segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Jeremias1:1-19 - JEREMIAS, O PROFETA CHORÃO.

Sobre o livro de Jeremias
Em nosso pequeno e humilde trabalho, estaremos agora entrando,  no segunto livro (Jeremias), dos últimos 17 livros da Bíblia que, justamente são os livros proféticos.
A fonte principal de nossas pesquisas, nas quais seguiremos sua divisão proposta, com ligeiras alterações, é a Bíblia de Estudo de Genebra – BEG.
Autores: Jeremias e Baruque, seu aluno e/ ou escriba.
Propósito: Lembrar aos exilados na Babilônia os motivos de suas provações e garantir-lhes que, ao se arrepender, o povo de Deus voltaria para a Terra Prometida com grandes bênçãos.
Data: 580-539 a.C.
Verdades fundamentais: O exílio na Babilônia foi merecido, pois o povo de Judá e Jerusalém persistiu no pecado. O templo em Jerusalém não protegeria os habitantes de Judá do julgamento de Deus contra eles por sua hipocrisia. O povo devia recusar os falsos profetas que proclamavam paz e segurança e aceitar a mensagem dos verdadeiros profetas. A decisão divina de mandar o seu povo para o exílio seria seguida de restauração maravilhosa sob uma nova aliança.
Autor: Jeremias e Baruque, como escriba de Jeremias.
Conforme o preâmbulo, o livro contém as "Palavras de Jeremias, filho de Hilquias" (1.1) que pode ter sido ajudado por Baruque em sua compilação e organização, mas não em seu conteúdo. Uma indicação do procedimento usado para reunir as várias profecias e sermões num único livro pode ser encontrada no cap. 36, onde é dito que Baruque escreveu todas as palavras ditas pelo profeta até então e as leu em público. Quando o rolo foi destruído por Jeoaquim, outro rolo mais completo foi redigido (veja 51.60).
Contextualização: Jeremias profetizou durante o reinado dos últimos monarcas de Judá:
·         Josias (640-609 a.C.).
·         Jeoacaz (609 a.C.).
·         Jeoaquim (609-598 a.C.).
·         Joaquim (598-597 a C.).
·         Zedequias (597-586 a.C.).
Israel, o Reino do Norte, já havia sido exilado em 722 a.C. pela Assíria que, em 612 a.C., foi conquistada pela Babilônia.
Judá, o reino sul, caiu quando a maior parte do seu povo foi exilada na Babilônia em decorrência de deportações iniciadas em 605 a.C. e duas invasões (597 e 586 a.C.) comandadas pelo rei Nabucodonosor.
Jeremias anunciou ao povo que essas decisões divinas estavam para acontecer e viu o cumprimento delas.
Sacerdote originário da cidade sacerdotal de Anatote no território de Benjamim, Jeremias teve uma vida solitária devido à sua mensagem impopular (15.17) e foi proibido por Deus de se casar como um sinal da cessação iminente da vida normal por causa do exílio (16.2).
O profeta teve a sua vida ameaçada em várias ocasiões (11.18-23; 18.18; 26.8; 36.19; 38.6), pois a mensagem recebida de Deus o levou a se opor às autoridades da Terra Prometida e a praticamente todas as classes de Judá (26.8).
Jeremias também foi procurado por alguns, especialmente pelo rei Zedequias, em razão do seu comentário sobre o provável resultado do investida violenta final dos exércitos babilônios (37.3,17).
Era uma época de grande instabilidade política em que o Egito e a Babilônia estavam disputando o domínio sobre aquela região.
Jeremias profetizou repetidamente a vitória da Babilônia, proclamando que o Senhor usaria Nabucodonosor como instrumento do seu castigo.
Quando Jerusalém caiu, o comandante babilônio foi incumbido por Nabucodonosor de cuidar do profeta cuja fama havia se espalhado até o centro do império (39.1 1-14).
Jeremias permaneceu na Terra Prometida até que o governador Gedalias foi assassinado.
Ignorando as advertências de Jeremias (42.1ss.) e temendo uma represália, muitos judaítas fugiram para o Egito e obrigaram o profeta a acompanhá-los (43.1ss.).
Enquanto estava no Egito, Jeremias pregou a palavra de Deus aos refugiados de Judá.
Na época, o profeta estava com pelo menos setenta anos de idade e é bem provável que tenha morrido no Egito pouco tempo depois..
