluindo:
CRONOLOGIA DE REFERÊNCIA
 
Dia 1 (domingo) è Ressuscitou! Apareceu a MM. Apareceu aos discípulos/mulheres, exceto Tomé.
Dia 8 (segunda-feira) è Apareceu aos discípulos/mulheres, especialmente se dirigiu a Tomé.
Dia 40 (quinta-feira) è subiu aos céus.
Dia 50 (domingo) è A Festa de Pentecoste. A descida do Espírito Santo.
 
ORDEM DOS EVENTOS NA RESSURREIÇÃO
 
  1. No 1º dia da semana, sendo ainda de madrugada, MM foi ao sepulcro e notou que a pedra tinha sido removida.
  2. Correu e avisou Pedro e João.
  3. Ambos correram para o sepulcro.
  4. João chegou primeiro, olhou, mas não entrou.
  5. Pedro chegou e já entrou.
  6. João entrou também: ‘viu e creu”. Eles ainda não tinham entendido as Escrituras.
  7. Voltaram para casa.
  8. MM que foi chamá-los e que veio com eles novamente ficou e olhou para o sepulcro, sem entrar.
  9. Ela viu dois anjos vestidos de branco, um na cabeceira e outro nos pés de onde estava o corpo de Jesus è eles dizem a ela: Mulher porque choras? Ela não notou que eram anjos! Ela pede que os mesmos revelem a ela onde colocaram o corpo de Jesus.
  10. Ela olha para trás e vê a Jesus, mas ela não o reconhece também. Ele lhe diz: Mulher por que choras? A quem buscais? Ela pede que revele o paradeiro de Jesus e pergunta-lhe se viu onde o puseram. Ele lhe diz: “Maria!”. Ela lhe responde: “Raboni!”. Foi somente depois de Jesus ter lhe falado e lhe chamado pelo seu nome que ela reconheceu ao Senhor.
 
Segmentação do texto da referência:
 
1. E no primeiro dia da semana, Maria Madalena
foi ao sepulcro de madrugada, sendo ainda escuro, e
viu a pedra tirada do sepulcro.
2. Correu, pois, e
foi a Simão Pedro, e ao outro discípulo, a quem Jesus amava, e
disse-lhes: Levaram o Senhor do sepulcro, e
não sabemos onde o puseram.
3. Então Pedro saiu com o outro discípulo, e
foram ao sepulcro.
4. E os dois corriam juntos,
mas o outro discípulo correu mais apressadamente do que Pedro, e
chegou primeiro ao sepulcro.
5. E, abaixando-se,
viu no chão os lençóis; todavia não entrou.
6. Chegou, pois, Simão Pedro, que o seguia, e
entrou no sepulcro, e
viu no chão os lençóis,
7. E que o lenço, que tinha estado sobre a sua cabeça,
não estava com os lençóis,
mas enrolado num lugar à parte.
8. Então entrou também o outro discípulo, que chegara primeiro ao sepulcro,
e viu,
e creu.
9. Porque ainda não sabiam a Escritura,
que era necessário que ressuscitasse dentre os mortos.
10. Tornaram, pois, os discípulos para casa.
11. E Maria estava chorando fora,
junto ao sepulcro. Estando ela, pois, chorando,
abaixou-se para o sepulcro.
12. E viu
dois anjos vestidos de branco,
assentados onde jazera o corpo de Jesus, um à cabeceira e outro aos pés.
13. E disseram-lhe eles:
Mulher, por que choras?
Ela lhes disse:
Porque levaram o meu Senhor, e
não sei onde o puseram.
14. E, tendo dito isto, voltou-se para trás,
e viu Jesus em pé,
mas não sabia que era Jesus.
15. Disse-lhe Jesus:
Mulher, por que choras? Quem buscas?
Ela, cuidando que era o hortelão, disse-lhe: Senhor, se tu o levaste, dize-me onde o puseste, e eu o levarei.
16. Disse-lhe Jesus: Maria!
Ela, voltando-se, disse-lhe: Raboni (que quer dizer, Mestre).
17. Disse-lhe Jesus:
Não me detenhas,
porque ainda não subi para meu Pai,
mas vai para meus irmãos,
e dize-lhes que eu subo para meu Pai e vosso Pai, meu Deus e vosso Deus.
18. Maria Madalena foi
e anunciou aos discípulos que vira o Senhor,
e que ele lhe dissera isto..
 
