quarta-feira, 1 de abril de 2015

Ezequiel 2:1-10 - O CHAMADO E A VOCAÇÃO DE EZEQUIEL - PREGAR A PALAVRA DE DEUS!

Para nos situarmos na leitura e não perdemos nosso foco, estamos estudando o livro de Ezequiel composto de 48 capítulos. Veja em nosso mapa de leitura que estamos no primeiro capítulo “I”, na primeira parte “A”, na primeira seção “1”:
I. JULGAMENTO SOBRE JUDÁ E JERUSALÉM (1.1-24.27).
A. A primeira série de visões, a vocação, os atos simbólicos e os discursos relacionados de Ezequiel (1.1-7.27).
1. Visão e vocação (1.1-3.27) – estamos vendo agora;
2. Os atos simbólicos (4.1-5.4);
3. Discursos relacionados (5.5-7.27). 
1. Visão e vocação (1.1-3.27) - continuação.
Como já dissemos, até 3.27, estaremos vendo a visão impressionante de Ezequiel e sua vocação. O livro inicia com o registro de Ezequiel a respeito de sua visão da impressionante carruagem de Deus (1.1-28) e a vocação recebida de Deus (2.1-3.27). Também aqui dividiremos em duas partes: a. A visão da carruagem de Deus (1.1-28) – já vista; b. A vocação de Ezequiel (2.1-3.27) – iniciaremos agora.
b. A vocação de Ezequiel (2.1-3.27).
Estaremos, neste capítulo, vendo o chamado de Ezequiel e como se deu a sua vocação.
Deus chamou Ezequiel para proclamar sua palavra aos israelitas no exílio, bem como aos que permaneceram em Judá. Ele instruiu o profeta a proclamar provações e destruição ao povo como evidência desse julgamento contra eles.
Em outras narrativas de chamado, depois que o juiz ou profeta tivesse sido iniciado na presença divina, Deus anunciava a sua vocação, a qual, normalmente incluía a afirmação de que Deus o estava enviando (2.3; Ex 3.10; Jz 6.14; Is 6.8; Jr 1.7).
Embora a vocação de Moises e de Jeremias estivesse centralizada ao redor do anúncio do julgamento divino às nações gentílicas (Ex 3.10; Jr 1.10), Ezequiel foi enviado para anunciar julgamento contra Israel.
A primeira frase que Deus diz para ele, depois dessa visão, ou melhor, no meio dela, por causa da voz que ele ouvia, a segunda voz, sendo a primeira em 1:25, de forma expressa, dizia a ele “Filho do homem”.
Deus fala a Ezequiel usando essa fórmula de tratamento mais de noventa vezes. A expressão significa "pessoa, ser humano", e enfatizava a humanidade e fragilidade de Ezequiel, ainda mais pronunciada diante dessa proximidade de sua visão da glória de Deus em seu trono.
Esse emprego da expressão "filho do homem" difere de sua utilização por mais de setenta e cinco vezes nos Evangelhos como a autodesignação preferida de Jesus (p. ex., Mt 8.20; 9.6; 10.23; 11.19; 12.8,32,40; 13.37,41 – são 69 delas nos evangelhos sinóticos , sendo 12 somente no evangelho de João).
O emprego dessa expressão por Jesus está relacionado a Dn 7.13-14, como sendo um ser sobrenatural trazendo o poder dos céus para a terra.
Ele disse a ele para pôr-se de pé que ele falaria a ele, no entanto, foi o Espírito que entrou nele que o pôs de pé e assim pode ouvir aquele que a ele se dirigia em palavras. Deus deu a ordem para ele ficar de pé, mas sem o Espírito não pode fazê-lo, do mesmo modo, Deus nos deu a ordem de evangelizar, mas sem o Espírito não podemos evangelizar.

