quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Isaías 62:1-12 - A GLORIOSA JERUSALÉM, CIDADE SANTA.

Em nossa leitura, meditação e reflexão, capítulo por capítulo, nós nos encontramos aqui no capítulo 62 e nas seguintes partes:
Parte IV – ISAÍAS E O JULGAMENTO BABILÔNICO – 40:1 – 66:24.
D. O caminho de arrependimento e restauração que Israel precisava percorrer para poder desfrutar da restauração (56:1 – 66:24).
2. O arrependimento que leva à restauração (59:1-66:24).
a. Arrependimento e resposta 1 - 59:1-63:6
(2) A resposta de salvação de Deus (59:14-63:6) - continuação.
Como já dissemos, até 63:6, finalizando essa seção primeira “a. Arrependimento e Salvação 1”, veremos como será a resposta de salvação de Deus. Tendo levado os leitores a confessarem o seu pecado, Isaías agora lhes assegura que Deus responderia à sua situação deplorável e libertaria Israel do exílio.
Também dividimos essa seção “(2)” em quatro partes: a. O mal será vencido – 59:14 – 60:22 – já vimos; b. A proclamação do ano aceitável do Senhor – 61:1-11 – já vimos; c. A gloriosa Jerusalém futura – 62:1-12 – veremos agora; e, d. Julgamento das nações – 63:1-6.
É importante frisar que desde o primeiro verso do capítulo 60 até ao verso 6, do capítulo 63, magníficas profecias sobre o futuro dourado de Jerusalém encontram o seu cumprimento hoje na Jerusalém celestial (isto é, na "Jerusalém lá de cima" Gl 4:26) e terão o seu cumprimento definitivo nos novos céus e na nova terra, quando Cristo voltar (Ap 21:1-27). Que dia glorioso não será esse dia?
c. A gloriosa Jerusalém futura – 62:1-12.
Neste capítulo, uma breve descrição da gloriosa Jerusalém futura. Aqui, Jerusalém se torna o foco enquanto Isaías descreve as promessas de Deus quanto à salvação do exílio.
Sonho um dia viajar para Jerusalém e ali, em sua praça central ou em algum lugar público e de grande acesso, cantar a plenos pulmões a linda canção CIDADE SANTA.
Dormindo no meu leito, em sonho encantador
Um dia eu vi Jerusalém e o templo do Senhor.
Ouvi cantar crianças e em meio a seu cantar
Rompeu a voz dos anjos, do céu a proclamar.
Rompeu a voz dos anjos, do céu a proclamar:

Jerusalém, Jerusalém, cantai ó Santa Grei
Hosana, Hosana, Hosana ao vosso Rei.

Então o sonho se alterou, não mais o som feliz
Ouvia das hosanas dos coros infantis.
O ar em torno se esfriou, do sol faltava a luz,
E num alto e tosco monte vi o vulto de uma cruz!
E num alto e tosco monte vi o vulto de uma cruz!

Jerusalém, Jerusalém, cantai ó Santa Grei
Hosana, Hosana, Hosana ao vosso Rei.

Ainda a cena se mudou; surgia em resplendor
A divinal cidade, morada do Senhor.
Da lua não brilhava a luz, nem sol nascia lá,
Mas só fulgia a luz de Deus,
Mui pura em seu brilhar.
E todos que queriam, sim, podiam logo entrar
Na mui feliz Jerusalém, que nunca passará.
Na mui feliz Jerusalém, que nunca passará.