Data e ocasião - O livro foi escrito no contexto do longo conflito em Judá entre o culto idólatra a deuses estrangeiros e a adoração verdadeira e exclusiva ao Senhor, a fé legítima que Josias tentou restaurar em sua reforma (2Rs 22-23).
Essa reforma de Josias teve início em 628 a.C. e ganhou novo ímpeto com a descoberta do Livro de Lei em 621 a.C. (2Rs 22.8).
Jeremias recebeu o seu chamado em 626 a.C. (1.2). Assim, o início do seu ministério coincide com a reforma promovida pelo rei.
No entanto, como as suas profecias dão testemunho, a reforma não exerceu um impacto duradouro sobre a vida do povo.
Jeremias advertiu que a desobediência repetida de Judá acabaria levando o seu povo ao exílio, mas também ofereceu a esperança da volta à Terra Prometida no devido tempo.
É provável que a edição final do livro tenha sido realizada durante o exílio, uma vez que ele é o fato histórico mais recente de seus registros.
 Propósito e características
As fases da mensagem de Jeremias.
(1)   Ele chamou Judá a se arrepender a fim de evitar o julgamento que, de outro modo, certamente lhe sobreviria (p. ex., 7.1-15).
(2)   Anunciou que o tempo de arrependimento havia passado e que a decisão divina contra o povo já havia sido tomada (19.10-11). O julgamento é o tema dominante do livro, sendo entendido como a invocação da maldição mais grave da aliança, ou seja, a perda da Terra Prometida (Lv 26.31-33; Dt 28.49-68).
(3)   O Senhor salvaria o seu povo, ou um remanescente do mesmo, por meio do exílio (24:4-7). Os babilônios prevaleceriam sobre Judá segundo a ordem do Senhor, mas só por algum tempo. A Babilônia também cairia (25.9,11-12), o que de fato ocorreu em 539 a.C. quando os babilônios foram derrotados por uma coalizão de persas e medos sob o comando de Ciro, preparando o caminho para a volta dos exilados (50 3; 51.1,27-28; 2Cr 36 20-23). Essa foi a resposta de Jeremias aos falsos profetas que contestavam a sua mensagem de julgamento (28.2-4).
Jeremias também anunciou uma mensagem de salvação, dirigida apenas àqueles que sobreviveriam ao julgamento (29.11-14).
·         Essa mensagem se consolidou na profecia da nova aliança (31.31-34) que é estruturada em torno dos elementos principais da aliança mosaica no Sinai.
·         Esses elementos expressam o desejo de Deus de ter um relacionamento com o seu povo escolhido e a exigência de reciprocidade por meio da obediência (Êx 19.3-6; Dt 7.6-11).
·         A nova aliança diz respeito à capacitação do povo de Deus para obedecê-lo (31.33; 32.39-40), e o Novo Testamento afirma explicitamente que essa promessa só se cumpre em Cristo (31.33; cf. Lc 22.20; 1Co 11.25; Hb 8.6; 9 15; 12.24).
Jeremias, um profeta emotivo - (Is 15:7; 22:4; Mq 1:8-9).
Ele sentiu a agonia do povo diante da aproximação dos exércitos babilônios mesmo antes que o próprio povo a sentisse (4.19-21; 10.19-22; 14.19-22).
·         Sentiu a fúria do Senhor diante do pecado do povo (8.21-9.3).
·         Expressou angústia diante do fardo opressivo do seu chamado profético, pede ao Senhor que o vingue dos seus inimigos pessoais e chega até a acusar o Senhor de tê-lo forçado ou enganado (15.18; 20.7).
Jeremias como mediador
·         Seu papel de mediador é revelado de modo extremamente comovente na série de passagens chamadas (de modo impróprio) de "confissões" do profeta (11.18-23; 12.1-6; 15.10-21; 17.12-18; 18.19-23; 20.7-18).
·         Algumas dessas orações são respondidas por Deus com uma combinação de repreensão e tranquilização (12.5-6; 15.19-21).
·         As palavras de incentivo dadas por Deus a Jeremias em 15.19-21 são repetidas posteriormente numa oração de Efraim, que recebeu a sua própria resposta (31.18-20).
·         As boas intenções do Senhor para com Jeremias se tornam, portanto, uma garantia da fidelidade que ele planeja demonstrar para com todo o seu povo, tanto durante o julgamento vindouro como depois do mesmo.
Estilos literários em Jeremias
·         Oráculos poéticos anunciados pelo profeta (caps. 2-6).
