segunda-feira, 27 de abril de 2015

Ezequiel 28:1-26 - PROFECIAS CONTRA O REI DE TIRO. A ORIGEM DE SATANÁS?

Para nos situarmos na leitura e não perdemos nosso foco, estamos estudando o livro de Ezequiel composto de 48 capítulos. Ainda, estamos na parte II, no capítulo 28, o último dessa parte II.
Ressaltamos que entre os oráculos de advertência sobre a destruição de Jerusalém (caps. 1-24) e as profecias de esperança e restauração (caps. 33-48), Ezequiel, o profeta, o filho do homem, incluiu uma seção de oráculos contra outras nações.
II. PROFECIAS CONTRA AS NAÇÕES (25.1-32.32).
A. Amom (25.1-7) – já vista; B. Moabe (25.8-11) – já vista; C. Edom (25.12-14) – já vista; D. Filístia (25.15-17) – já vista; E. Fenícia (26.1-28.26) – concluiremos agora; F. Egito (29.1-32.32).
E. Fenícia (26.1-28.26) - continuação.
Como já dissemos, até o capítulo 28, estamos vendo as palavras proféticas contra a Fenícia, vizinhos de Israel, principalmente Tiro (26.1-28.19).
Os capítulos foram divididos em cinco subseções, cada uma introduzida pela frase "veio a mim a palavra do SENHOR": 1. Profecia de julgamento contra Tiro (26.1-21) – já vimos; 2. Lamento por Tiro (27.1-36) – já vimos; 3. Profecia de julgamento contra o rei de Tiro (28.1-10) – veremos agora; 4. Lamento pelo rei de Tiro (28.11-19) – veremos agora; e, 5. Profecia de julgamento contra Sidom (28.20-26) – veremos agora também.
3. Profecia de julgamento contra o rei de Tiro (28.1-10).
Neste capítulo veremos um lamento do profeta por Tiro.
Até o verso 10, veremos o oráculo de julgamento contra o rei de Tiro. Ezequiel prosseguiu com seus anúncios de julgamento sobre Tiro, mas dessa vez ele voltou a sua atenção para o seu rei.
A palavra do Senhor veio novamente ao seu profeta para ele se dirigir, especificamente, agora contra o rei de Tiro que tinha se elevado e muito o seu coração afirmando, inclusive, ser deus e que na cadeira dos deuses se assentava, no meio dos mares, ou no coração dos mares.
Na mitologia de grande parte do antigo Oriente Próximo (ver BEG), as profundezas da água ou o oceano primitivo simbolizavam a morte e o caos.
Em vários relatos da criação descobertos por arqueólogos, um deus ou deuses matam um dragão ou monstro do mar chamado "o Mar" como parte da criação, subjugando, assim, a ameaça de caos à ordem criada.
Os deuses, então, governam sobre o mar. Na Bíblia, o mar não representa qualquer ameaça para Deus; Deus o controla com facilidade.
Na descrição de Ezequiel, o rei de Tiro, em razão da imensa riqueza, bravura e segurança da ilha, considerava-se como um deus reinando sobre o mar (cf SI 29.10; Ap 17.1,15). Mas o mar (como um símbolo da morte) o engoliria (26.19-20; 28.8).
Apesar de assim crer e se chamar de deus, assentando-se em seu trono, no coração dos mares – vs. 2 –, ele não passava de um homem e não de um deus.
Dos versos de 3 ao 10, o senhor descreve um pouco mais dele e nos surpreende com alguns fatos:
·         Era mais sábio do que Daniel.
·         Nenhum segredo poderia se ocultar dele.
·         Tinha muita sabedoria e entendimento e com isso alcançou facilmente riquezas, prata e muito ouro.
·         Habilidoso e muito sábio no comércio.
Por conta disso tudo, o rei de Tiro deixou seu coração elevá-lo, exaltá-lo, a ponto de ser considerado como se fosse de um deus. Em resposta, Deus, o verdadeiro Senhor iria trazer sobre ele alguns juízos bem terríveis.
·         Os estrangeiros, os mais terríveis deles, o atacariam.
·         Eles usariam as suas espadas contra a formosura da sua sabedoria e manchariam o seu resplendor.
·         Eles o fariam descer à cova, sendo morto de forma transpassada.
·         Sua morte se daria no meio dos mares, onde julgava se assentar como deus.
Depois de morto, poderia ainda dizer que era deus? Pergunta retórica. Não, ele não poderia afirmar mais isso. Nas mãos de estrangeiros ele seria morto, afirmou em sua palavra o Senhor Deus, único e verdadeiro Deus e Senhor.
4. Lamento pelo rei de Tiro (28.11-19).
Dos versos de 11 ao 19, veremos um lamento pelo rei de Tiro. O julgamento predito para o rei de Tiro levou ao lamento por ele.
A lamentação sobre o rei de Tiro é também muito curiosa e cheia de mistério, como foi o fato de ele ser considerado mais sábio do que Daniel – vs. 3.
Vejamos algumas de suas características peculiares e especiais:
·         Ele era o selo da perfeição.
·         Era cheio de sabedoria e perfeito em formosura.