Jerusalém, Jerusalém, teu dia vai raiar
Hosana, nas alturas, Hosana sem cessar.
Jerusalém, Jerusalém, teu dia vai raiar
Hosana, nas alturas, Hosana sem cessar.
Hosana, nas alturas, Hosana ao vosso Rei.
A proclamação continuaria a ser feita enquanto o Senhor não descansasse, nem se calasse (vs. 6; 42:14; 57:11; 64:12; 65:6). O objetivo seria fazer a justiça e a salvação brilharem como o sol em dia de verão.
As nações e os reis da terra seriam as testemunhas da confirmação dessas promessas (2:2-4; 52:10; 60:3; 61:11; Dt 26:19). O impacto seria tão grande que ela ganharia um novo nome que somente o Senhor conhece. Tal como roupas novas (61:10), essa nova situação significava um relacionamento renovado e um nível melhorado de privilégio (vs: 4,12; cf: 1:26; 56:5; 58:12; 60:14,18; cf: Gn 17:5,15; Os 2:22-23; Ap 2:17; 3:12).
Além do seu novo nome e compromissos, seria ela uma coroa de adorno e um diadema nas mãos do Senhor. O Senhor compartilharia o seu esplendor com o seu povo. Jerusalém era a coroa de Deus, o seu deleite acima de todas as outras cidades. De maneira semelhante, uma inscrição relativa a um deus da Babilônia descreve certa cidade como "sua tiara".
Por causa disso, nunca mais iriam chamá-la de desamparada, desolada, desabitada e inútil (49:8,19; 54:1) ou rejeitada (vs. 12; 54:6; 60:15), mas sim de Minha-Delícia, no original, "Hefzibá" e desposada, no original, "Beulá". De desamparada e desolada para minha delícia e desposada. Ela agora teria um marido fiel que dela cuidaria despertando inveja e ciúmes nas outras nações.
A Terra Prometida foi o lugar escolhido pelo Senhor para manifestar ali o príncipe das nações, o messias esperado e desejado das nações e de todos os povos por causa de sua justiça e salvação.
Novamente vemos no verso 5 a figura do marido e da mulher sendo projetados no relacionamento de Deus com Jerusalém. Assim como o noivo se alegra com a noiva, assim Deus se alegraria dela e nela esperaria.
Os atalaias ou os guardas do verso 6 representam os profetas (56:10) que não descansam, nem se calam de dia, nem de noite. Não descanseis é a ordem dada a eles, uma exortação que está baseada na promessa de Deus no vs. 1; 64:12; 65:6 até que Jerusalém seja estabelecida e seja posta por objeto de louvor na terra.
O juramento do Senhor é de abençoar a terra de Jerusalém, pois ela não seria mais dada aos seus inimigos. Jurou o Senhor pela sua mão direita e pelo seu braço poderoso, por si mesmo (cf. 40:10; 41:10; 51:9; 52:10; 53:1; cf: Ex 6:6; Dt 5:15) que nunca mais, Por meio da guerra ou de impostos, daria de comer o seu trigo aos seus inimigos, nem os estrangeiros beberiam o seu mosto no qual trabalharam!
Vamos comparar as grandes bênçãos de 65.13; 21-23 e contrastá-las com Dt 28.33. Em resposta à bondade de Deus (Lv 23:39-41; Dt 14:22-26), na certeza da redenção, a maldição da aliança (Lv 26:16; Dt 28:33) seria substituída pela bênção. Assim, no verso 9, eles comerão, beberão e louvarão nos átrios do santuário do Senhor.
Is 62:1 Por amor de Sião não me calarei,
e por amor de Jerusalém não descansarei,
até que saia a sua justiça como um resplendor,
e a sua salvação como uma tocha acesa.
Is 62:2 E as nações verão a tua justiça, e todos os reis a tua glória;
e chamar-te-ão por um nome novo,
que a boca do Senhor designará.
Is 62:3 Também serás uma coroa de adorno na mão do Senhor,
e um diadema real na mão do teu Deus.
Is 62:4 Nunca mais te chamarão:
Desamparada, nem a tua terra se denominará Desolada;
mas chamar-te-ão Hefzibá, e à tua terra Beulá;
porque o Senhor se agrada de ti;
e a tua terra se casará.
Is 62:5 Pois como o mancebo se casa com a donzela,
assim teus filhos se casarão contigo;
e, como o noivo se alegra da noiva,
assim se alegrará de ti o teu Deus
Is 62:6 e Jerusalém, sobre os teus muros pus atalaias,
que não se calarão nem de dia, nem de noite;
ó vós, os que fazeis lembrar ao Senhor,
não descanseis,
Is 62:7 e não lhe deis a ele descanso até que estabeleça Jerusalém
e a ponha por objeto de louvor na terra.
Is 62:8 Jurou o Senhor pela sua mão direita,
e pelo braço da sua força:
Nunca mais darei de comer o teu trigo
aos teus inimigos,
nem os estrangeiros beberão o teu mosto,
em que trabalhaste.
Is 62:9 Mas os que o ajuntarem o comerão, e louvarão ao Senhor;
e os que o colherem o beberão nos átrios do meu santuário.
Is 62:10 Passai, passai pelas portas;
preparai o caminho ao povo;
aplanai, aplanai a estrada,
limpai-a das pedras;
arvorai a bandeira aos povos.
Is 62:11 Eis que o Senhor proclamou até as extremidades da terra:
Dizei à filha de Sião:
Eis que vem o teu Salvador;
eis que com ele vem o seu galardão,
e a sua recompensa diante dele.
Is 62:12 E chamar-lhes-ão:
Povo santo, remidos do Senhor;
e tu serás chamada Procurada,
cidade não desamparada.
No verso 10, dois imperativos duplos (veja também 40:1; 51:9,17; 52:1; 57:14; 65:1) encorajam de maneira enfática o povo a adorar na glória da Jerusalém restaurada. Eles são exortados duplamente a passarem pelas portas que levam ao átrio do santuário (vs. 9), a prepararem o caminho, a também duplamente a aplainar, aterrar, a estrada, limpando-as das pedras, dos impedimentos à adoração (57:14) e, finalmente, a arvorarem a bandeira aos povos.
A bandeira aos povos seria hasteada para proclamar até as extremidades da terra que o Senhor, o seu salvador - 40:9; Zc 9:9; Mt 21:5 - vem e com ele o seu galardão e a sua recompensa – 40:10 - diante dele.
Com isso serão chamados povo santo, remidos do Senhor; e Jerusalém será chamada de procurada, cidade não desamparada. Escolhida pelo Senhor dentre todas as nações.
p.s.: link da imagem original:
Contagem regressiva: Faltam 188 dias para 04/08/2015, quando eu irei concluir a Segmentação de toda a Bíblia.

A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdetehttp://www.jamaisdesista.com.br
...

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.