segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Isaías 11:1-16 - A TERRA SE ENCHERÁ DO CONHECIMENTO DO SENHOR

Estamos no capítulo 11/66, na terceira parte do livro de Isaías, na subparte “A”. A época corresponde ao período entre 740 a.C e 686 a.C que se encontra detalhada em II Re 15:1 a 20:21, envolvendo os públicos de Israel e Judá.
Parte III – A RESPOSTA DE ISAÍAS AO JULGAMENTO ASSÍRIO – 7:1 – 39:8.
A. A resposta de Isaías ao julgamento assírio – 7:1 a 12:6.
Como já dissemos, Isaías revelou o envolvimento de Deus nos acontecimentos em torno da coalisão sírio-israelita contra a Assíria. Ele advertiu quanto ao severo julgamento contra Israel e Judá por meio da agressão assíria, mas também assegurou os seus ouvintes a respeito da restauração final.
Nós tínhamos dividido essa parte “A”, em três outras partes. 1. O julgamento assírio e os filhos de Isaías – 7:1 a 8:18 – já vista. 2. O julgamento assírio e Israel – 8:19 a 10:4 – já vista. 3. O julgamento assírio e Judá – 10:5 a 12:6 – continuaremos vendo.
3. O julgamento assírio e Judá – 10:5 a 12:6 – continuação.
Como já falamos, após explicar que o ataque assírio ao Reino do Norte terminaria em derrota total e em exílio, não restando qualquer esperança de salvação, o profeta volta-se ao contrastante resultado do ataque assírio contra Judá.
Esses capítulos dividem-se em quatro partes principais: a. Um ai contra a Assíria (10.5-19) – já vista; b. O retorno do remanescente de Judá (10.20-34) – já vista; c. A esperança de Judá na casa de Davi (11.116); e, d. O resultante louvor a Deus em Sião (12.1-6).
c. A esperança de Judá na casa de Davi (11:1-16).
Do tronco de Jessé (o pai de Davi - I Sm 16:10-13) viria a esperança de Judá. Isaías explicou que a libertação de Judá da Assíria em 701 a.C. foi apenas um prenúncio da gloriosa restauração que um dia viria por meio do grande filho de Davi (9:1-7).
É sempre assim que acontecesse e isso fica claro à medida que estudamos a história e contemplamos os grandes livramentos de Deus a favor de seu povo fiel. O inimigo está sempre pronto e preparado com forças muito superiores para destruir e aniquilar de vez com toda nossa raça em segundos, mas aí entra Deus, o Deus da história, o Deus que além de transcendente é muito imanente e está, sim, interessado no destino das nações.
Quando Deus entra em cena, o inimigo mesmo se mata ou algo extraordinário acontecesse que depois até vira piada, como foram os casos das forças egípcias que foram tragadas pelo mar vivo ou pelo exército de Senaqueribe que numa só noite morreram mais de 180.000 soldados.
Mais tarde, Isaías explicaria que a própria Jerusalém seria derrotada pelos babilônios (39:5-7) e que a grande restauração mencionada se seguiria ao exílio de Judá na Babilônia. Aqui é Deus exercendo o juízo sobre os seus a fim de corrigi-los dos erros e da teimosia de seus corações.
As agressões assíria e babilónica deixariam apenas um tronco da família de Davi. Os privilegiados filhos de Davi são comparados aqui com a Assíria, uma árvore que fora derrubada (10:35).
Apesar do julgamento sobre a casa de Judá e sobre a casa de Davi, o Senhor levantaria uma nova liderança da dinastia de Davi. O Novo Testamento ensina que essa esperança foi cumprida  em Jesus.
O Espírito esteve de maneira poderosa sobre os crentes - especialmente sobre seus líderes – do Antigo Testamento, exemplos:
·         Moisés – Nm 11:17; os anciãos – Nm 11:25,26;  Josué - Dt 34:9; os juízes – Jz 3:10; 11:29; 13:25; os reis – I Sm 10:6; 11.6; 16:13; II Sm 23:2 e os profetas – I Sm 10:10; 2 Sm 23:2; I Re 22:24; 2 Re 2:15; Mq 3:8.
Sobre ele repousariam os sete espíritos de Deus:
1.      O Espírito do Senhor.
2.      O Espírito de sabedoria.
3.      O Espírito de entendimento.
4.      O Espírito de conselho.
5.      O Espírito de fortaleza.
6.      O Espírito de conhecimento.
7.      O Espírito de temor do Senhor.
O Espírito do Senhor.
Aquele que estabeleceu o reino de Deus – Gn 1:2; Jz 3:10; 6:34; I Sm 10:6 – e todas as demais coisas também fortaleceria o grande filho de Davi quando ele estabelecesse o estagio final do reino de Deus – 42:1; Lc 3:22.
O Espírito de sabedoria.
Salomão orou e buscou a Deus sabendo em quem poderia confiar. Deus se lhe manifesta e desse encontro, Salomão recebeu sabedoria e entendimento – I Re 3:9 – para governar o povo de Deus de acordo com os princípios da justiça e da retidão.
