quinta-feira, 25 de setembro de 2014

II Crônicas 6:1-42 - O DISCURSO E A ORAÇÃO DE SALOMÃO NA INAUGURAÇÃO DO TEMPLO

Estamos no capítulo 6 e nossas reflexões se encontram aqui:
Parte II – O REINO UNIDO – 9:35 a II CR 9:31.
B. O reinado de Salomão – II Cr 1:1 a 9:31.
Como já dissemos, estamos seguindo o quiasmo encontrado nos primeiros nove capítulos deste início de II Crônicas. Trata-se, como já falamos, de um quiasmo amplo (A B C D D' C' B' A’).
O padrão do reinado de Salomão é:
(A) A grande sabedoria e riqueza de Salomão (1:1-17) – já vista.
(B) Assistência internacional (2:1-18) – já vista.
(C) A construção e os móveis e utensílios do templo (3:1-5:1) – concluiremos neste capítulo.
(D) A dedicação do templo (5:2-7:10) – estamos vendo agora.
(D') A resposta divina à dedicação (7:11-22).
(C') A conclusão da construção do templo (8:1-16).
(B') O reconhecimento internacional (8:1-9:21).
(A') A grande sabedoria e riqueza (9:22-28).
O cronista encerra com um relato sucinto da morte de Salomão (9:29-31).
Esta parte “B”, que irá até o capítulo 9, foi também dividido em nove partes, como o quiasmo acima, ao qual estamos já seguindo.
No presente capítulo 6, encontraremos os seguintes trechos paralelos em I Reis: Salomão discursa ao povo – vs 1 ao 11, texto paralelo em I Re 8:12 ao 21; Salomão apresenta sua oração a Deus – vs 12 ao 42, texto paralelo de I Re 8:22 ao 53.
 (D) A dedicação do templo (5:2-7:10) - continuação.
O texto da dedicação do templo que vai de 5:2 até 7:10, parece seguir fielmente o relato da dedicação do templo em I Re 8:1 ao 66 e nós, iremos dele nos valer em nossas reflexões, com ligeiras adaptações ao presente livro.
Por isso que Salomão começa seu discurso dizendo que Deus habita em meio a trevas espessas, pois ninguém pode ver a Deus e depois viver, mas Deus pode se revelar e manifestar seu amor para com o povo de maneiras indiretas.
Neste momento, Salomão toma a palavra e se dirige ao povo e faz seu discurso e depois sua oração. Ele já começa falando que Deus habita em trevas espessas e depois explica ao povo que a ideia do presente templo veio de seu pai Davi, mas que Deus não o permitira construí-lo, apesar de desejar muito, mas isso coube a seu herdeiro, seu filho, o edificar o lugar de sua habitação.
Isso também é um sinal e um apontamento para o Messias, o filho de Davi, que já construirá um templo, ele mesmo será o templo de Deus, construído para jamais ter fim.
A esperança de Salomão e do cronista era que a presença de Deus permanecesse no templo, uma das grandes preocupações do público pós-exílio. Hodiernamente, ela se faz presente por meio de sua igreja, corpo de Cristo.
Ai Salomão fala da aliança, das promessas de Deus, da sua fidelidade, abençoa todo o povo e exalta e agradece a Deus que estaria ali cumprindo tudo o que prometera e ele estava muito feliz e realizado, estando agora pronto para se dirigir em oração a Deus para consagração do templo recém-construído.
Reparem que no verso 11, o cronista se refere à aliança que o Senhor fez com os filhos de Israel, no entanto, no texto paralelo, 8:21, a menção é de aliança “com nossos pais, quando os tirou da terra do Egito”.
Os primeiros leitores conheciam bem a referência ao êxodo, diz a BEG. É bem provável que tenha sido omitida aqui para enfatizar a administração davídica da aliança – vs 10 em vez da mosaica. A administração davídica da aliança era particularmente importante para as esperanças da comunidade pós-exílio quanto a um rei.
Conforme BEG a qual estamos de pleno acordo, as palavras de louvor de Salomão se referem aos dois lados da relação pactual entre Deus e o seu povo. Deus guarda a sua aliança, mas o povo deve perseverar na fidelidade. As transgressões manifestas da aliança resultariam em retribuição divina – Dt 7:9-12; 30:15-19. Essa estrutura pactual ocupa uma posição central na visão teológica do cronista.
