terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Isaías 19:1-25 - ISRAEL, EGITO E ASSÍRIA, JUNTAS, NO FUTURO, COMPARTILHANDO DAS PROMESSAS PATRIARCAIS.

Estamos no capítulo 19/66, na terceira parte do livro de Isaías, na subparte “B”. Como temos dito, a época corresponde ao período entre 740 a.C e 686 a.C que se encontra detalhada em II Re 15:1 a 20:21, envolvendo os públicos de Israel e Judá.
Parte III – A RESPOSTA DE ISAÍAS AO JULGAMENTO ASSÍRIO – 7:1 – 39:8.
B. Levante internacional durante o julgamento assírio – 13:1 a 27:13.
1. Oráculos acerca de nações específicas – 13:1 ao 23:18.
Nessa seção “1”, como já dissemos, estamos apresentando as profecias (oráculos) de Isaías relativas às ações de Deus para com dez nações específicas que desempenharam papéis importantes durante o período do julgamento assírio.
Os oráculos também foram igualmente divididos em 10 partes, envolvendo, portanto, dez nações: a. Babilônia (Assíria) – 13:1 a 14:27 – já vista. b. Filístia – 14:28 – 32 – já vista. c. Moabe – 15:1 – 16:14 – já vista. d. Damasco – 17:1-14 – já vista. e. A Etiópia e o Egito – 18:1 – 20:6 – estamos vendo agora. f. Babilônia – 21:1-10. g. Edom – 21:11-12. h. Arábia – 21:13-17. i. Jerusalém – 22:1-25. j. Tiro – 23:1-18.
e. A Etiópia e o Egito – 18:1 – 20:6 - continuação.
Como já dissemos, estamos vendo o quarto oráculo de Isaías, contra a quarta nação das dez mencionadas, neste caso contra a Etiópia/Egito, para mostrar as aflições que cairiam sobre elas.
Até o final do próximo capítulo, o profeta voltar-se-á para o Egito (18.1-20.6), declarando:
·         A vitória futura do rei assírio Esar-Hadom sobre o Egito em 670 a.C.
·         Os efeitos que a sua vitória teria sobre o Egito.
·         A lição a ser aprendida com essa derrota.
No verso primeiro, a sentença é contra o Egito onde o Senhor estaria cavalgando uma nuvem ligeira, isto é, o Senhor seria exaltado sobre todos os outros deuses ao envolver os egípcios em batalha mediante o ataque assírio de 670 a.C. (SI 18:10; 68:33; 104:3).
Até ao verso 15, veremos que Isaías, o profeta, revelará a fragilidade do Egito diante do julgamento assírio.
No verso 2, Deus diz que levantaria dentro da própria nação uma divisão entre eles de forma que se enfrentassem terrivelmente. A violência e a agitação desse período seriam extensivas, uma vez que o julgamento de Deus viria não apenas de fora do Egito, mas também de dentro (veja Jz 7:22; II Cr 20:22).
O desespero deles seria tão terrível que passariam a consultarem os seus ídolos, e encantadores, e necromantes, e feiticeiros. Assim vemos que o poder de Deus mostrado no sucesso da campanha de Esar- Hadom seria uma demonstração do poder de Deus sobre os impotentes deuses egípcios e suas práticas mágicas e de feitiçarias.
Eis aqui uma tremenda batalha espiritual e o que vemos? Aprendizagem de teorias demoníacas para sabermos lidar e exorcizar os demônios? Conhecimento do inimigo para sabermos montar nossas estratégias? Aprendizagens ocultas e secretas para pronunciarmos mantras, decretos, palavras de poder?
Eu não vejo nada disso! Eu continuo a ver um Deus soberano a quem devo temer e respeitar. Se por um acaso eu estiver ali naquele meio demoníaco, no cerne dessa batalha espiritual, a serviço de meu Senhor, o que me poderão fazer os demônios sem que antes tenham obtido autorização de meu Pai que está nos céus?
Eu sei que nossa luta não é contra a carne e o sangue, mas justamente como está escrito em Efésios 6:10-18:
Efésios 6:10 No demais, irmãos meus, fortalecei-vos no Senhor e na força do seu poder.
Efésios 6:11 Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo.
Efésios 6:12 Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais.
Efésios 6:13 Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, havendo feito tudo, ficar firmes.
Efésios 6:14 Estai, pois, firmes, tendo cingidos os vossos lombos com a verdade, e vestida a couraça da justiça;
Efésios 6:15 E calçados os pés na preparação do evangelho da paz;
Efésios 6:16 Tomando sobretudo o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno.
Efésios 6:17 Tomai também o capacete da salvação, e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus;
Efésios 6:18 Orando em todo o tempo com toda a oração e súplica no Espírito, e vigiando nisto com toda a perseverança e súplica por todos os santos,
Em momento algum, Paulo nos ensina lições do diabo, antes nos aponta os caminhos excelentes de Deus que serão nossas armas eficazes contra todo o poder do inimigo.
A grande batalha espiritual já foi vencida por Deus e por Cristo na cruz do calvário. De nada adianta eu ficar aqui tentando me especializar em potestades e conhecimentos do inferno, antes devo temer a Deus e andar nos seus caminhos buscando a sua face e orando em todo tempo, sabendo que ele Deus é poderoso para fazer sua vontade prevalecer, mesmo no meio do inferno.
A fase atual de nossa existência é a do “TODO O PODER ME FOI DADO” – Mt 28:18 - e precisamos aproveitar isso para evangelizar, sabendo que ele estará conosco todos os dias, até a consumação dos séculos para:
·         Irmos.
·         Fazermos discípulos de todas as nações.
·         Batizarmos as que creem em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo.