·         Sermão ou prosa (7.1-15).
·         Narrativas na terceira pessoa do singular (caps. 37-45), e um anexo editorial (p. ex., cap. 52; 51.64).
Organização do livro
·         Temática e não cronológica.
Por exemplo, os caps. 21-24 mostram profecias de Josias até Zedequias, mas sem incluir este último. Do mesmo modo, os caps. 35-36 voltam a Jeoaquim, depois de apresentar cenas envolvendo Zedequias, seu sucessor.
Cristo em Jeremias
·         Na certeza de restauração do exílio expressada pelo profeta.
·         Na entrada do povo de Deus num novo período da aliança repleto de bênçãos de Deus, onde Jesus:
ü  É o Senhor da nova aliança (Lc 22.20; Hb 8.8; 9.5; 12.24).
ü  É o filho de Davi.
ü  É o Sacerdote que deu início às maravilhas dos últimos dias com o seu ministério aqui na terra. Nos dias de hoje, ele continua realizando essa obra de restauração que será completada quando ele voltar em glória.
Divisão proposta do livro de Jeremias
Seguiremos a mesma estruturação proposta pela BEG para a divisão do livro de Jeremias ao qual iniciaremos hoje.
I. PREÂMBULO (1.1-3).
II. O CHAMADO DE JEREMIAS (1.4-19).
III. PLEITO INICIAL CONTRA JUDÁ (2.1-3.5).
IV. OS PECADOS E JULGAMENTOS DE JUDÁ (3.6-6.30).
V. O TEMPLO (7.1-10.25).
VI. A QUEBRA DA ALIANÇA (11.1-13.27).
VII. O JULGAMENTO POR MEIO DA SECA (14.1-15.21).
VIII. SÍMBOLOS DO JULGAMENTO VINDOURO (16.1-17.18).
IX. UM SERMÃO SOBRE O SÁBADO (17.19-27).
X. DEUS COMO OLEIRO (18.1-20.18).
XI. JULGAMENTO E ESPERANÇA NOS ÚLTIMOS DIAS DE JUDÁ (21.1-24.10).
XII. A SEVERIDADE E DURAÇÃO DO EXÍLIO (25.1-29.32).
XIII. A CERTEZA DE RESTAURAÇÃO (30.1-33.26).
XIV. TRANSGRESSÕES E JULGAMENTOS REPRESENTATIVOS (34.1-36.32).
XV. OS ENCONTROS FINAIS E A QUEDA DE JERUSALÉM (37.1-39.18).
XVI. DEPOIS DA QUEDA (40.1-45.5).
XVII. ORÁCULOS CONTRA AS NAÇÕES (46.1-51.64).
XVIII. EXÍLIO E LIBERTAÇÃO DA PRISÃO (52.1-34)
Jr 1:1-12 Segmentação e Reflexões
Começaremos, doravante, a ver os 57 capítulos de Jeremias., sendo 52 de seu livro e 5 de Lamentações de Jeremias. Será um grande desafio e uma opurtinidade ímpar de crescimento bíblico.
I. PREÂMBULO (1.1-3).
O ministério profético de Jeremias se estendeu por um período de quarenta anos que se encerrou durante o exílio do povo de Judá na Babilônia. Ao longo desses anos, a palavra do Senhor veio ao profeta repetidamente (25.3).
Essas "palavras" incluem os oráculos anunciados pelo profeta (cf. Dt 1.1; Am 1.1).
Jeremias era filho de Hilquias, um dos sacerdotes que estavam em Anatote. Anatote era uma cidade de sacerdotes desde tempos remotos (Js 21.17-18; cf. Jr 11.21-23). Jeremias era, portanto, tanto profeta como sacerdote.
A ele, Jeremias, veio a palavra do Senhor (expressão comum no início dos livros proféticos - cf. Os 1.1; JI 1.1; Mq 1.1):
·         Nos dias do rei Josias (13º ano de seu reinado, por volta de 626 a.C.), um rei piedoso que em 628 a.C. iniciou uma grande reforma religiosa (2Rs 22-23; 2Cr 34-35).
·         Nos dias dos reis Jeoaquim e Zedequias – não se menciona os reis Jeoacaz e Joaquim - até que Jerusalém foi levada cativa no quinto mês. Todos eles rejeitaram as palavras de Jeremias (veja os caps. 24; 36).
