domingo, 22 de março de 2015

Jeremias 49:1-39 - PROFECIAS CONTRA MUITAS NAÇÕES.

Estamos na décima sétima parte – a penúltima -, de nossa divisão proposta de dezoito delas, nos baseando na estruturação apresentada pela BEG. Estamos no capítulo 49.
XVII. ORÁCULOS CONTRA AS NAÇÕES (46.1-51.64) - continuação.
Como já dissemos, Jeremias anunciou uma série de profecias contra outras nações. Muitas já haviam se cumprido, mostrando que as outras predições também se cumpririam. Essa seção do livro de Jeremias, de 46.1 a 51.64, é constituída de uma série de mensagens de julgamento contra nações vizinhas.
Assim, dividimos nosso estudo em 9 seções: A. Contra o Egito (46.1-28) – já vista; B. Contra a Filístia (47.1-7) – já vimos; C. Contra Moabe (48.1-47) – já vista; D. Contra Amom (49.1-6) – veremos agora; E. Conta Edom (49.7-22) – veremos agora; E. Contra Damasco (49.23-27) – veremos agora; G. Contra as tribos árabes (49.28-33) – veremos agora; H. Contra Elão (49.34-39) – veremos agora; I. Contra a Babilônia (50.1-51.64).
D. Contra Amom (49.1-6).
O capítulo 49, em seus 39 versículos, falará das profecias de Jeremias contra Amom, Edom, Damasco, Arábia, Elão.
No capítulo anterior, vimos que Gênesis 19 falou da origem dos povos moabita e amonita que se deram através de um incesto, promovido pela filha mais velha de Ló, sobrinho de Abraão, logo após a destruição de Sodoma e Gomorra.
De acordo com I Reis 14:21-31 e 2 Crônicas 12:13, Naamá era uma amonita. Ela foi a primeira esposa do rei Salomão a ser mencionada pelo nome no Tanakh como tendo um filho. Ela foi mãe do sucessor de Salomão, Reoboão. De certa forma, assim como Rute, moabita, temos Naamá, amonita, participando da genealogia de Cristo.
Amom ficava a leste do rio Jordão e a norte de Moabe. Era inimiga de longa data de Israel (Jz 11.4-33, 1Sm 11.1-11; 2Sm 10; 1Rs 4.13-19) e, juntamente com Moabe, participou da coalizão contra os babilônios (27.3), mas, como Moabe, forneceu soldados para Nabucodonosor contra Judá (2Rs 24.2).
Sua hostilidade para com Gedalias (40.13-41.3) sugere que se rebelou contra a Babilônia, provavelmente resultando num ataque que praticamente a extinguiu como nação autônoma. Compare com Am 1.13-15 e Ez 25.1-7.
Aos filhos de Amom a palavra de profecia começava a indagar deles como Milcom, ou "Moloque", o deus principal dos amonitas (1 Rs 11.5), tinha herdado a Gade e ao seu povo que habitava nas cidades?
Haveriam de vir dias que contra Rabá - identificada como a atual cidade de Amã – a Rabá dos filhos de Amom, viria o alarido de guerra e se tornariam em ruínas, com seus arredores queimados a fogo e Israel deserdando deles.
Hesbom - cidade fronteiriça, havia pertencido, em outros tempos, a Amom Jz 11.26 - é conclamada a uivar por casa da destruição de Ai, mas não a cidade israelita, uma outra desconhecida. As filhas de Rabá deveriam clamar e cingirem-se de sacos e lamentarem porque Milcom seria levado em cativeiro, juntamente com seus sacerdotes e príncipes.
A glória dessas cidades amonitas estava em seus luxuriantes vales e em seus grandes tesouros, mas isso não seria suficiente para evitar que ela fosse levada em cativeiro e totalmente destruída.
O bom consolo era que seria restaurada e voltaria do cativeiro – vs. 6.
E. Conta Edom (49.7-22).
Edom era um inimigo antigo de Israel (2Sm 8.13-14). Sua inimizade refletia a divisão entre Jacó, que herdou Canaã usurpando o direito de primogenitura de Esaú, e este último, que era seu irmão gêmeo e se assentou em Edom (cf. Gn 27; 32; 36). Israel ficou particularmente amargurado com Edom, pois os edomitas ajudaram os babilônios a atacar Judá (cf. Is 21.11-12; Ez 25.12-14; Am 1.11-12; Ob 1-16; Jr 27.3; 49.1-6).
