sábado, 21 de março de 2015

Jeremias 48:1-47 - MALDITO O QUE FIZER A OBRA DO SENHOR RELAXADAMENTE.

Estamos na décima sétima parte – a penúltima -, de nossa divisão proposta de dezoito delas, nos baseando na estruturação apresentada pela BEG. Estamos no capítulo 48.

XVII. ORÁCULOS CONTRA AS NAÇÕES (46.1-51.64).
Como já dissemos, Jeremias anunciou uma série de profecias contra outras nações. Muitas já haviam se cumprido, mostrando que as outras predições também se cumpririam. Essa seção do livro de Jeremias, de 46.1 a 51.64, é constituída de uma série de mensagens de julgamento contra nações vizinhas.
Assim, dividimos nosso estudo em 9 seções: A. Contra o Egito (46.1-28) – já vista; B. Contra a Filístia (47.1-7) – já vimos; C. Contra Moabe (48.1-47) - veremos agora; D. Contra Amom (49.1-6); E. Conta Edom (49.7-22); E. Contra Damasco (49.23-27); G. Contra as tribos árabes (49.28-33); H. Contra Elão (49.34-39); I. Contra a Babilônia (50.1-51.64).
C. Contra Moabe (48.1-47).
O capítulo 48, em seus 47 versículos, falará das profecias de Jeremias contra Moabe. Jeremias prediz a destruição de Moabe (cf. Is 15-16; Ez 25.8-11; Am 2.1-3).
Moabe era uma nação inimiga de Israel - Jz 3.12-14; 2Rs 3.4-27 – que ocupava parte da terra dada originalmente, por Deus, a Israel e foi um dos aliados contra a Babilônia (27.3).
Gênesis 19 fala da origem do povo moabita que se deu através de um incesto, promovido pela filha mais velha de Ló, sobrinho de Abraão, logo após a destruição de Sodoma e Gomorra.
Passados uns tempos, as filhas de Ló se desesperaram e urdiram um plano para embriagarem ao pai e dele extrair herança. Elas foram bem sucedidas em embriagá-lo e depois ao se deitarem com ele, uma numa noite e na outra. Ambas ficaram grávidas de seu pai. A bebida é mesmo uma tragédia. Nem soube o bêbado o que fizera em sua bebedice...
Surgiram dois povos disso os moabitas e os amonitas. Eles foram rejeitados por Deus por haverem maltratado Israel – Dt 23:3-61. Rute (e, portanto Jesus Cristo), posteriormente, participou fisicamente da linhagem messiânica e assim foi contada na tribo de Judá. Ela foi bisavó de Davi. E foi mesmo Davi quem os combateu e os subjugou.[1]
Ainda assim, essa nação forneceu soldados para Nabucodonosor contra Jeoaquim (2Rs 2). É possível que a sua derrota por Nabucodonosor tenha ocorrido em 582 a.C., depois de uma rebelião.
As cidades de Nebo e Quiriataim que ele proclama um “ai”, originalmente, essas cidades foram entregues à tribo de Rúben (Nm 32.3,37-38; Js 13.15,19). No entanto, não obedeceram ao Senhor e isso lhes custou muito caro.
O Senhor tinha dado a terra, mas era preciso conquistá-la e obedecer ao Senhor em suas instruções que logo tudo estaria resolvido, mas ao invés disso, se aliançaram com os estrangeiros e logo estavam imitando as nações vizinhas.
A cidade de Hesbom – vs. 2 - também tinha sido dada a Rúben (Nm 32.37; Js 13.17).
Horonaim – vs. 3 - provavelmente estava situada no extremo sul do mar Morto; a relação de cidades abrange todo o território moabita. Moabe estaria destruída e o seu clamor segue por meio de seus filhos, suas cidades, Nebo, Quiriatiaim, Misgabe, Hesbon, Madmén, Horonaim, Luite – esta última de localização desconhecida (ver Is 5 15).
A palavra de ordem do vs. 7 seria a de fugir como um asno selvagem doido que é perseguido implacavelmente por seu predador.
A confiança de Moabe estaria nas suas obras e nos seus tesouros e por isso seria tomada. O seu deus era Quemos que, curiosamente fora adorado por Salomão (1 Rs 11.7,33; 2Rs 23.13). Até a sua estátua seria levado para o cativeiro, pois muitas vezes, imagens de deuses "derrotados" eram levadas para o exílio.
O destruidor estaria vindo do norte. Provavelmente uma referência a Nabucodonosor que implacavelmente viria com toda força para destruir tudo ao seu alcance, tornando desoladas todas as cidades de Moabe.
