terça-feira, 12 de abril de 2016

Apocalipse 14 1-20 - A HORA DA SEPARAÇÃO ENTRE O TRIGO E O JOIO.

Como dissemos, o propósito de Apocalipse, conforme a BEG, é estimular a fidelidade a Cristo em meio ao sofrimento pela afirmação de que Deus governa a História e certamente a levará a uma gloriosa consumação de julgamento e bênção em Cristo. Estamos vendo o capítulo 14/22.
Para um maior aprofundamento, vejam o vídeo do capítulo 14, explicado pelo Rev. Leandro Lima - https://youtu.be/tCfMtMWGAvo.
Breve síntese do capítulo 14.
Apocalipse 14 descreve o momento da colheita por parte dos anjos conforme o Senhor já anunciara e conforme está escrito em diversas passagens.
Será nesta hora que será separado o trigo do joio e o joio será amarrado e lançado no fogo, enquanto o trigo irá para o celeiro do Senhor. Por enquanto, temos de tolerar o joio no meio da igreja, que cresce junto e se parece com o trigo, mas que não pode ser tirado para não danificar o trigo.
Judas foi um joio e foi um exemplo de como devemos tratar nossos irmãos que conosco estão na caminha cristã. Jesus o amou até o fim e mesmo no final ainda o chamou de amigo, mesmo sabendo que aquele era filho do diabo.
O amor de Deus é incondicional e sempre pronto a perdoar e a acreditar na mudança e Jesus jamais desistiu de Judas, antes este que desistiu e morreu.
Vejamos o presente capítulo com mais detalhes, conforme ajuda da BEG:
C. Visões celestiais (4.1-22.5) - continuação.
Como já falamos, dos vs. 4.1 ao 22.5, estamos vendo essas visões celestiais de João. Por meio de Cristo e seus anjos (22 8-9,16) João recebeu uma série de sete ciclos de visões:
(1)   Sete selos do rolo (4.1-8.1) – já vimos.
(2)   Sete anjos e trombetas (8.2-11.19) – já vimos.
(3)   Sete histórias simbólicas (12.1-14.20) – concluiremos agora.
(4)   Sete taças de ira (15.1-16.21).
(5)   Babilônia e a igreja (17.1-19.10).
(6)   A batalha final (19.11-21).
(7)   O reino dos santos e o julgamento final (20.1-21.8), seguidos por uma visão da nova Jerusalém.
Essas visões tinham a intenção de advertir e encorajar as igrejas ao abrir seus olhos para a realeza e majestade de Deus, para a natureza da guerra espiritual, o julgamento de Deus sobre o mal e o resultado do conflito.
3. O terceiro ciclo: sete histórias simbólicas (12.1-14.20) - continuação.
Como já dissemos, começamos aqui no 12.1 e iremos até ao 14.20 com o terceiro ciclo: sete histórias simbólicas. Esse terceiro ciclo de visões consiste, primariamente, de histórias sobre personagens-chave que são simbólicas: o dragão, a mulher, a besta, o falso profeta, os cento e quarenta e quatro mil, arautos ou mensageiros angélicos e o Filho do Homem.
b. Seis histórias simbólicas (12.7-14.11) - continuação.
Estamos vendo - vs. 12.7-14.11 - seis histórias simbólicas. Seis breves relatos metafóricos relacionam vários aspectos do conflito entre as forças de Deus e de Satanás: (1) o dragão (12.7-12) – já vimos; (2) a mulher (12.13-17) – já vimos; (3) a besta do mar (13.1-10) – já vimos; (4) a besta da terra: o falso profeta (13.11-18) – já vimos; (5) os cento e quarenta e quatro mil (14.1-5) – veremos agora; e (6) três mensageiros angélicos (14.6-11) – veremos agora.
(5) Os cento e quarenta e quatro mil (14.1-5).
Os cento e quarenta e quatro mil dos vs. 1 ao 5 representam o número total de santos (7.4-8). Formam um conjunto sacerdotal consagrado para oferecer louvores a Deus no monte Sião.
Foi João que viu tanto o Cordeiro como os 144 mil de pé sobre o monte Sião. Outra de suas características é que eles traziam em suas testas o nome dele e o nome de seu Pai.
Eles ainda cantavam um cântico novo diante do trono, dos quatro seres viventes e dos anciãos. Ninguém podia aprender o cântico, a não ser os cento e quarenta e quatro mil que haviam sido comprados da terra.
Estes são os que não se contaminaram com mulheres, pois se conservaram castos e seguem o Cordeiro por onde quer que ele vá. Foram comprados dentre os homens e ofertados como primícias a Deus e ao Cordeiro. Mentira nenhuma foi encontrada em suas bocas; são imaculados – vs. 3 ao 5.
Uma de suas principais características é que eles são castos. O simbolismo sexual é usado para indicar pureza espiritual. Os seguidores fiéis de Cristo se mantêm afastados de Babilônia, a prostituta e, como sua noiva pura, são leais exclusivamente a Cristo (19.7-8; Ef 5.26-27).
