quinta-feira, 5 de março de 2015

Jeremias 32:1-44 - HAVERIA ALGUMA COISA DEMASIADAMENTE DIFÍCIL PARA MIM?

Estamos na décima terceira parte, de nossa divisão proposta de dezoito delas, nos baseando na estruturação apresentada pela BEG. Estamos no capítulo 32.
XIII. A CERTEZA DE RESTAURAÇÃO (30.1-33.26)- continuação.
Vimos que apesar do exílio iminente, Jeremias reafirmou a promessa de que o povo de Deus voltaria do cativeiro e que esses capítulos são chamados com frequência de "livro de consolação" de Jeremias, pois que contêm promessas da restauração de Israel e Judá depois dos setenta anos de exílio.
Para melhor compreensão, também dividimos essa parte XIII, em três seções: A. O livro de restauração (30.1-31.40) – já vista; B. Uma compra simbólica (32.1-44) – veremos agora; e, C. Predições de restauração (33.1-26).
B. Uma compra simbólica (32.1-44).
Neste capítulo, em especial, veremos Deus ordenando a Jeremias a compra de um campo como sinal profético ao povo do cativeiro. Pouco antes da destruição de Jerusalém e do exílio, Deus ordenou que Jeremias comprasse um campo. Essa transação simbolizou a certeza do profeta de que o povo seria restaurado do exílio.
Aconteceu essa palavra do Senhor ano décimo de Zedequias, em 587 a.C., um ano depois do cerco final de Jerusalém teve início em 588 a.C. Era esse também o 18º ano do reinado de Nabucodonosor. Esse é o primeiro de vários encontros de Jeremias e Zedequias durante esse período (veja 21.3-7; 34.1-7; 37.3-8,17-20; 38.14-28).
O momento vivido ali naqueles dias era de cerco por parte do exército da Babilônia e Jeremias se encontrava preso e assim ficou até a queda de Jerusalém.
A sua prisão se dera por causa de sua palavra profética que contrariava a Zedequias rei de Judá. Jeremias anunciava que eles deveriam se entregar aos babilônios, mas Zedequias lhe resistia.
Na prisão lhe veio a palavra do Senhor – vs. 7 – a qual era para que se comprasse um campo em Anatote, a cidade natal de Jeremias, lugar onde estava a herança de sua família (veja 1.1). A palavra lhe dizia que viria até ele o seu primo Hanamel pedindo a ele que comprasse o seu campo em Anatote. É possível que Hanamel tenha sido forçado a vender o campo por causa de uma dívida e que Jeremias fosse o parente resgatador (31.11). Pelos padrões normais, seria um absurdo comprar um campo quando toda a terra estava para ser tomada pelos babilônios.  
Conforme a palavra, veio a ele Hanamel e lhe ofereceu o campo. Jeremias então entendeu que isso vinha do Senhor.
Jeremias então comprou o campo por dezessete siclos de prata. Provavelmente o preço normal. No entanto, nessas circunstâncias o campo não valia nada.
Dos versos 10 aos 14, são registrados os detalhes, a forma da compra e do arquivo dos documentos de escrituração. Jeremias entregou tudo a Baruque, filho de Nerias, filho de Maséias, na presença de Hanamel e de testemunhas e deu ordens a Banique para seu arquivamento em vasos de barro para poder se conservar por um longo período.
Disso tudo veio a palavra do Senhor – vs. 15 - profetizando que ainda se comprariam casas, campos e vinhas nesta terra. A compra indica que Judá voltaria a possuir a sua terra histórica e desfrutaria uma vida normal na mesma, simbolizando, portanto, esse aspecto específico da promessa da nova aliança (29.14; 31.38-40).
Jeremias em seguida se dirige ao Senhor em oração que ocupará os vs. de 17 a 25. Ele já começa perguntando ao Senhor se haveria algo demasiadamente difícil para ele, o Senhor de toda a terra e universo.
Isso nos lembra também outro personagem bíblico que disse palavra semelhante, mas não foi um homem e sim um anjo.

“Há acaso alguma coisa demasiadamente difícil para o Senhor?” Nesse texto de Gn.18:14, está narrada uma história muito interessante: Deus manda três anjos a Abraão que os recebe com todo carinho, servindo-os com o que ele tinha de melhor, pois sabia que aquelas eram pessoas muito especiais.
Os anjos traziam como mensagem da parte de Deus uma promessa. Dirigindo-se a Abraão o anjo pergunta: “Onde está tua esposa Sara?” “Está lá dentro, ele responde”. O anjo então lhe diz: “Daqui a um ano você vai ter um filho.”