Nesse momento e nesse contexto é que o profeta expressa duas maldições:
1.      Contra todo aquele que fizesse a obra do Senhor relaxadamente, sem cuidado algum, de forma desprezível, como se estivesse fazendo sem atenção.
2.      Contra todo aquele que vedasse do sangue a sua espada, ou seja, ela estaria ali para justamente, derramar o sangue deles e o não derramar, seria uma negligência.
A verdade dos fatos era que a obra que seria feita ali era a obra de juízo de Deus contra Moabe a qual não poderia ser feita de qualquer modo, pois que cairiam em maldição os seus executores.
Essa imagem do vinho em repouso para amadurecer e, portanto, melhorar, representa a complacência de Moabe. Sua situação mudaria rapidamente, pois os jarros seriam quebrados e o vinho derramando – vs. 11 e 12.
Moabe, finalmente, teria vergonha de Quemos, seu deus como tinha se envergonhado Israel de Betel, a qual era a sua confiança – vs. 13. Betel, possivelmente, era o nome usado para o Senhor na religião apóstata instituída por Jeroboão em Betel (1Rs 12.28-30). Essa religião não foi capaz de evitar a destruição provocada pelos assírios em 722 a.C. (2Rs 18.9-12).
Dos vs. 14 ao 18, um lamento por Moabe e a certeza de seu juízo o qual se apressava, vindo do norte com toda a sua força e sem piedade para fazer dos homens valentes e dos homens fortes de Moabe uma calamidade sem igual.
No verso 19, os moradores de Aroer - uma fortaleza fronteiriça a sudeste de Dibom, junto ao rio Arnom (v. 20) – estão aqui retratando, ansiosamente, a fuga dos refugiados.
Moabe estaria envergonhada, totalmente quebrada e destruída e era para anunciar isso em Arnon, o rio mais importante de Moabe, com uivos e gritos desesperadores.
O julgamento que começara ali de forma terrível se espalharia por toda Moabe e por todas as suas cidades, tanto as de perto, quanto as de longe – vs. 21-24.
A sua destruição vai sendo anunciada aos poucos e no verso 25 ela teria perdido já o seu poder e quebrado o seu braço. Era a hora de ela se embriagar do sangue derramado e de se revolver em seu próprio vômito, tornando-se objeto de escárnio como tinha sido Israel e ela bem meneava sua cabeça, zombando.
Moabe estaria sendo orientada a deixar as cidades para habitar nos rochedos - Is 2.10 – sendo como as pombas que se aninham nos lados da boca da caverna. Contra ela as acusações eram de soberba, orgulho, arrogância e altivez de seu coração.
Dos versos de 29 ao 37, o lamento continua por Moabe e por todos os seus homens que deles era tirado a alegria e o regozijo do campo fértil e do vinho de seus lagares os quais eram pisados com alegria. Seria feito o desaparecimento daqueles que sacrificavam nos altos e queimavam incenso aos seus deuses. Eram nos eirados de Moabe – vs. 38 – os lugares onde se queimavam esses incensos (veja 2Rs 23.12).
Moabe estaria quebrantada, por isso uivavam; estaria envergonhada, por isso virava as suas costas para não ver; era ela objeto de escárnio e de espanto para todos ao seu redor –vs. 39.
Aquele que voaria e estenderia as suas asas – vs. 40 - contra Moabe seria Nabucodonosor (como em Ez 17.3). Este deixaria os valentes de Moabe com as mulheres em trabalho de parto, com suas mãos em desespero em seus ventres.
Por que Moabe estaria sendo tão terrivelmente destruída? A resposta está no verso 42, pois que Moabe tinha se engrandecido contra o Senhor. Agora estaria diante dela o terror, cova e laço -  Is 24.17.
Não haveria escapatórias para Moabe, pois que se fugisse do terror, seria alcançada pela cova e se desta, pelo laço, ou seja, sem saída. Fim! Game Over!
Derivada de Nm 21.28-29, essa passagem – vs. 45 e 46 - afirma que o oráculo antigo de Balaão estava prestes a se cumprir. No tempo de Moisés, era o rei dos amorreus, cuja capital era Hesbom (Nm 21.21-30).
