quarta-feira, 6 de agosto de 2014

Jó 27:1-23 - JÓ ENCERRANDO SEU DISCURSO, FAZ PROTESTOS, RESOLUÇÕES E FALA DO FIM DOS PERVERSOS

Parte II - DIÁLOGOS ENTRE JÓ E SEUS AMIGOS – 3:1 a 27:23.
E. O discurso de encerramento de Jó – 27:1 – 23.
As primeiras palavras do vs 1 são diferentes das que foram usadas no início de cada discurso anterior, o que sugere que esse é o comentário conclusivo de Jó, que estruturalmente corresponde ao seu primeiro lamento – 3:1-26.
Esse discurso que corresponde a parte “E” foi dividido, como na BEG, em duas partes: 1. Protesto de inocência – 23:1 – 12. 2. O destino dos perversos – 23:13 – 23.
1. Protesto de inocência – 23:1 – 12.
Essas palavras são dirigidas aos conselheiros (ou aos seus três amigos). Com um juramento fundamentado na existência de Deus, Jó nega as falsas acusações contra ele e, ao mesmo tempo, declara a sua integridade.
Jó não poderia fazer isso a menos que realmente acreditasse que Deus era justo, a despeito do seu sério questionamento nesse sentido – 9:14 a 31; 16:7 a 14; 19: 7 a 12.
No verso 3, temos Jó com uma resolução interessante que poderia servir de base para AS MINHAS FIRMES RESOLUÇÕES – Como penso e espero viver para a glória de Deus, contendo em seu corpo as 70 resoluções de Jonathans Edwards[1].
Espero na próxima edição acrescentar esse versículo e seus comentários. A resolução que tenho parecida com essa em meu livro é a quarta: “Eu resolvo que jamais usarei minha língua (palavras faladas, escritas) para difamar qualquer meu semelhante nessa vida.”
Ele resolveu que doravante, enquanto nele houvesse alento, ou seja, fôlego de vida, que os seus lábios não iriam de forma alguma falar iniquidades, nem enganos. Isso também nos lembra o Sl 19:14 “Sejam agradáveis as palavras da minha boca e a meditação do meu coração perante a tua face, SENHOR, Rocha minha e Redentor meu!”
As resoluções que tomamos são compromissos que assumimos diante de Deus por que sentimos a necessidade de sua prática para o bem de nossas almas. Que cada um tenha bem firme diante de Deus suas próprias resoluções, compromissos e votos.
Não façam delas, jamais, leis incondicionais; nem imponham isso aos outros irmãos como se fosse mandado de Deus colocando peso sobre os ombros já pesados dos servos de Deus, mas que sirva para sua própria edificação e testemunho da grande graça e misericórdia de Deus na sua vida.
No verso 5, novamente ele faz outra resolução ao dizer que até que morra, jamais irá afastar dele a sua integridade e ai explica que se apegará fortemente à sua justiça e com a sua consciência fará uma aliança eterna.
Eu também em minha resolução sexta eu digo que “Eu resolvo que irei confiar em Deus de todo o meu coração, alma, forças e entendimento.” e nos comentários dessa resolução, eu explico com maiores detalhes: “Seja, pois, a minha consciência o meu árbitro em meu coração de que ando diante de Deus e dos homens de forma coerente (EF 6:5) conforme minhas prédicas;”.
Dos versos 7 ao 10, ele Jó, lança maldições como as que eram usadas pelos salmistas – Sl 109:6 a 15; Sl 139:19 a 22. Isso era, conforme nos dia z BEG, um artifício retórico honroso e comum no mundo semita. Essas maldições cumpriam o objetivo de condenar os perversos com uma forte linguagem para que se posicionassem, inequivocamente, a favor de Deus contra o mal.
A Palavra de Deus é clara ao afirmar peremptoriamente que o perverso terá fim na terra!
