quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Isaías 34:1-17 - ISAÍAS E O CHAMADO UNIVERSAL DE DEUS PARA TODOS



Estamos no capítulo 34/66, na terceira parte do livro de Isaías, na subparte “B”. Como temos dito, a época corresponde ao período entre 740 a.C e 686 a.C que se encontra detalhada em II Re 15:1 a 20:21, envolvendo os públicos de Israel e Judá. Veja nosso mapinha de nossas reflexões:
Parte III – A RESPOSTA DE ISAÍAS AO JULGAMENTO ASSÍRIO – 7:1 – 39:8.
C. A invasão de Senaqueribe – 28:1 a 39:8.
a. Os oráculos do profeta relacionados a Ezequias (28:1 – 35:10).
Estamos vendo nesses capítulos os oráculos acerca dessa invasão promovida por Senaqueribe que oportunizou ao profeta muita coisa a dizer especialmente importantes para Judá e o rei Ezequias.
Repetimos o que já dissemos que essa compilação de oráculos apresentou três temas principais, ao qual dividimos para melhor compreensão e apresentação do texto de nossas reflexões: 1. Uma comparação entre Samaria e Jerusalém (28:1 – 29:24) com três ais 28.1; 29.1; 29.15 – já vista; 2. O problema do Egito (30:1 – 32:20), com dois ais 30.1 – já vista; 31.1; e 3. O futuro da Assíria e de Jerusalém (33:1 – 35:10), com um ai 33.1 – estamos vendo agora.
3. O futuro da Assíria e de Jerusalém (33:1 – 35:10), com um ai em 33:1 - continuação.
Até o cap. 35.10, como já falamos, estaremos vendo o futuro da Assíria e de Jerusalém.  Isaías encaminha-se para o final de sua mensagem sobre a crise assíria no tempo de Ezequias ansiando pelo resultado final dessa luta.
Nos versos de 1 a 7 desse início do capítulo 34, Isaías fala do futuro dia da vingança. Ele apresenta ao seu público uma visão do grande futuro que estava à frente. Deus interviria de maneira tão poderosa que julgaria todas as nações (inclusive a Assíria) que haviam perturbado o seu povo.
Todas as nações. Todos os povos. Todo mundo: Chegai-vos, nações, para ouvir, e vós povos, escutai; ouça a terra, e a sua plenitude, o mundo, e tudo quanto produz é um chamado universal à preparação para o julgamento universal de Deus (cf. vs. 2).
O povo "se fizera condenado" (Js 7:12), assim como os cananeus (Os 6.17) porque imitaram as nações que teriam de vencer e expulsar dali. Agora a indignação e o furor do Senhor tinham atingido o seu limite.
O impacto da vinda do Senhor se estenderá em toda a sua criação envolvendo os céus, a terra e tudo o que neles há. Embora nos pareça muito assustador e terrível, os resultados finais serão muito interessantes para o povo de Deus.
O sangue dos mortos que serão arremessados – vs 3 - será tão abundante que deles subirá o seu mau cheiro e até os montes se derreterão com seu sangue, ou seja, provocará grandes deslizamentos de terra. Essa é uma ilustração muito aterradora do Dia do Senhor na terra – vs 4.
Os exércitos dos céus estava associados ao panteões pagãos. (13:10,13; 24:21; 51:6; Ez 32:4-8; JI 2:10,30-31, Mt 24:29; Mc 13:24; Ap 6:13-14; 14:11; 19:3), mas o velho mundo dará lugar ao novo (Mt 24:29; Ap 6:13-14; 21.1). Essa visão da transferência das antigas religiões pagãs e das estruturas políticas para o reino de Deus na nova era se mescla com a revelação da substituição final do cosmos original pelo novo (13:10; II Pe 3:10-13). Onde esses panteões pagãos, que parecem tão duradouros, perderão sua ascendência política (veja 14.12).
Depois de demolir o panteão dos céus – vs 5 -, a espada vingadora do Senhor passa a exercer a justiça retributiva em Edom que aqui nesse versículo está como representante das nações (vs. 5-8; 25:10-12; 63:1-6; cf: Ez 35:1-15; Ob 11-14; Ap 18:2).
A espada do SENHOR está cheia de sangue – vs 6; Ap 19:15 - da destruição de Edom, que também representa as nações em geral. Mas será principalmente em Bozra, cidade edomita localizada a cerca de 40 km a sudeste do mar Morto ( Jr 49:13,22), onde ele terá um grande sacrifício e uma grande matança nessa terra de Edom, cujos bois selvagens – vs 7 – se referem aos líderes edomitas.
A terra ficará embriagada com tanto sangue derramado até se fartar e o seu pó se engrossar – vs 7.
O termo hebraico traduzido como "vingança", conforme a BEG que estamos seguindo, significa que o Senhor Soberano mantém íntegra a sua comunidade ao libertar o seu povo oprimido e, ao mesmo tempo, punindo seus opressores, os quais desafiam as suas leis.
Nossos dias atuais não parecem indicar nada no cenário mundial que aponte para um dia do Senhor, pelo contrário, vivemos como legítimos donos da terra e como senhores absolutos dela sem precisarmos de dar quaisquer satisfações de sua mordomia.
No entanto, o dia do Senhor refere-se ao tempo durante o qual o Senhor estabelece o seu reino na terra ao libertar e glorificar o seu povo fiel e ao exercer vingança sobre o ímpio e os opressores do seu povo (35:4; 47:3; 49:8; 59:17-18; 61:2; 63:4).
Como ansiamos por isso, pelo estabelecimento do reino do Senhor sobre todas as nações e todos os povos. A paz que ainda desfrutamos, o progresso, as conquistas e alegrias, a relativa ordem que há no mundo é tudo fruto da poderosa, graciosa e misericordiosa ação de Deus nessa terra.