Para Abraão isso seria algo impossível, pelo menos humanamente falando; inclusive diz o texto que Sara estava escutando atrás da porta e começou a rir, dizendo: “Eu já passei dos costumes das mulheres, eu e Abraão estamos envelhecidos...” O anjo então repreendeu a Sara porque ela tinha duvidado do que Deus poderia fazer na vida deles. Deus tinha uma promessa tremenda para Abraão e Ele iria cumprir.
“Há acaso alguma coisa demasiadamente difícil para o Senhor?”. Foram palavras do anjo a Abraão depois que Sara riu.
Justamente assim, começa a oração de Jeremias. Depois fala de sua benignidade, de seu poder, conselho e que é poderoso em obras e cujos olhos estão atentos a todos os caminhos dos filhos dos homens para tratá-los com justiça e equidade. Depois fala do seu nome conquistado no Egito e a forma como tirou de lá todos os israelitas - Êx 15.14-16 - e como lhes deu uma terra que jorrava leite e mel. Infelizmente depois de entrarem nessa terra, não obedeceram ao Senhor e foram infiéis pelo que lhes veio todo este mal, previamente anunciado que viria, para vergonha da nação. Ele então fala a Deus que ali já estavam os seus vassalos e que pela espada, pela fome e pela peste os estavam assolando terrivelmente e, estranhamente, lhe pede que compre um campo em Anatote?
Deus lhe responde, conforme ele começou sua oração: ele era de fato o Deus de toda a terra e haveria algo demasiadamente difícil para ele? Em seguida, fala a ele a sua palavra que estaria de fato entregando a cidade na mão dos caldeus, e na mão de Nabucodonosor, rei de Babilônia, e ele a tomará.
Reparem que não seriam os babilônios que estavam derrotando Israel, mas Deus que os estava entregando a eles. Aqui é um pouco complicado de se entender, mas as duas verdades ocorrem de forma simultânea, embora seja Deus o principal agente delas.
Há aqui, no verso 29, uma mistura de elementos típicos nas acusações de Jeremias contra Judá -1.16; 7.18; 19.13; Dt 31.29. Eles haviam queimado incenso a Baal em seus terraços e Deus a estaria queimando juntamente com as suas casas no mesmo lugar de suas ofertas malignas onde ofereceram libações a outros deuses para o provocarem à ira.
Isso era o que os filhos de Israel tinham feito desde a sua mocidade. Eles tinham prazer em provocarem a ira de Deus com as obras malignas de suas mãos contaminadas.
A indignação do Senhor era forte contra a cidade, pois desde o seu nascimento até aquele momento ela se desviava de Deus e o provocava. A intenção do Senhor seria removê-la diante dele – vs. 31.
Tudo por causa de toda maldade dos filhos de Israel e dos filhos de Judá e porque viraram o seu rosto e davam as costas para Deus, ainda que Deus insistia com eles pacientemente, começando de madrugada, mas eles não deram ouvidos para receberem a advertência - 2.30; 5.3; 7.24; 11.8. 32.35.
Não satisfeitos apenas com Baal, ainda se derretiam por Moloque - o deus dos amonitas (49.1,3; Lv 18.21) - e até os seus próprios filhos sacrificavam buscando coisas indevidas e pactos malignos.
O Senhor resume a sua mensagem sobre o destino iminente de Jerusalém sobre o qual Jeremias pregou repetidamente, mas termina com um tom de esperança. O capítulo todo expressa o padrão do plano de Deus no qual o julgamento é seguido de salvação. O caráter repentino de sua oferta de bênção e o seu contraste com o longo discurso dos vs. 26-35 é explicado pela pergunta retórica, "haveria coisa demasiadamente maravilhosa para mim?" (v. 27; cf. o v. 17).
Jeremias reafirma – vs. 37 - a promessa mosaica de restauração depois do exílio (Dt 30.3-5). E no verso 38, sua declaração profética desde os tempos do início, quando chamou e separou Sete, depois Noé, depois Abraão, depois o povo no Egito: “E eles serão o meu povo, e eu serei o seu Deus.” - 30.22; 31.33.
No verso 39, a aliança eterna. A nova aliança nunca será substituída por outra, pois representa o estágio final da história da salvação (Is 55.3; Ez 16.60; 37.26).
Quando a nova aliança chegar à sua plenitude na volta de Cristo, todos os seus participantes serão glorificados, o que significa que serão aperfeiçoados e purificados da capacidade e do desejo de pecar.
Em seu estado glorificado, desfrutarão as bênçãos de Deus por toda a eternidade. Antes da volta de Cristo, nem todos na comunidade da nova aliança possuem a fé salvadora, e aqueles que não a possuem, serão julgados por Deus (31.31-34).
Como o Senhor tinha agido neles, justamente, trazendo o mal em consequência de suas ações, haveria de trazer sobre eles, sobre os remanescentes, todo o bem que lhes tinha prometido.
