sexta-feira, 10 de abril de 2015

Ezequiel 11:1-25 - DAR-VOS-EI UM SÓ CORAÇÃO...

Para nos situarmos na leitura e não perdemos nosso foco, estamos estudando o livro de Ezequiel composto de 48 capítulos. Veja em nosso mapa de leitura, a seguir, que ainda estamos no primeiro capítulo “I”, agora na segunda parte “B”, na primeira seção “1”, estamos no capítulo 11:
I. JULGAMENTO SOBRE JUDÁ E JERUSALÉM (1.1-24.27).
B. A segunda série de visões, a vocação, os atos simbólicos e os discursos relacionados de Ezequiel (8.1-24.27).
1. Visões e vocação (8.1-11.25) - continuação.
Como já dissemos, até o capítulo 11, encerrando-se agora, estaremos vendo as visões e a vocação. Ezequiel teve uma visão de Jerusalém durante a qual testemunhou os pecados do povo e foi chamado para profetizar contra eles (11.4).
Neste capítulo, em síntese, veremos que serão executados os lideres maus de Jerusalém. A visão de Ezequiel continuou e ele viu os líderes de Jerusalém julgados por Deus.
Depois daquela visão da carruagem ou nave do Senhor de forma espetacular, eis que agora o Espírito do Senhor, o Espírito Santo, o levou à porta oriental da casa do Senhor, àquela que olha para o oriente e ali estavam 25 homens, sendo que, no meio deles, estava Jaazanias, filho de Azur e Pelatias, filho de Benaías, príncipe do povo.
Provavelmente esses não os mesmos vinte e cinco adoradores do sol (8.16); estes parecem ser os líderes políticos e não os sacerdotes. Este Jazanias filho de Azur, não deve ser identificado com Jazanias filho de Safã (8.11).
Disse-lhe o Espírito acerca daqueles homens que eram os que praticavam iniquidade e que davam ímpios conselhos ao povo na cidade, levando-os a praticarem o mal diante do Senhor.
Como eles não criam no Senhor e em seus profetas que instruíam o povo a ficar no cativeiro e a plantar e a colher e a prosperar na terra estrangeira – vimos isso em Jeremias -, eles zombavam dizendo que a cidade na verdade era a panela e eles, a carne.
A liderança de Jerusalém havia sido deportada por Nabucodonosor em 597 a.C.; essa deportação incluiu grande parte da família real, os líderes militares e os artesãos qualificados, deixando apenas "o povo pobre da terra" (2Rs 24.13-16).
Aqueles que alcançaram proeminência na ausência da classe dirigente anterior tinham ilusões de grandeza. A analogia proposta por eles pelo uso de uma panela de cozinhar e carne, sugere que consideravam os líderes deportados como rebotalho, vísceras de um animal abatido, e a si mesmos como as porções preferidas.
Duplamente lhe vem a instrução de profetizar contra eles e por conta disso caiu sobre ele o Espírito do Senhor. A repetição implícita da vocação de Ezequiel ao longo de toda essa seção é tornada explícita. Quando retornou aos exilados ele continuou a proclamar o que havia visto (11.14-25).
O Espírito do Senhor que caiu sobre ele disse para dizer em nome do Senhor que eles diziam aquilo sobre o fato de serem carne, mas o Senhor conhecia as suas mentes e sabia da multiplicação dos seus mortos naquela cidade enchendo as ruas deles.
Esses conspiradores haviam matado os que eram melhores do que eles mesmos - as vítimas assassinadas haviam sido a verdadeira "carne" da cidade, e a liderança atual era o rebotalho, digna apenas de ser descartada (vs. 3).
Eles temiam a espada e a espada que temiam viria sobre eles em juízo pelo mal que faziam, não andado nos estatutos do Senhor, nem executando as suas ordenanças; antes tendo procedido conforme as ordenanças das nações que estavam em redor deles.
Estava Ezequiel apenas profetizando e eis que cai morto diante dele Pelatias. O nome significa "o Senhor provê escape". Quando esse homem morreu inesperadamente durante a visão de Ezequiel, o profeta temeu que toda a esperança de escape houvesse morrido com ele. O profeta novamente intercede junto ao Senhor em favor do remanescente. Veja 3.24-27; 6.8 e compare com 9.8.