Salomão se posiciona com suas mãos diante do altar do Senhor, na presença de toda a congregação de Israel, estende as suas mãos para os céus e começa a orar.
Salomão então se põe diante de Deus com pedidos acerca do papel futuro do templo na vida de Israel. O escritor de Reis, conforme BEG, expressa o que desejava que seus leitores esperassem das orações dirigidas às ruínas do templo e no templo depois do exílio.
Assim, essa oração está em vigor para todos os judeus, pois não se tem mais nem o primeiro, nem o segundo templo, mas outro templo de outro deus ocupando o lugar do seu templo, no qual Deus se manifestara teofanicamente em aprovação ao projeto de Davi, muito bem executado por Salomão.
Ele já começa falando e exaltando a Deus porque não há outro Deus como ele que guarda a sua aliança e a sua misericórdia insistindo nela para a cumprir, apesar de a outra parte, frágil, não a cumprir.
Salomão exalta e traz a lembrança a aliança de Deus com Davi de que não faltaria sucessor, contanto que seus filhos guardassem seu caminho para andarem diante dele como ele andou.
Deus habitaria na terra? Essa é a pergunta que o rei Salomão faz cuja resposta está clara que não, pois como ela poderia conter o criador? Assim, entende ele que o novo templo jamais o poderia contê-lo, no entanto, o Messias sim conterá toda a plenitude da divindade como bem nos lembrou Paulo em suas epístolas.
I Coríntios 10:26 porque do Senhor é a terra e a sua plenitude.
Gálatas 4:4 vindo, porém, a plenitude do tempo, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei,
Efésios 1:23 a qual é o seu corpo, a plenitude daquele que a tudo enche em todas as coisas.
Efésios 3:19 e conhecer o amor de Cristo, que excede todo entendimento, para que sejais tomados de toda a plenitude de Deus.
Efésios 4:13 até que todos cheguemos à unidade da fé e do pleno conhecimento do Filho de Deus, à perfeita varonilidade, à medida da estatura da plenitude de Cristo,
Colossenses 1:19 porque aprouve a Deus que, nele, residisse toda a plenitude
Colossenses 2:9 porquanto, nele, habita, corporalmente, toda a plenitude da Divindade.
O templo era o lugar terreno que dava acesso ao átrio celestial por meio do Nome que ali habitava. Sua oração segue um padrão para cada evento que o povo vier a enfrentar no futuro:
·         Primeiro, vem a circunstância perturbadora, não controlável e difícil de enfrentar, mas que não tem jeito temos de passar por ela e, de preferência, dando glórias a Deus.
·         Segundo, vem o pedido de perdão a Deus. Porque nos queixamos? Lamentações de Jeremias 3:39 - Por que, pois, se queixa o homem vivente? Queixe-se cada um dos seus próprios pecados.
·         Terceiro, o pedido a Deus para agir a nosso favor por causa de sua aliança e de sua misericórdia.
·         Quarto, o pedido para nos dar, ouvir e/ou fazer, ou conceder o livramento e o escape daquela situação, conforme os seus caminhos, pois que somente Deus é conhecedor do coração dos filhos dos homens a fim de que o temam por todos os dias que viverem na terra que deste aos seus pais.
I Reis 8:39 Ouve tu então nos céus, assento da tua habitação, e perdoa, e age, e a cada um conforme a todos os seus caminhos, e segundo vires o seu coração, porque só tu conheces o coração de todos os filhos dos homens.
I Reis 8:40 Para que te temam todos os dias que viverem na terra que deste a nossos pais.
Resumindo: PERDOA – AGE – DÁ – OUVE – FAZ (isto ainda virará um belo sermão!).
Após sua longa e interessante oração, já apontando para o futuro, quando tudo aquilo estará em ruínas; e mais ainda para o futuro, quando outro templo físico, de outro deus estará ali naquele lugar; e ainda nesse mesmo futuro, quando um novo templo, não procedente de mãos humanas, o corpo de Cristo, ou seja, a Igreja de Cristo estiver entre nós,  ele encerra sua oração e a assembleia com um discurso e uma cerimônia de dedicação.