2. O destino dos perversos – 23:13 – 23.
Jó volta  a sua atenção para a discussão sobre o destino dos perversos, um tema demasiadamente trabalhado pelos conselheiros.
Os comentários de Jó mostram que ele compreende o assunto assim como eles entendiam. No entanto, nesse momento, os conselheiros, e não Jó, são os objetos subtendidos do destino descrito.
Qual será o destino dos perversos?
Não há como falar de salvação sem falar de perdição.
Se há salvos, com certeza há perdidos.
Para entendermos melhor essa salvação e essa perdição, eu quero convidar você para uma viagem no tempo.
Viajaremos para o futuro, para uma época, no tempo, quando tudo estiver concluído, ou seja, para depois do tempo em que houver o julgamento e a separação dos salvos e dos perdidos.
Há então um grupo de salvos e um outro grupo de perdidos. Estou certo? Você está me acompanhando e entendendo o que estou procurando pregar?
Aqui cabe uma pergunta muito pertinente: Deus foi injusto com os perdidos? E com os salvos, ele cometeu acepção de pessoas e falhou na justiça?
Com certeza, Deus foi justo tanto para com os salvos, como para com os perdidos.
Para onde irão os perdidos?
Para o fogo eterno! E o inferno é um lugar de injustiça de Deus?
O lago de fogo, repito, é o lugar preparado para o Diabo, seus anjos e todos os seus seguidores.
Mateus 25:41 Então dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos;
Neste momento também é pertinente refletirmos na parábola do joio e do trigo.
Mateus 13:24 Propôs-lhes outra parábola, dizendo: O reino dos céus é semelhante ao homem que semeia a boa semente no seu campo;
Mateus 13:25 Mas, dormindo os homens, veio o seu inimigo, e semeou joio no meio do trigo, e retirou-se.
Mateus 13:26 E, quando a erva cresceu e frutificou, apareceu também o joio.
Mateus 13:27 E os servos do pai de família, indo ter com ele, disseram-lhe: Senhor, não semeaste tu, no teu campo, boa semente? Por que tem, então, joio?
Mateus 13:28 E ele lhes disse: Um inimigo é quem fez isso. E os servos lhe disseram: Queres pois que vamos arrancá-lo?
Mateus 13:29 Ele, porém, lhes disse: Não; para que, ao colher o joio, não arranqueis também o trigo com ele.
Mateus 13:30 Deixai crescer ambos juntos até à ceifa; e, por ocasião da ceifa, direi aos ceifeiros: Colhei primeiro o joio, e atai-o em molhos para o queimar; mas, o trigo, ajuntai-o no meu celeiro.
Vejamos também a interpretação do próprio Senhor Jesus Cristo:
Mateus 13:36 Então, tendo despedido a multidão, foi Jesus para casa. E chegaram ao pé dele os seus discípulos, dizendo: Explica-nos a parábola do joio do campo.
Mateus 13:37 E ele, respondendo, disse-lhes: O que semeia a boa semente, é o Filho do homem;
Mateus 13:38 O campo é o mundo; e a boa semente são os filhos do reino; e o joio são os filhos do maligno;
Mateus 13:39 O inimigo, que o semeou, é o diabo; e a ceifa é o fim do mundo; e os ceifeiros são os anjos.
Mateus 13:40 Assim como o joio é colhido e queimado no fogo, assim será na consumação deste mundo.
Mateus 13:41 Mandará o Filho do homem os seus anjos, e eles colherão do seu reino tudo o que causa escândalo, e os que cometem iniquidade.
Mateus 13:42 E lançá-los-ão na fornalha de fogo; ali haverá pranto e ranger de dentes.
Mateus 13:43 Então os justos resplandecerão como o sol, no reino de seu Pai. Quem tem ouvidos para ouvir, ouça.
O que nos ensina esta parábola? Simples, ela nos ensina que há trigo e que há joio. Ou seja, há salvos e há perdidos!