E, destarte, comprariam campos nesta terra a qual todos concordavam que era uma desolação total, sem homens, nem animais e totalmente entregue nas mãos dos caldeus.
Jr 32:1 A palavra que veio a Jeremias da parte do Senhor,
no ano décimo de Zedequias, rei de Judá,
o qual foi o ano dezoito de Nabucodonosor.
Jr 32:2 Ora, cercava então o exército do rei de Babilônia
a Jerusalém; e Jeremias, o profeta, se achava encerrado
no pátio da guarda que estava na casa do rei de Judá;
Jr 32:3 pois Zedequias, rei de Judá, o havia encarcerado, dizendo:
Por que profetizas , dizendo:
Assim diz o Senhor:
Eis que entrego esta cidade na mão
do rei de Babilônia, e ele a tomará;
Jr 32:4 e Zedequias, rei de Judá, não escapará das mãos dos caldeus,
mas certamente será entregue na mão do rei de Babilônia,
e com ele falará boca a boca,
e os seus olhos verão os olhos dele;
Jr 32:5 e ele levará para Babilônia a Zedequias,
que ali estará até que eu o visite, diz o Senhor,
e, ainda que pelejeis contra os caldeus, não ganhareis?
Jr 32:6 Disse pois Jeremias:
Veio a mim a palavra do Senhor, dizendo:
Jr 32:7 Eis que Hanamel, filho de Salum, teu tio, virá a ti, dizendo:
Compra o meu campo que está em Anatote,
pois tens o direito de resgate;
a ti compete comprá-lo.
Jr 32:8 Veio, pois, a mim Hanamel, filho de meu tio,
segundo a palavra do Senhor, ao pátio da guarda, e me disse:
Compra o meu campo que está em Anatote,
na terra de Benjamim;
porque teu é o direito de herança
e teu é o de resgate; compra-o para ti.
Então entendi que isto era a palavra do Senhor.
Jr 32:9 Comprei, pois, de Hanamel, filho de meu tio,
o campo que está em Anatote; e pesei-lhe o dinheiro,
dezessete siclos de prata.
Jr 32:10 Assinei a escritura e a selei, chamei testemunhas,
e pesei-lhe o dinheiro numa balança.
Jr 32:11 E tomei a escritura da compra, que continha os termos
e as condições, tanto a que estava selada,
como a cópia que estava aberta,
Jr 32:12 e as dei a Baruque, filho de Nerias, filho de Maséias,
na presença de Hanamel, filho de meu tio,
e na presença das testemunhas que subscreveram
a escritura da compra,
à vista de todos os judeus que estavam sentados
no pátio da guarda.
Jr 32:13 E dei ordem a Banique, na presença deles, dizendo:
Jr 32:14 Assim diz o Senhor dos exércitos, o Deus de Israel:
Toma estas escrituras de compra, tanto a selada, como a aberta,
e mete-as num vaso de barro,
para que se possam conservar muitos dias;
Jr 32:15 pois assim diz o Senhor dos exércitos, o Deus de Israel:
Ainda se comprarão casas, e campos, e vinhas nesta terra.
Jr 32:16 E depois que dei a escritura da compra a Banique,
filho de Nerias, orei ao Senhor, dizendo:
Jr 32:17 Ah! Senhor Deus! És tu que fizeste os céus e a terra
com o teu grande poder, e com o teu braço estendido!
Nada há que te seja demasiado difícil!
Jr 32:18 Usas de benignidade para com milhares
e tornas a iniqüidade dos pais ao seio dos filhos depois deles;
tu és o grande, o poderoso Deus cujo nome
é o Senhor dos exércitos.
Jr 32:19 Grande em conselho, e poderoso em obras,
cujos olhos estão abertos sobre todos os caminhos
dos filhos dos homens, para dares a cada um
segundo os seus caminhos
e segundo o fruto das suas obras;
Jr 32:20 puseste sinais e maravilhas na terra do Egito
até o dia de hoje, tanto em Israel,
como entre os outros homens; e te fizeste um nome,
qual tu tens neste dia.
Jr 32:21 E tiraste o teu povo Israel da terra do Egito, com sinais
e com maravilhas, e com mão forte, e com braço estendido,
e com grande terror;
Jr 32:22 e lhes deste esta terra, que juraste a seus pais que lhes havias
de dar, terra que mana leite e mel.
Jr 32:23 E entraram nela, e a possuíram;
mas não obedeceram à tua voz, nem andaram na tua lei;
de tudo o que lhes mandaste fazer,
eles não fizeram nada;
pelo que ordenaste lhes sucedesse todo este mal.
Jr 32:24 Eis aqui os valados! já vieram contra a cidade para tomá-la
e a cidade está entregue na mão dos caldeus
que pelejam contra ela,
pela espada, pela fome e pela peste.