O Senhor responde a Ezequiel – vs. 14 – dizendo que aqueles homens - seus parentes e toda a casa de Israel - eram os mesmos que diziam e aconselhavam o povo a apartarem-se para bem longe do Senhor, pois a eles foi dada a terra em possessão.
Um membro da família era obrigado a redimir outro parente, ou sua propriedade, se esse crente fosse reduzido à servidão ou obrigado a vender terra da família (v 25.25-55; Rt 4), mas o exílio deu àqueles que permaneceram em Jerusalém a oportunidade de apossar-se das propriedades dos parentes deportados. Compare com 45.9-12; 46.16-18.
Depois disso, diz o Senhor para Ezequiel proclamar que ainda que Deus os tinha mandado para longe entre as nações e ainda que os havia espalhado pelas terras, todavia lhes serviria, por pouco tempo, de santuário na terra para onde foram.
Na ausência do templo em Jerusalém, o próprio Deus seria o santuário deles. Repare que bem mais tarde, o próprio Jesus tornou-se o lugar do templo (Mt 26.61; 27.40; Jo 2.19), e o seu Espírito, por sua vez, fez de seus seguidores um templo (1 Co 3.16-17; 2Co 6.16; 1 Pe 2.5).
O Senhor faz Ezequiel continuar a profetizar e anunciar um tempo que os faria retornar à sua terra dos lugares por onde os tinha espalhado para lhes dar de volta a terra de Israel, obviamente aos remanescentes.
O fato é que na história eles voltaram, mas depois foram espalhados novamente. A morte do Senhor e depois a destruição de Jerusalém em 70 d.C. fizeram com que fossem novamente espalhados por um longo tempo para serem novamente restituídos à terra, somente em 1948. Eles agora aguardam a vinda de seu Messias – não aceitaram a Jesus Cristo – o qual deverá vir em breve - dizem alguns que ele virá até 2018, quando Israel fará 70 anos de retorno à Terra Santa.
E eles virão, diz o verso 18. Virão e tirarão dela todas as suas coisas detestáveis e todas as suas abominações.
O Senhor então lhes daria – vs 18 ao 21 - um só coração com espírito novo. O objetivo de Deus no exílio era punir um povo purificado que obedeceria às suas ordens.
Ezequiel retornou ao tema de um novo coração e espírito em 18.31; 36.26. O cumprimento dessa esperança por um povo de Deus completamente renovado após o exílio ocorreu inicialmente com a primeira vinda de Jesus; ela continua à medida que os dias se estendem ao longo dos séculos e alcançará a perfeição quando Cristo retornar em glória (Jr 30.3; 31.31-34; 2Co 3.3).
Ez 11:1 Então me levantou o Espírito,
e me levou à porta oriental da casa do Senhor,
a qual olha para o oriente;
e eis que estavam à entrada da porta vinte e cinco homens,
e no meio deles vi a Jaazanias,
filho de Azur, e a Pelatias, filho de Benaías,
príncipes do povo.
Ez 11:2 E disse-me:
Filho do homem, estes são os homens que maquinam a iniqüidade,
e dão ímpio conselho nesta cidade;
Ez 11:3 os quais dizem:
Não está próximo o tempo de edificar casas;
esta cidade é a caldeira, e nós somos a carne.
Ez 11:4 Portanto, profetiza contra eles; profetiza, ó filho do homem.
Ez 11:5 E caiu sobre mim o Espírito do Senhor, e disse-me:
Fala:
Assim diz o Senhor:
Assim tendes dito, ó casa de Israel;
pois eu conheço as coisas
que vos entram na mente.
Ez 11:6 Multiplicastes os vossos mortos nesta cidade,
e enchestes as suas ruas de mortos.
Ez 11:7 Portanto, assim diz o Senhor Deus:
Vossos mortos que deitastes no meio dela, esses são a carne,
e ela é a caldeira; a vós, porém,
vos tirarei do meio dela.
Ez 11:8 Temestes a espada, e a espada eu a trarei sobre vós,
diz o Senhor Deus.
Ez 11:9 E vos farei sair do meio dela,
e vos entregarei na mão de estrangeiros,
e exercerei juízos entre vós.
Ez 11:10 Caireis à espada; nos confins de Israel vos julgarei;
e sabereis que eu sou o Senhor.