A Jordânia atual é formada por três antigos povos bíblicos: Edom, Moabe e Amom compõem respectivamente o sul, o centro e o norte da Jordânia.[1]
Temã era uma cidade edomita importante situada ao sul do mar Morto a qual o Senhor indagava se a sabedoria tinha perecido por lá. Onde estariam a sabedoria, o conselho e os entendidos de Edom?
Era esse o tempo da punição de Esaú, o irmão de Jacó, que era chamado por outro nome em Edom (Gn 25.29-30; Ob 10).  
O próprio Senhor jurou por ele mesmo que Bozra - não o local em Moabe (48.24), mas a atual cidade de Buseira que, no tempo de Jeremias, era a capital de Edom – seria objeto de espanto, de opróbrio, de assolação e de desprezo, sendo as suas cidades, todas, tornadas em assolações perpétuas.
Edom tinha sido feito pequeno e desprezado entre as nações, mas engrandeceu-se e passou a infundir o terror e a soberba de seu coração o enganou. Habitando as fendas das rochas, ocupando as alturas dos outeiros, elevou o seu ninho como a águia, mas de lá seria derribado, diz o Senhor.
E agora seria Edom objeto de espanto, meneio de cabeça e assovio de desprezo por causa de todas as suas pragas. Ficaria pior que Sodoma e Gomorra, onde ninguém habita ali, nem ocorre qualquer peregrinação.
Um inimigo subiria contra ele como um leão para devorar sem piedade e sem deixar qualquer rastro. O conselho do Senhor estava decretado contra os moradores de Temã e até os mais novos do rebanho seriam arrastados e suas moradas todas assoladas.
A sua queda prevista seria tão terrível que seu estrondo atravessaria os mares.
A figura da águia é novamente citada como aquela ave de rapina que estaria vindo à caça. Provavelmente uma referência a Nabucodonosor (como em 48.40), embora os edomitas só tivessem sido subjugados em caráter mais definitivo pelos árabes nabateus no século 6 a.C.
F. Contra Damasco (49.23-27).
Palavras do profeta Jeremias contra Damasco, a capital da Síria. A Síria (Arã) atacou principalmente Israel, o Reino do Norte, durante o período assírio (1 Rs 20; Am 1.3-5).
Os três estados citados nessa passagem foram tomados pela Assíria no século 8 a.C. Não se sabe de que maneira afetaram a história de Judá no período babilónico (2Rs 24.2).
Envergonhadas se encontravam as cidades de Hamate e Arpade, cidades arameias importantes. O medo as afligia por causa das más notícias e assim estavam ficando agitadíssimas. Em meio a isso, viraram as costas para fugirem e o temor tomou conta deles e com eles vieram a angústia e as dores, como a das mulheres em trabalho de parto.
Uma cidade famosa, uma cidade alegre, estava agora abandonada e os seus jovens caiam em suas ruas, sendo todos os homens de guerra consumidos. O fogo estaria aceso em seus muros prontos para consumirem os palácios de Bem-Hadade.
Atualmente a Síria é o berço de forças terroristas que estão espalhando o terror em todo o mundo. Muitos jovens são recrutados e treinados na Síria para matarem e seguirem a lei islâmica em sua máxima expressão terrorífica.
G. Contra as tribos árabes (49.28-33).
Dos versos 28 ao 33, Jeremias vai profetizar contra as tribos árabes. São profecias a respeito da Arábia. As tribos árabes nômades representavam uma ameaça ocasional para as comunidades sedentárias (Jz 6.1-6). É possível que esse oráculo se refira a uma rebelião árabe contra Nabucodonosor em 599/598 a.C.
Quedar – vs. 28 – era uma tribo árabe bastante conhecida durante o período do Antigo Testamento (veja Gn 25.13; Is 21.16-17; 42.11).  
Os reinos de Hazor também estavam no deserto árabe (não a conhecida cidade de Hazor no norte de Israel). Possivelmente, era uma designação para vários assentamentos árabes que talvez incluíssem Temã, Buz e Dedã (25.23-24).
A palavra profética dizia que Nacudonosor tinha ferido Quedar e os reinos de Hazor, também chamados de filhos do Oriente, outro nome para os povos das tribos árabes (veja Jz 6.3; 7.12; Já 1 3).
Elas foram pilhadas, saqueadas, humilhadas e forçadas para o cativeiro.
Esses povos nômades normalmente viviam em cidades sem muros e tinham um modo de vida independente das cidades fortificadas. Confira com a descrição de Laís em Jz 18.7; nos dois exemplos, os habitantes poderiam ser subjugados com facilidade por invasores fortemente armados.
Com a invasão e o saqueamento, nada restou. A calamidade se espalhou por todos os lugares e Hazor agora seria morada de chacais em desolação para sempre, onde ninguém mais ali habitaria nem peregrinaria.