O Espírito de entendimento.
Capacidade de assimilação das coisas de forma a compreender a ligação entre os fatos e a vontade soberana do Criador. Visão e prudência – Pv 4:5-7; 9:10; 23:23 – que emanam da sabedoria divina.
O Espírito de conselho.
Capacidade de aconselhar dando a palavra e a orientação certa do modo como agir em qualquer circunstância regida pela soberana vontade do Pai. O Messias já fora chamado de "Maravilhoso Conselheiro" (9.6).
O Espírito de fortaleza.
Todas as coisas lhe estão sujeitas! Força e poder estão atrelados ao Espírito de Deus, de forma que todas as coisas criadas estão sujeitas a esse espírito. No entanto não é ele a quem temos, mas dele é que somos. Não se trata do “Eu tenho a força!”, mas do “Eu sou forte na força do seu poder que opera em mim”. Um termo que faz alusão ao "Deus Forte" (9:6)
O Espírito de conhecimento.
Deus é onisciente e sabe de todas as coisas por que as conhece todas. Assim, o Espírito sabe e conhece tudo e todas as coisas. Isto para vivermos de modo sábio e submisso, de acordo com a vontade de Deus (33:6; 44:19,25; 47:10; 53:11).
O Espírito de temor do Senhor.
Se não houvesse reverência, tudo seria um caos, por isso que cada coisa deve ocupar o seu espaço, lugar e tempo. A reverência a Deus é a fonte de conhecimento (Pv 1.7). Davi insistiu que seus filhos que viessem a governar deveriam manifestar essa qualidade (II Sm 23:1-4).
Seria do tronco, do rebento, do resto purificado, que viria o Messias. E ele viria com os sete Espíritos de Deus para, entre outras coisas, fazer justiça e juízo na terra.
Nos versos 3 a 5, vemos isso claramente. Isaías está falando de deleite, de justiça, de equidade, de juízo contra os perversos e obstinados de coração, de fidelidade, a favor dos mansos, dos pobres, daqueles que ansiavam pela justiça e equidade divinas (14:30; 25:4) por serem oprimidos pelos maus governantes desta terra (3:15; 10:2; 14:32; 29:19; 32:7; 41:17; 49:13; 54:11; 61:1; 66:2) os quais seriam protegidos pelo grande Rei que viria.
O Messias comandaria esse poder e essa autoridade (Sl 2:9; 82:8; Ap 6:15-17; 20:11-12) de maneira que um simples sopro seu destruiria o ímpio (49:2; 61:1; Hb 4:12; Ap 19:15). Estamos esperando isso acontecer e sabemos que o dia se abrevia. Maranata!
O apóstolo Paulo conhecia bem o livro de Isaías tanto que até quando escreve Ef 6:14 ele fala do cinto da justiça que Isaías se referiu no verso 4, 5 quando fala da justiça como o cinto dos seus lombos e a fidelidade como o cinto dos seus rins.
As ilustrações de animais selvagens transformados, retrata de maneira eficaz o reino pacífico de Cristo. Essa visão está sendo cumprida hoje na unidade da igreja de Cristo e encontrará o seu cumprimento final nos novos céus e na nova terra.
Existem diversas igrejas terrenas com suas idiossincrasias específicas por causa de seus líderes e estatutos que vão formando famílias de crentes espalhados pelo planeta inteiro que parecem não terem ligação entre si ou parecem discordantes, intolerantes e brigando entre si.
No entanto, todo crente sabe e conhece o crente, seu amigo de trabalho, que não é de sua denominação e com ele consegue comunhão e compartilhamento das coisas de Deus, isso em todo o planeta.
É como a igreja invisível de Cristo que é comandada pelo Espírito de Deus, o Espirito Santo, que torna essa realidade da união de Isaías 11:6-9 uma realidade no meio do caos.
É a terra se enchendo do conhecimento do Senhor e como as águas cobrem o mar e prevalecem contra tudo, assim, o conhecimento de Cristo, de Deus, da sua Palavra vai conquistando e invadindo as praias e cidades inteiras, muitas das vezes num verdadeiro maremoto ou tsunami de amor, de fé e de esperança.
Quando Cristo voltar em glórias, tudo será consumado e aí o sonho se tornará real.
Naquele dia, diz o verso 11, iniciando-o: o Senhor tornará a estender a sua mão para resgatar o restante de seu povo.
O primeiro momento dessa reunião de resgate foi o êxodo do Egito; o segundo, será a volta do exílio provocado pelos assírios; o terceiro momento, mais tarde um pouquinho, pela volta do cativeiro babilônico – 51:9-11.
Não importava onde o povo de Deus estivesse exilado, o filho de Davi haveria de trazer um remanescente de volta à Terra Prometida – 24:15; 42:4, 10; 51:5; 59:18,19. Foi Jesus que deu início a essa reunião dos judeus exilados no dia de Pentecostes – At 2 – e continua a reuni-los à medida que o evangelho se espalha.