Ez 11:11 Esta cidade não vos servirá de caldeira,
nem vós servirei de carne no meio dela;
nos confins de Israel vos julgarei;
Ez 11:12 e sabereis que eu sou o Senhor;
pois não tendes andado nos meus estatutos,
nem executado as minhas ordenanças;
antes tendes procedido conforme as ordenanças
das nações que estão em redor de vós.
Ez 11:13 E aconteceu que, profetizando eu,
morreu Pelatias, filho de Benaías.
Então caí com o resto em terra,
e clamei com grande voz, e disse:
Ah Senhor Deus! darás fim cabal ao remanescente de Israel?
Ez 11:14 Então veio a mim a palavra do Senhor, dizendo:
Ez 11:15 Filho do homem, teus irmãos, os teus próprios irmãos,
os homens de teu parentesco, e toda a casa de Israel,
todos eles, são aqueles a quem os habitantes
de Jerusalém disseram:
Apartai-vos para longe do Senhor;
a nós se nos deu esta terra em possessão.
Ez 11:16 Portanto, dize:
Assim diz o Senhor Deus:
Ainda que os mandei para longe entre as nações,
e ainda que os espalhei pelas terras,
odavia lhes servirei de santuário
por um pouco de tempo,
nas terras para onde foram.
Ez 11:17 Portanto, dize:
Assim diz o senhor Deus:
Hei de ajuntar-vos do meio dos povos,
e vos recolherei do meio das terras
para onde fostes espalhados,
e vos darei a terra de Israel.
Ez 11:18 E virão ali, e tirarão dela todas as suas coisas detestáveis
e todas as suas abominações.
Ez 11:19 E lhes darei um só coração,
e porei dentro deles um novo espírito;
e tirarei da sua carne o coração de pedra,
e lhes darei um coração de carne,
Ez 11:20 para que andem nos meus estatutos,
e guardem as minhas ordenanças e as cumpram;
e eles serão o meu povo,
e eu serei o seu Deus.
Ez 11:21 Mas, quanto àqueles cujo coração andar
após as suas coisas detestáveis,
e das suas abominações,
eu farei recair nas suas cabeças o seu caminho,
diz o Senhor Deus.
Ez 11:22 Então os querubins elevaram as suas asas,
estando as rodas ao lado deles;
e a glória do Deus de Israel estava em cima sobre eles.
Ez 11:23 E a glória do Senhor se alçou desde o meio da cidade,
e se pôs sobre o monte que está ao oriente da cidade.
Ez 11:24 Então o Espírito me levantou,
e me levou na visão pelo Espírito de Deus para a Caldéia,
para os exilados.
Assim se foi de mim a visão que eu tinha visto.
Ez 11:25 E falei aos do cativeiro todas as coisas
que o Senhor me tinha mostrado.
Dos versos 22 ao 25, Ezequiel encerra a visão que começou a narrar no capítulo anterior – cap. 10. Os querubins elevaram as suas asas, estando as rodas ao lado deles e a glória do Senhor se alçou desde o meio da cidade e se pôs sobre o monte que está ao oriente da cidade. (Incrível como parece narrar uma espécie de aeronave com asas e rodas em procedimento de decolagem vertical).
Então, ali, naquele momento, o Espírito o levantou e o levou na visão pelo Espírito de Deus para a Caldéia, para os exilados. A visão então desaparece e Ezequiel, tele transportado espiritualmente, fala aos do cativeiro todas as coisas que o Senhor lhe havia mostrado de forma excepcional.
Em correspondência com a abertura dessa seção - “1. Visões e vocação (8.1-11.25)” -, Ezequiel viu a nuvem de glória retirar-se de Jerusalém e mover-se para o leste através do vale de Cedrom até o monte das Oliveiras. No entanto, Deus não havia abandonado a cidade para sempre; mais tarde Ezequiel descreverá a glória de Deus retornando a Jerusalém (cap. 43; veja 47.1-12; Zc 14.4 ; At 1.11).
p.s.: link da imagem original:
Contagem regressiva: Faltam 116 dias para 04/08/2015, quando eu irei concluir a Segmentação de toda a Bíblia.

A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdetehttp://www.jamaisdesista.com.br
...

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.