sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

I Coríntios 3 1-23 - SOMOS AINDA CARNAIS?

Como já dissemos, Coríntios foi escrita para, principalmente, combater a rebeldia, as divisões e a falta de amor que tinham sido causadas pelo orgulho e pela presunção na igreja de Corinto. Estamos vendo a parte II, cap. 3/16.
Breve síntese do capítulo 3.
Somos ainda carnais diz o apóstolo Paulo porque há dissensões entre nós e uns se acham de Paulo, outros de Apolo, outros de Cefas e ainda outros de Cristo... Como carnais, não podemos receber o alimento sólido, mas o leite...
Há tantas divisões entre nós, mesmo hoje e haverá sempre! Logo, a tolerância, a paciência, o amor devem abundar em nossos corações para que não sirvamos de tropeço na vida do irmão pelo qual o Senhor morreu por ele.
Há um só Senhor, mas há inúmeros irmãos que estão certos e inúmeros que estão errados. Continuamos meninos na nossa fé por causa dos ciúmes e das contendas.
Quando eu sou e quero ser melhor, mais espiritual, mais forte, mais iluminado que o meu irmão é porque me esqueci do amor de Cristo e estou provocando divisões no Corpo.
No entanto, eu acredito na busca de melhorias contínuas também no Caminho do Senhor e como estou buscando a excelência, óbvio que serei ou quererei ser melhor, mais espiritual, mais forte, mais iluminado, mas jamais que o meu irmão por quem Cristo também morreu, antes diante de Deus e para a sua glória!
Vejamos o presente capítulo com mais detalhes, conforme ajuda da BEG:
II. RELATÓRIO FEITO PELOS DA CASA DE CLOE (1.10-6.20) - continuação.
Dos vs. 1.10 ao 6.20, estaremos vendo esse relatório feito pelos da casa de Cloe. Paulo volta a sua atenção para algumas questões que haviam sido relatadas a ele "pelos da casa de Cloe" (1.11). Ele tem duas preocupações principais, que formarão nossas divisões, seguindo a BEG: A. Divisões na igreja (1.10-4.21); B. Problemas morais e éticos (5.1-6.20).
A. Divisões na igreja (1.10-4.21) - continuação.
Como falamos, estamos vendo dos vs. 10 ao 4.21, essas divisões na igreja. As pessoas da casa de Cloe informaram que havia um movimento de separação muito sério dentro da igreja.
Para melhor entender isso, nós fizemos as seguintes divisões: 1. Relatório (1.10-17) – já vimos; 2. A sabedoria e o poder de Deus (1.18-3.4) – estamos vendo; e, 3. Ministério e apostolado (3.5-4.21).
2. A sabedoria e o poder de Deus (1.18-3.4) - continuação.
Estamos vendo dos vs. 18 ao 3.4, Paulo falando da verdadeira sabedoria e do poder de Deus.
Paulo no diz que não pode se referir a eles como a espirituais. Isto é, corno a quem pertence ao Espírito Santo. “Carnais” ou, "mundano", Paulo não fala da carne como corpo físico, mas refere-se à inclinação da natureza humana decaída que segue as tendências da era perversa em que vivemos.
Os coríntios que receberam o Espírito tornaram-se espirituais no sentido mais fundamental da palavra. Mesmo assim, havia alguns na igreja visível de Corinto que não criam em Cristo e, por isso, não receberam o Espírito.
Além do mais, alguns cristãos verdadeiros estavam levando uma vida tão discordante do Espírito que Paulo teve de tratá-los como se fossem ímpios.
A rivalidade entre os coríntios era prova de que precisavam ser tratados como carnais (vs. 1). Eles haviam se tornado tão fúteis e insensatos que se dividiram em grupos que eram leais a vários líderes. Ainda hoje, século XXI, mudamos muitas coisas ou continuamos com as mesmas meninices e suas respectivas tolices?
3. Ministério e apostolado (3.5-4.21).
A partir do vs. 5 até 4.21, Paulo falará um pouco de seu ministério e apostolado com o objetivo de conter as divisões que assolavam a igreja de Corinto. Paulo fornece a perspectiva correta para definir um líder de verdade e explica por que esses líderes não devem ser motivo de disputa na igreja.
