sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Jeremias 19:1-15 - A QUEBRA SIMBÓLICA DA BOTIJA.



Estamos na décima parte, de nossa divisão proposta de dezoito delas, nos baseando na estruturação apresentada pela BEG. Estamos no capítulo 19.
X. DEUS COMO OLEIRO (18.1-20.18) - continuação.
Como já dissemos, estamos vendo Jeremias transmitindo lições aprendidas na casa do oleiro. O tema central é o Senhor trabalhando como um oleiro.
Essa parte foi dividida em cinco seções: A. Na casa do oleiro (18.1-17) – já vista; B. Oposição a Jeremias (18.18-23) – já vista; C. A quebra simbólica da botija (19.1-15) – veremos agora; D. Mais oposição a Jeremias (20.1-6); e, E. O lamento de Jeremias (20.7-18).
C. A quebra simbólica da botija (19.1-15).
Estamos aqui vendo a quebra da botija ou a quebra simbólica da botija. Deus instruiu Jeremias a comprar uma botija e destruí-la para ilustrar a destruição que estava preste a sobrevir a Jerusalém e ao templo.
O Senhor lhe dirige a palavra dando claras instruções – vs. 1 - para a compra de uma botija de oleiro à semelhança da botija que ele acabara de presenciar o oleiro consertar uma vez que quando observava ela se desfez e Deus aproveitou para dizer a ele, Jeremias, que assim também poderia fazer conosco.
Jeremias foi orientado pelo Espírito Santo a ir ao vale do filho de Hinom, que está à entrada – vs. 2 - da Porta do Oleiro, ou da Porta Harsite. Era esta a porta da cidade que dava para o lado sul. Possivelmente, a Porta do Monturo (Ne 2.13).
Seria nesse lugar que Jeremias deveria dizer-lhes as palavras do Senhor. A palavra era destinada aos reis e a todos os moradores de Jerusalém. Era uma palavra muito dura e que dizia que o Senhor faria vir aquele lugar uma tão terrível calamidade que iria ela retinir-lhes aos ouvidos.
Palavras semelhantes às de 2Rs 21.12, uma passagem que também trata do julgamento de Judá e Jerusalém pelas mãos dos babilônios. Estão em vista aqui o caráter público do julgamento.
A razão para isso era que teriam deixado ao Senhor e ainda profanado o lugar com queimas de incensos a outros deuses que jamais conheceram nem eles, nem seus pais, nem os eis de Judá.
Também edificaram altos a Baal para queimarem seus filhos em sacrifícios que jamais passou pelo pensamento do Senhor pedir isso ao seu povo.
Era isso a assimilação cultural da época e a imitação de outras nações as quais deveriam eles ter subjugado e não agora estarem sendo levados cativos.
Em consequência o Senhor iria julgar aquela terra e fazer caírem  à espada, sendo seus cadáveres entregues às aves dos céus e aos animais da terra (espada-aves-animais).
O Senhor faria da cidade um lugar de espanto e de assobios por causa de suas pragas que lembrariam a todos o quanto aquela cidade tinha se desviado do Senhor e feito escolhas erradas.
Assim como ofereceram seus filhos em sacrifícios, o Senhor os levaria a comer as carnes de seus filhos e filhas e cada um do seu próximo. O canibalismo ocorreu durante o cerco de 586 a.C. (Lm 2.20), mas também antes disso (2Rs 6.28-29) e depois, no cerco romano a Jerusalém em 70 d.C.
A que situação, sem o Senhor, podemos chegar? Em minhas oportunidades de aconselhamentos, eu logo falo, para chocar mesmo, com quem estou dirigindo as palavras: - Que tal retirarmos Deus de nosso cenário? Se assim o fizermos, estaremos livres para fazermos o que bem entendermos sem nos preocuparmos com qualquer coisa. Ou seja, Fulano está nos chateando? Matemo-lo e depois o cozinhemos. Ai a pessoa fica sem graça e entende que não há como retirar Deus do cenário e tem agora de se curvar às suas leis e mandamentos.
No verso dez, o Senhor fala para Jeremias quebrar a botija que ele orientou ele a comprar – vs. 1. Este ponto culminante da cena é mais um ato profético simbólico à semelhança do cinto de 13.1-11. Uma vez que não era mais maleável o vaso (contrastar com 18.4), o jarro só servia para ser quebrado (Sl 2.9).
