quarta-feira, 22 de abril de 2015

Ezequiel 23:1-49 - OOLÁ E OOLIBÁ - SAMARIA E JERUSALÉM, EXPERIENTES NA PROSTITUIÇÃO

Para nos situarmos na leitura e não perdemos nosso foco, estamos estudando o livro de Ezequiel composto de 48 capítulos. Veja em nosso mapa de leitura, a seguir, que ainda estamos no primeiro capítulo “I”, agora na segunda parte “B”, na terceira seção “3”, alínea “l”, estamos no capítulo 23:
I. JULGAMENTO SOBRE JUDÁ E JERUSALÉM (1.1-24.27).
B. A segunda série de visões, a vocação, os atos simbólicos e os discursos relacionados de Ezequiel (8.1-24.27).
3. Discursos relacionados (12.21-24.27) - continuação.
l. A parábola das duas irmãs meretrizes (23.1-49).
Aqui neste capítulo veremos, nesses próximos 49 versículos, a parábola das duas irmãs meretrizes. Uma alegoria na qual Ezequiel apresenta Samaria e Jerusalém como duas irmãs meretrizes. "Oolá" representava Samaria, a capital do Reino do Norte, enquanto "Oolibá" representava Jerusalém, capital do Reino do Sul (20.4).
Ao profeta de Deus veio a palavra do Senhor explicando que havia duas mulheres, filhas da mesma mãe, que se prostituiram no Egito, desde a sua mocidade.
Ezequiel descreve primeiro Oolá (vs. 4-10) e, depois, a sua irmã (vs. 11-35); ele, depois, resume a história delas e pronuncia a sentença de ambas (vs. 36-49).
Embora Ezequiel enfatizasse que cada pessoa e cada geração assumiria a responsabilidade pelos seus próprios pecados (18.1-32), ele também entendia a culpa como cumulativa e a punição como prorrogada. Aqui os pecados pelos quais os dois reinos deveriam ser julgados haviam começado com a sua prostituição no Egito - 16.26; 20.4-9.
Oolá (vs. 4-10).
As irmãs eram as "esposas" do Senhor, isto é, tinham um relacionamento de aliança com ele e ambas enamoraram-se dos seus amantes. Oolá enamorouse dos assírios, os seus vizinhos, que se vestiam de azul, governadores e magistrados, mancebos cobiçáveis, cavaleiros montados a cavalo.
Alianças estrangeiras quebraram o juramento de Israel de fidelidade exclusiva ao Senhor tanto quanto a idolatria o fizera (vs. 5-10; 16.26-29; Os 8.9). Sua prostituição não assegurou a admiração ou afeição dos amantes assírios - muito pelo contrário (23.9-10). A Assíria destruiu o Reino do Norte (2Rs 17.5-6).
Cometeu ela devassidões com eles, os assírios e contaminou-se com os ídolos de quem se enamorava. Também pudera, estava tão acostumada com os egípcios e suas prostituições. O resultado agora é que ela seria entregue nas mãos de seus amantes que descobririam a sua nudez e levariam os seus filhos, mas a ela matariam à espada.
Tornou-se, destarte, um provérbio entre as mulheres pois sobre ela foram executados os juízos de Deus.
Oolibá (vs. 11-35).
A sua irmã Oolibá, de quem se esperaria maior temor, praticou devassidões ainda maiores. Em vez de aprender com a experiência de Samaria, Jerusalém fez ainda pior.
Após a destruição do Reino do Norte, a Assíria foi a força política dominante em Judá durante o século seguinte (2Rs 15.29; 16.7-10; 17.3-6; 18-19; 2Cr 28.16-21; 30.6; 32.1-22; 33.11). Textos extra bíblicos também confirmam contatos com os reis da Assíria tanto por parte de Israel quanto de Judá.
Judá selou alianças contra a Assíria com a Babilónia (2Rs 20.12-18; 23. 29, 2Cr 33.11; Is 39.1). De vez em quando, a política a favor da Babilônia tornava-se contrária à Babilônia (23.7) e incluía aberturas em relação ao Egito (23.19-21).
Jerusalém que deveria ser fiel ao Senhor não resistiu aos encantos dos assírios, nem dos babilônios, nem dos egípcios e com eles todos se prostituiu. Era fraca a sua carne, vontade e desejos, por isso era abusada e se tornou devassa e totalmente alienada.
A descrição é tão forte que no verso 20, Ezequiel fala dos membros e dos fluxos de seus amantes, como que fazendo uma alusão à bestialidade, uma ofensa capital em Israel (veja Ex 22.19).
No entanto, ela era viciada na luxuria desde a sua mocidade quando esteve no Egito que lhe fazia carícias que ela tanto gostava. Por isso, o Senhor Deus contra ela suscitaria os seus amantes com as quais sua alma se alienara e os traria de todos os lados, de Pecode, Soa, Coa.