Em primeiro lugar ele chama tais lideres de servos. Jesus deixou claro que, em seu reino, os líderes são aqueles que praticam a humildade e o serviço (Mc 9.35).
Paulo e Apolo, por exemplo, eram nada mais do que servos. Se Paulo plantou, Apolo regou, mas isso pouco importa se Deus não der o crescimento. O desejo de Paulo, "pregar o evangelho, não onde Cristo já foi anunciado" (Rm 15.20), motivou-o a estabelecer muitas igrejas (At 13-20).
Não é, no entanto, em vão que cada um cumpre o seu propósito diante de Deus. Certamente, todos serão recompensados, conforme as obras que fizerem, mas de Deus, todos devemos ser cooperadores.
Provavelmente Paulo tinha a intenção de dizer que os obreiros cristãos são cooperadores com Deus, ou que os cristãos que cooperam uns com os outros pertencem a Deus. O objetivo de Paulo fica mais claro a partir do contexto: somente Deus é o responsável pelo êxito do ministério cristão.
Paulo passa da metáfora da vinha (vs. 6-8) para a do construtor, ao nos falar que de Deus o povo era lavoura e edifício dele e eles, cooperadores com o verdadeiro Agricultor e Construtor.
Cada um tem o seu papel definido nas obras de Deus. Chamado para proclamar o evangelho em lugares onde este não era conhecido, Paulo decidiu concentrar a sua pregação no Cristo crucificado. Então, de forma prudente, literalmente, "sábio", ele faz uma alusão ao discurso anterior sobre a sabedoria verdadeira (1.17ss.; 2.9-10).
Embora seja o construtor, o fundamento deve ser Cristo e se alguém construir sobre esse fundamento, prosperará; se não, não. Esses versículos - 12 ao 15 - tratam especificamente da avaliação do ministério cristão.
Alguns construtores em Corinto buscavam participar da obra de Deus, mas, como confiavam apenas na sabedoria humana, usavam materiais perecíveis ("madeira, feno, palha") que não sobreviverão quando forem revelados pelo fogo do julgamento de Deus.
Os próprios construtores escaparão por pouco da destruição. Paulo advertiu aos membros da igreja em Corinto que eles, como o templo de Salomão (1 Cr 22.14-16), deveriam ser edificados com o que é permanente.
Paulo então faz uma revelação interessante do que é e do papel de cada crente no reino de Deus. Ele os chama de santuário de Deus.
Assim como Deus demonstrou a sua presença no templo ao enchê-lo com a nuvem de sua glória (1 Rs 8.10-11), do mesmo modo habita com seu povo ao enchê-los com o Espírito.
Aqui, Paulo focaliza a atenção no povo de Deus como uma corporação, mas em 6.19 mudará o foco para os indivíduos que a compõem.
Paulo indica a possibilidade de que alguns "construtores" em Corinto não apenas usavam materiais perecíveis como também destruíam a obra de Deus. Estes não seriam poupados no dia do julgamento.
Já nos vs. 18 a 20, Paulo volta a falar de modo mais direito sobre o contraste entre a sabedoria divina e a humana.
Em função disso, ninguém – vs. 21 – deveria se gloriar. Uma vez que Cristo é de Deus e os cristãos são de Cristo (vs. 23), os seguidores de Cristo irão reinar na nova terra quando Cristo retornar (2Tm 2.12; Ap 2.26-27).
Em vista da herança valiosa que está reservada aos coríntios, percebe-se o absurdo das brigas e insensatez da igreja em relação a seus líderes ("Eu sou de", 1.12).
Além disso, esse "tudo" que pertence aos cristãos (veja Rm 8.17; Hb 1.2) também inclui os líderes da igreja.
Ora, se esses líderes lhe pertencem, é tolice ficar com ciúmes deles. Essa falta de gratidão demonstrada pelos coríntios quanto aos privilégios que o cristão possui também é salientada em 6.2.
I Co 3:1 Eu, porém, irmãos,
não vos pude falar como a espirituais,
e sim como a carnais, como a crianças em Cristo.
