quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Isaías 55:1-13 - O CONVITE PARA COMPRAR SEM DINHEIRO...

Em nossa leitura, meditação e reflexão, capítulo por capítulo, nós nos encontramos aqui no capítulo 55 e nas seguintes partes:
Parte IV – ISAÍAS E O JULGAMENTO BABILÔNICO – 40:1 – 66:24.
C. Os dois instrumentos de Deus para a restauração (44:24 – 55:13).
2. O plano de Deus para o seu servo – 49:1 a 55:13.
Como já dissemos, estamos vendo os planos de Deus para o seu Servo, depois de termos visto os seus planos para Ciro.
Foi também dividida essa parte, seguindo a estrutura já composta da BEG, em oito partes, para melhor estudo e compreensão da temática: a. Oráculo real acerca do servo – 49:1-13 – já vista; b. Debate contra a incredulidade de Israel – 49:14 – 50:3 – já vista; c. O salmo de confiança do servo – 50:4 – 11 – já vista; d. Debate sobre a compaixão e a retidão de Deus – 51:1-8 – já vimos; e. Lamento e respostas – 51:9 – 52:12 – já vimos; f. O servo sofredor e exaltado – 52:13 – 53:12 – já vista; g. Chamado a que Jerusalém louve – 54:1-17 – já vimos; h. O convite para ir – 55:1-13 – veremos agora.
h. O convite para ir – 55:1-13.
Como no Salmo 23:1 está escrito que o Senhor é meu pastor e ele não me faltará, isto é, ele será a minha bênção que não me faltará (e não que porque ele é o meu Deus nada me faltará), à luz das promessas reafirmadas anteriormente, Isaías relata que Deus estava chamando o ser povo a encontrar a bênção nele.
Deus é a bênção do povo de Deus e nele todas as coisas são benditas. Não são as coisas que importam, mas Deus que torna as coisas importantes nele. Quem busca as coisas e não ele, logo o imagina como um daqueles deuses das nações e não como o Senhor Deus, criador de tudo e de todos.
A oferta gratuita do evangelho estende-se – vs. 1 - a todos os que ouvem a palavra de salvação. A todos os que têm sede e mesmo a todos os que não têm nem dinheiro para comprá-las. Ao necessitado, que tem sede e fome do que o dinheiro não pode comprar (Dt 8:3; SI 42:2; 63:1; Pv 9:5-6; Mt 5:6; Jo 4:10-11; 7:37-38; Ap 21:6; 22:17).
Isaías usa várias vezes a imagem da água quando fala da era da salvação e do reino, bem como das bênçãos divinas após o exílio. As águas aqui estão mais no sentido de fontes, no caso fontes de vida para quem se encontra à morte.
A água tanto serve para aliviar a sede, como para lubrificar nossas juntas e medulas. Ela também pode ter diversas funções conforme a sua temperatura. Pode ser refrescante, quente, fria, morna, é totalmente maleável e resiliente. Como não vivemos sem nosso precioso ar, também não vivemos sem água. Três dias sem ela e as consequências poderão ser fatais.
Comprar sem dinheiro é mesmo um paradoxo que explica que a salvação é um dom gratuito para aqueles que a desejam (52:3; Dt 8:3; Rm 6:23). Ai de nós se tivéssemos que pagar por ela, estaríamos todos ainda perdidos. Já o vinho e leite, são símbolos de satisfação plena.
Quem nos convida nos conhece e sabe o que andamos fazendo. Nosso dinheiro não pode ser empregado em qualquer coisa que não satisfaz. Se trabalhamos, em primeiro lugar visamos nosso sustento e satisfação. Onde encontrá-lo? Ele nos pede para ouvi-lo que ele tem o que é bom para nos deleitarmos com o melhor dele – vs. 2.
Na aliança davídica, Deus prometeu a Davi uma descendência, o trono e o reino eternos (II Sm 7:12-16; I Re 8:23-26; Sl 89:27-37; Jr 31:21-22; cf: Gn 9:16; 17:7,13,19; Nm 18:19). A casa de Davi governaria sobre as nações (cf. Zc 9:10). Essas promessas são cumpridas em Cristo (4:2; 7:14; 9:6; 11:1-3).
As promessas da aliança davídica são agora estendidas a todos aqueles que "vão" – na verdade, ninguém vai a Deus, antes Deus os atrai por sua graça - a Deus por meio de Cristo (At 13:34).
Especialmente ao ressuscitar Jesus Cristo, da casa de Davi, de entre os mortos (43:10,12; 44:8; At 13:34), o Senhor o deu como testemunha aos povos e como príncipe e governador de todos eles – 42:6; 59:6; Dn 9:25; Hb 2:10; 12:2.
Nações que não o conheceram serão chamadas e correrão ao seu encontro por amor do Senhor Deus, do Santo de Israel por causa de sua obra na qual glorificou o seu filho em sua missão.
Assim, ele exorta a que o busquemos enquanto ainda o podemos achar e que o invoquemos enquanto ainda está perto para salvar, pois os tempos mudarão e já não haverá mais salvação e sim juízo.
O tempo da salvação é agora. Hoje ainda vivemos o dia oportuno que pode mudar a vida e a história de qualquer um. Basta que nos inclinemos, venhamos a ele, ouçamos sua mensagem e nossa alma viverá – vs. 3 – por causa de sua aliança para conosco na qual fará um pacto eterno, conforme prometido a Davi.
Não vamos nos importar com os que querem viver longe do Senhor, por isso que somos exortados a deixar o ímpio em sua impiedade e o maligno com seus maus pensamentos. É como também podemos ver nos conselhos de João no apocalipse para deixarmos cada um em seu caminho, mas nós nos voltaremos ainda mais ao Senhor porquanto o dia se aproxima muito velozmente – Ap 22:11.
Deus exige fé viva, o que inclui atos de arrependimento. Apesar da exigência de arrependimento, a salvação é totalmente um ato de misericórdia divina, à parte de qualquer mérito humano.
Dos versos de 8 a 11, Deus explica pelo profeta que os seus caminhos e os seus pensamentos estão muito acima dos humanos. Embora tenhamos sido criados à sua imagem e à sua semelhança, somos apenas capazes de termos noções vagas e imprecisas de entendimento das coisas celestes.
A sua palavra é explicada em termos de agricultura envolvendo a terra, a chuva, as sementes e as estações próprias de plantio e colheita.