H. Contra Elão (49.34-39).
Elão era uma potência importante a leste da Babilônia e foi subjugada pela Assíria, mas ressurgiu no período babilônico. O oráculo provavelmente se refere a uma campanha babilônica para reprimir uma rebelião elamita em 596/594 a.C., na época em que Zedequias era rei de Judá.
Jr 49:1 A respeito dos filhos de Amom.
Assim diz o Senhor:
Acaso Israel não tem filhos? Não tem herdeiro?
Por que, então, possui Milcom a Gade,
e o seu povo habita nas suas cidades?
Jr 49:2 Portanto, eis que vêm os dias, diz o Senhor, em que farei ouvir
contra Rabá dos filhos de Amom o alarido de guerra,
e tornar-se-á num montão de ruínas,
e os seus arrabaldes serão queimados a fogo;
então Israel deserdará aos que e deserdaram a ele,
diz o Senhor.
Jr 49:3 Uiva, ó Hesbom, porque é destruída Ai;
clamai, ó filhas de Rabá, cingi-vos de sacos;
lamentai, e dai voltas pelas sebes;
porque Milcom irá em cativeiro, juntamente com os seus
sacerdotes e os seus príncipes.
Jr 49:4 Por que te glorias nos vales, teus luxuriantes vales,
ó filha apóstata? que confias nos teus tesouros, dizendo:
Quem virá contra mim?
Jr 49:5 Eis que farei vir sobre ti pavor,
diz o Senhor Deus dos exércitos, de todos os que estão
ao redor de ti; e sereis lançados fora,
cada um para diante, e ninguém recolherá o desgarrado.
Jr 49:6 Mas depois disto farei voltar do cativeiro os filhos de Amom,
diz o senhor.
Jr 49:7 A respeito de Edom.
Assim diz o Senhor dos exércitos:
Acaso não há mais sabedoria em Temã?
Pereceu o conselho dos entendidos?
Desvaneceu-se-lhes a sabedoria?
Jr 49:8 Fugi, voltai, habitai em profundezas, ó moradores de Dedã;
porque trarei sobre ele a calamidade de Esaú,
o tempo em que o punirei.
Jr 49:9 Se vindimadores viessem a ti, não deixariam alguns rabiscos?
se ladrões de noite, não te danificariam
só o quanto lhes bastasse?
Jr 49:10 Mas eu desnudei a Esaú, descobri os seus esconderijos,
de modo que ele não se poderá esconder.
E despojada a sua descendência,
como também seus irmãos e seus vizinhos,
e ele já não existe.
Jr 49:11 Deixa os teus órfãos, eu os guardarei em vida;
e as tuas viúvas confiem em mim.
Jr 49:12 Pois assim diz o Senhor:
Eis que os que não estavam condenados a beber o copo,
certamente o beberão; e ficarias tu inteiramente impune?
Não ficarás impune, mas certamente o beberás.
Jr 49:13 Pois por mim mesmo jurei, diz o Senhor,
que Bozra servirá de objeto de espanto, de opróbrio,
de ruína, e de maldição; e todas as suas cidades
se tornarão em desolações perpétuas.
Jr 49:14 Eu ouvi novas da parte do Senhor, que um embaixador
é enviado por entre as nações para lhes dizer:
Ajuntai-vos, e vinde contra ela, e levantai-vos para a guerra.
Jr 49:15 Pois eis que te farei pequeno entre as nações,
desprezado entre os homens.
Jr 49:16 Quanto à tua terribilidade,
enganou-te a arrogância do teu coração,
ó tu que habitas nas cavernas dos penhascos,
que ocupas as alturas dos outeiros;
ainda que ponhas o teu ninho no alto como a águia,
de lá te derrubarei, diz o Senhor.
Jr 49:17 E Edom se tornará em objeto de espanto;
todo aquele que passar por ela se espantará,
e assobiará por causa de todas as suas pragas.
Jr 49:18 Como na subversão de Sodoma e Gomorra,
e das cidades circunvizinhas, diz o Senhor, não habitará
ninguém ali, nem peregrinará nela filho de homem.
Jr 49:19 Eis que como leão subirá das margens do Jordão
um inimigo contra a morada forte;
mas de repente o farei correr dali; e ao escolhido,
pô-lo-ei sobre ela.
Pois quem é semelhante a mim? e quem me fixará um prazo?
e quem é o pastor que me poderá resistir?
Jr 49:20 Portanto ouvi o conselho do Senhor, que ele decretou
contra Edom, e os seus desígnios, que ele intentou
contra os moradores de Temã:
Até os mais novos do rebanho serão arrastados;
certamente ele assolará as suas moradas sobre eles.