I Co 3:2 Leite vos dei a beber,
não vos dei alimento sólido;
porque ainda não podíeis suportá-lo.
Nem ainda agora podeis,
porque ainda sois carnais.
I Co 3:3 Porquanto, havendo entre vós
ciúmes e contendas,
não é assim que sois carnais
e andais segundo o homem?
I Co 3:4 Quando, pois, alguém diz:
Eu sou de Paulo,
e outro:
Eu, de Apolo,
não é evidente que andais segundo os homens?
I Co 3:5 Quem é Apolo?
E quem é Paulo?
Servos por meio de quem crestes,
e isto conforme o Senhor concedeu a cada um.
I Co 3:6 Eu plantei,
Apolo regou;
mas o crescimento veio de Deus.
I Co 3:7 De modo que nem o que planta é alguma coisa,
nem o que rega,
mas Deus, que dá o crescimento.
I Co 3:8 Ora, o que planta e o que rega são um;
e cada um receberá o seu galardão,
segundo o seu próprio trabalho.
I Co 3:9 Porque de Deus
somos cooperadores;
lavoura de Deus,
edifício de Deus sois vós.
I Co 3:10 Segundo a graça de Deus que me foi dada,
lancei o fundamento como prudente construtor;
e outro edifica sobre ele.
Porém cada um veja como edifica.
I Co 3:11 Porque ninguém pode lançar outro fundamento,
além do que foi posto,
o qual é Jesus Cristo.
I Co 3:12 Contudo, se o que alguém edifica sobre o fundamento
é ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno, palha,
I Co 3:13 manifesta se tornará a obra de cada um;
pois o Dia a demonstrará,
porque está sendo revelada pelo fogo;
 e qual seja a obra de cada um
o próprio fogo o provará.
I Co 3:14 Se permanecer a obra de alguém que sobre o fundamento edificou,
esse receberá galardão;
I Co 3:15 se a obra de alguém se queimar,
sofrerá ele dano;
mas esse mesmo será salvo,
todavia, como que através do fogo.
I Co 3:16 Não sabeis que sois santuário de Deus
e que o Espírito de Deus habita em vós?
I Co 3:17 Se alguém destruir o santuário de Deus,
Deus o destruirá;
porque o santuário de Deus,
que sois vós,
é sagrado.
I Co 3:18 Ninguém se engane a si mesmo:
se alguém dentre vós se tem por sábio neste século,
faça-se estulto para se tornar sábio.
I Co 3:19 Porque a sabedoria deste mundo
é loucura diante de Deus;
porquanto está escrito:
Ele apanha os sábios na própria astúcia deles.
I Co 3:20 E outra vez:
O Senhor conhece os pensamentos dos sábios,
que são pensamentos vãos.
I Co 3:21 Portanto, ninguém se glorie nos homens;
porque tudo é vosso:
I Co 3:22 seja Paulo,
seja Apolo,
seja Cefas,
seja o mundo,
seja a vida,
seja a morte,
sejam as coisas presentes,
sejam as futuras,
tudo é vosso,
I Co 3:23 e vós, de Cristo,
e Cristo,
de Deus.
A finalização deste capítulo é muito interessante em relação à ideia que Paulo está desenvolvendo e nos diz que a glória não deve ser dos homens, mas de Deus. Assim, Paulo, Cefas, Apolo, mundo, vida, morte, coisas presentes e futuras, tudo é nosso e nós de Cristo e Cristo de Deus.
Ficaria muito interessante se trocássemos Paulo, Cefas, Apolo, no texto acima, por Batistas, Presbiterianos, Metodistas, Assembleianos, etc... Sou eu contra os Batistas, Presbiterianos, Metodistas, Assembleianos, etc.? Nunca! Deveriam se unificar e ser apenas uma igreja? Também não creio. Assim, tudo é nosso e nós somos de Cristo e Cristo de Deus!
p.s.: link da imagem original:
Contagem regressiva: Faltam 126 dias para 20/04/16 (Inicio: 05/05/15). Tu, SENHOR, conservarás em perfeita paz aquele cujo propósito é firme; porque ele confia em ti. (Is 26.3).
A Deus toda glória! p/ pr. Daniel Deusdete.
...

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.