Podemos ver nos versos de 32 e 33 que Salomão esperava que os estrangeiros também recebessem respostas às suas orações no templo. Os profetas do Antigo Testamento prenunciaram a inclusão de um grande número de gentios entre o povo de Deus depois do exílio – Is 56:6-8; Jl 2:28; Zc 8:20-23; 14:16-21; Sl 87.
É provável que essa petição tenha sido incluída para ressaltar a centralidade do templo na expansão do reino a outras nações. A inclusão em grande escada dos gentios no reino de Deus se cumpriu por meio de Cristo – Rm 3:29; Gl 3:14.
Hoje, todos temos acesso ao templo que antes era restrito aos judeus e a um lugar físico no planeta. Cristo Jesus agora está presente em todo planeta e em todo lugar onde houver um cristão fiel.
Assim pôs-se de pé e abençoou toda a congregação em alta voz:
·         Exaltando novamente a fidelidade de Deus conforme as suas alianças.
·         Lembrando dos votos de que assim como Deus foi com seus pais, apesar deles, ele seja com eles, apesar, também, deles.
·         Manifestando o desejo de que a soberania de Deus faça nossos corações se inclinarem a ele e não a nós mesmos.
·         Desejando que as palavras de que ele suplicou a ele, estejam sempre diante dele a fim de que todos os povos da terra saibam que o Senhor é Deus e que não há outro não.
Finaliza pedindo ao povo fidelidade de coração para serem perfeitos em andares nos seus estatutos e guardarem os seus mandamentos, como estavam ali fazendo.
II Cr 6:1 Então falou Salomão:
                O SENHOR disse que habitaria nas trevas.
                               II Cr 6:2 E eu te tenho edificado uma casa para morada,
                                               e um lugar para a tua eterna habitação.
II Cr 6:3 Então o rei virou o seu rosto, e abençoou a toda a congregação
                de Israel, e toda a congregação de Israel estava em pé.
                II Cr 6:4 E ele disse:
                               Bendito seja o SENHOR Deus de Israel,
                                               que falou pela sua boca a Davi meu pai;
                                                               e pelas suas mãos o cumpriu, dizendo:
                II Cr 6:5 Desde o dia em que tirei a meu povo da terra do Egito,
                               não escolhi cidade alguma de todas as tribos de Israel,
                                               para edificar nela uma casa em que estivesse
                                                               o meu nome;
                               nem escolhi homem algum
                                               para ser líder do meu povo, Israel.
                II Cr 6:6 Porém escolhi a Jerusalém
                               para que ali estivesse o meu nome;
                e escolhi a Davi,
                               para que estivesse sobre o meu povo Israel.
                II Cr 6:7 Também Davi meu pai teve no seu coração
                               o edificar uma casa ao nome do SENHOR Deus de Israel.
                II Cr 6:8 Porém o SENHOR disse a Davi, meu pai:
                               Porquanto tiveste no teu coração o edificar uma casa ao meu
                                               nome, bem fizeste de ter isto no teu coração.
                               II Cr 6:9 Contudo tu não edificarás a casa, mas teu filho,
                                               que há de proceder de teus lombos,
                                                               esse edificará a casa ao meu nome.
                II Cr 6:10 Assim confirmou o SENHOR a sua palavra, que falou;
                               porque eu me levantei em lugar de Davi meu pai,
                                               e me assentei sobre o trono de Israel,
                                                               como o SENHOR disse, e edifiquei a casa
                                                               ao nome do SENHOR Deus de Israel.
                II Cr 6:11 E pus nela a arca, em que está a aliança que o SENHOR
                               fez com os filhos de Israel.
II Cr 6:12 E pôs-se em pé, perante o altar do SENHOR, na presença de toda
                a congregação de Israel, e estendeu as suas mãos.
                               II Cr 6:13 Porque Salomão tinha feito uma plataforma
                                               de metal, de cinco côvados de comprimento, de cinco
                                               côvados de largura e de três côvados de altura,
                                                               e a tinha posto no meio do pátio,
                                               e pôs-se em pé sobre ela, e ajoelhou-se em presença
                                               de toda a congregação de Israel, e estendeu as suas
                                                               mãos para o céu. II Cr 6:14 E disse:
                O SENHOR Deus de Israel, não há Deus semelhante a ti,
                               nem nos céus nem na terra;
                que guardas a aliança e a beneficência aos teus servos que caminham
                               perante ti de todo o seu coração.
