quinta-feira, 4 de setembro de 2014

I Crônicas 14:1-17 - DAVI, O TERROR DOS FILISTEUS. OS FILISTEUS, O TERROR DE SAUL.

Nossas reflexões se encontram aqui:
Parte II – O REINO UNIDO – 9:35 a II CR 9:31
A. O reinado de Davi – 9:35 a 29:30.
Até o capítulo 29, como já falamos, estaremos nos lembrando de que a função de mostrar o reino unido era dar aos exilados um ideal da unidade, principalmente em Davi, onde o cronista irá procurar valorizar muito mais os sucessos do que os fracassos do rei; enfatizará particularmente o apoio geral recebido por Davi e o seu interesse em construir o templo.
Destarte, a divisão dessa primeira parte se deu também em quatro: 1. Davi se torna rei – 9:35 a 10:14 – já vimos; 2. O amplo apoio a Davi – 11:1 a 12:40 – já vimos; 3. Preparativos para o templo – 13:1 a 29:25 – estamos vendo; e, 4. O fim do reinado de Davi – 29:26 a 30.
3. Preparativos para o templo – 13:1 a 29:25.
O cronista relatará o segundo elemento essencial do reino considerado exemplar de Davi, ou seja, os seus preparativos repletos de entusiasmo para a construção do templo.
Dividiremos esse relato em duas principais partes: a. Davi leva a arca para Jerusalém – 13:1 a 16:43; b. Davi faz preparativos para o templo – 17:1 a 29:25.
a. Davi leva a arca para Jerusalém – 13:1 a 16:43.
Nesta seção, o cronista relatará como Davi conseguiu centralizar o culto em Jerusalém.
Uma comparação com II Sm 5 e 6 indicará que o material em Samuel e Crônicas é organizado topicamente e não estritamente de forma cronológica.
Também aqui dividiremos para melhor compreensão a presente seção em três partes: (1) Davi fracassa na primeira tentativa de transportar a arca – 13:1-14 – já vimos; (2) As bênçãos que distinguem Davi – 14:1-17 – veremos agora; e, (3) Davi transporta a arca com sucesso – 15:1 a 16:43.
(2) As bênçãos que distinguem Davi – 14:1-17.
Aqui o cronista insere essa seção no seu relato para mostrar que, apesar do insucesso de Davi com o transporte da arca – cap. 13 -, Deus o estabeleceu e o abençoou. Aqui três elementos são destacados: os preparativos para o palácio – vs 1 e 2; os filhos de Davi em Jerusalém – vs 3-7; e, a vitória de Davi sobre os filisteus – vs 8 a 17.
Percebe-se, logo no primeiro versículo, a questão internacional de Davi sendo reconhecido pelas outras nações o que se concretiza também com o último verso deste capítulo.
No verso 2, vemos Davi reconhecendo que o estabelecimento do seu reino era uma bênção de Deus para o povo. Há nisso uma grande lição para os que buscam a glória de Deus!
Davi tinha entendido que o SENHOR o tinha confirmado rei sobre Israel porque o seu reino tinha sido muito exaltado por amor do seu povo Israel.
A exaltação de seu reino tinha sido uma coisa providencial de Deus por amor de seu povo Israel. Em minhas reflexões tenho visto Deus exaltando líderes, mas não por causa deles, mas por causa de seu povo.
Deus não mudou! Ele continua a agir da mesma forma. Jesus Cristo morreu por sua igreja e o que nossos líderes tem feito com ela? A igreja não existe por causa do líder, mas é o líder que Deus levanta por amor de seu povo.
Quem trabalha pela igreja como corpo é verdadeiro líder, mas aquele que a despreza será desprezado.
Com esses comentários, o cronista alimenta, em seus leitores pós-exílio, a esperança dos benefícios do rei davídico em sua própria época.
Nos versos de 3 a 7, vemos que a descendência de Davi crescera muito, principalmente em Jerusalém (ver cap. 3:4-9). Também é possível vermos, em minhas reflexões referentes ao capítulo 3, deste, um gráfico com as esposas e os filhos de Davi.
Dos versos de 8 ao 12, vemos Davi triunfando, como sempre sobre os filisteus. A vitória de Davi sobre os filisteus contrasta com a derrota de Saul (10:1-7).
Enquanto Davi era o terror dos filisteus, os filisteus eram o terror de Saul. Não era para ser assim, mas Saul escolheu o medo ao invés da confiança em Deus e isso o marcou por toda a sua existência.
Davi consultou ao Senhor (vs. 10 e14), enquanto Saul consultou uma médium uma vez que o Senhor não o tinha atendido  (10:13).
Esse acontecimento também contrasta com a tentativa fracassada de Davi de reaver a arca (13:1-14) uma vez que não estava empregando os métodos corretos para o seu transporte.
Naquela ocasião, Deus "irrompera contra Uzá" (13:11); aqui, o cronista relata que Davi declarou que Deus "rompeu as fileiras inimigas" (v. 11).