Lugares identificados corno tribos arameias que ocupavam áreas a leste do rio Tigre. Tribos com nomes aproximadamente semelhantes a esses são conhecidas nessa região a partir de inscrições assírias e babilônias.
E eles viriam contra ela com armas, carros e carroças e com ajuntamento de povos prontos a executarem nela os seus juízos que eram da parte de Deus.
Deus estaria contra ela, por isso viriam contudo contra Jerusalém e tomariam os seus filhos e filhas e depois poriam fogo que queimariam os seus vestidos e tomariam as suas joias de adorno e assim, o Senhor faria cessar toda a sua luxuria e a sua prostituição trazida desde a sua mocidade, trazida dos tempos do Egito, de modo que seria realmente forte a ponto de fazê-la esquecer de tudo isso do passado.
Eles, os seus amantes, iriam fazer tudo isso com ela com grande zelo e ódio, levando todo o fruto do trabalho dela e deixando-a nua e despida, descoberta e exposta a vergonha da sua prostituição. Tudo isso aconteceria porque ela se prostituiu após as nações e se contaminou com os seus ídolos – vs. 30.
Dos versos 31 ao 34, uma exposição do cálice da ira do Senhor contra ela que andou no caminho das prostituições de sua irmã. Ela iria beber o cálice da irmã que tinha as seguintes e interessantes características:
·         Era fundo e largo.
·         Serviria de riso e escárnio, pois que era muito grande.
·         Provocaria embriaguez, mas também tristeza por causa da dor decorrente.
·         Seria sorvido com espanto e assolação.
·         Até a última gota seria bebido e esgotado.
·         Roeria os seus cascos e rasgarias os seus próprios peitos.
O copo ou a taça se refere a uma metáfora comum na Bíblia, algumas vezes simbólica das bênçãos de Deus (SI 16.5; 23.5; 116.13; 1Co 10.16), e outras vezes da sua fúria e ira (75.7-8; Is 51.17-20; Jr 25.12-29; 49.12; 51.7; Lm 4.21; Hc 2.16; Zc 12.2; Ap 14.9-11).
O cálice da ira de Deus era o cálice a respeito do qual Jesus orou no jardim do Getsêmani (Mt 26.39,42) e foi o foco principal no relato de João sobre a crucificação (Jo 18.11; 19.28-30).
Tudo aconteceria porque o Senhor falou! Se tivessem prestado atenção, teriam sidos poupados dessas desgraças. Porque se esqueceram dele, do Senhor e o lançaram para trás, também agora carregariam a sua própria luxuria e as suas próprias devassidões. Isso nos remete a Romanos 1 quando o Senhor resolve entregar cada um a si mesmo por causa da rejeição dele.
Resumo da história de Oolá e Oolibá – Pronunciamento da Sentença de ambas (vs. 36-49).
No verso 36, uma pergunta retórica a Ezequiel que haveria de julgar Oolá e Oolibá por causa de suas abominações.
Elas tinham se adulterado e sangue se achava em suas mãos. Com seus ídolos adulteraram e até seus filhos, que do Senhor tinham sido gerados, foram oferecidos em holocausto para serem consumidos – vs. 37.
Também contaminaram o seu santuário e profanaram os seus sábados, no meio do dia, a plena luz do dia, sem demonstrarem nenhuma reverencia ou temor a Deus. As descrições de suas abominações continua a ser citada, até o verso 45.
Ez 23:1 Veio mais a mim a palavra do Senhor, dizendo:
Ez 23:2 Filho do homem, houve duas mulheres, filhas da mesma mãe.
Ez 23:3 Estas se prostituíram no Egito;
prostituíram-se na sua mocidade;
ali foram apertados os seus peitos,
e ali foram apalpados os seios da sua virgindade.
Ez 23:4 E os seus nomes eram:
Aolá, a mais velha,
e Aolibá, sua irmã;
e foram minhas, e tiveram filhos e filhas;
e, quanto aos seus nomes,
Samária é Aolá,
e Jerusalém é Aolibá.
Ez 23:5 Ora prostituiu-se Aolá, sendo minha;
e enamorou-se dos seus amantes, dos assírios, seus vizinhos,
Ez 23:6 que se vestiam de azul, governadores e magistrados,
todos mancebos cobiçáveis, cavaleiros montados a cavalo.
Ez 23:7 Assim cometeu ela as suas devassidões com eles,
que eram todos a flor dos filhos da Assíria;