                II Cr 6:15 Que guardaste ao teu servo Davi, meu pai,
                               o que lhe falaste; porque tu pela tua boca o disseste,
                                               e pela tua mão o cumpriste, como se vê neste dia.
                II Cr 6:16 Agora, pois, SENHOR Deus de Israel,
                               guarda ao teu servo Davi, meu pai, o que falaste, dizendo:
                                               Nunca homem algum será cortado de diante de mim,
                                                               que se assente sobre o trono de Israel;
                               tão-somente que teus filhos guardem seu caminho,
                                               andando na minha lei, como tu andaste
                                                               diante de mim.
                II Cr 6:17 E agora, SENHOR Deus de Israel,
                               cumpra-se a tua palavra, que disseste ao teu servo Davi.
                II Cr 6:18 Mas, na verdade, habitará Deus com os homens na terra?
                               Eis que os céus, e o céu dos céus, não te podem conter,
                                               quanto menos esta casa que tenho edificado?
                II Cr 6:19 Atende, pois, à oração do teu servo, e à sua súplica,
                               ó SENHOR meu Deus; para ouvires o clamor, e a oração,
                                               que o teu servo faz perante ti.
                II Cr 6:20 Que os teus olhos estejam dia e noite abertos sobre este
                               lugar, de que disseste que ali porias o teu nome;
                                               para ouvires a oração que o teu servo orar
                                                               neste lugar.
                II Cr 6:21 Ouve, pois, as súplicas do teu servo, e do teu povo Israel,
                               que fizerem neste lugar; e ouve tu do lugar da tua habitação,
                                               desde os céus; ouve pois, e perdoa.
II Cr 6:22 Quando alguém pecar contra o seu próximo,
                e lhe impuser juramento de maldição, fazendo-o jurar,
                               e o juramento de maldição vier perante o teu altar,
                                               nesta casa,
                II Cr 6:23 Ouve tu, então, desde os céus, e age e julga a teus servos,
                               condenando ao ímpio,
                                               retribuindo o seu proceder sobre a sua cabeça;
                               e justificando ao justo,
                                               dando-lhe segundo a sua justiça.
II Cr 6:24 Quando também o teu povo Israel for ferido
                diante do inimigo, por ter pecado contra ti,
                               e eles se converterem, e confessarem o teu nome,
                               e orarem e suplicarem perante ti nesta casa,
                II Cr 6:25 Então, ouve tu desde os céus, e perdoa os pecados do teu
                               povo Israel; e torna a levá-los à terra que lhes tens dado
                                               e a seus pais.
II Cr 6:26 Quando os céus se fecharem, e não houver chuva,
                por terem pecado contra ti, e orarem neste lugar,
                               e confessarem teu nome, e se converterem dos seus
                                               pecados, quando tu os afligires,
                II Cr 6:27 Então, ouve tu desde os céus,
                               e perdoa o pecado de teus servos, e do teu povo Israel,
                                               ensinando-lhes o bom caminho, em que andem;
                               e dá chuva sobre a tua terra, que deste
                                               ao teu povo em herança.
II Cr 6:28 Quando houver fome na terra, quando houver peste,
                quando houver queima de seara, ou ferrugem, gafanhotos,
                                ou lagarta, cercando-a algum dos seus inimigos nas terras
                                               das suas portas, ou quando houver qualquer praga,
                                                               ou qualquer enfermidade,
                II Cr 6:29 Toda a oração, e toda a súplica, que qualquer homem fizer,
                               ou todo o teu povo Israel, conhecendo cada um a sua praga,
                                               e a sua dor, e estendendo as suas mãos para esta
                                                               casa, II Cr 6:30 Então, ouve tu desde os
                                                               céus, do assento da tua habitação, e perdoa,
                                               e dá a cada um conforme a todos os seus caminhos,
                                               segundo conheces o seu coração (pois só tu conheces
                                                               o coração dos filhos dos homens),
                               II Cr 6:31 A fim de que te temam,
                                               para andarem nos teus caminhos, todos os dias que
                                                               viverem na terra que deste a nossos pais.