Moabe a cidade de Quemos pereceu! Os seus filhos e as suas filhas estariam agora sendo levados em cativeiro pela grande águia, ave de rapina, vinda do norte.
Jr 48:1 Acerca de Moabe.
Assim diz o Senhor dos exércitos, Deus de Israel:
Ai de Nebo, porque foi destruída;
envergonhada está Quiriataim, já é tomada;
Misgabe está envergonhada e espantada.
Jr 48:2 O louvor de Moabe já não existe mais;
em Hesbom projetaram mal contra ela, dizendo:
Vinde, e exterminemo-la,
para que não mais seja nação;
também tu, ó Madmém, serás destruída;
a espada te perseguirá.
Jr 48:3 Voz de grito de Horonaim, ruína e grande destruição!
Jr 48:4 Está destruído Moabe; seus filhinhos fizeram ouvir um clamor.
Jr 48:5 Pois pela subida de Luíte eles vão subindo
com choro contínuo; porque na descida de Horonaim,
ouviram a angústia do grito da destruição.
Jr 48:6 Fugi, salvai a vossa vida!
Sede como o asno selvagem no deserto.
Jr 48:7 Pois, porquanto confiaste nas tuas obras e nos teus tesouros,
também tu serás tomada; e Quemós sairá para o cativeiro,
os seus sacerdotes e os seus príncipes juntamente.
Jr 48:8 Porque virá o destruidor sobre cada uma das cidades
e nenhuma escapará, e perecerá o vale,
e destruir-se-á a planície, como disse o Senhor.
Jr 48:9 Dai asas a Moabe, porque voando sairá;
e as suas cidades se tornarão em desolação, sem habitante.
Jr 48:10 Maldito aquele que fizer a obra do Senhor negligentemente,
e maldito aquele que vedar do sangue a sua espada!
Jr 48:11 Moabe tem estado sossegado desde a sua mocidade,
e tem repousado como vinho sobre as fezes;
não foi deitado de vasilha em vasilha,
nem foi para o cativeiro;
por isso permanece nele o seu sabor,
e o seu cheiro não se altera.
Jr 48:12 Portanto, eis que os dias vêm, diz o Senhor,
em que lhe enviarei derramadores que o derramarão;
e despejarão as suas vasilhas,
e despedaçarão os seus jarros.
Jr 48:13 E Moabe terá vergonha de Quemós,
como se envergonhou a casa de Israel de Betel,
sua confiança.
Jr 48:14 Como direis:
Somos valentes e homens fortes para a guerra?
Jr 48:15 Já subiu o destruidor de Moabe e das suas cidades,
e os seus mancebos escolhidos desceram à matança,
diz o Rei, cujo nome é o Senhor dos exércitos.
Jr 48:16 A calamidade de Moabe está perto e muito se apressa
o seu mal.
Jr 48:17 Condoei-vos dele todos os que estais em seu redor,
e todos os que sabeis o seu nome; dizei:
Como se quebrou a vara forte, o cajado formoso!
Jr 48:18 Desce da tua glória, e senta-te no pó, ó moradora,
filha de Dibom; porque o destruidor de Moabe
subiu contra ti, e desfez as tuas fortalezas.
Jr 48:19 Põe-te junto ao caminho, e espia, ó moradora do Aroer;
pergunta ao que foge, e à que escapa:
Que sucedeu?
Jr 48:20 Moabe está envergonhado, porque foi quebrantado;
uivai e gritai; anunciai em Arnom que Moabe está destruído.
Jr 48:21 Também o julgamento é vindo sobre a terra da planície;
sobre Holom, Jaza, e Mefaate; Jr 48:22 sobre Dibom, Nebo,
e Bete-Diblataim; Jr 48:23 sobre Quiriataim, Bete-Gamul,
e BeteMeom; Jr 48:24 sobre Queriote, e Bozra,
e todas as cidades da terra de Moabe,
as de longe e as de perto.
Jr 48:25 Está cortado o poder de Moabe, e quebrantado o seu braço,
diz o senhor.
Jr 48:26 Embriagai-o, porque contra o Senhor se engrandeceu;
e Moabe se revolverá no seu vômito,
e ele também se tornará objeto de escárnio.
Jr 48:27 Pois não se tornou também Israel objeto de escárnio para ti?
Porventura foi achado entre ladrões para que,
sempre que falas dele, meneies a cabeça?
Jr 48:28 Deixai as cidades, e habitai no rochedo,
ó moradores de Moabe; e sede como a pomba que se aninha
nos lados da boca da caverna.
Jr 48:29 Temos ouvido da soberba de Moabe, que é soberbíssimo;