e contaminou-se com todos os ídolos de quem se enamorava.
Ez 23:8 E não deixou as suas impudicícias, que trouxe do Egito;
pois muitos se deitaram com ela na sua mocidade,
e apalparam os seios da sua virgindade,
e derramaram sobre ela a sua impudicícia.
Ez 23:9 Portanto a entreguei na mão dos seus amantes,
na mão dos filhos da Assíria, de quem se enamoravam.
Ez 23:10 Estes se descobriram a sua vergonha;
levaram-lhe os filhos e as filhas;
e a ela mataram-na à espada;
e ela se tornou um provérbio entre as mulheres;
pois sobre ela executaram juízos.
Ez 23:11 Viu isso sua irmã Aolibá;
contudo se corrompeu na sua paixão mais do que ela,
como também nas suas devassidões,
que eram piores do que as de sua irmã.
Ez 23:12 Enamorou-se dos filhos da Assíria, dos governadores
e dos magistrados seus vizinhos, vestidos com primor,
cavaleiros que andam montados em cavalos,
todos mancebos cobiçáveis.
Ez 23:13 E vi que se tinha contaminado;
o caminho de ambas era o mesmo.
Ez 23:14 E ela aumentou as suas impudicícias;
porque viu homens pintados na parede, imagens dos caldeus,
pintadas de vermelho,
Ez 23:15 com os seus lombos cingidos,
tendo largos turbantes sobre as cabeças,
todos com o parecer de príncipes,
semelhantes aos filhos de Babilônia em Caldéia,
terra do seu nascimento.
Ez 23:16 Ela se apaixonou deles, ao lançar sobre eles os olhos;
e lhes mandou mensageiros até Caldéia.
Ez 23:17 Então vieram a ela os filhos de Babilônia
para o leito dos amores,
e a contaminaram com as suas impudicícias;
e ela se contaminou com eles;
então a sua alma deles se alienou.
Ez 23:18 Assim pôs a descoberto as suas devassidões,
e descobriu a sua vergonha;
então a minha alma se alienou dela,
assim como já se alienara a minha alma de sua irmã.
Ez 23:19 Todavia ela multiplicou as suas prostituições,
lembrando-se dos dias da sua mocidade,
em que se prostituira na terra do Egito,
Ez 23:20 apaixonando-se dos seus amantes,
cujas carnes eram como as de jumentos,
e cujo fluxo era como o de cavalos.
Ez 23:21 Assim desejaste a luxúria da tua mocidade,
quando os egípcios apalpavam os teus seios,
para violentar os peitos da tua mocidade.
Ez 23:22 Por isso, ó Aolibá, assim diz o Senhor Deus:
Eis que eu suscitarei contra ti os teus amantes,
dos quais se alienara a tua alma,
e os trarei contra ti de todos os lados:
Ez 23:23 Os filhos de Babilônia, e todos os caldeus de Pecode,
e de Soá, e de Coa, juntamente com todos os filhos da Assíria,
mancebos cobiçáveis, governadores e magistrados,
todos eles príncipes e homens de renome,
todos eles montados a cavalo.
Ez 23:24 E virão contra ti com armas, carros e carroças,
e com ajuntamento de povos;
e se porão contra ti em redor com paveses, e escudos,
e capacetes; e lhes entregarei o julgamento,
e te julgarão segundo os seus juízos.
Ez 23:25 E porei contra ti o meu zelo, e usarão de indignação contigo.
Tirar-te-ão o nariz e as orelhas;
e o que te ficar de resto cairá à espada.
Tomarão os teus filhos e as tuas filhas,
e o que em ti ficar será consumido pelo fogo.
Ez 23:26 Também te despirão os teus vestidos,
e te tomarão as tuas jóias de adorno.
Ez 23:27 Assim farei cessar em ti a tua luxúria e a tua prostituição
trazida da terra do Egito; de modo que não levantarás
os teus olhos para eles,
nem te lembrarás mais do Egito.
Ez 23:28 Pois assim diz o Senhor Deus:
Eis que te entrego na mão dos que odeias,
na mão daqueles de quem está alienada a tua alma;
Ez 23:29 e eles te tratarão com ódio, e levarão todo o fruto
do teu trabalho, e te deixarão nua e despida;
e descobrir-se-á a vergonha da tua prostituição,
e a tua luxúria, e as tuas devassidões.
Ez 23:30 Estas coisas se te farão, porque te prostituíste
após as nações, e te contaminaste com os seus ídolos.
Ez 23:31 No caminho de tua irmã andaste;
por isso entregarei o seu cálice na tua mão.
Ez 23:32 Assim diz o Senhor Deus:
Beberás o cálice de tua irmã, o qual é fundo e largo;
servirás de riso e escárnio; o cálice leva muito.
Ez 23:33 De embriaguez e de dor te encherás,