No Antigo Testamento, o Espírito de Deus era preeminentemente o Espírito de profecia, o Espírito que capacitava o profeta a tomar-se um canal da revelação (Nm 11.25-26,29; 1Sm 10.6; 19.20; 1 Rs 22.23-24; 2Rs 2.15; JI 2.28; Zc 7.12).
Deus estava comissionando Ezequiel e o enviando aos filhos de Israel, às nações rebeldes que se rebelaram contra ele, aos seus próprios pais que tinham transgredido contra ele até aquele dia.
Deus o estava enviando a um povo rebelde, obstinado e de coração endurecido para a eles pregar a palavra de Deus. Seria para Ezequiel dizer a eles a sua palavra legítima, quer ouvissem, quer não ouvissem por que eram casa rebelde, no entanto, independentemente do efeito da pregação, haveriam de saber que ali estivera diante deles um profeta chamado e comissionado por Deus.
A tarefa de Ezequiel era duríssima, mas não deveria temê-los, nem a eles, nem as suas palavras, ou ameaças. Ainda que contra o profeta estivessem sarças, espinhos e escorpiões - figuras representando os perseguidores daqueles que comunicavam a palavra santa de Deus contra os desejos populares (cf. 1 Rs 18.4; Jr 20.7-18; Mt 23.29-31,34,37) – Ezequiel deveria permanecer firme.
A função de Ezequiel era transmitir-lhes a sua palavra, quer ouvissem, quer deixassem de ouvi-las – vs. 7. A mesma função temos hoje, hodiernamente, com a missão de anunciar o evangelho a toda criatura – Mc 16:15.
No verso 8, Deus aconselha o profeta, o filho do homem, a não se tornar também casa rebelde e ai lhe oferece um rolo para comer.
Dos versos 9 ao 3.3, a instrução era para comer esse rolo. Uma vez que o profeta havia recebido o seu chamado, Deus, com frequência, dava um sinal para confirmá-la (Êx 3.12; Jz 6.17-22; Jr 1.11-14). Moisés havia afirmado que Deus poria a sua palavra na boca dos profetas (Dt 18.18), e aqui isso é vividamente retratado. O que o alimento representava para o corpo, a Palavra de Deus representaria para o ministério de Ezequiel.
Comumente os rolos eram escritos apenas de um lado, mas compare também com Zc 5.3 e Ap 5.1.

Nesse rolo se achavam lamentações, suspiros e ais. A primeira parte de Ezequiel contém, quase exclusivamente, oráculos de julgamento contra Judá (caps. 1-24) e contra nações estrangeiras (caps. 25-32). 
Ez 2:1 E disse-me:
Filho do homem,
põe-te em pé,
e falarei contigo.
Ez 2:2 Então, quando ele falava comigo
entrou em mim o Espírito,
e me pôs em pé,
e ouvi aquele que me falava.
Ez 2:3 E disse-me ele:
Filho do homem,
eu te envio aos filhos de Israel,
às nações rebeldes que se rebelaram contra mim;
eles e seus pais têm transgredido contra mim
até o dia de hoje.
Ez 2:4 E os filhos são de semblante duro e obstinados de coração.
Eu te envio a eles, e lhes dirás:
Assim diz o Senhor Deus.
Ez 2:5 E eles,
quer ouçam quer deixem de ouvir
(porque eles são casa rebelde),
hão de saber que esteve no meio deles
um profeta.
Ez 2:6 E tu, ó filho do homem,
não os temas,
nem temas as suas palavras;
ainda que estejam contigo sarças e espinhos,
e tu habites entre escorpiões;
não temas as suas palavras,
nem te assustes com os seus semblantes,
ainda que são casa rebelde.
Ez 2:7 Mas tu lhes dirás as minhas palavras,
quer ouçam quer deixem de ouvir,
pois são rebeldes.
Ez 2:8 Mas tu, ó filho do homem,
ouve o que te digo;
não sejas rebelde como a casa rebelde;
abre a tua boca,
e come o que eu te dou.
Ez 2:9 E quando olhei,
eis que tua mão se estendia para mim,
e eis que nela estava um rolo de livro.
Ez 2:10 E abriu-o diante de mim;
e o rolo estava escrito por dentro e por fora;
e nele se achavam escritas
lamentações,
e suspiros
e ais.
Não fomos chamados para convencer ninguém. Não fomos chamados para converter ninguém. Não fomos chamados para fazer os outros mudarem de opinião e serem conforme nós. Não fomos chamados para pressionar quem quer que seja a mudar de comportamento. Não fomos chamados para a tarefa de convencimento.
Nós fomos chamados para pregar a palavra legítima e pura de Deus que os convencerá, que os converterá, que os fará mudarem de opinião, de comportamento, que os convencerão, pelo Santo Espírito Santo de Deus que fez com que Ezequiel se colocasse de pé, depois de Deus ter-lhe dado ordens explicitas de ficar de pé.
p.s.: link da imagem original:
Contagem regressiva: Faltam 125 dias para 04/08/2015, quando eu irei concluir a Segmentação de toda a Bíblia.

A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdetehttp://www.jamaisdesista.com.br
...

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.