quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Jeremias 10:1-25 - O CONTRASTE ENTRE A IDOLATRIA E O SENHOR.

Estamos no último capítulo, de nossa quinta parte, de nossa divisão proposta de dezoito delas, nos baseando na estruturação apresentada pela BEG. Estamos no capítulo 10.
V. O TEMPLO (7.1-10.25).
Estamos vendo agora como Jeremias rejeitou a suposição geral de que o templo protegeria Jerusalém da destruição.
E para melhorar nossa compreensão, dividimos essa série de discursos de Jeremias em três seções: A. O templo de Salomão e Siló – 7:1 – 8:3 – já vimos; B. Os pecados e julgamentos de Judá – 8:4 – 9:26 – já vimos; e, C. A idolatria ou o Senhor – 10:1-25 – veremos e concluiremos agora.
C. A idolatria ou o Senhor – 10:1-25.
Nos próximos vinte e cinco versículos, deste capítulo, estaremos vendo a idolatria ou o Senhor, ou o contraste entre um e outro. Esse material trata do pecado da idolatria, um tema apropriado no contexto da confiança hipócrita de Judá no templo como garantia de proteção (veja o cap. 7). Ao mesmo tempo em que esperavam que a Casa de Deus os mantivesse seguros, os judaítas corrompiam o seu culto com a idolatria.
Já começa o primeiro versículo chamando a atenção da casa de Israel para estarem atentos à Palavra do Senhor que sempre exige de nós uma resposta, uma decisão ou uma escolha. Quando Deus fala, não é qualquer um a falar, mas o próprio Deus e isso pode trazer consigo sérias consequências, principalmente quando a negligenciamos.
O Senhor não é como somos nós que até esquecemos de nossas juras e palavras, mas o Senhor é fiel e não tem ninguém por inocente diante dele.
É o Senhor quem está a dizer, por isso que diz “Assim diz o Senhor”.  Não era para Israel aprender com as nações as suas manias e caminhos. Eles viviam observando sinais nos céus e com isso dando a entender que seriam capazes de grandes coisas.
A adoração dos corpos celestes era proibida e nada poderia nem acrescentar, nem subtrair a ninguém coisa alguma. O espanto ou terror caracteriza a adoração a falsos deuses, mais para incutir e difundir a cultura do medo pela manipulação de forças ocultas e secretas.
A adoração de corpos celestes envolve certos medos específicos decorrentes da possibilidade de fenômenos extraordinários. A teologia da criação apresentada na Bíblia elimina esses medos ao mostrar que tais ocorrências são apenas manifestações da ordem criada por Deus (Gn 1; Is 40.26).
A Bíblia chama tais costumes de vaidade! Aqui, esse termo usado em outras passagens de Jeremias para se referir a ídolos, transmite a ideia de vazio (2.5).
Os que fabricam ídolos se esquecem de que são eles que cortam, que dão forma e que manipulam a madeira os levando por um caminho de completa insensatez idolátrica (Is 44.9-20). Eles, ainda para melhorarem suas imagens de nada, as revestem de prata e de ouro (vs. 9).
Eles são como espantalhos – vs. 5 - no milharal. O Senhor adverte seu povo para não temê-los nem terem qualquer reverência a tais objetos que tem o poder de tornarem nulos também os que os adoram, não por que emanam deles poder, mas por causa do torpor que invade a alma do adorador de ídolos.
A quem devemos temer então? A resposta está no verso 6 e 7: ao Senhor que fez tanto os céus como a terra e tudo o que neles há. Pois somente ele é digno, grande e ninguém há que a ele se assemelhe. Ele mesmo não deixou forma alguma dele para nós, justamente para evitar esse apego idolátrico de nossa alma caída e insensata.
Na Bíblia, o temor de Deus – vs. 7 - envolve, com frequência, mais do que o medo do julgamento divino. Inclui espanto, reverência, honra e adoração em resposta à majestade e santidade de Deus (SI 2.11-12).
O Senhor é o Rei das nações. Uma resposta à soberania atribuída a falsas divindades como, por exemplo, Bel-Marduque da Babilônia (cf. Is 43.15; 46.1). A quem se poderia comparar o Senhor nas nações? Talvez magos ou encantadores como os que aparecem no livro de Daniel (Dn 2.12)? Esse versículo contrasta a sabedoria deles com a sabedoria do Senhor (10.12).
No verso 8, a descrição precisa desses adoradores: embrutecidos e loucos e as suas instruções vazias, ocas e mortas como um pedaço de pau qualquer. Mais uma vez, o texto apresenta a linguagem sapiencial. Veja Dt 11.2; Pv 3.11, onde o termo hebraico para "ensinar" é traduzido como "disciplina". Para "loucura", veja, por exemplo, Pv 15.2,5,7.