do cálice de espanto e de assolação,
do cálice de tua irmã Samária.
Ez 23:34 Bebê-lo-ás pois, e esgotá-lo-ás, e roerás os seus cacos,
e te rasgarás teus próprios peitos;
pois eu o falei, diz o Senhor Deus.
Ez 23:35 Portanto, assim diz o Senhor Deus:
Como te esqueceste de mim, e me lançaste para trás das tuas costas,
também carregarás com a tua luxúria e as tuas devassidões.
Ez 23:36 Disse-me mais o Senhor:
Filho do homem, julgarás a Aolá e a Aolibá?
Mostra-lhes, então, as suas abominações.
Ez 23:37 Pois adulteraram, e sangue se acha nas suas mãos;
com os seus ídolos adulteraram,
e até lhes ofereceram em holocausto,
para serem consumidos, os seus filhos,
que de mim geraram.
Ez 23:38 E ainda isto me fizeram:
contaminaram o meu santuário no mesmo dia,
e profanaram os meus sábados
Ez 23:39 Porquanto, havendo sacrificado seus filhos aos seus ídolos,
vinham ao meu santuário no mesmo dia para o profanarem;
e eis que assim fizeram no meio da minha casa.
Ez 23:40 Além disto mandaram vir uns homens de longe,
aos quais fora enviado um mensageiro, e eis que vieram.
Por amor deles te levaste, pintaste os teus olhos,
 e te ornaste de enfeites,
Ez 23:41 e te assentaste sobre um leito de honra,
diante do qual estava uma mesa preparada;
e puseste sobre ela o meu incenso e o meu óleo.
Ez 23:42 Ouvia-se ali a voz de uma multidão satisfeita;
e com homens de classe baixa
foram trazidos beberrões do deserto;
e eles puseram braceletes nas mãos das mulheres,
e coroas de esplendor nas suas cabeças.
Ez 23:43 Então disse eu da envelhecida em adultérios:
Agora deveras se contaminarão com ela e ela com eles.
Ez 23:44 E entraram a ela, como quem entra a uma prostituta;
assim entraram a Aolá e a Aolibá, mulheres lascivas.
Ez 23:45 De maneira que homens justos são os que as julgarão
 como se julgam as adúlteras,
e como se julgam as que derramam o sangue;
porque adúlteras são, e sangue há nas suas mãos.
Ez 23:46 Pois assim diz o Senhor Deus:
Farei subir contra elas uma hoste
e as entregarei ao tumulto e ao saque.
Ez 23:47 E a hoste apedrejá-las-á, e as matará à espada;
trucidará a seus filhos e suas filhas,
e queimará as suas casas a fogo.
Ez 23:48 Assim farei cessar da terra a lascívia,
para que se escarmentem todas as mulheres,
e não procedam conforme a vossa lascivia.
Ez 23:49 E a vós vos pagarão o vosso procedimento lascivo
e levareis os pecados dos vossos ídolos;
e sabereis que eu sou o Senhor Deus.
O Senhor diz então que faria subir contra ela uma hoste e entregá-la-ia ao tumulto e ao sangue. Essa hoste haveria de apedrejá-la, matá-la à espada, trucidar os seus filhos e filhas e queimar as suas casas ao fogo.
Somente assim, entendia Deus que faria cessar da terra a lascívia e provocaria nas outras mulheres um temor e uma reverência que as afastaria de toda lascívia.
Ela receberia a devida paga de seu procedimento lascivo e levaria os pecados dos seus ídolos. Somente assim, infelizmente, poderiam saber que Deus é o Senhor.
A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdete
http://www.jamaisdesista.com.br
...


Reações:

5 comentários:

muito boa sua postagem . é sempre bom conhecermos servos de DEUS que busca ensinar da fora certa .

Um amigo meu disse que existe uma passagem na Bíblia que Deus fala que Israel é pior que uma meretriz, porque a meretriz cobra para se prostituir e Israel estava pagando. Também disse que tem uma parte que Deus manda Israel ir para outro povo porque lá eles teriam seu orgão sexual masculino maior para Israel se prostituir. Fiquei em dúvida e já procurei bastante sobre isso. É verdade ?

Já achei irmãos. Ezequiel 16:28,29,33 e 34. Muito obrigado. Deus vos abençoe !

Nao foi a ira de DEus, foi a ira de Ezequiel, que era tao corno, tao corno e apaixonado pela meretrizes que quis matá-las e falar que era a vontade de Deus, como vemos até hoje. Os mandamnetos de Deus so falam de amor, o que vai além disso, nao é de Deus e sim do homem.

Ótima explicação, glórias a Deus :)

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.