·         Ensinarmos todas elas a guardar todas as coisas que ele nos tem ordenado.
Satanás e todas as forças do inferno juntas não podem impedir a mensagem do evangelho, embora possam causar aflições ao pregador. Paulo foi preso e açoitado e mal tratado diversas vezes, mas a palavra de Deus jamais esteve presa.
Os demônios não estão nos céus, perderam o seu lugar; não estão no inferno, não é para lá que eles irão; não foram ainda para o lago de fogo e enxofre, pois não chegou ainda a sua hora; eles estão na terra, presos, limitados e não podem impedir o evangelho, embora possam atrapalhar.
Em suma, quem manda nessa terra é o Senhor soberano sobre todas as coisas! É a ele a quem devemos temer e tremer diante dele. É a ele a quem devemos buscá-lo em oração sabendo que dele virá nossa salvação. Não perca seu tempo tentando aprender coisas que a Bíblia se limitou a ensinar. Não se envolva com os demônios, mas com o Senhor deles e nosso. No final das contas será assim, Satanás e todas as suas hostes nada mais são do que servos do Senhor para cumprimento de seus propósitos santos, justos e bons.
Por isso que no verso 4 o Senhor os estaria entregando nas mãos de um senhor duro, um rei feroz que são expressões da tirania da dominação assíria sobre o Egito.
O julgamento de Deus contra o Egito resultaria não apenas em derrota militar, mas em maldições que envolveriam também a natureza.
O julgamento de Deus contra o Egito por meio dos assírios também arruinaria o comércio do Egito: em particular a pesca (cf. Nm 11:5; Ez 29:4) e as indústrias de linho.
Deus haveria de transformar em loucura a sabedoria do Egito, por isso que chama de loucos os príncipes de Zoã ou Tânis, uma cidade no delta do Nilo (vs. 13; Nm 13:22; Sl 78:12,43) e capital do Egito naquela época.
O profeta zomba com um comentário sarcástico sobre a alegação de sabedoria do Egito (cf. I Re 4:30) quando dizem ser filho de sábios, filho de antigos reis. Deus também zomba da sabedoria decadente do Egito, pois – vs 12 - onde estariam agora os seus sábios?
Mênfis ou Nofe – vs 13 - era uma cidade no Baixo Egito e antiga capital do país. Nela havia confusão, em contraste com sabedoria.
Foi do Senhor que veio um perverso espírito que fez errar o Egito em todas as suas obras como o bêbado quando se revolve em seu próprio vômito – vs 14.
A liderança — "pela cabeça ou cauda, pela palma ou junco" (vs. 15) — levariam o povo a "errar" (vs. 13). Somente o Senhor poderia salvar o Egito (vs. 16-25).
Dos versos 16 ao 25, vemos a dificuldade que se abatera sobre o Egito por meio do ataque assírio. E se não houvesse esse ataque e perseguição, o que seria deles? Isso teve um grande efeito positivo ao terminar levando os egípcios à disseminação do temor e da adoração ao Senhor no Egito.
Essa profecia encontrou o seu primeiro cumprimento durante a época em que os israelitas estavam exilados no Egito e alguns habitantes aprenderam sobre Deus com os judeus que viviam em suas terras.
O ministério da igreja na pregação do evangelho, desde o dia de Pentecostes (At 2) até hoje, tem fomentado esse processo. Muitos egípcios estarão entre os redimidos quando Cristo voltar.
Alguns habitantes do Egito perceberiam que o Senhor, que usou a Assíria como seu instrumento de ira, era maior que seus próprios deuses (Js 2:9,11). As consequências disso seriam o abandono desse caminho e a busca do Senhor.
Os egípcios jamais temeriam Judá, no entanto temeriam o Deus deles que por meio dos assírios os corrigia. Essa promessa de que Deus por fim concederia vitória ao seu povo contra todos os que o haviam oprimido no passado, provocaria pavor e impeliria alguns egípcios a também adorarem o Deus de Israel.
O Novo Testamento explica que essa predição é cumprida na medida em que as nações vão aceitando Cristo, porque eles entendem que os judeus que seguem a Cristo e os gentios que se uniram a ele na igreja, recebem vitória em Cristo tanto agora como quando ele voltar.
Muitas cidades no Egito falariam a língua de Canaã que antes era considerada uma abominação para os egípcios – Gn 43:32; 46:34. Isso revela uma grande transformação naquele povo.
A predição da construção de um altar a Deus no Egito foi cumprida pela presença da igreja, o templo de Deus, nesse país. Deus libertará os crentes egípcios de toda opressão por meio da salvação em Cristo.