A Deus toda a glória!
 

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

PÓS-GRADUAÇÃO EM TEOLOGIA - 4 ÁREAS

Últimas semanas para inscrição

A Sociedade de Estudos Bíblicos Interdisciplinares, SEBI, em convênio com a Faculdade Mauá de Brasília, oferecerá, a partir do dia 04 de Fevereiro de 2011, 4 pós-graduações na área teológica, a saber: Aconselhamento Bíblico, Teologia Sistemática, História do Cristianismo Primitivo e Homilética. O programa se constitui em 12 meses de estudos das disciplinas, tendo o aluno até 18 meses para apresentação de sua monografia de conclusão de curso. As aulas serão às sextas, das 19:30 às 22:30 nas dependências da Faculdade Mauá, no Vicente Pires, de frente para a EPTG, próximo à casa do Governador, em Águas Claras. O curso custará o equivalente a 14 parcelas de R$ 230,00, com desconto para pagamento efetuado até o dia de vencimento, ficando em 14 parcelas de R$ 200,00. As inscrições estarão abertas a partir do dia 03 de Janeiro de 2011, na sede da SEBI, QNA 36, casa 16, Tag. Norte. Maiores informações: (61) 3257 8596, 8595 7673 (Oi), ou 8198 1854 (Tim) com o pastor e professor Airton Williams, coordenador de cursos da SEBI.

Responsável: www.airtonwilliams.blogspot.com; www.episcopaldf.blogspot.com; www.sebidf.webnode.com.br; http://lattes.cnpq.br/2544457186565527

Faltam 834 dias para 26/04/13 (Inicio: 31/07/10).

TEMA: A Ressurreição de Cristo em João 6 – Jo 20-1:18
 
Ontem, tive a oportunidade de pregar a mensagem que estou postando há dias e a colocarei, na íntegra, em meu scribd. Até domingo, estarei disponibilizando o link respectivo para download. Antecipo, que apesar do tempo, foi bênção e tive a boa e agradável sensação de sentir-me usado como instrumento de Deus, para a glória de Deus.
 
O Espírito Santo nos adverte como advertiu a Josué de que devemos nela meditar de dia e de noite para que tudo nos vá bem. O Pr. Marcelo, no domingo, pregou e destacou a importância de estarmos atentos e hábeis nas Escrituras. Quem despreza as Escrituras, será desprezado por Deus. Ore e peça a Deus compreensão para não ficar perdido, nem saberem o que fizeram com o corpo de Jesus.
 
Ela, então, olha para dentro e vê dois anjos, mas nem percebeu que eram anjos. Reparem que eles estavam vestidos de roupa branca e um assentado na cabeceira e outro aos pés onde devia estar o corpo de Jesus. Mulher, por que choras? Eles perguntam e ela responde com outra pergunta: o que fizeram com o corpo de Jesus.
 
Ela então olha para trás e vê a Jesus, mas não o reconhece também. Ela crê estar falando com o jardineiro. Ele lhe faz a mesma pergunta dos anjos: Mulher, por que choras? E acrescenta, a quem buscais? Ela insiste em querer saber do corpo de Jesus e do que fizeram com ele. Jesus lhe diz: Maria! Ela o reconhece quando ele a chama pelo seu nome. Ela responde: Raboni! Que quer dizer, Mestre!
 
É pelo nosso nome que Jesus nos conhece. Se pudéssemos contar os grãos de areia de uma concha de mão, certamente iríamos nos assombrar de tão grandioso que não seriam estes grãos. No entanto, há mais estrelas nos céus que todos os grãos de areia em todo o nosso planeta. Que imensidão. Como não deve ser o criador de tudo isso?
 
Diz a Palavra de Deus que ele conhece todas as estrelas por seu nome. E quanto a nós? Sim, ele nos conhece por nosso nome. Ele se importa conosco e nos chama pelo nosso nome. Quem criou os céus e a terra, ressuscitou naquele dia para nós hoje termos vida e vida com abundância.
 
Ela o confundiu com um jardineiro. Ela vê nele alguém útil, que cuida, que se preocupa com o jardim. É o jardim de nossa alma que sujo precisa de cuidados. Jesus é o jardineiro de nossas almas. Como tudo se passou num jardim, o jardineiro representa o nosso Pai celeste, cuidadoso e amoroso.
 