II. O CHAMADO DE JEREMIAS (1.4-19).
O livro começa com um relato da ocasião em que Deus conferiu autoridade a Jeremias. Deus chamou Jeremias para o ministério profético de anunciar o julgamento divino sobre Judá por causa da idolatria.
A criação e a eleição de Jeremias por Deus estavam associadas. A posição profética de Jeremias era fundamentada no fato de ele ter sido escolhido por Deus antes do seu nascimento.
Observar o mesmo significado no relato do nascimento de Moisés (Êx 2) e nas palavras de Paulo (Gl 1.15).
Em geral, um profeta era uma pessoa que anunciava as palavras de Deus. Moisés foi o profeta prototípico (Dt 18.14-22). No tempo de Jeremias, o termo profeta havia adquirido o significado de um representante de Deus, o Rei, junto aos seus servos.
Embora a mensagem de Jeremias fosse dirigida principalmente a Judá, ele também proferiu palavras de julgamento para outras nações (25.8-37; caps. 46-51).
Jeremias objeta ao Senhor da mesma forma que Moisés. (Êx 4.10). Assim, como Moisés, Jeremias era humilde, e não autoconfiante. Ele se achava criança, no sentido de se sentir imaturamente desqualificado para sua missão. (1 Rs 3.7).
Porém, Deus o consola, o conforta e o tranquiliza com uma expressão muito comum de Deus para aqueles a quem ele chama ou se manifesta “Não Temas”, “eu sou contigo”. Deus ainda o tranquilizará em outras oportunidades (10.5; 30.10; cf. Is 43.1; 1.c 12.32).
O Senhor promete acompanhar o seu povo em tempos de guerra e, como no caso de Jeremias, em tempos de aflição (Êx 3.12; Is 7.14; Mt 1.23; 28.20).  
Depois, toca-lhe na boca, simbolizando a sua consagração para anunciar as palavras do Senhor (Is 6.7). É na boca de Jeremias que Deus coloca as suas palavras. (Êx 4.15; 2Pe 1.21).
Jeremias seria portador de palavras de salvação, mas também de juízo. Essas imagens enfatizam a mensagem de destruição, mas também preveem a reconstrução a ser feita pelo Senhor. A narrativa do chamado prepara para o ministério do profeta em sua totalidade variada. Ele pronunciaria palavras de julgamento que levariam à destruição e ao exílio, mas também diria palavras auspiciosas de retorno e restauração após o exílio.
A primeira palavra que lhe vem é uma palavra sobre a própria palavra – vs. 11. Palavra essa também associada à uma visão (Am 7.8). Ele viu bem. Ele viu como Deus é zeloso para fazer cumprir toda a sua palavra, quer isso agradasse ou não quem fosse recebê-las.
Ele também ve uma panela ao fogo, derramando-se para o norte. Como a primeira visão, a segunda também declara o julgamento vindouro. Jeremias precisava crer na mensa-gem a fim de proclamá-la.
Deus lhe explica as visões e significados: seria do norte que viria o mal. Embora a Babilónia ficasse a leste, os seus exércitos avançariam sobre Judá pelo norte, porque essa era a via de acesso natural.
Deus mesmo estaria chamando eles para executarem o juízo sobre as cidades de Judá. Uma referência à obra Deus em relação ao seu povo da aliança (11.2) pela qual ele invocava as maldições da aliança (Dt 28.15-68).
Eles tinham deixado o Deus vivo para irem atrás de deuses estranhos. Judá havia abandonado o Deus verdadeiro para servir a ídolos. Jeremias volta a esse tema repetidamente.
Eles queimaram incenso a deuses estranhos e adoraram as obras das suas mãos. A argumentação é clara. O culto prestado a deuses feitos por mãos humanas era o cúmulo da insensatez (Is 46.6).
Deus lhe manda então cingir os lombos, ou melhor, estar preparado para a batalha ou para algum trabalho vigoroso (1 Rs 18.46; cf. Is 5.27). Jeremias estava prestes a ingressar num ministério extremamente difícil.
Deus estaria revestindo o profeta e tornando-o forte contra toda a terra e contra os reis de Judá. As acusações de Jeremias abran-geriam a sociedade de Judá como um todo, desde as classes mais altas até as mais baixas.
Por isso, haveriam de pelejarem contra ele, mas Deus seria com o profeta. Jeremias está prestes a ingressar numa guerra pessoal, mas não precisava temer a derrota, pois Deus promete acompanhá-lo.