Eles se viram para trazerem de longe todos os materiais para confecção de seus objetos idolátricos. De Társis, a prata e de Ufaz, o ouro. A primeira cidade ficava numa região que hoje pertence à Espanha; a localização da segunda é desconhecida.
Não são quaisquer obras, mas de peritos, de mãos hábeis que sabem manipular com maestria a prata, o ouro, a madeira, mas infelizmente para construção de engano que escravizará o povo nas trevas.
No entanto, somente Deus é verdadeiramente Deus. Somente Deus é um Deus vivo. (Dt 5.26). Somente ele também é o Rei eterno. (vs. 7; Êx 15.18; 2Sm 7.13). No livro de Samuel, 2Sm 7.13 vemos a declaração da eternidade do reino de Deus, ainda que o reinado da casa de Davi estivesse preste a cessar por vários séculos.
No verso 11, uma declaração de julgamento contra outros deuses é escrita em aramaico talvez visando a um efeito dramático ou ao uso internacional. (No Antigo Testamento, outras passagens aparecem em aramaico - Ed 4.80; 6.18; 7.12-26; Dn 2.4-7.28).
Foi somente Deus pelo seu poder, sabedoria e inteligência que fez todas as coisas. O poder do Deus verdadeiro na criação é usado nessa argumentação contra os deuses estrangeiros. Para a criação por meio de sua sabedoria, veja Pv 8.22-31, uma passagem que prefigura Cristo como a sabedoria preexistente de Deus (Cl 1.15; 2.3).
Ao mencionar, no verso 13, o controle de Deus sobre os fenômenos da natureza (SI 29.3-4; 135.5-7.), essa declaração sobre o controle do Senhor sobre a chuva faz frente asserções semelhantes acerca de Baal, o deus cananeu (veja 1 Rs 17.1).
Apesar disso, apesar de seu domínio e controle da natureza e de todas as obras de suas mãos, o homem embruteceu, tonou-se obtuso, cego e semelhante aos objetos de sua adoração. Para onde foi o conhecimento?
A vaidade soprou e o seu vento os perturbou a ponto de perderem o sentido e estarem encantados com o engano e a mentira, mas no dia da visitação, sim nesse dia, perturbar-se-ão e perecerão – vs. 15.
No início das Escrituras o Senhor é considerado uma "herança" peculiar para os levitas (Nm 18.20). Aqui, o conceito do Senhor como "porção" ou "herança" – vs. 16 - é ampliado de modo a abranger a nação como um todo. Juntas, as duas metáforas revelam o relacionamento entre Deus e Israel na aliança. Quanto ao povo como "herança" do Senhor, “Porque a porção do Senhor é o seu povo; Jacó é a parte da sua herança.” - Dt 32.9.
O Senhor pede aos que habitam sitiados para tirar do chão a sua trouxa, pois ele os arrojará como uma funda e os angustiará para que sintam o seu terror. Ou seja, o Senhor estaria a ponto de lançá-los para bem longe, de atirá-los para fora de sua presença para sempre. Aos ímpios, diz a palavra de Deus, não haverá paz! Mas resta um descanso ainda e devemos nos esforçar por entrar por ele, em tempo oportuno.
O povo entra em desespero e clama por causa de sua chaga.  Compare com o clamor de Jeremias em 4.19-21. Aqui, o profeta demonstra predileção pelas metáforas médicas (6.7; 14.17; 30.12-13,15,17).
No verso 20, a metáfora usa termos de habitação ao falar de sua tenda destruída e de seus cordões todos rompidos. Os efeitos trágicos da falta de filhos em geral se tornam um retrato da desolação do exílio. A fim de deixar esse ponto absolutamente claro, o próprio Jeremias não poderia ter filhos (16.2).
O tema da insensatez ou da estupidez é aplicado agora aos líderes em particular (2.8; 10.8; cf.10.14). Os líderes não buscaram ao SENHOR, mas, antes, recorreram aos encantamentos dos "sábios" pagãos (8.2; 10.7). Quando os pastores se embrutecem e não buscam ao Senhor, o resultado jamais pode ser de prosperidade, antes de dispersão do seu rebanho.
Jr 10:1 Ouvi a palavra que o Senhor vos fala a vós, ó casa de Israel.
Jr 10:2 Assim diz o Senhor:
Não aprendais o caminho das nações,
nem vos espanteis com os sinais do céu;
porque deles se espantam as nações,
Jr 10:3 pois os costumes dos povos são vaidade;
corta-se do bosque um madeiro e se lavra com machado
pelas mãos do artífice.
Jr 10:4 Com prata e com ouro o enfeitam, com pregos
e com martelos o firmam, para que não se mova.
Jr 10:5 São como o espantalho num pepinal, e não podem falar;
necessitam de quem os leve, porquanto não podem andar.