Do mesmo modo, sua palavra entra em nossos corações que são os terrenos preparados para recepcioná-las e cumprirem aquilo pelo qual foram designadas.
Elas não somente não voltarão atrás, como também cumprirão o que apraz ao Criador.
Seria com alegria que haveriam de sair da Babilônia e levando presentes como foi quando saíram do Egito. Embora o êxodo da Babilônia deu início à restauração do povo de Deus, o cumprimento da libertação do exílio é somente realizado em Cristo (48:20-21; 52:11-12).
Is 55:1 Ó vós, todos os que tendes sede,
                vinde às águas,
                               e os que não tendes dinheiro,
                                               vinde, comprai, e comei; sim,
                                               vinde e comprai, sem dinheiro e sem preço,
                                                               vinho e leite.
                Is 55:2 Por que gastais o dinheiro naquilo que não é pão!
                                e o produto do vosso trabalho naquilo
                                               que não pode satisfazer?
                               ouvi-me atentamente, e comei o que é bom,
                                               e deleitai-vos com a gordura.
                Is 55:3 Inclinai os vossos ouvidos,
                               e vinde a mim;
                               ouvi,
                               e a vossa alma viverá;
                                               porque convosco farei um pacto perpétuo,
                                                               dando-vos as firmes beneficências
                                                                              prometidas a Davi.
                Is 55:4 Eis que eu o dei como testemunha aos povos,
                               como príncipe e governador dos povos.
                Is 55:5 Eis que chamarás a uma nação que não conheces,
                               e uma nação que nunca te conheceu a ti correrá,
                                               por amor do Senhor teu Deus, e do Santo de Israel;
                                                               porque ele te glorificou.
                Is 55:6 Buscai ao Senhor enquanto se pode achar,
                               invocai-o enquanto está perto.
                Is 55:7 Deixe o ímpio o seu caminho,
                               e o homem maligno os seus pensamentos;
                                               volte-se ao Senhor, que se compadecerá dele;
                                                               e para o nosso Deus,
                                                                              porque é generoso em perdoar.
                Is 55:8 Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos,
                               nem os vossos caminhos os meus caminhos, diz o Senhor.
                Is 55:9 Porque, assim como o céu é mais alto do que a terra,
                               assim são os meus caminhos mais altos
                                               do que os vossos caminhos,
                               e os meus pensamentos mais altos
                                               do que os vossos pensamentos.
                Is 55:10 Porque, assim como a chuva e a neve descem dos céus
                               e para lá não tornam, mas regam a terra,
                                               e a fazem produzir e brotar,
                               para que dê semente ao semeador, e pão ao que come,
                Is 55:11 assim será a palavra que sair da minha boca:
                               ela não voltará para mim vazia,
                                               antes fará o que me apraz,
                                                               e prosperará naquilo para que a enviei.
                Is 55:12 Pois com alegria saireis,
                               e em paz sereis guiados;
                                               os montes e os outeiros romperão em cânticos
                                                               diante de vós,
                                               e todas as árvores de campo baterão palmas.
                Is 55:13 Em lugar do espinheiro crescerá a faia,
                               e em lugar da sarça crescerá a murta;
                                               o que será para o Senhor por nome,
                                                               por sinal eterno,
                                                                              que nunca se apagará.
A alegria da criação diante dos atos redentores de Deus (44.23; 49.13; SI 96.11-13) parece manifestar-se nos montes e nos outeiros e em todas as árvores que se curvariam e bateriam palmas com seus galhos, folhas e frutos.
Até no lugar do espinheiro, cresceria a faia e no lugar da sarça, a murta. Essa forma de linguagem é uma ilustração da substituição do julgamento pela salvação (5:6; 32:13; 41:19).
Na verdade, na verdade, são duas expressões da natureza: alegria diante da salvação dos homens e pesar diante da condenação dos outros homens, os quais a Bíblia chama de filhos do diabo.
Quando a restauração for completada na volta de Cristo em glória, entre as bênçãos concedidas ao povo de Deus estará a da renovação permanente da natureza nos novos céus e na nova terra (Ap 21:1). Compare com o arco-íris (Gn 9:8-17).
p.s.: link da imagem original:
Contagem regressiva: Faltam 195 dias para 04/08/2015, quando eu irei concluir a Segmentação de toda a Bíblia.

A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdetehttp://www.jamaisdesista.com.br
...

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.