Jr 19:1 Assim disse o Senhor:
                Vai, e compra uma botija de oleiro,
                               e leva contigo alguns anciãos do povo
                                               e alguns anciãos dos sacerdotes;
                Jr 19:2 e sai ao vale do filho de Hinom,
                               que está à entrada da Porta Harsite,
                                               e apregoa ali as palavras que eu te disser;
Jr 19:3 e dirás:
                Ouvi a palavra do Senhor, ó reis de Judá, e moradores de Jerusalém.
                Assim diz o Senhor dos exércitos, o Deus de Israel:
                               Eis que trarei sobre este lugar uma calamidade tal
                                               que fará retinir os ouvidos de quem quer que
                                                               dela ouvir.
                               Jr 19:4 Porquanto me deixaram, e profanaram este lugar,
                                               queimando nele incenso a outros deuses,
                                               que nunca conheceram, nem eles nem seus pais,
                                                               nem os reis de Judá;
                                               e encheram este lugar de sangue de inocentes.
                               Jr 19:5 E edificaram os altos de Baal, para queimarem
                                               seus filhos no fogo em holocaustos a Baal;
                                                               o que nunca lhes ordenei, nem falei,
                                                                              nem entrou no meu pensamento.
                               Jr 19:6 Por isso eis que dias vêm, diz o Senhor,
                                               em que este lugar não se chamara mais Tofete,
                                                               nem o vale do filho de Hinom,
                                                                              mas o vale da matança.
                               Jr 19:7 E tornarei vão o conselho de Judá e de Jerusalém
                                               neste lugar, e os farei cair à espada diante de seus
                                               inimigos e pela mão dos que procuram tirar-lhes
                                                               a vida. Darei os seus cadáveres por pasto
                                                               as aves do céu e aos animais da terra.
                               Jr 19:8 E farei esta cidade objeto de espanto e de assobios;
                                               todo aquele que passar por ela se espantará,
                                               e assobiará, por causa de todas as suas pragas.
                               Jr 19:9 E lhes farei comer a carne de seus filhos,
                                               e a carne de suas filhas, e comerá cada um a carne
                                               do seu próximo, no cerco e no aperto em que
                                               os apertarão os seus inimigos,
                                                               e os que procuram tirar-lhes a vida.
Jr 19:10 Então quebrarás a botija à vista dos homens que foram contigo,
                Jr 19:11 e lhes dirás:
                               Assim diz o Senhor dos exércitos:
                                               Deste modo quebrarei eu a este povo,
                                               e a esta cidade, como se quebra o vaso do oleiro,
                                                               de sorte que não pode mais refazer-se;
                                               e os enterrarão em Tofete, porque não haverá outro
                                                               lugar para os enterrar.
                Jr 19:12 Assim farei a este lugar e aos seus moradores,
                               diz o Senhor; sim, porei esta cidade como Tofete.
                Jr 19:13 E as casas de Jerusalém, e as casas dos reis de Judá,
                               serão imundas como o lugar de Tofete,
                                               como também todas as casas, sobre cujos terraços
                                               queimaram incenso a todo o exército dos céus,
                                                               e ofereceram libações a deuses estranhos.
Jr 19:14 Então voltou Jeremias de Tofete, aonde o tinha enviado o Senhor
                a profetizar; e pôs-se em pé no átrio da casa do Senhor,
                               e disse a todo o povo:
                Jr 19:15 Assim diz o Senhor dos exércitos, o Deus de Israel:
                               Eis que trarei sobre esta cidade, e sobre todas as suas
                                               cercanias, todo o mal que pronunciei contra ela,
                                                               porquanto endureceram a sua cerviz,
                                                               para não ouvirem as minhas palavras.
Depois de quebrar e falar as duras palavras da quebra do vaso que não permite conserto, no verso 11, há um reforço dessa sentença uma vez que o povo estava endurecido pelo pecado. Judá não podia ser moldado novamente, mas apenas destruído.
Uma vez destruídos, seriam enterrados em Tofete. Josias havia profanado Tofete – 2Rs 23.10 – que está no Vale de Hinom. Em Tofete, como já salientado, crianças eram sacrificadas no vale do Filho de Hinom, fora de Jerusalém.
p.s.: link da imagem original:
Contagem regressiva: Faltam 165 dias para 04/08/2015, quando eu irei concluir a Segmentação de toda a Bíblia.
A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdetehttp://www.jamaisdesista.com.br
...

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.