Pureza no comportamento sexual é incluído como um elemento necessário nessa pureza total (1Co 6.15-20).
 (6) Três mensageiros angélicos (14.6-11).
João continua com suas visões e agora ele viu três mensageiros angélicos. Os três anjos aparecem de modo harmônico conceitualmente formando uma. imagem única, unida, com uma tripla mensagem.
O primeiro anjo tinha na mão o evangelho eterno para proclamar aos que habitam na terra, a toda nação, tribo, língua e povo. João viu e ouviu que ele dizia em alta voz: "Temam a Deus e glorifiquem-no, pois chegou a hora do seu juízo. Adorem aquele que fez os céus, a terra, o mar e as fontes das águas" – vs. 7.
O segundo anjo saiu anunciando a queda da grande Babilônia. Veja também o capítulo 17.1-19.10. Era ela que fez todas as nações beberem do vinho da sua prostituição.
Imoralidade sexual e idolatria, que é adultério espiritual, eram as maiores tentações das sete igrejas (2.20). O efeito da imoralidade e da idolatria, como o da embriaguez, é vergonha, loucura e degradação (17.2,4;.18.3; 19.2; Pv 9.13-18; Jr 51.7).
Um terceiro anjo saiu dizendo em alta voz que se alguém adorasse a besta e a sua imagem e recebesse a marca da besta na testa ou na mão também beberia do vinho do furor de Deus que foi derramado sem mistura no cálice da sua ira.
Será ainda atormentado com enxofre ardente na presença dos santos anjos e do Cordeiro, e a fumaça do tormento de tais pessoas sobe para todo o sempre. Para todos os que adoram a besta e a sua imagem, e para quem recebe a marca do seu nome, não há descanso, dia e noite" – vs. 10 e 11.
Ainda assim muitos homens desprezarão a palavra de salvação.
c. Cuidado pelos santos (14.12-13).
Por entre as advertências e julgamentos das sete histórias (12.1 a 14.20) vem essa certeza do cuidado pelos crentes – vs. 12 e 13.
A perseverança dos santos, dos crentes, está em que obedeçam aos mandamentos de Deus e permaneçam fiéis a Jesus.
João ainda ouvi uma voz do céu dizendo:
"Escreva: Felizes os mortos que morrem no Senhor de agora em diante". Diz o Espírito: "Sim, eles descansarão das suas fadigas, pois as suas obras os seguirão".
A morte nunca foi um peso para o fiel, antes é um alívio e um momento de descanso em sua terrível jornada num mundo totalmente averso à ideia de Deus que está sob julgamento e irá receber da ira santa, justa e boa de Deus.
d. A sétima história simbólica: um semelhante a filho de homem (14.14-20).
Essa é uma descrição da segunda vinda como a colheita presidida pelo Filho do Homem (JI 3.12-16; Mt 13.36-43). Esse "semelhante a filho de homem" é Jesus Cristo (1.13; Dn 7.13-14).
Duas colheitas são descritas:
·       Grãos (vs. 14-16).
·       Uvas (vs. 17-20).
Estes são, talvez, dois aspectos do mesmo acontecimento de julgamento. Ou, a colheita de grãos pode ser a colheita dos justos (Lc 3.17) e a de uvas, a colheita dos ímpios.
A colheita dos grãos.
O que João viu diante dele foi que estava ali uma nuvem branca e, assentado sobre a nuvem, alguém "semelhante a um filho de homem". Ele estava com uma coroa de ouro na cabeça e uma foice afiada na mão. Com certeza se trata de Jesus Cristo.
João viu que saiu do santuário um outro anjo, que bradou em alta voz àquele que estava assentado sobre a nuvem:
"Tome a sua foice e faça a colheita, pois a safra da terra está madura; chegou a hora de colhê-la".
Assim, aquele que estava assentado sobre a nuvem passou sua foice pela terra, e a terra foi ceifada.
A colheita das uvas.
Aqui também são dois anjos à semelhança do que foi feito com os grãos.
·       Um anjo saiu do santuário do céu, trazendo também uma foice afiada.
·       Outro anjo, que tem autoridade sobre o fogo, saiu do altar e bradou em alta voz àquele que tinha a foice afiada:
"Tome sua foice afiada e ajunte os cachos de uva da videira da terra, porque as suas uvas estão maduras!".
Parece o mesmo modus operandi da colheita dos grãos. O anjo, provavelmente aquele que saiu do santuário do céu, passou a foice pela terra, ajuntou as uvas e as lançou no grande lagar da ira de Deus.
Repare no que acontece com as uvas reforçando ainda mais a ideia de que se trata mesmo da colheita dos ímpios:
·         Elas foram pisadas no lagar.
·         Elas foram pisadas fora da cidade.