Ele então a comissiona depois de evitá-la, pois ela queria lhe abraçar, mas ele o impediu por que ainda não havia subido ao Pai. Ele lhe diz: vai e anuncia que eu subo para meu Pai e vosso Pai, meu Deus e vosso Deus. Ela, prontamente vai e lhes comunica a Palavra de Deus, isto é, anunciou aos discípulos que vira o Senhor, e que ele lhe dissera isto. Fez ali um papel de profeta e de apóstolo do Senhor.
 
Em seguida, o narrador de João entra no verso 19 cuja pregação expusemos na última quarta-feira. Que Deus abençoe a todos os irmãos.
 
A Deus toda a glória!
 

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Faltam 835 dias para 26/04/13 (Inicio: 31/07/10).

TEMA: A Ressurreição de Cristo em João 5 – Jo 20-1:18
 
Hoje, na noite da esperança, na Primeira Igreja Presbiteriana de Taguatinga, pela graça de Deus, estarei ministrando a palavra de Deus ao povo de Deus. Que tal nos encontrarmos lá? Venha ver e conferir a obra que Deus está realizando entre nós, por causa de sua misericórdia.
 
Em todas as minhas pregações, as minhas orações são para que se cumpra At 4:30. A palavra eu ministro, enquanto isso, minha oração é para que o Espírito Santo vai confirmando com curas, sinais, prodígios e maravilhas para a honra e a glória do Senhor.
 
Continuando nossa reflexão sobre a ressurreição de Cristo...
João chegou primeiro ao sepulcro, mas não entrou. Ficou do lado de fora olhando para dentro do sepulcro e vendo os lençóis que tanto envolviam o corpo quanto a cabeça do Mestre. Pedro, não quis nem saber entrou e começou a sua investigação.
 
O que significava aqueles lençóis postos a parte e aquele invólucro de linho e aromas (Jo 19:40) parecendo um casulo? João então entrou no túmulo e, diz a palavra de Deus: VIU E CREU. A forma como estavam dispostos os lençóis denunciavam que algo diferente e extraordinário tinha ocorrido ali. Se não fosse assim, como estaria escrito que “viu e creu”?
 
E nós, em pleno século 21, passados já mais de 2000 anos deste evento fabuloso, ao vermos um povo, como o povo de Deus, que mantém na íntegra, como sua regra de fé e prática, um livro cuja atualização mais recente tem já  quase 2000 anos também, podemos afirmar como o narrador de João: viu e creu, ou, vimos e cremos?
 
Se vimos e cremos, logo falaremos, como dizem as Escrituras: “E temos, portanto, o mesmo espírito de fé, como está escrito: Cri, por isso falei; nós cremos também, por isso também falamos.” (2 Coríntios 4:13 ).
 
Depois dessa minuciosa análise, voltam Pedro e João para contar aos outros o que viram e creram. Maria Madalena não voltou com eles. Ela estava intrigada e queria saber o que fizeram com o corpo de Jesus, pois ainda não tinha compreendido as Escrituras de que seria necessário primeiro ele ressuscitar dos mortos.
 
Como perdemos tempo e ficamos presos a fantasmas por desconhecermos as Escrituras. Jesus mesmo disse: “Examinais as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de mim testificam;” (João 5:39). As Escrituras são cristocêntricas e do que falam elas? De Jesus Cristo!
 
A Deus toda a glória!
 

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Faltam 836 dias para 26/04/13 (Inicio: 31/07/10).

TEMA: A Ressurreição de Cristo em João 4 – Jo 20-1:18
 
Como prometido ontem, apresento a curiosidade sobre o Salmo 118:
 
A Bíblia possui 1189 capítulos. Antes do salmo 118, que é o capítulo central da Bíblia, há 594 capítulos e depois do salmo 118, há 594 capítulos. Logo o Salmo 118 é o capítulo central da Bíblia. O Salmo 117 é o menor capítulo da Bíblia, com somente 2 versículos e o Salmo 119, o maior capítulo, com 176 versículos. Já o versículo central da Bíblia é Salmo 118:8. O conteúdo deste versículo central é “é melhor confiar em Deus do que nos homens”. O versículo seguinte quase é uma repetição do anterior “é melhor confiar em Deus do que nos príncipes”. Repare: Salmo 118:8 e 118:9 com 1189 capítulos ou com 594+594 = 1188.
 