·         Esteve no Éden, jardim de Deus.
·         Ele se cobria de toda pedra preciosa: a cornalina, o topázio, o ônix, a crisólita, o berilo, o jaspe, a safira, a granada, a esmeralda e o ouro. (São dez pedras preciosas, quase todas elas da mesma que é citada em Apocalipse 21:19 e 20 que narram os fundamentos do muro da cidade adornados de 12 pedras preciosas:
ü  O primeiro fundamento era de jaspe;
ü  o segundo, de safira;
ü  o terceiro, de calcedônia;
ü  o quarto, de esmeralda;
ü  o quinto, de sardônica;
ü  o sexto, de sárdio;
ü  o sétimo, de crisólito;
ü  o oitavo, de berilo;
ü  o nono, de topázio;
ü  o décimo, de crisópraso;
ü  o undécimo, de jacinto;
ü  o duodécimo, de ametista.
·         Nele se faziam os seus tambores e os seus pífaros e no dia em que ele foi criado, foram preparados.
·         Foi ele colocado com o querubim da guarda e esteve sobre o monte santo de Deus.
·         Andou no meio das pedras afogueadas.
·         Ele era perfeito em seus caminhos, desde o dia em que foi criado, até que nele se achou iniquidade.
·         Pela abundancia de seu comércio, teve o coração cheio de violência, e pecou, pelo que foi lançado, profanado, fora do monte de Deus.
·         Foi expulso pelo querubim da guarda do meio das pedras afogueadas.
·         Elevou-se o seu coração por causa da sua formosura.
·         Corrompeu-se a sua sabedoria por causa do seu resplendor.
·         Por terra foi lançado e diante dos reis foi exposto para que fosse contemplado.
·         Pela multidão das suas iniquidades, na injustiça do seu comércio, profanou os seus santuários.
·         Deus fez sair do meio dele um fogo que o consumiu e se tornou em cinza sobre a terra, à vista de todos os que o contemplavam.
·         Todos os que o conheciam entre os povos estavam espantados dele porque chegou a um fim horrível.
·         Por fim, não mais existirá.
Na verdade, o rei de Tiro era Etbaal. A BEG nos diz que Ezequiel descreveu o favor de Deus para com Etbaal, descrevendo-o como um ser primitivo, uma figura como Adão, a coroa e epítome da criação, vivendo num jardim paradisíaco feito por Deus. O rei glorioso permaneceu nesse lugar até que a iniquidade foi encontrada nele (v. 15). Alguns intérpretes avaliam Ezequiel descrevendo o rei de Tiro como se fosse Satanás, um ser glorioso que caiu da graça (1Tm 3.6).
Ezequiel conjugou duas imagens com respeito ao lugar de habitação de Deus: um jardim (Gn 2-3) e uma montanha (Êx 19.23; Dt 33.2; SI 43.3; 48.1; 87.1; 99.9; Is 27.13; 56.7; 57.13; 66.20; Ez 20.40; Ap 21.10).
O templo integrou esses temas: estava localizado no monte Sião e decorado com motivos florais de um jardim (1 Rs 6.29,32,35; 7.18,20,22,36,42; 2Cr 3.5; Ez 40.16,22,26,31,34,37, 41.18-20,25-27).
O que dizer dessa descrição e o apontamento dessas características não peculiares a homem algum dessa terra, nem mesmo comparável a Adão que foi o primeiro homem?
5. Profecia de julgamento contra Sidom (28.20-26).
Aqui, novamente veio ao profeta a palavra do Senhor que dos versos 20 ao 26 fala do oráculo de julgamento contra Sidom. Sidom era comumente mencionada ao lado de Tiro, seu parceiro comercial, localizado 40 km ao sul, na costa Mediterrânea.
O Senhor manda dizer que era contra Sidom e que no meio dela seria glorificado e somente assim saberiam que ele é o Senhor ou seja, somente quando nela o Senhor executar os seus juízos e nela se santificar.
Peste e sangue seriam enviados contra ela e também a espada por todos os lados e novamente lhe é dito que dessa forma haveriam de saber que o Senhor é Deus.
Quando isso acontecesse à casa de Israel, nunca mais teria espinho que a ferisse, nem abrolho que lhe causasse dores entre os que se achavam ao seu redor e que a desprezavam e novamente assim, saberiam que o Senhor é Deus.
Deus levaria o seu povo de volta para a sua terra. Israel floresceria, uma vez que as nações que haviam sido suas adversárias estariam eliminadas.
Ez 28:1 De novo veio a mim a palavra do Senhor, dizendo:
Ez 28:2 Filho do homem, dize ao príncipe de Tiro:
Assim diz o Senhor Deus:
Visto como se elevou o teu coração, e disseste:
Eu sou um deus,
na cadeira dos deuses me assento,
no meio dos mares;
todavia tu és homem, e não deus,
embora consideres o teu coração como se fora
o coração de um deus.
Ez 28:3 com efeito és mais sábio que Daniel;
não há segredo algum que se possa esconder de ti.
Ez 28:4 Pela tua sabedoria e pelo teu entendimento
alcançaste para ti riquezas,
e adquiriste ouro e prata nos teus tesouros.