É como o balançar da árvore para que caia dela os frutos podres, os galhos secos, as folhas murchas e os ramos infrutíferos, às vezes toda a árvore deve ser purificada para que ao final sobre o remanescente e assim vai se fazendo e se purificando o povo de Deus, desde o início. Um dia a árvore estará madura, sadia e pronta para a vindima final.
Quando ele voltar, o remanescente fiel de Judá será reunido na nova Jerusalém que desce dos céus – 21:1-3.
A era da restauração testemunharia uma reunião das doze tribos. A comunidade pós-exílio testemunhou um antegozo dessa promessa quando um remanescente das doze tribos voltou à Terra Prometida – I Cr 9:3; Ed 6:17; 8:35.
Ele mesmo, Jesus, cumpriu isso ao ministrar tanto no norte quanto no sul – Mt 4:13-17. A promessa foi mais além ainda no dia de Pentecostes, quando reunidos estavam os judeus de todo o mundo – At 2. No entanto, seu cumprimento final continua na igreja hoje – Gl 3:28 e terá o seu cumprimento final quando Cristo voltar – Ap 21:12-14.
Is 11:1 Porque brotará um rebento do tronco de Jessé,
                e das suas raízes um renovo frutificará.
                Is 11:2 E repousará sobre ele
                               o Espírito do SENHOR,
                               o espírito de sabedoria e de entendimento,
                               o espírito de conselho e de fortaleza,
                               o espírito de conhecimento e de temor do SENHOR.
                Is 11:3 E deleitar-se-á no temor do SENHOR;
                               e não julgará segundo a vista dos seus olhos,
                                               nem repreenderá segundo o ouvir dos seus ouvidos.
                Is 11:4 Mas julgará com justiça aos pobres,
                               e repreenderá com equidade aos mansos da terra;
                                               e ferirá a terra com a vara de sua boca,
                                               e com o sopro dos seus lábios matará ao ímpio,
                Is 11:5 E a justiça será o cinto dos seus lombos,
                               e a fidelidade o cinto dos seus rins.
                Is 11:6 E morará o lobo com o cordeiro,
                               e o leopardo com o cabrito se deitará,
                               e o bezerro, e o filho de leão
                               e o animal cevado andarão juntos,
                               e um menino pequeno os guiará.
                Is 11:7 A vaca e a ursa pastarão juntas, seus filhos se deitarão juntos,
                               e o leão comerá palha como o boi. Is
                11:8 E brincará a criança de peito sobre a toca da áspide,
                               e a desmamada colocará a sua mão na cova do basilisco.
                Is 11:9 Não se fará mal nem dano algum em todo o meu santo monte,
                               porque a terra se encherá do conhecimento do SENHOR,
                                               como as águas cobrem o mar.
                Is 11:10 E acontecerá naquele dia que a raiz de Jessé,
                               a qual estará posta por estandarte dos povos,
                                               será buscada pelos gentios;
                                                               e o lugar do seu repouso será glorioso.
                Is 11:11 E há de ser que naquele dia o Senhor tornará
                               a pôr a sua mão para adquirir outra vez o remanescente
                                               do seu povo, que for deixado, da Assíria, e do Egito,
                                               e de Patros, e da Etiópia, e de Elã, e de Sinar,
                                                               e de Hamate, e das ilhas do mar.
                Is 11:12 E levantará um estandarte entre as nações,
                               e ajuntará os desterrados de Israel, e os dispersos de Judá
                                               congregará desde os quatro confins da terra.
                Is 11:13 E afastar-se-á a inveja de Efraim, e os adversários de Judá
                               serão desarraigados;
                               Efraim não invejará a Judá, e Judá não oprimirá a Efraim.
                Is 11:14 Antes voarão sobre os ombros dos filisteus ao ocidente;
                               juntos despojarão aos do oriente; em Edom
                                               e Moabe porão as suas mãos, e os filhos de Amom
                                                               lhes obedecerão.
                Is 11:15 E o SENHOR destruirá totalmente a língua do mar do Egito,
                               e moverá a sua mão contra o rio com a força do seu vento
                                               e, ferindo-o, dividi-lo-á em sete correntes
                                               e fará que por ele passem com sapatos secos.
                Is 11:16 E haverá caminho plano para o remanescente do seu povo,
                               que for deixado da Assíria, como sucedeu a Israel
                                               no dia em que subiu da terra do Egito.
Ao estudarmos e nos aprofundarmos mais ainda nas Escrituras, vemos que o dia do Senhor se apressa a vir. Para que não sejamos pegos desprevenidos, como ele mesmo nos advertiu em suas palavras, é melhor nos voltarmos de todo nosso coração para ele e com urgência. Maranata!
Isaías nos escreveu suas palavras há mais de dois mil e setecentos anos! E como ela nos é atualíssima! Dá medo!
p.s.: link da imagem original:
Contagem regressiva: Faltam 239 dias para 04/08/2015, quando eu irei concluir a Segmentação de toda a Bíblia.

A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdetehttp://www.jamaisdesista.com.br
...

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.