Creio que Deus permitiu o erro gregoriano em nosso calendário para ficar estampado ao homem quem ele é: falível, pecador, carente da graça de Deus. A ressurreição de Cristo é o pilar de sustentação do cristianismo. Sem ressurreição, diz Paulo, “comamos e bebamos, porque amanhã morreremos” (I Co 15:32), no capítulo que fala da ressurreição de Cristo.
 
Isaias também fala em “comamos e bebamos, porque amanhã morreremos” (Is 22:13), mas referindo-se ao povo de Jerusalém que ao invés de se humilharem como pedia o Senhor, diante do exército de Senaqueribe que os ameaçava, resolveram fazer uma espécie de banquete de despedida, já que iriam morrer mesmo.
 
A sentença de morte estava sobre eles e por medo da morte ou para recepcioná-la uma vez que seria inevitável, resolveram banquetearem-se até a morte. Do mesmo modo, Paulo, pelo Espírito Santo captou isso no povo que está escravo do pecado por medo da morte. Já que vamos mesmo morrer, por que conservarmos nossa fidelidade a Deus? Vamos comer! Vamos beber! Que venha a morte!
 
Paulo no capítulo 15 de I Corintios destaca a importância vital da ressurreição de Cristo. Sem ela, não há cristianismo. Sem ela, do que adiantou eles lutarem contras as bestas feras e enfrentarem a sentença de morte dia após dia?
 
A ressurreição de Cristo foi o maior evento na história desde que o homem foi criado. A ressurreição de Cristo matou a morte! A morte que a todos colocava um fim, agora recebia o seu fim. Tem até um livro com um título engraçado, chamado de  A MORTE DA MORTE NA MORTE DE CRISTO, obra de John Owen, escritor e teólogo reformado, publicada em 1647.
 
Vai ser tão glorioso o dia em que finalmente a morte será tragada e não haverá mais espaço para ela pois os seus dias chegaram ao fim. Tudo tem seu tempo certo para que se cumpram os propósitos de Deus na vida de todos nós. Um dia não haverá mais choro, nem pranto, nem ranger de dentes para os que estão no Senhor, pois ‘tragada foi a morte pela vitória’ (I Co 15:54). Aleluias!
 
Volto a ressaltar o valor dessa mulher incrível com sua alta sensibilidade e percepção. Repito: ela foi a primeira a ver a pedra removida, o sepulcro vazio, os lençois que envolviam tanto o corpo quanto a cabeça, a chamar os outros discípulos, a segui-los para ver o que aconteceria. Maria Madalena a mulher estava ali mais presente e crente que qualquer um dos discípulos.
 
A Deus toda a glória!
 

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Faltam 837 dias para 26/04/13 (Inicio: 31/07/10).


TEMA: A Ressurreição de Cristo em João 3 – Jo 20-1:18

Depois de relatar o fato, João e Pedro, sem perderem tempo saem correndo na direção do sepulcro onde deveria jazer o corpo de Cristo. Começa então uma corrida em direção ao Jardim do Gtsêmani. João, bem mais ligeiro, corre na frente de Pedro. Os dois correm juntos, mas é João quem chega primeiro.

Que riqueza de detalhes teve o narrador de João! Sabe o que significam tais detalhes que o narrador não era outro se não o próprio João. O evento mais importante de toda a história do homem acabara de ocorrer no universo.

O primeiro evento mais significativo do homem, sem dúvidas é a sua criação. Eu não disse evolução porque não creio que evoluímos, mas creio que fomos criados. Eu preciso ter mais fé para crer na fantasiosa estória da evolução do que na criação. Deus, nosso criador, nos deu inteligência não para sermos burros, mas para sermos inteligentes.

O primeiro homem foi criado por Deus. Ele é o primeiro Adão. Criado e não gerado. Infelizmente, o primeiro Adão caiu na astúcia da serpente e se tornou pecador. Perdeu de Deus a inocência, inclusive o seu livre arbítrio, pois Adão poderia ter escolhido entre o bem e o mal. Escolheu desobedecer a Deus e isso trouxe o pecado ao homem.