Com o juízo de Deus acontecendo no dia da sua vingança, os seus ribeiros se tornarão em pez e o seu pó em enxofre, uma imagem derivada da queda de Sodoma e Gomorra (Gn 19:24-28; SI 11:6; Jr 49:18; Ap 14:10-11).
Tão terrível será a sua destruição e juízo que nem de noite nem de dia, de geração em geração, cessará a sua fumaça e de séculos em séculos, ninguém por ela também passará. O julgamento de Deus é eterno (66:24; Mt 18:8-9; 25:41,46; Mc 9:43,48; Ap 19:3).
Somente viverão ali as feras do deserto – vs 11 ao 15 -, mas tal qual um construtor, Deus parece ter um padrão exato para medir o quanto as nações podem se desviar de suas normas (ordem cósmica) e o quanto pode aplicar sobre elas os seus padrões.
As mesmas palavras hebraicas que são traduzidas como "sem forma e vazia" em Gn 1.2, se encontram aqui no verso 11 (תֹ֙הוּ֙            to·hu, Strong 8414 e וָבֹ֔הוּ      va·vo·hu, Strong  922). Deus tanto decretou a desolação dos poderes que se opõem à sua ordem como também traz desordem sobre aqueles que trouxeram devastação a essa ordem.
 Is 34:1 Chegai-vos, nações, para ouvir,
                e vós povos, escutai; ouça a terra, e a sua plenitude,
                               o mundo, e tudo quanto produz.
                Is 34:2 Porque a indignação do SENHOR está sobre todas as nações,
                               e o seu furor sobre todo o exército delas;
                                               ele as destruiu totalmente, entregou-as à matança.
                Is 34:3 E os seus mortos serão arremessados
                               e dos seus cadáveres subirá o seu mau cheiro;
                                               e os montes se derreterão com o seu sangue.
                Is 34:4 E todo o exército dos céus se dissolverá,
                               e os céus se enrolarão como um livro;
                                               e todo o seu exército cairá, como cai a folha da vide
                                                               e como cai o figo da figueira.
                Is 34:5 Porque a minha espada se embriagou nos céus;
                               eis que sobre Edom descerá, e sobre o povo do meu anátema
                                               para exercer juízo.
                Is 34:6 A espada do SENHOR está cheia de sangue,
                               está engordurada da gordura do sangue de cordeiros
                                               e de bodes, da gordura dos rins de carneiros;
                                               porque o SENHOR tem sacrifício em Bozra,
                                                               e grande matança na terra de Edom.
                Is 34:7 E os bois selvagens cairão com eles,
                               e os bezerros com os touros; e a sua terra embriagar-se-á
                                               de sangue até se fartar, e o seu pó se engrossará
                                                               com a gordura.
                Is 34:8 Porque será o dia da vingança do SENHOR,
                               ano de retribuições pela contenda de Sião.
                Is 34:9 E os seus ribeiros se tornarão em pez, e o seu pó em enxofre,
                               e a sua terra em pez ardente.
                Is 34:10 Nem de noite nem de dia se apagará;
                               para sempre a sua fumaça subirá;
                                               de geração em geração será assolada;
                                               pelos séculos dos séculos ninguém passará por ela.
                Is 34:11 Mas o pelicano e a coruja a possuirão,
                               e o bufo e o corvo habitarão nela; e ele estenderá
                                               sobre ela o cordel de confusão e nível de vaidade.
                Is 34:12 Eles chamarão ao reino os seus nobres,
                               mas nenhum haverá; e todos os seus príncipes
                                               não serão coisa alguma.
                Is 34:13 E nos palácios crescerão espinhos, urtigas e cardos
                               nas suas fortalezas; e será uma habitação de chacais,
                                               e sítio para avestruzes.
                Is 34:14 As feras do deserto se encontrarão com as feras da ilha,
                               e o sátiro clamará ao seu companheiro;
                                               e os animais noturnos ali pousarão,
                                                               e acharão lugar de repouso para si.
                Is 34:15 Ali se aninhará a coruja e porá os seus ovos,
                               e tirará os seus filhotes, e os recolherá
                                               debaixo da sua sombra; também ali os abutres
                                                               se ajuntarão uns com os outros.
                Is 34:16 Buscai no livro do SENHOR, e lede;
                               nenhuma destas coisas faltará, ninguém faltará
                                               com a sua companheira;
                                                               porque a minha boca tem ordenado,
                                                               e o seu espírito mesmo as tem ajuntado.
                Is 34:17 Porque ele mesmo lançou as sortes por elas,
                               e sua mão lhas tens repartido com o cordel;
                                               para sempre a possuirão,
                                                               de geração em geração habitarão nela.
É no livro do Senhor que se deve buscar e ler que nenhuma dessas coisas faltará, uma vez que quem a pronunciou foi o Senhor. Esse livro pode ser tanto um registro do julgamento e da recompensa divinos (SI 40:7; 139:16; Dn 7:10; MI 3:16; Ap 20:12) quanto a profecia encontrada nos vs. 1-15.
A Palavra de Deus revela os seus decretos e o Espírito confirma a Palavra. Novamente o cordel dos padrões de Deus é utilizado para repartir com justiça. Assim como Deus distribuiu a Terra Prometida em lotes (Is 18:10), do mesmo modo ele dividiria Edom entre os animais imundos.
p.s.: link da imagem original:
Contagem regressiva: Faltam 216 dias para 04/08/2015, quando eu irei concluir a Segmentação de toda a Bíblia.
A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdetehttp://www.jamaisdesista.com.br
...

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.