sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Isaías 29:1-24 - CULTOS NOS RITOS E FORMAS CERTAS NÃO SÃO SUFICIENTES.

Estamos no capítulo 29/66, na terceira parte do livro de Isaías, na subparte “B”. Como temos dito, a época corresponde ao período entre 740 a.C e 686 a.C que se encontra detalhada em II Re 15:1 a 20:21, envolvendo os públicos de Israel e Judá. Veja nosso mapinha de nossas reflexões:
Parte III – A RESPOSTA DE ISAÍAS AO JULGAMENTO ASSÍRIO – 7:1 – 39:8.
C. A invasão de Senaqueribe – 28:1 a 39:8.
a. Os oráculos do profeta relacionados a Ezequias (28:1 – 35:10).
Como havíamos dito, estamos primeiramente vendo nesses capítulos os oráculos acerca dessa invasão promovida por Senaqueribe que oportunizou ao profeta muita coisa a dizer, especialmente importantes para Judá e o rei Ezequias.
Neste capítulo, teremos aqui dois ais. O primeiro ai é contra Jerusalém que estaria enfrentando sérias ameaças da Assíria. O juízo não aconteceria nos dias de Ezequias, mas posteriormente, com os babilônios.
Ariel ou lareira de Deus é uma referência a Jerusalém que também pode significar "leão de Deus" (Gn 49:9) ou "centro do altar" (vs. 2; Ez 43:15). O fato é que o Senhor profanaria Jerusalém, o lugar de seu altar, principalmente pela falta de arrependimento do seu povo que de ano a ano estavam promovendo festas e mais festas numa repetitiva e cansativa observância de rituais vazios. O Senhor não é contra as festas e a alegria dos povos, mas associar coisas santas com profanas, em total desrespeito às coisas de Deus, é insuportável.
Agora vem a pergunta principal o que é santo e o que é profano? Para mim, todas as coisas são santas ao Senhor e tudo deve ser recebido com ações de graça nos corações. O que é profano então? É quando atribuímos algo a Deus ou dedicamos a ele, mas sem reverência alguma ou por pura formalidade vazia.
No verso 3 ele fala de cercar, de sitiar e de levantar trincheiras numa referência clara ao cerco de Jerusalém promovido pela Assíria em 701 a.C.  
Em consequência, vs 4, será ela abatida e lançada por terra se referindo à experiência de humilhação e de julgamento – vs 5 - ("pó miúdo" (5:24; Dt 28:24; Ez 26:10 – “palha” 17:13; Jó 21:18; Sl 1:4; Os 13:3; Sf 2:21). Tudo isso acontecendo num momento repentino – vs 5 -, demonstrando o poder de Deus na justiça punitiva (10:16; 37:36-38).
Muitas vezes, esse tipo de linguagem com visitas de trovões, terremotos, grande ruído com tufão, tempestade e labareda de fogo – vs 7 -, descreve Deus quando ele vem em juízo ou em guerra santa (Ex 19:16-19; Jz 5:4-5; Sl 18:7-15; Hc 3:3-7).
A descrição continua no vs 8 com figuras terríveis, pelo menos em sonhos. Quando acordamos, vemos que estávamos sonhando e aí nos vem o grande alívio. Também assim desejamos que aconteça conosco, que despertemos de um sonho, mas a realidade dura e cruel não nos permite o despertar.
O julgamento assírio contra Jerusalém chegaria de maneira repentina e inesperada, pois os corações incautos estavam incapazes de discernir os tempos e as estações (6:10; Ex 7:13; Rm 1:24; 11:8; I Co 2:14).
A mensagem do profeta foi ocultada dos rebeldes de Jerusalém e de Judá (cf. Ap 5.1). Apesar de as ter recebido, não sabiam ler. Embora seja possível que os habitantes de Judá fossem incapazes ou analfabetos, o mais provável é que os corações se tornaram endurecidos demais para poderem compreenderem as profecias e os avisos divinos.
Isto porque o povo de Judá e de Jerusalém apesar de possuir os adornos da fé verdadeira (no templo e em seus cultos), faltava-lhes o essencial, pois Deus queria o coração deles, não o simples formalismo (Mt: 15:8-9; Mc 7:6; I Co 1:19; Cl 2:.22).