Agora, naquele domingo, enquanto João corria mais rápido que Pedro, uma nova história estava sendo contada po Deus. O segundo Adão, não criado, mas gerado, filho do Pai estava ali vencendo aquela que derrotou o homem, a morte. A morte não pode deter o Filho de Deus. Bem que ela tentou, mas o Filho de Deus foi mais forte.

A vitória de Jesus sobre a morte, pois era impossível que esta o retivesse consigo, deu-lhe o direito de resgatar  a vida dos pecadores. Por meio de seu sangue, de sua vida, em obediência plena ao seu Pai, em confiança absoluta nos planos e propósitos de seu Pai, Jesus, resgatou da morte o meu destino certo: a morte.

A morte não poderá mais nos deter, pois ela não teve poder de deter o Filho do Homem. O segundo Adão, ao contrário do primeiro Adão, foi obediente e obediente até a morte. O que estava passando nas mentes de João e de Pedro enquanto corriam? E na mente de Maria Madalena que foi a primeira a perceber as mudanças?

Que mulher incrível e que sensibilidade e percepção. Ela foi a primeira a ver a pedra removida, o sepulcro vazio, os lençois que envolviam tanto o corpo quanto a cabeça, a chamar os outros discípulos, a segui-los para ver o que aconteceria. Maria Madalena a mulher estava ali mais presente e crente que qualquer um dos dicípulos.

Ela deve ter vindo junto com João e Pedro. Sim, certamente veio e veremos isso mais adiante. Se eu fosse Gregório e pudesse voltar no tempo e tivesse o encargo de organizar e arrumar o calendário, eu marcaria aquele domingo da ressurreição como o primeiro dia de uma nova era. Foi o nascimento de Jesus Cristo que dividiu a história em Antes de Cristo e Depois de Cristo. Gregório errou nos cálculos e na data de nascimento de Cristo.

O erro humano tem significado diante de Deus que tudo criou. Deus permitiu que o erro ficasse registrado para mostrar ao homem que ele, o homem, é falível e que sem Deus não pode fazer coisa alguma de valor e de significado. O Sl 118:8 e o 9, em resumo diz que é melhor confiar em Deus do que nos homens.

Há uma curiosidade sobre este salmos... veremos amanhã.

A Deus toda a glória!

domingo, 9 de janeiro de 2011

Faltam 838 dias! Meu propósito: Inicio: 31/07/10. Fim: 26/04/13.

 

TEMA: A Ressurreição de Cristo em João 2 – Jo 20-1:18

 

Jesus ressuscitou dos mortos. Ressuscitou num Jardim. O Jardim do Getsêmani, no Monte das Oliveiras. No jardim cujo nome significa a prensa do azeite. Jesus foi realmente moido por nossos pecados.

 

Conforme relato de João, Maria Madalena foi a primeira a chegar no sepulcro, mas a pedra que guardava a entrada ao túmulo onde Jesus deveria estar tinha sido removida do lugar.

 

Quando Jesus iniciou seu ministério seu primeiro milagre foi em uma festa de casamento onde, talvez, por descuido, faltou vinho e isso seria um motivo de vergonha para os que promoviam a festa.

 

Foi Maria, a mãe de Jesus quem procurou Jesus e disse-lhe que estava faltando vinho e aos serventes disse: fazei tudo o que ele mandar. Ela parece que até sabia o que Jesus iria fazer. Aquele primeiro milagre, fantástico, da transformação da água em vinho, fisicamente se fosse projetado, envolveria uma quantidade de energia tão grande que nem ainda hoje, tecnologicamente, seríamos capazes de processar.

 

Depois da realização deste milagre, ele se depara com vendedores no templo que irreverentemente comercializavam coisas transformando a casa de seu Pai em casa de vendas. Ele os expulsou e houve ali discussões e Jesus, tomado pelo Espírito Santo, declarou, quando provocado a mostrar sinais, que se derrubasse o templo ele, em três dias, o reedificaria. Óbvio que falava de seu próprio corpo que logo mais iria ressuscitar.

 

O primeiro evento foi um milagre o qual simboliza que Jesus estava vindo para transformar a antiga ordem das coisas (a água para a purificação e o templo de Herodes) simbolizada pela pelas talhas de pedra com água, utilizadas para o ritual da purificação (Jo 2:6), pela nova ordem, por meio de Jesus Cristo – o vinho representa a vida eterna no Reino de Deus (2 Co 5:17); é o vinho da salvação (Is 25:6-9).