Jr 1:1 As palavras de Jeremias,
                filho de Hilquias,
                               um dos sacerdotes que estavam em Anatote,
                                               na terra de Benjamim;
                Jr 1:2 ao qual veio a palavra do Senhor,
                               nos dias de Josias, filho de Amom, rei de Judá,
                                               no décimo terceiro ano do seu reinado;
                Jr 1: 3 e lhe veio também nos dias de Jeoiaquim, filho de Josias,
                               rei de Judá, até o fim do ano undécimo de Zedequias,
                                               filho de Josias, rei de Judá, até que Jerusalém
                                                               foi levada em cativeiro no quinto mês
Jr 1:4 Ora veio a mim a palavra do Senhor, dizendo:
                Jr 1:5 Antes que eu te formasse no ventre te conheci,
                               e antes que saísses da madre te santifiquei;
                                               às nações te dei por profeta
                Jr 1:6 Então disse eu:
                               Ah, Senhor Deus! Eis que não sei falar;
                                               porque sou um menino
                Jr 1:7 Mas o Senhor me respondeu:
                               Não digas: Eu sou um menino; porque a todos
                                               a quem eu te enviar, irás;
                                                               e tudo quanto te mandar dirás
                Jr 1:8 Não temas diante deles; pois eu seu contigo para te livrar,
                               diz o Senhor
                Jr 1:9 Então estendeu o Senhor a mão, e tocou-me na boca;
                               e disse-me o Senhor:
                                               Eis que ponho as minhas palavras na tua boca
                Jr 1:10 Olha, ponho-te neste dia sobre as nações,
                               e sobre os reinos, para arrancares e derribares,
                                               para destruíres e arruinares;
                                                               e também para edificares e plantares
                Jr 1:11 E veio a mim a palavra do Senhor, dizendo:
                               Que é que vês, Jeremias?
                                               Eu respondi: Vejo uma vara de amendoeira
                Jr 1:12 Então me disse o Senhor:
                               Viste bem; porque eu velo sobre a minha palavra
                                               para a cumprir
                Jr 1:13 Veio a mim a palavra do Senhor segunda vez, dizendo:
                               Que é que vês?
                                               E eu disse: Vejo uma panela a ferver,
                                                               que se apresenta da banda do norte
                Jr 1:14 Ao que me disse o Senhor:
                               Do norte se estenderá o mal
                                               sobre todos os habitantes da terra
                Jr 1:15 Pois estou convocando todas as famílias dos reinos do norte,
                               diz o Senhor; e, vindo, porá cada um o seu trono
                                               à entrada das portas de Jerusalém,
                                                               e contra todos os seus muros em redor
                                                                              e contra todas as cidades de Judá
                Jr 1:16 E pronunciarei contra eles os meus juízos,
                               por causa de toda a sua malícia;
                                               pois me deixaram a mim, e queimaram incenso
                                                               a deuses estranhos,
                                                               e adoraram as obras das suas mãos
                Jr 1:17 Tu, pois, cinge os teus lombos, e levanta-te,
                               e dêem-lhes tudo quanto eu te ordenar;
                                               não desanimes diante deles,
                                                               para que eu não te desanime diante deles
                Jr 1:18 Eis que hoje te ponho como cidade fortificada,
                               e como coluna de ferro e muros de bronze
                                               contra toda a terra, contra os reis de Judá,
                                               contra os seus príncipes, contra os seus sacerdotes,
                                               e contra o povo da terra
                Jr 1:19 E eles pelejarão contra ti, mas não prevalecerão;
                               porque eu sou contigo, diz o Senhor, para te livrar.
Jeremias estaria assumindo um papel muito difícil em sua época onde procurariam de todas as formas calar a sua voz profética. Jeremias seria essa cidade fortificada com colunas de ferro e muros de bronze, não só contra Judá, mas contra toda a terra, contra os reis, contra os príncipes, contra os sacerdotes, contra todo o povo da terra.
Eles não riam se contentar em se lhe opor, mas pelejariam contra ele, no entanto, Deus não permitirá que prevaleçam, porque ele é com o profeta que ele está enviando, por sua pura graça e misericórdia.
p.s.: link da imagem original:
Contagem regressiva: Faltam 183 dias para 04/08/2015, quando eu irei concluir a Segmentação de toda a Bíblia.

A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdetehttp://www.jamaisdesista.com.br
...

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.