Ez 28:5 Pela tua grande sabedoria no comércio
aumentaste as tuas riquezas,
e por causa das tuas riquezas eleva-se o teu coração;
Ez 28:6 portanto, assim diz o Senhor Deus:
Pois que consideras o teu coração como se fora o coração de um deus,
Ez 28:7 por isso eis que eu trarei sobre ti estrangeiros,
os mais terríveis dentre as nações,
os quais desembainharão as suas espadas contra a formosura
da tua sabedoria, e mancharão o teu resplendor.
Ez 28:8 Eles te farão descer à cova;
e morrerás da morte dos traspassados, no meio dos mares.
Ez 28:9 Acaso dirás ainda diante daquele que te matar:
Eu sou um deus?
mas tu és um homem, e não um deus,
na mão do que te traspassa.
Ez 28:10 Da morte dos incircuncisos morrerás,
por mão de estrangeiros; pois eu o falei, diz o Senhor Deus.
Ez 28:11 Veio mais a mim a palavra do Senhor, dizendo:
Ez 28:12 Filho do homem, levanta uma lamentação
sobre o rei de Tiro, e dize-te:
Assim diz o Senhor Deus:
Tu eras o selo da perfeição,
cheio de sabedoria e perfeito em formosura.
Ez 28:13 Estiveste no Éden, jardim de Deus;
cobrias-te de toda pedra preciosa:
a cornalina, o topázio, o ônix, a crisólita,
o berilo, o jaspe, a safira, a granada,
a esmeralda e o ouro.
Em ti se faziam os teus tambores e os teus pífaros;
no dia em que foste criado foram preparados.
Ez 28:14 Eu te coloquei com o querubim da guarda;
estiveste sobre o monte santo de Deus;
andaste no meio das pedras afogueadas.
Ez 28:15 Perfeito eras nos teus caminhos,
desde o dia em que foste criado,
até que em ti se achou iniqüidade.
Ez 28:16 Pela abundância do teu comércio
o teu coração se encheu de violência, e pecaste;
pelo que te lancei, profanado,
fora do monte de Deus,
e o querubim da guarda te expulsou
do meio das pedras afogueadas.
Ez 28:17 Elevou-se o teu coração por causa
da tua formosura, corrompeste a tua sabedoria
por causa do teu resplendor;
por terra te lancei;
diante dos reis te pus, para que te contemplem.
Ez 28:18 Pela multidão das tuas iniqüidades,
na injustiça do teu comércio,
profanaste os teus santuários;
eu, pois, fiz sair do meio de ti um fogo,
que te consumiu a ti,
e te tornei em cinza sobre a terra,
à vista de todos os que te contemplavam.
Ez 28:19 Todos os que te conhecem entre os povos
estão espantados de ti;
chegaste a um fim horrível, e não mais existirás,
por todo o sempre.
Ez 28:20 Novamente veio a mim a palavra do Senhor, dizendo:
Ez 28:21 Filho do homem, dirige o teu rosto para Sidom,
e profetiza contra ela, Ez 28:22 e dize:
Assim diz o Senhor Deus:
Eis-me contra ti, ó Sidom, e serei glorificado no meio de ti;
e saberão que eu sou o Senhor,
quando nela executar juizos e nela me santificar.
Ez 28:23 Pois lhe enviarei peste e sangue nas suas ruas;
e os traspassados cairão no meio dela,
estando a espada contra ela por todos os lados;
e saberão que eu sou o Senhor.
Ez 28:24 E a casa de Israel nunca mais terá espinho que a fira,
nem abrolho que lhe cause dor,
entre os que se acham ao redor deles
e que os desprezam;
e saberão que eu sou o Senhor Deus.
Ez 28:25 Assim diz o Senhor Deus:
Quando eu congregar a casa de Israel dentre os povos
entre os quais estão espalhados,
e eu me santificar entre eles, à vista das nações,
então habitarão na sua terra que dei a meu servo, a Jacó.
Ez 28:26 E habitarão nela seguros; sim,
edificarão casas, e plantarão vinhas,
e habitarão seguros,
quando eu executar juízos contra todos
os que estão ao seu redor
e que os desprezam;
e saberão que eu sou o Senhor seu Deus.
Os profetas muitas vezes descreviam a futura bênção de Deus para Israel em termos de prosperidade agrícola (36.29-30; 1 Rs 4.25; 2Rs 18.31; Is 36.16; 65.21-22; Jr 32.15; JI 3.18; Am 9.13-15; Mq 4.4; Zc 3.10), como é o caso aqui:
·         Edificarão casas.
·         Plantarão vinhas.
·         Habitarão seguros.
No entanto, somente quando o Senhor executasse o seu juízo contra todos os que a rodeavam e que a desprezavam e, novamente, pela quarta vez, somente neste trecho de 20 a 26, é que saberão que o Senhor é Deus.
p.s.: link da imagem original:
Contagem regressiva: Faltam 99 dias para 04/08/2015, quando eu irei concluir a Segmentação de toda a Bíblia.

A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdetehttp://www.jamaisdesista.com.br
...


Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.