 

O segundo evento foi a purificação do templo sendo providenciada imediatamente depois do primeiro milagre. Isso dá a entender que Jesus estava chegando com a sua nova ordem onde o templo de pedra seria substituido pelo próprio Senhor, o templo vivo. Por isso que ele disse que ao ser destruido o templo antigo, o novo seria reconstruído em três dias. Ele estava falando de sua ressurreição.

 

A antiga ordem (a água da purificação e o templo de Herodes) estava sendo substituída pela nova ordem ( o vinho novo – representando a vida eterna por meio de seu sangue e o novo templo, isto é, o seu proprio corpo – Ap 21:22).

 

Maria Madalena ficou desesperada e correu na direção dos demais discípulos e encontrou João e Pedro e a ambos relatou o fato da pedra removida. Sua grande questão e preocupação era com o corpo de Jesus: o que teriam feito com ele? Ela mesma ainda não tinha compreendido as Escrituras de que Cristo morreria e ao terceiro dia ressuscitaria.

 

A Deus toda a glória!

sábado, 8 de janeiro de 2011

Faltam 839/1000 dias! Meu propósito: Começou: 31/07/10. Acaba: 26/04/13.

TEMA: A Ressurreição de Cristo em João – Jo 20-1:18

 

O capítulo 19 de João se encerra dizendo que Jesus foi colocado num sepulcro novo, em que ainda ninguém havia sido posto, num jardim naquele lugar onde fora crucificado. Trata-se do Jardim do Gtsêmani, literalmente "prensa de azeite" é um jardim situado no sopé do Monte das Oliveiras, em Jerusalém/Israel.

 

Foi nesse Jardim, lugar costumeiro de visitas de Jesus com seus discípulos que eles oraram na noite anterior à crucifixão de Jesus. De acordo com Lucas, a angústia de Jesus no Getsêmani foi tão profunda que "seu suor tornou-se em grandes gotas de sangue, que corriam até ao chão. Fenômeno este conhecido por hematidrose. De acordo com a tradição cristã ortodoxa, o Getsêmani também é o local onde os apóstolos enterraram Maria, mãe de Jesus.

 

Foi no Jardim, na "Prensa de Azeite", que Jesus venceu a sua vontade. Venceu com a oração sobre a sua vontade para, finalmente, cumprir a vontade de seu Pai. A luta de oração foi muito grande, desgastante e profunda. Jesus tinha certeza de que seria ouvido e por três vezes orou, mas, finalmente, cedeu e obedeceu ao seu Pai. Exemplo para nós hoje para confiarmos nos propósitos de Deus, do nosso Pai.

 

O capítulo 20 se inicia com a notícia de que Maria Madalena foi ao sepulcro de madrugada, sendo ainda escuro, e viu a pedra tirada do sepulcro. Entre os dois fatos, Jesus ter sido colocado no sepulcro e Maria Madalena ter visto a pedra tirada do sepulcro, de madrugada, ocorreu a ressurreição de Cristo!

 

Ele ressuscitou! É o fato inconteste, mas o momento, o instante não foi presenciado por homem algum. Ocorreu em nosso tempo, em nosso mundo. Foi um evento da natureza registrado pela natureza e escrito na história da vida do homem sobre a face da terra.

 

Foi num Jardim que tudo começou e novamente num Jardim que tudo está começando novamente. O primeiro Adão veio à existência trazido por Deus e ninguém testemunhou o fato, se não o próprio Criador e agora novamente o segundo Adão volta dos mortos e vem à vida, sem nenhuma testemunha humana.

 

Isso nos prova que é Deus quem nos dá a sua vida e é ele quem nos gera em Cristo sem que o homem interfira ou queira participar. O homem não tem participação na vida, mas recebe a vida de Deus para começar a sua história. Se o primeiro Adão não tivesse existido, eu não existiria; se o segundo Adão não tivesse ressuscitado, eu não estaria aqui falando desse dia histórico e o mais importante de todo o universo. O dia da ressurreição de Cristo é o dia do meu aniversário. Aleluias! Amanhã, prosseguiremos.

 

A Deus toda a glória!