A expressão de Davi que se queimassem aqueles deuses filisteus não aparece, conforme BEG, no texto hebraico (massorético) tradicional de II Sm 2Ì. Ocorre em alguns outros textos e provavelmente estava presente na versão que o cronista possuía do livro de Samuel. Ao queimar esses ídolos, Davi estava instruindo e seguindo as prescrições mosaicas (Dt 7.5,25) que um verdadeiro líder deveria fazer.
O verso 17, como já vimos, em que fala de Davi como temível a todas aquelas gentes, provavelmente foi acrescentado pelo cronista ao relato de II Sm 1:5 para ressaltar o renome internacional de Davi.
Davi estava se mostrando forte diante de seus inimigos. Outras nações estavam vendo o poder de Deus na vitória do rei Davi e caiu sobre todos grande temor. (Js 2:11; II Cr 17:10; 20:29). Sobre esse temor caindo em outras nações, é interessante observar a oração de Salomão para que os estrangeiros temessem ao Senhor (II Cr 6:32-33).
Dessa forma, o cronista vai alimentando no povo e em todos que tinha acesso às informações a esperança de um novo rei como Davi que ofereceria segurança nacional em sua própria época (cf. Ag 2:6-7, 20-23; Zc 9:1-13).
I Cr 14:1 Então Hirão, rei de Tiro, mandou mensageiros a Davi,
                e madeira de cedro, e pedreiros, e carpinteiros,
                               para lhe edificarem uma casa.
                I Cr 14:2 E entendeu Davi que o SENHOR o tinha confirmado
                               rei sobre Israel; porque o seu reino tinha sido muito exaltado
                                               por amor do seu povo Israel.
                I Cr 14:3 E Davi tomou ainda mais mulheres em Jerusalém;
                               e gerou Davi ainda mais filhos e filhas.
                I Cr 14:4 E estes são os nomes dos filhos que teve em Jerusalém:
                               Samua, Sobabe, Natã, Salomão, I Cr 14:5 E Ibar, Elisua,
                               Elpelete, I Cr 14:6 E Nogá, Nefegue, Jafia,
                               I Cr 14:7 E Elisama, Eliada, e Elifelete.
                I Cr 14:8 Ouvindo, pois, os filisteus que Davi havia sido ungido rei
                               sobre todo o Israel, todos os filisteus subiram
                                               em busca de Davi; o que ouvindo Davi,
                                                               logo saiu contra eles.
                I Cr 14:9 E vindo os filisteus, se estenderam pelo vale de Refaim.
                I Cr 14:10 Então consultou Davi a Deus, dizendo:
                               Subirei contra os filisteus, e nas minhas mãos os entregarás?
                E o SENHOR lhe disse:
                               Sobe, porque os entregarei nas tuas mãos.
                I Cr 14:11 E, subindo a Baal-Perazim, Davi ali os feriu; e disse Davi:
                               Por minha mão Deus derrotou a meus inimigos,
                                               como se rompem as águas.
                               Pelo que chamaram aquele lugar, Baal-Perazim.
                I Cr 14:12 E deixaram ali seus deuses;
                               e ordenou Davi que se queimassem a fogo;
                I Cr 14:13 Porém os filisteus tornaram, e se estenderam pelo vale.
                I Cr 14:14 E tornou Davi a consultar a Deus; e disse-lhe Deus:
                               Não subirás atrás deles; mas rodeia-os por detrás,
                                               e vem a eles por defronte das amoreiras;
                I Cr 14:15 E há de ser que, ouvindo tu um ruído de marcha
                               pelas copas das amoreiras, então sairás à peleja;
                                               porque Deus terá saído diante de ti,
                                                               para ferir o exército dos filisteus.
                I Cr 14:16 E fez Davi como Deus lhe ordenara;
                               e feriram o exército dos filisteus desde Gibeom até Gezer.
                I Cr 14:17 Assim se espalhou o nome de Davi
                               por todas aquelas terras;
                                               e o SENHOR pôs o temor dele
                                                               sobre todas aquelas nações.
É Deus, o soberano Senhor dos céus e da terra, Deus transcendente, mas também imanente, que vai conduzindo e controlando os reinos e espalhando o temor sobre todas aquelas nações por amor de seu povo.
Enquanto Davi ia sendo fiel ao Senhor e conduzindo o seu povo debaixo do temor de Deus e procurando ter seu coração arrependido e disposto a aprender as coisas do reino de Deus, Deus mesmo cooperava com ele e o fazia triunfar em tudo.
Naquela época a nação de Israel com seu líder Davi era uma grande e temível nação que se despontava como potência mundial e referencial para as outras nações.
p.s.: link da imagem original:
Contagem regressiva: Faltam 344 dias para 04/08/2015, quando eu irei concluir a Segmentação de toda a Bíblia.

A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdetehttp://www.jamaisdesista.com.br
...

Reações:

1 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.