·      Do lagar, correu o seu sangue, chegando ao nível dos freios dos cavalos, numa distância de cerca de trezentos quilômetros, ou seja, houve muito derramamento de sangue.
Ap 14:1 Olhei,
e eis o Cordeiro em pé sobre o monte Sião,
e com ele cento e quarenta e quatro mil, tendo na fronte escrito
o seu nome
e o nome de seu Pai.
Ap 14:2 Ouvi
uma voz do céu como voz de muitas águas,
como voz de grande trovão;
também a voz que ouvi era como de harpistas
quando tangem a sua harpa.
Ap 14:3 Entoavam novo cântico
diante do trono,
diante dos quatro seres viventes
e dos anciãos.
E ninguém pôde aprender o cântico,
senão os cento e quarenta e quatro mil
que foram comprados da terra.
Ap 14:4 São estes os que não se macularam com mulheres,
porque são castos.
São eles os seguidores do Cordeiro por onde quer que vá.
São os que foram redimidos dentre os homens,
primícias para Deus
e para o Cordeiro;
Ap 14:5 e não se achou mentira na sua boca;
não têm mácula.
Ap 14:6 Vi
outro anjo voando pelo meio do céu,
tendo um evangelho eterno
para pregar
aos que se assentam sobre a terra,
e a cada nação,
e tribo,
e língua,
e povo,
Ap 14:7 dizendo, em grande voz:
Temei a Deus
e dai-lhe glória,
pois é chegada a hora do seu juízo;
e adorai aquele que fez
o céu,
e a terra,
e o mar,
e as fontes das águas.
Ap 14:8 Seguiu-se outro anjo,
o segundo, dizendo:
Caiu, caiu a grande Babilônia
que tem dado a beber a todas as nações
do vinho da fúria da sua prostituição.
Ap 14:9 Seguiu-se a estes outro anjo,
o terceiro, dizendo, em grande voz:
Se alguém adora a besta
e a sua imagem
e recebe a sua marca na fronte ou sobre a mão,
Ap 14:10 também esse beberá do vinho da cólera de Deus,
preparado, sem mistura, do cálice da sua ira,
e será atormentado com fogo e enxofre,
diante dos santos anjos
e na presença do Cordeiro.
Ap 14:11 A fumaça do seu tormento
sobe pelos séculos dos séculos,
e não têm descanso algum,
nem de dia nem de noite,
os adoradores da besta
e da sua imagem
e quem quer que receba a marca do seu nome.
Ap 14:12 Aqui está a perseverança dos santos,
os que guardam os mandamentos de Deus
e a fé em Jesus.
Ap 14:13 Então,
ouvi uma voz do céu, dizendo: Escreve:
Bem-aventurados os mortos
que, desde agora, morrem no Senhor.
Sim, diz o Espírito,
para que descansem das suas fadigas,
pois as suas obras os acompanham.
Ap 14:14 Olhei,
e eis uma nuvem branca,
e sentado sobre a nuvem um semelhante a filho de homem,
tendo na cabeça uma coroa de ouro
e na mão uma foice afiada.
Ap 14:15 Outro anjo saiu do santuário,
gritando em grande voz
para aquele que se achava sentado sobre a nuvem:
Toma a tua foice
e ceifa,
pois chegou a hora de ceifar,
visto que a seara da terra
já amadureceu!
Ap 14:16 E aquele que estava sentado sobre a nuvem
passou a sua foice sobre a terra,
e a terra foi ceifada.
Ap 14:17 Então, saiu do santuário,
que se encontra no céu,
outro anjo,
tendo ele mesmo também uma foice afiada.
Ap 14:18 Saiu ainda do altar outro anjo,
aquele que tem autoridade
sobre o fogo,
e falou em grande voz ao que tinha a foice afiada, dizendo:
Toma a tua foice afiada
e ajunta os cachos da videira da terra,
porquanto as suas uvas estão amadurecidas!
Ap 14:19 Então, o anjo
passou a sua foice na terra,
e vindimou a videira da terra,
e lançou-a no grande lagar da cólera de Deus.
Ap 14:20 E o lagar foi pisado fora da cidade,
e correu sangue do lagar
até aos freios dos cavalos,
numa extensão de mil e seiscentos estádios.
A perseverança dos santos está em guardar os mandamentos de Deus e a fé em Jesus! Ai daqueles que desprezam a palavra de Deus, substituindo-a por algo “melhor”, ou equiparando-a a outros escritos. A Bíblia é a nossa única regra de fé e prática!
p.s.: link da imagem original:
Contagem regressiva: Faltam 9 dias para 20/04/16 (Inicio: 05/05/15). Tu, SENHOR, conservarás em perfeita paz aquele cujo propósito é firme; porque ele confia em ti. (Is 26.3).
Obs.: nessa fase atual das postagens do Jamais Desista, a estruturação e a divisão dos assuntos e os comentários produzidos são, em sua grande maioria, baseados na Bíblia de Estudo de Genebra – BEG.

A Deus toda glória! p/ pr. Pr. Daniel Deusdete. 
...


Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.