Jesus nos deixa claro nesta parábola e em sua própria vida que há joio e que há trigo. Que o trigo será recolhido em seu celeiro e que o joio será juntado, atado em feixes e lançado no fogo.
Na escolha de seus apóstolos, os seus discípulos, Jesus passou a noite anterior à escolha em oração. Na escolha seleta, ele escolheu 12 discípulos, mas um era do maligno. Um deles era joio, um deles era réu do inferno e seria lançado no fogo que arde eternamente.
João 6:70 Respondeu-lhe Jesus: Não vos escolhi a vós os doze? e um de vós é um diabo.
João 6:71 E isto dizia ele de Judas Iscariotes, filho de Simão; porque este o havia de entregar, sendo um dos doze.
Será que ele não sabia quem era Judas? E por que o escolheu sabendo que era do maligno e que não haveria conserto para ele? Por três anos e meio, Jesus permitiu Judas andar com ele e ouvir e ver e participar de tudo o que eles participavam.
A palavra é clara ao dizer que Judas era ladrão e roubava do conteúdo da bolsa e do alforje dos discípulos.
João 12:4 Então, um dos seus discípulos, Judas Iscariotes, filho de Simão, o que havia de traí-lo, disse:
João 12:5 Por que não se vendeu este unguento por trezentos dinheiros e não se deu aos pobres?
João 12:6 Ora, ele disse isto, não pelo cuidado que tivesse dos pobres, mas porque era ladrão e tinha a bolsa, e tirava o que ali se lançava.
Jesus não sabia disso? Com certeza sabia sim, mas não o expôs antes confiou em Deus e esperou que Deus agisse.
Na ceia, na última ceia, quem sentou ao lado direito de Jesus e quem é que meteu com ele a mão no prato para apanhar o primeiro bocado que era um lugar de honra? Justamente Judas!
Depois disso, sai dali para trair a Jesus porque o diabo estava nele. Ele volta e beija Jesus como sinal aos soldados da sua traição. Jesus lhe chama de amigo e lhe pergunta: - Amigo, com um beijo me trais?
Mateus 26:49 E logo, aproximando-se de Jesus, disse: Eu te saúdo, Rabi; e beijou-o.
Mateus 26:50 Jesus, porém, lhe disse: Amigo, a que vieste? Então, aproximando-se eles, lançaram mão de Jesus, e o prenderam.
Jesus, certamente, não estava sendo hipócrita, nem creio, irônico, mas falava a verdade.
A pergunta que surge é: - mas porquê?
Não era ele ladrão? Não era ele do diabo? Não era ele joio?
Jesus o amou e o amou até o fim para nos dar exemplo de como devemos tratar o joio enquanto o joio não é revelado. Na parábola, tentaram fazer a separação, mas a probabilidade de injustiças seria grande. Assim, resolveram deixá-los crescerem juntos até o dia da colheita.
Pois bem, o joio andará conosco, falará a nossa língua, participará conosco da ceia, roubará nossas bolsas e nossos alforjes, nos venderão para nossos inimigos, nos trairão, nos saudarão com um beijo e, depois disso tudo, ainda nem saberemos que foi ele quem fez isso tudo! Terrível! Somente Deus é que, no juízo final, fará a separação do trigo e do joio.
Há joio e há trigo! Judas ouviu Jesus por três anos e meio, mas não foi convencido! Se Jesus não o convenceu, quem o convenceria?
Sabem o que entendo disso? Que a palavra da pregação tem duas funções paralelas. A primeira é a salvação dos filhos de Deus, pois neles é gerada a fé pela pregação quando ouvem e creem. A segunda, é endurecer o coração dos filhos do diabo, aos quais não está destinada a salvação, para testemunho contra eles.
Então pregamos para salvação e pregamos para testemunho contra os filhos do diabo, mas não sabemos quem é um, nem quem é outro. Por isso que temos de pregar sempre, quer seja oportuno, quer, não seja.