II Cr 6:32 Assim também ao estrangeiro, que não for do teu povo
                Israel, quando vier de terras remotas por amor do teu grande
                               nome, e da tua poderosa mão, e do teu braço
                                               estendido, vindo eles e orando nesta casa;
                II Cr 6:33 Então, ouve tu desde os céus, do assento da tua habitação,
                               e faze conforme a tudo o que o estrangeiro te suplicar;
                                               a fim de que todos os povos da terra conheçam o teu
                                                               nome, e te temam, como o teu povo Israel;
                               e a fim de saberem que pelo teu nome é chamada esta casa
                                               que edifiquei.
II Cr 6:34 Quando o teu povo sair à guerra contra os seus inimigos,
                pelo caminho que os enviares, e orarem a ti para o lado desta
                               cidade que escolheste, e desta casa,
                                               que edifiquei ao teu nome,
                               II Cr 6:35 Ouve, então, desde os céus a sua oração,
                                               e a sua súplica, e faze-lhes justiça.
II Cr 6:36 Quando pecarem contra ti (pois não há homem que não peque),
                e tu te indignares contra eles, e os entregares diante
                                do inimigo, para que os que os cativarem os levem
                                               em cativeiro para alguma terra, remota ou vizinha,
                               II Cr 6:37 E na terra, para onde forem levados em cativeiro,
                                               caírem em si, e se converterem, e na terra do seu                                                                      cativeiro, a ti suplicarem, dizendo:                                         Pecamos, perversamente procedemos e impiamente agimos;
                               II Cr 6:38 E se converterem a ti com todo o seu coração
                                               e com toda a sua alma, na terra do seu cativeiro,
                                                               a que os levaram presos, e orarem para o
                                                               lado da sua terra, que deste a seus pais,
                                               e para esta cidade que escolheste, e para esta casa
                                                               que edifiquei ao teu nome,
                II Cr 6:39 Ouve, então, desde os céus, do assento da tua habitação,
                               a sua oração e as suas súplicas, e executa o seu direito;
                                               e perdoa ao teu povo que houver pecado contra ti.
II Cr 6:40 Agora, pois, ó meu Deus, estejam os teus olhos abertos,
                e os teus ouvidos atentos à oração deste lugar.
                II Cr 6:41 Levanta-te, pois, agora, SENHOR Deus,
                               para o teu repouso, tu e a arca da tua fortaleza;
                                               os teus sacerdotes, ó SENHOR Deus, sejam vestidos
                                               de salvação, e os teus santos se alegrem do bem.
                II Cr 6:42 O SENHOR Deus, não faças virar o rosto do teu ungido;
                               lembra-te das misericórdias de Davi teu servo.
As petições de Salomão terminam com duas preocupações, uma quanto ao templo e outra quanto ao trono.
O cronista omite I Rs 8:50b-51 (... e dá-lhes misericórdia perante aqueles que os têm cativos, para que deles tenham compaixão. Porque são o teu povo e a tua herança que tiraste da terra do Egito, do meio do forno de ferro.) e inclui uma versão de Sl 132:8-10 (Levanta-te, SENHOR, ao teu repouso, tu e a arca da tua força. Vistam-se os teus sacerdotes de justiça, e alegrem-se os teus santos. Por amor de Davi, teu servo, não faças virar o rosto do teu ungido.).
Em Reis, o final da oração se concentra na aliança mosaica, mas aqui o foco da atenção é a aliança davídica – 6:42; cf 6:11. Salomão pediu:
·         Que Deus estivesse presente no templo – vs 41a.
·         Que desse alegria e celebração aos sacerdotes e ao povo – 41b.
·         Que se lembrasse da promessa de amor feita a Davi – vs 42.
Esse material adicional se dirige diretamente às esperanças do público pós-exílio de restauração plena da adoração gloriosa em Jerusalém.
p.s.: link da imagem original:
Contagem regressiva: Faltam 313 dias para 04/08/2015, quando eu irei concluir a Segmentação de toda a Bíblia.

A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdetehttp://www.jamaisdesista.com.br
...

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.