O que adianta o formalismo dos cultos e os ritos certos quando o coração está entregue a essas coisas e distante de Deus? A impressão que dava era a de aproximação de Deus, mas a prática era um distanciamento cada vez maior. Em vez de relacionamentos com Deus, uma enganação de consciência, como se Deus pudesse ser manipulado e comprado com práticas “santas”. Naturalmente, Deus haveria de confundir a sabedoria do povo e frustrar os seus planos (cf. 29:15-24; 30:1-7; 31:1-3).
É muito importante estar certo e fazer as coisas certas, mas o que adianta estar certo quando o coração está podre e distante do Senhor?
No vs 15, temos aqui um terceiro ai geral e um segundo ai contra Jerusalém. Em oposição aos planos, obras e pensamentos de Deus (Sl 10:11; 64:5-6) e, em vez de se submeterem à Deus, eles tentavam manipulá-lo – vs 15 e 16 - para se tornarem o seu deus, segundo os seus corações. De modo inteiramente insensato, eles acreditavam que poderiam criticar o que o Senhor dissera, como se fossem superiores dele.
No entanto, haveria uma esperança para o futuro – vs 17 a 24. A despeito das dificuldades que sobrevieram a Samaria e que ameaçavam Jerusalém, o Senhor um dia interviria para restaurar a sua benção sobre o seu povo, os renovando no pós-exílio e em Cristo Jesus ao escolher e preparar um povo para ser somente seu, com o qual os relacionamentos seriam aprimorados e completos.
Conhecido por suas grandes florestas, o Líbano – vs 17 – é uma boa representação da Assíria, que seria reduzida a um mero campo fértil pelo julgamento divino.
Naquele dia, vs 18, os surdos ouvirão, os cegos verão, os mansos terão gozo no Senhor, os necessitados se alegrarão, isto porque o tirano será desarraigado da face da terra.
Quando Deus interviesse, destruindo os opressores e os tiranos deste mundo (13:11; 25:3-5; 29:5; 49:25; Sl 37:35; 86:14; Ez 28:7; 30:11; 32:12), Israel estaria sendo restaurada como uma nação.
No entanto, apenas o remanescente israelita haveria de ouvir a palavra de Deus. Até os cegos, uma referência aos israelitas que, antes, haviam formalmente vagueado e falhado em discernir os caminhos de Deus (35:5; 42:7,16,18-19; 43:8; 56:10; 59:10; Lm 4:14) haveriam de novamente ver. Essa profecia de restauração do exílio é cumprida totalmente somente em Jesus Cristo (61:1).
Is 29:1 Ai de Ariel,
                Ariel, a cidade onde Davi acampou!
                               Acrescentai ano a ano, e sucedam-se as festas.
                Is 29:2 Contudo porei a Ariel em aperto, e haverá pranto e tristeza;
                               e ela será para mim como Ariel.
                Is 29:3 Porque te cercarei com o meu arraial,
                               e te sitiarei com baluartes, e levantarei trincheiras contra ti.
                Is 29:4 Então serás abatida, falarás de debaixo da terra,
                               e a tua fala desde o pó sairá fraca, e será a tua voz debaixo
                                               da terra, como a de um que tem espírito familiar,
                                                               e a tua fala assobiará desde o pó.
                Is 29:5 E a multidão dos teus inimigos será como o pó miúdo,
                               e a multidão dos tiranos como a pragana que passa,
                                               e num momento repentino isso acontecerá.
                Is 29:6 Do SENHOR dos Exércitos serás visitada com trovões,
                               e com terremotos, e grande ruído com tufão de vento,
                                               e tempestade, e labareda de fogo consumidor.
                Is 29:7 E como o sonho e uma visão de noite será a multidão
                               de todas as nações que hão de pelejar contra Ariel,
                                               como também todos os que pelejarem contra ela
                                               e contra a sua fortaleza, e a puserem em aperto.
                Is 29:8 Será também como o faminto que sonha, que está a comer,
                               porém, acordando, sente-se vazio;
                ou como o sedento que sonha que está a beber,
                               porém, acordando, eis que ainda desfalecido se acha,
                                               e a sua alma com sede; assim será toda a multidão
                                               das nações, que pelejarem contra o monte Sião.