II Timóteo 4:1 Conjuro-te, pois, diante de Deus, e do Senhor Jesus Cristo, que há de julgar os vivos e os mortos, na sua vinda e no seu reino,
II Timóteo 4:2 Que pregues a palavra, instes a tempo e fora de tempo, redarguas, repreendas, exortes, com toda a longanimidade e doutrina.
Jó 27:1 E prosseguindo Jó em seu discurso, disse:
                Jó 27:2 Vive Deus, que desviou a minha causa,
                                e o Todo-Poderoso, que amargurou a minha alma.
                Jó 27:3 Que, enquanto em mim houver alento,
                               e o sopro de Deus nas minhas narinas,
                                               Jó 27:4 Não falarão os meus lábios iniquidade,
                                                               nem a minha língua pronunciará engano.
                Jó 27:5 Longe de mim que eu vos justifique;
                               até que eu expire,
                                               nunca apartarei de mim a minha integridade.
                Jó 27:6 À minha justiça me apegarei e não a largarei;
                               não me reprovará o meu coração em toda a minha vida.
                Jó 27:7 Seja como o ímpio o meu inimigo,
                               e como o perverso o que se levantar contra mim.
                Jó 27:8 Porque qual será a esperança do hipócrita,
                               havendo sido avaro, quando Deus
                                               lhe arrancar a sua alma?
                Jó 27:9 Porventura Deus ouvirá o seu clamor,
                               sobrevindo-lhe a tribulação?
                Jó 27:10 Deleitar-se-á no Todo-Poderoso,
                               ou invocará a Deus em todo o tempo?
                Jó 27:11 Ensinar-vos-ei acerca da mão de Deus,
                               e não vos encobrirei o que está com o Todo-Poderoso.
                Jó 27:12 Eis que todos vós já o vistes;
                               por que, pois, vos desvaneceis na vossa vaidade?
Jó 27:13 Esta, pois, é a porção do homem ímpio da parte de Deus,
                e a herança, que os tiranos receberão do Todo-Poderoso.
                Jó 27:14 Se os seus filhos se multiplicarem, será para a espada,
                               e a sua prole não se fartará de pão.
                Jó 27:15 Os que ficarem dele na morte serão enterrados,
                               e as suas viúvas não chorarão.
                Jó 27:16 Se amontoar prata como pó,
                               e aparelhar roupas como lodo,
                                               Jó 27:17 Ele as aparelhará, porém o justo as vestirá,
                                                               e o inocente repartirá a prata.
                               Jó 27:18 E edificará a sua casa como a traça,
                                               e como o guarda que faz a cabana.
                               Jó 27:19 Rico se deita, e não será recolhido;
                                               abre os seus olhos, e nada terá.
                               Jó 27:20 Pavores se apoderam dele como águas;
                                               de noite o arrebata a tempestade.
                               Jó 27:21 O vento oriental leva-o, e ele se vai,
                                               e varre-o com ímpeto do seu lugar.
                Jó 27:22 E Deus lançará isto sobre ele, e não lhe poupará;
                               irá fugindo da sua mão.
                                               Jó 27:23 Cada um baterá palmas contra ele
                                                               e assobiará tirando-o do seu lugar.
O fim do perverso vem e se apressa! A volta do Senhor Jesus Cristo é iminente. Haverá um dia na história, como já houve na sua primeira vinda, em que as manchetes dos jornais, TV, internet será que o Messias agora retornou!
p.s.: link da imagem original:
Contagem regressiva: Faltam 363 dias para 04/08/2015, quando eu irei concluir a Segmentação de toda a Bíblia.
A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdetehttp://www.jamaisdesista.com.br

[1] Este livro se encontra disponível para venda no site: http://www.ossemeadores.com.br e no site da Amazon, em formato de ebook e Kindle: http://www.amazon.com/dp/B00HT3B1SG
...

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.