da sua sobrançaria, do seu orgulho, da sua arrogância,
e da altivez do seu coração.
Jr 48:30 Eu conheço, diz o Senhor, a sua insolência, mas isso nada é;
as suas jactâncias nada têm efetuado.
Jr 48:31 Por isso uivarei por Moabe; sim, gritarei por todo o Moabe;
pelos homens de Quir-Heres lamentarei.
Jr 48:32 Com choro maior do que o de Jazer chorar-te-ei,
ó vide de Sibma; os teus ramos passaram o mar,
chegaram até o mar de Jazer;
mas o destruidor caiu sobre os teus frutos de verão,
e sobre a tua vindima.
Jr 48:33 Tirou-se, pois, a alegria e o regozijo do campo fértil
e da terra de Moabe; e fiz que o vinho cessasse dos lagares;
já não pisam uvas com júbilo;
o brado não é o de júbilo
Jr 48:34 O grito de Hesbom e Eleale se ouve até Jaza;
fazem ouvir a sua voz desde Zoar até Horonaim,
e até Eglate-Selíssia;
pois também as águas do Ninrim virão a ser uma desolação.
Jr 48:35 Demais, farei desaparecer de Moabe,
diz o Senhor, aquele que sacrifica nos altos,
e queima incenso a seus deuses.
Jr 48:36 Por isso geme como flauta o meu coração por Moabe,
e como flauta geme o meu coração
pelos homens de Quir-Heres;
porquanto a abundância que ajuntou se perdeu.
Jr 48:37 Pois toda cabeça é tosquiada, e toda barba rapada;
sobre todas as mãos há sarjaduras, e sobre os lombos sacos.
Jr 48:38 Sobre todos os eirados de Moabe e nas suas ruas
há um pranto geral; porque quebrei a Moabe,
como a um vaso que não agrada, diz o Senhor.
Jr 48:39 Como está quebrantrado! como uivam!
como virou Moabe as costas envergonhado!
assim se tornou Moabe objeto de escárnio
e de espanto para todos os que estão em redor dele.
Jr 48:40 Pois assim diz o Senhor:
Eis que alguém voará como a águia,
e estenderá as suas asas contra Moabe.
Jr 48:41 Tomadas serão as cidades, e ocupadas as fortalezas;
e naquele dia será o coração dos valentes de Moabe
como o coração da mulher em suas dores de parto.
Jr 48:42 E Moabe será destruído, para que não seja povo,
porque se engrandeceu contra o Senhor.
Jr 48:43 Temor, e cova, e laço estão sobre ti,
ó morador de Moabe, diz o Senhor.
Jr 48:44 O que fugir do temor cairá na cova,
e o que sair da cova ficará preso no laço;
pois trarei sobre ele, sobre Moabe,
o ano do seu castigo, diz o Senhor.
Jr 48:45 Os que fugiram ficam parados sem forças
à sombra de Hesbom; mas fogo saiu de Hesbom,
e a labareda do meio de Siom,
e devorou a fronte de Moabe
e o alto da cabeça dos turbulentos.
Jr 48:46 Ai de ti, Moabe! pereceu o povo de Quemós;
pois teus filhos foram levados cativos,
e tuas filhas para o cativeiro.
Jr 48:47 Contudo nos últimos dias restaurarei do cativeiro a Moabe,
diz o Senhor. Até aqui o juízo de Moabe.
Pelo desenrolar do capítulo todo, o qual é longo, poderíamos quase afirmar que Moabe jamais seria lembrada novamente e sua destruição seria perpetuada, mas não é isso o que vemos no verso último, o 47. Nos últimos dias, Moabe seria restaurada de seu cativeiro.
A cidade que era conhecida como a cidade de Quemos agora voltaria a ser restaurada, mas com qual finalidade e propósitos? Atualmente ela é o país da Jordânia.
Como vimos, os moabitas são um povo histórico, cuja existência é atestada por diversas descobertas arqueológicas, em especial a Estela Mesha, que descreve a vitória moabita sobre um filho (não identificado) do Rei Omri de Israel. Sua capital foi Dibon, localizada próxima a moderna cidade Jordaniana de Dhiban.[2]
p.s.: link da imagem original:
Contagem regressiva: Faltam 136 dias para 04/08/2015, quando eu irei concluir a Segmentação de toda a Bíblia.

A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdetehttp://www.jamaisdesista.com.br




[1] Do livro do autor: A ORIGEM A
história de Gênesis comentada e segmentada
-
http://www.livrariasaraiva.com.br/produto/7044922

...

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.