                Is 29:9 Tardai, e maravilhai-vos, folgai, e clamai;
                               bêbados estão, mas não de vinho, andam titubeando,
                                               mas não de bebida forte.
                Is 29:10 Porque o SENHOR derramou sobre vós um espírito
                               de profundo sono, e fechou os vossos olhos,
                                               vendou os profetas, e os vossos principais videntes.
                Is 29:11 Por isso toda a visão vos é como as palavras
                               de um livro selado que se dá ao que sabe ler, dizendo:
                                               Lê isto, peço-te; e ele dirá: Não posso,
                                                               porque está selado. Is 29:12
                               Ou dá-se o livro ao que não sabe ler, dizendo:
                                               Lê isto, peço-te; e ele dirá: Não sei ler.
                Is 29:13 Porque o Senhor disse:
                               Pois que este povo se aproxima de mim, e com a sua boca,
                                               e com os seus lábios me honra, mas o seu coração
                                                               se afasta para longe de mim e o seu temor
                                                               para comigo consiste só em mandamentos
                                                                              de homens, em que foi instruído;
                Is 29:14 Portanto eis que continuarei a fazer uma obra maravilhosa
                               no meio deste povo, uma obra maravilhosa e um assombro;
                                               porque a sabedoria dos seus sábios perecerá,
                                               e o entendimento dos seus prudentes se esconderá.
                Is 29:15 Ai dos que querem esconder profundamente
                               o seu propósito do SENHOR, e fazem as suas obras
                                               às escuras, e dizem:
                                                               Quem nos vê? E quem nos conhece?
                Is 29:16 Vós tudo perverteis, como se o oleiro fosse igual ao barro,
                               e a obra dissesse do seu artífice:
                                               Não me fez;
                               e o vaso formado dissesse do seu oleiro:
                                               Nada sabe.
                Is 29:17 Porventura não se converterá o Líbano, num breve momento,
                               em campo fértil? E o campo fértil não se reputará
                                               por um bosque?
                Is 29:18 E naquele dia os surdos ouvirão as palavras do livro,
                               e dentre a escuridão e dentre as trevas
                                               os olhos dos cegos as verão.
                Is 29:19 E os mansos terão gozo sobre gozo no SENHOR;
                               e os necessitados entre os homens se alegrarão
                                               no Santo de Israel.
                Is 29:20 Porque o tirano é reduzido a nada,
                               e se consome o escarnecedor, e todos os que se dão
                                               à iniquidade são desarraigados;
                Is 29:21 Os que fazem culpado ao homem por uma palavra,
                               e armam laços ao que repreende na porta,
                                               e os que sem motivo põem de parte o justo.
                Is 29:22 Portanto assim diz o SENHOR, que remiu a Abraão,
                               acerca da casa de Jacó: Jacó não será agora envergonhado,
                                               nem agora se descorará a sua face.
                Is 29:23 Mas quando ele vir seus filhos, obra das minhas mãos
                               no meio dele, santificarão o meu nome;
                                               sim, santificarão ao Santo de Jacó,
                                                               e temerão ao Deus de Israel.
                Is 29:24 E os errados de espírito virão a ter entendimento,
                               e os murmuradores aprenderão doutrina.
No verso 22, quando ele diz “portanto”, ele começa a conclusão de 28:1 – 29:21. Portanto, assim diz o Senhor que remiu a Abraão, o patriarca que foi liberto de suas origens pagãs (Gn 12:1; Is 24:14; At 7:2-4) acerca de Jacó: Jacó não será mais envergonhada e os seus filhos, obra das mãos do Senhor, santificarão o nome do Santo de Jacó e temerão o Deus de Israel.
Ou seja, grandes privilégios e responsabilidades se estendem aos filhos daqueles que estão ligados a Deus pela sua aliança ( 45:11; 49:20-22; 54:1-13; 65:23; 66:7; At 2:38; I Co 7:14). Os errados de espírito então desejarão conhecer e praticar a vontade de Deus, como em 2:2-5; 32:4.  
p.s.: link da imagem original:
Contagem regressiva: Faltam 221 dias para 04/08/2015, quando eu irei concluir a Segmentação de toda a Bíblia.

A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdetehttp://www.jamaisdesista.com.br
...

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.