O que disseste se cumpriu, e eis aqui o estás presenciando.
Jr 32:25 Contudo tu me disseste, ó Senhor Deus:
Compra-te o campo por dinheiro, e chama testemunhas,
embora a cidade já esteja dada na mão dos caldeus:
Jr 32:26 Então veio a palavra do Senhor a Jeremias, dizendo:
Jr 32:27 Eis que eu sou o Senhor, o Deus de toda a carne;
acaso há alguma coisa demasiado difícil para mim?
Jr 32:28 Portanto assim diz o Senhor:
Eis que eu entrego esta cidade na mão dos caldeus,
e na mão de Nabucodonosor, rei de Babilônia,
e ele a tomará.
Jr 32:29 E os caldeus que pelejam contra esta cidade entrarão nela,
e lhe porão fogo, e a queimarão,
juntamente com as casas sobre cujos terraços
queimaram incenso a Baal
e ofereceram libações a outros deuses,
para me provocarem a ira.
Jr 32:30 Pois os filhos de Israel e os filhos de Judá
têm feito desde a sua mocidade tão somente o que era mau
aos meus olhos; pois os filhos de Israel nada têm
feito senão provocar-me à ira com as obras
das suas mãos, diz o Senhor.
Jr 32:31 Na verdade esta cidade, desde o dia em que a edificaram
e até o dia de hoje, tem provocado a minha ira e o meu furor,
de sorte que eu a removerei de diante de mim,
Jr 32:32 por causa de toda a maldade dos filhos de Israel
e dos filhos de Judá, que fizeram para me provocarem à ira,
eles e os seus reis, os seus príncipes,
os seus sacerdotes e os seus profetas,
como também os homens de Judá
e os moradores de Jerusalém.
Jr 32:33 E viraram para mim as costas, e não o rosto;
ainda que eu os ensinava, com insistência,
eles não deram ouvidos para receberem instrução.
Jr 32:34 Mas puseram as suas abominações na casa que se chama
pelo meu nome, para a profanarem.
Jr 32:35 Também edificaram os altos de Baal,
que estão no vale do filho de Hinom,
para fazerem passar seus filhos e suas filhas
pelo fogo a Moloque; o que nunca lhes ordenei,
nem me passou pela mente, que fizessem
tal abominação, para fazerem pecar a Judá.
Jr 32:36 E por isso agora assim diz o Senhor, o Deus de Israel,
acerca desta cidade, da qual vós dizeis:
Já está dada na mão do rei de Babilônia,
pela espada, e pela fome, e pela peste:
Jr 32:37 Eis que eu os congregarei de todos os países
para onde os tenho lançado na minha ira,
e no meu furor e na minha grande indignação;
e os tornarei a trazer a este lugar,
e farei que habitem nele seguramente.
Jr 32:38 E eles serão o meu povo, e eu serei o seu Deus.
Jr 32:39 E lhes darei um só coração, e um só caminho,
para que me temam para sempre,
para seu bem e o bem de seus filhos, depois deles;
Jr 32:40 e farei com eles um pacto eterno
de não me desviar de fazer-lhes o bem;
e porei o meu temor no seu coração,
para que nunca se apartem de mim.
Jr 32:41 E alegrar-me-ei por causa deles, fazendo-lhes o bem;
e os plantarei nesta terra, com toda a fidelidade
do meu coração e da minha alma.
Jr 32:42 Pois assim diz o Senhor:
Como eu trouxe sobre este povo todo este grande mal,
assim eu trarei sobre eles todo o bem
que lhes tenho prometido.
Jr 32:43 E comprar-se-ão campos nesta terra, da qual vós dizeis:
E uma desolação, sem homens nem animais;
está entregue na mão dos caldeus.
Jr 32:44 Comprarão campos por dinheiro,
assinarão escrituras e as selarão,
e chamarão testemunhas, na terra de Benjamim,
e nos lugares ao redor de Jerusalém,
e nas cidades de Judá e nas cidades
da região montanhosa,
e nas cidades das planícies e nas cidades do Sul
porque os farei voltar do cativeiro,
diz o Senhor.
Essa promessa do vs. 44 explica por que Deus ordenou que Jeremias comprasse um campo antes que a destruição de Jerusalém começasse - vs. 10.
Essas regiões geográficas - na terra de Benjamim, e nos lugares ao redor de Jerusalém, e nas cidades de Judá e nas cidades da região montanhosa, e nas cidades das planícies e nas cidades do Sul - que outrora compreendiam os extremos norte e sul da terra, representavam o repovoamento de Israel.
p.s.: link da imagem original:
Contagem regressiva: Faltam 152 dias para 04/08/2015, quando eu irei concluir a Segmentação de toda a Bíblia.

A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdetehttp://www.jamaisdesista.com.br
...

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.