Não tenhais receio deles, pois não podem fazer o mal,
nem tampouco têm poder de fazer o bem.
Jr 10:6 Ninguém há semelhante a ti, ó Senhor;
és grande, e grande é o teu nome em poder.
Jr 10:7 Quem te não temeria a ti, ó Rei das nações?
pois a ti se deve o temor;
porquanto entre todos os sábios das nações,
e em todos os seus reinos ninguém há semelhante a ti.
                Jr 10:8 Mas eles todos são embrutecidos e loucos;
a instrução dos ídolos é como o madeiro.
Jr 10:9 Trazem de Társis prata em chapas, e ouro de Ufaz,
trabalho do artífice, e das mãos do fundidor;
seus vestidos são de azul e púrpura;
obra de peritos são todos eles.
Jr 10:10 Mas o Senhor é o verdadeiro Deus;
ele é o Deus vivo e o Rei eterno,
ao seu furor estremece a terra,
e as nações não podem suportar a sua indignação.
Jr 10:11 Assim lhes direis:
Os deuses que não fizeram os céus e a terra,
esses perecerão da terra e de debaixo dos céus.
Jr 10:12 Ele fez a terra pelo seu poder; ele estabeleceu o mundo
por sua sabedoria e com a sua inteligência estendeu os céus. Jr 10:13 Quando ele faz soar a sua voz,
logo há tumulto de águas nos céus,
e ele faz subir das extremidades da terra os vapores;
faz os relâmpagos para a chuva,
e dos seus tesouros faz sair o vento.
Jr 10:14 Todo homem se embruteceu e não tem conhecimento;
da sua imagem esculpida envergonha-se todo fundidor;
pois as suas imagens fundidas são falsas,
e nelas não há fôlego.
Jr 10:15 Vaidade são, obra de enganos;
no tempo da sua visitação virão a perecer.
Jr 10:16 Não é semelhante a estes aquele que é a porção de Jacó;
porque ele é o que forma todas as coisas,
e Israel é a tribo da sua herança.
Senhor dos exércitos é o seu nome.
Jr 10:17 Tira do chão a tua trouxa, ó tu que habitas em lugar sitiado.
Jr 10:18 Pois assim diz o Senhor:
Eis que desta vez arrojarei como se fora com uma funda
os moradores da terra, e os angustiarei,
para que venham a senti-lo.
Jr 10:19 Ai de mim, por causa do meu quebrantamento!
a minha chaga me causa grande dor;
mas eu havia dito:
Certamente isto é minha enfermidade, e eu devo suporta-la.
Jr 10:20 A minha tenda está destruída,
e todas as minhas cordas estão rompidas;
os meus filhos foram-se de mim, e não existem;
ninguém há mais que estire a minha tenda,
e que levante as minhas cortinas.
Jr 10:21 Pois os pastores se embruteceram,
e não buscaram ao Senhor;
por isso não prosperaram,
e todos os seus rebanhos se acham dispersos.
Jr 10:22 Eis que vem uma voz de rumor,
um grande tumulto da terra do norte,
para fazer das cidades de Judá uma assolação,
uma morada de chacais.
Jr 10:23 Eu sei, ó Senhor, que não é do homem o seu caminho;
nem é do homem que caminha o dirigir os seus passos.
Jr 10:24 Corrige-me, ó Senhor, mas com medida justa;
não na tua ira, para que não me reduzas a nada.
Jr 10:25 Derrama a tua indignação sobre as nações
que não te conhecem, e sobre as famílias que não invocam
o teu nome; porque devoraram a Jacó;
sim, devoraram-no e consumiram-no,
e assolaram a sua morada.
Dos versos 23 ao 25, encerrando o presente capítulo e a parte V, Jeremias entendendo a situação grave, ora pedindo justiça divina contra aqueles que atacariam Judá e Jerusalém.
Esse tipo de declaração do verso 23 de que ele sabe que não é do homem o seu caminho, nem daquele que caminha, o dirigir os seus passos, faz parte da tradição da literatura sapiencial da Bíblia (Pv 16.9).
Esse último versículo – vs. 25 - é bastante parecido com SI 79.6-7 e pode ser uma citação do mesmo. No entanto, nesse novo contexto, talvez a sua motivação não seja tão pura quanto à do salmo.
Apesar de o capítulo enfatizar a semelhança moral de Judá com as nações, termina (ironicamente) com a súplica de Judá para que o Senhor derrame a sua ira sobre as nações. Essa oração foi respondida no seu devido tempo.
p.s.: link da imagem original:
Contagem regressiva: Faltam 174 dias para 04/08/2015, quando eu irei concluir a Segmentação de toda a Bíblia.

A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdetehttp://www.jamaisdesista.com.br
...

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.