O Senhor se revelaria aos egípcios para que eles também pudessem fazer o parte da aliança (Sl 87:4). A punição divina na forma da opressão assíria e o sou prolongamento na repressão, produzido pelo mal durante séculos, tinha o objetivo de atrair os egípcios para o Senhor (30:26; Os 6:1; 14:1-2,4). Se não fosse assim, como haveriam de serem salvos os egípcios?
As estradas do verso 23 simbolizam a eliminação das barreiras entre os redimidos de Israel e aquelas nações gentias (11:16). Os redimidos dentro das fronteiras das duas grandes nações inimigas da época de Isaías encontrariam a sua identidade e unidade com o povo de Deus num compromisso comum com o Senhor. Cristo cumpre essa predição ao levar as pessoas dessas nações para a sua igreja.
Is 19:1 Peso do Egito.
                Eis que o SENHOR vem cavalgando numa nuvem ligeira,
                               e entrará no Egito; e os ídolos do Egito estremecerão
                                               diante dele, e o coração dos egípcios se derreterá
                                                               no meio deles.
                Is 19:2 Porque farei com que os egípcios,
                               se levantem contra os egípcios, e cada um pelejará
                                               contra o seu irmão, e cada um contra o seu próximo,
                                                               cidade contra cidade, reino contra reino.
                Is 19:3 E o espírito do Egito se esvaecerá no seu interior,
                               e destruirei o seu conselho; e eles consultarão
                                               aos seus ídolos, e encantadores, e aqueles que têm
                                                               espíritos familiares e feiticeiros.
                Is 19:4 E entregarei os egípcios nas mãos de um senhor cruel,
                               e um rei rigoroso os dominará, diz o Senhor,
                                               o SENHOR dos Exércitos.
                Is 19:5 E secarão as águas do mar, e o rio se esgotará e ressequirá.
                Is 19:6 Também os rios exalarão mau cheiro e se esgotarão
                               e secarão os canais do Egito; as canas
                                               e os juncos murcharão.
                Is 19:7 A relva junto ao rio, junto às ribanceiras dos rios,
                               e tudo o que foi semeado junto ao rio, secará,
                                               será arrancado e não subsistirá.
                Is 19:8 E os pescadores gemerão, e suspirarão todos os que lançam
                               anzol ao rio, e os que estendem rede
                                               sobre as águas desfalecerão.
                Is 19:9 E envergonhar-se-ão os que trabalham em linho fino,
                               e os que tecem pano branco.
                Is 19:10 E os seus fundamentos serão despedaçados,
                               e todos os que trabalham por salário ficarão
                                               com tristeza de alma.
                Is 19:11 Na verdade são loucos os príncipes de Zoã;
                               o conselho dos sábios conselheiros de Faraó se embruteceu;
                                               como, pois, a Faraó direis:
                                                               Sou filho de sábios, filho de antigos reis?
                Is 19:12 Onde estão agora os teus sábios? Notifiquem-te agora,
                               ou informem-te sobre o que o SENHOR dos Exércitos
                                               determinou contra o Egito.
                Is 19:13 Loucos tornaram-se os príncipes de Zoã, enganados estão
                               os príncipes de Nofe; eles fizeram errar o Egito,
                                               aqueles que são a pedra de esquina das suas tribos.
                Is 19:14 O SENHOR derramou no meio dele um perverso espírito;
                               e eles fizeram errar o Egito em toda a sua obra,