Jr 49:21 A terra estremecerá com o estrondo da sua queda;
o som do seu clamor se ouvirá até o Mar Vermelho.
Jr 49:22 Eis que como águia subirá, e voará, e estenderá as suas asas
contra Bozra; e o coração do valente de Edom naquele dia
se tornará como o coração da mulher
que está em dores de parto.
Jr 49:23 A respeito de Damasco.
Envergonhadas estão Hamate e Arpade, e se derretem de medo
porquanto ouviram más notícias; estão agitadas como o mar,
que não pode aquietar-se.
Jr 49:24 Enfraquecida está Damasco, virou as costas para fugir,
e o tremor apoderou-se dela; angústia e dores apossaram-se
dela como da mulher que está de parto.
Jr 49:25 Como está abandonada a cidade famosa,
a cidade da minha alegria!
Jr 49:26 Portanto os seus jovens lhe cairão nas ruas,
e todos os homens de guerra serão consumidos naquele dia,
diz o Senhor dos exércitos.
Jr 49:27 E acenderei fogo no muro de Damasco,
o qual consumirá os palácios de Ben-Hadade.
Jr 49:28 A respeito de Quedar, e dos reinos de Hazor,
que Nabucodonosor, rei de Babilônia, feriu. Assim diz o Senhor:
Levantai-vos, subi contra Quedar, e destruí
os filhos do Oriente.
Jr 49:29 As suas tendas e os seus rebanhos serão tomados;
as suas cortinas serão levadas, como também
todos os seus vasos, e os seus camelos;
e lhes gritarão: Há terror de todos os lados!
Jr 49:30 Fugi, desviai-vos para muito longe, habitai nas profundezas,
ó moradores de Hazor, diz o Senhor; porque Nabucodonosor,
rei de Babilônia, tomou conselho contra vós,
e formou um desígnio contra vós.
Jr 49:31 Levantai-vos, subi contra uma nação que está sossegada,
que habita descuidada, diz o Senhor;
que não tem portas nem ferrolhos, que habita a sós.
Jr 49:32 E os seus camelos serão para presa e a multidão do seu gado
para despojo; e espalharei a todo o vento aqueles que cortam
os cantos da sua cabeleira;
e de todos os lados lhes trarei a sua calamidade,
diz o Senhor.
Jr 49:33 Assim Hazor se tornará em morada de chacais,
em desolação para sempre; ninguém habitará ali,
nem peregrinará nela filho de homem.
Jr 49:34 A palavra do Senhor, que veio a Jeremias, o profeta, acerca de Elão,
no princípio do reinado de Zedequias, rei de Judá, dizendo:
Jr 49:35 Assim diz o Senhor dos exércitos:
Eis que eu quebrarei o arco de Elão,
o principal do seu poder.
Jr 49:36 E trarei sobre Elão
os quatro ventos dos quatro cantos dos céus,
e os espalharei para todos estes ventos;
e não haverá nação aonde não cheguem os fugitivos de Elão.
Jr 49:37 E farei que Elão desfaleça diante de seus inimigos
e diante dos que procuram a sua morte.
Farei vir sobre eles o mal, o furor da minha ira, diz o Senhor;
e enviarei após eles a espada,
até que eu os tenha consumido.
Jr 49:38 E porei o meu trono em Elão, e destruirei dali rei e príncipes,
diz o Senhor.
Jr 49:39 Acontecerá, porém, nos últimos dias, que restaurarei
do cativeiro a Elão, diz o Senhor.
Elão teve o seu arco quebrado que era a principal força de sua defesa. Sem o seu arco, como poderia resistir ao inimigo que o atacaria e o destruiria? Pois foi mesmo o Senhor quem quebrou o seu arco, a sua defesa.
Além disso trouxe sobre Elão os seus quatro ventos, dos quatro cantos dos céus para assim os espalhar por toda a terra, perdendo, obviamente, sua própria identidade. Eles estariam espalhados por todas as nações.
Ainda o Senhor os faria desfalecer diante do inimigo e ainda mais faria vir sobre eles: o mal; o furor da sua ira; a sua espada terrível que os consumiria até o fim.
No entanto, até Elão recebeu uma palavra profética que após o seu castigo e subjugação, ela seria igualmente restaurada, nos últimos dias.
p.s.: link da imagem original:
Contagem regressiva: Faltam 135 dias para 04/08/2015, quando eu irei concluir a Segmentação de toda a Bíblia.
A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdetehttp://www.jamaisdesista.com.br


...

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.