                                               como o bêbado quando se revolve no seu vômito.
                Is 19:15 E não aproveitará ao Egito obra alguma que possa fazer
                               a cabeça, a cauda, o ramo, ou o junco.
                Is 19:16 Naquele tempo os egípcios serão como mulheres,
                               e tremerão e temerão por causa do movimento da mão
                                               do SENHOR dos Exércitos, que há de levantar-se
                                                               contra eles.
                Is 19:17 E a terra de Judá será um espanto para o Egito;
                               todo aquele a quem isso se anunciar se assombrará,
                                               por causa do propósito do SENHOR dos Exércitos,
                                                               que determinou contra eles.
                Is 19:18 Naquele tempo haverá cinco cidades na terra do Egito
                               que falarão a língua de Canaã e farão juramento
                                               ao SENHOR dos Exércitos; e uma se chamará:
                                                               Cidade de destruição.
                Is 19:19 Naquele tempo o SENHOR terá um altar no meio da terra
                               do Egito, e uma coluna se erigirá ao SENHOR,
                                               junto da sua fronteira.
                Is 19:20 E servirá de sinal e de testemunho ao SENHOR dos Exércitos
                               na terra do Egito, porque ao SENHOR clamarão por causa
                                               dos opressores, e ele lhes enviará um salvador
                                                               e um protetor, que os livrará.
                Is 19:21 E o SENHOR se dará a conhecer ao Egito,
                               e os egípcios conhecerão ao SENHOR naquele dia,
                                               e o adorarão com sacrifícios e ofertas,
                                                               e farão votos ao SENHOR, e os cumprirão.
                Is 19:22 E ferirá o SENHOR ao Egito, ferirá e o curará;
                               e converter-se-ão ao SENHOR, e mover-se-á às suas orações,
                                               e os curará;
                Is 19:23 Naquele dia haverá estrada do Egito até à Assíria,
                               e os assírios virão ao Egito, e os egípcios irão à Assíria;
                                               e os egípcios servirão com os assírios.
                Is 19:24 Naquele dia Israel será o terceiro com os egípcios
                               e os assírios, uma bênção no meio da terra.
                Is 19:25 Porque o SENHOR dos Exércitos os abençoará, dizendo:
                               Bendito seja o Egito, meu povo, e a Assíria,
                                               obra de minhas mãos, e Israel, minha herança.
No futuro, Israel, o Egito e a Assíria compartilhariam das promessas patriarcais (Gn 12:2-3).
Três expressões, conforme a BEG, dão a entender que todos participarão em plena comunhão pactual:
1.      “povo" (10:24; 43:6-7; Sl 10:3; Jr 11:4; Os 1:10; 2:23; 40:1).
2.      "obra de minhas mãos" (60:21; 64:8; Sl 119:73; 138:8).
3.      "herança" (Dt 32:9).
O cumprimento dessa esperança é evidenciado pelo caráter internacional da igreja hoje e será finalmente revelado nos novos céus e na nova terra.  
A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdete – 
http://www.jamaisdesista.com.br
...

Reações:

1 comentários:

Olá,
Meu nome é Renato, venho há algum tempo acompanhando os estudos do Jamais Desista e acredito que isto tem agregado muito ao meu conhecimento, especialmente este estudo do livro de Isaías.
Gostaria também de sugerir algo, no intuito de agregar. Quanto ao verso 19 desse texto (Is 19), Flávio Josefo faz uma consideração importante no capítulo 6 do livro décimo terceiro do Antiguidades Judaicas. Acredito que a leitura desse texto pode ser de grande valia.

Deixo também minhas saudações e meu agradecimento!

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.