terça-feira, 26 de agosto de 2014

I Crônicas 5:1-26 - A BATALHA PERTENCE AO SENHOR

Estamos no capítulo 5 e até o capítulo 9, estaremos na:
Parte I – AS GENEALOGIAS DO POVO DE DEUS – 1:1 a 9:34.
Estamos vendo - nesta primeira parte, como já falamos anteriormente -, que além de revelarem os privilégios e as responsabilidades daqueles que regressaram do exílio e explicar a eleição e a organização do povo de Deus ao longo da História, elas – as genealogias do povo de Deus - também estariam preservando, de certa forma, a mensagem messiânica originada lá em Gn 3:15 quando Deus falou à serpente.
A Parte I, como já vimos, foi dividida em três: A. As raízes de Israel – 1:1 a 2:2 – já vista. B. A extensão e a ordem do povo de Deus – 2:3 a 9:1a – estamos dando continuidade a ela. C. A continuidade de Israel – 9:1b a 34.
B. A extensão e a ordem do povo de Deus – 2:3 a 9:1a - continuação.
Até o capítulo 9, estaremos vendo essas pessoas proeminentes de todas as tribos, exceto das tribos de Dã e de Zebulom. Com destaque, em primeiro lugar para o registro dos descendentes de Judá, por causa do reino e por causa também do Messias.
No capítulo anterior, foram apresentados relatos curtos sobre Judá – 1-23 e Simeão – 4:24-43.
Neste capítulo continuarão sendo apresentados outros relatos curtos sobre as tribos da Transjordânia: Rúben – 5:1-10 –, Gade – 5:11-17 – e resumos de todas as tribos da Transjordânia – 5:18-22 - e da meia tribo de Manassés – 5:23-26.
O propósito do cronista na inclusão dessas tribos no povo de Deus certamente faz parte da esperança dele de repovoamento e posse territorial no período após o exílio e também faz parte dos propósitos de Deus com a nação escolhida da qual viria em breve o Messias.
E assim, como estamos vendo, o cronista vai acrescentando mais material à linhagem do povo eleito restabelecendo nele os vínculos perdidos por causa de seus desterros.
No verso primeiro, o cronista fala de uma genealogia da primogenitura e que portanto Rubén não fora contado nela por causa de sua grave transgressão envolvendo a mulher de seu pai – Gn 35:22; 49:4.
Havia um propósito nesse primogenitura e todos sabiam disso em Israel. Era interessante para o primeiro filho por causa das heranças – porção dupla (Dt 21:15-17) e também por causa da promessa messiânica que, de certa forma, estava apontando para o Messias.
Foi José quem acabou recebendo a porção dupla de Rúben, pois seus filhos Efraim e Manassés foram considerados tribos separadas – Gn 48:1-22.
No entanto, embora a primogenitura estivesse com José, foi de Judá que veio Davi – o soberano – e, por implicação, Zorobabel, seus descendente pós-exílio – 11:2; 17:7; II Sm 5:2; 6:21. Isso já era o Espírito Santo apontando para o Messias, Jesus Cristo, o descendente real, a semente messiânica.
Vemos que a escolha de Deus prevalece sobre aspectos humanos e de leis, ou seja, Deus não está preso e limitado a elas, mas sobre elas toma as decisões justas e corretas, perfeitas para ser mais exato, mesmo que aos nossos olhos não pareça.
Já a lista dos gaditas não possui paralelos bíblicos e se concentra nos elementos geográficos – 11 ao 16.
Novamente vemos aqui em Crônicas – vs 20 -, o cronista preocupado em demonstrar exemplos da vida de oração e da confiança em Deus nas batalhas, o que não tinha sido realidade das tribos na época dos juízes e dos reis de Israel até o cativeiro, embora fosse isso desejado e incentivado constantemente pelos homens de Deus que ele levantara durante todo esse tempo.
Assim, as tribos da Transjordânia foram capazes de vencerem um exército muito maior do que o seu quando clamaram e confiaram em Deus, conforme vs 20. Muitos inimigos caíram na peleja, diz o narrador, feridos à espada porque a peleja era de Deus! “...de Deus era a peleja...” –vs 22.
Lembrei-me de um verso e de um livro, em meu KINDLE: “The Battle Belongs to the Lord: The Power of Scripture for Defending Our Faith” [Paperback], K. Scott Oliphint (K. Scott Oliphint is professor of apologetics and systematic theology at Westminster Theological Seminary in Philadelphia and has written three books and numerous scholarly articles. See http://wts.edu/faculty/profiles/ksoliphint/kso_writings.html ).
Apologética não é apenas para os filósofos, defendo o autor acima. Todos nós precisamos de sabedoria para defender a nossa fé. Assim, este livro, continua o autor, nos prepara para responder a incredulidade por meio de nossa arma mais poderosa.
K. Scott Oliphint investiga seis textos bíblicos sobre o assunto. Ele resume a mensagem como se segue:
Uma vez que Cristo é o Senhor, e a batalha é dele, devemos:
ü    Sempre estarmos prontos para lutar pela fé que uma vez por todas foi entregue aos santos.
ü    Temos que usar armas, mas não as que são deste mundo e sim do Senhor.
ü    Porque as armas da nossa milícia não são carnais, mas sim poderosas em Deus para destruição das fortalezas; Destruindo os conselhos, e toda a altivez que se levanta contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo o entendimento à obediência de Cristo. (II Co 10:4,5).
O livro de K. Scott Oliphint está baseado neste versículo de I Samuel 17:47, do qual ele somente apanhou o trecho: “the battle is the Lord’s”, em português: “A batalha pertence ao Senhor”. E aqui em I Crônicas esse achado interessante (I Cr 5.22) que diz claramente que de Deus é a peleja, ou batalha!
O motivo pelo qual as tribos da Transjordânia foram exiladas está descrito nesses versos de 23 a 26. A infidelidade da meia tribo de Manassés resultou em retribuição divina o que contrastam com a narrativa anterior de oração e  bênção – 4:9 a 10.
I Cr 5:1 Quanto aos filhos de Rúben, o primogênito de Israel
                (pois ele era o primogênito; mas porque profanara a cama de seu pai,
                               deu-se a sua primogenitura aos filhos de José, filho de Israel;
                                               de modo que não foi contado,
                                                               na genealogia da primogenitura,
                I Cr 5:2 Porque Judá foi poderoso entre seus irmãos,
                               e dele veio o soberano; porém a primogenitura foi de José).
                I Cr 5:3 Foram, pois, os filhos de Rúben, o primogênito de Israel:
                               Enoque, Palu, Hezrom, e Carmi. I Cr 5:4 Os filhos de Joel:
                                               Semaías, seu filho; Gogue, seu filho; Simei, seu
                                               filho; I Cr 5:5 Mica, seu filho; Reaías, seu filho;
                                               Baal, seu filho; I Cr 5:6 Beera, seu filho,
                                               o qual Tiglate-Pilneser, rei da Assíria, levou preso;
                                                               este foi príncipe dos rubenitas.
                I Cr 5:7 Quanto a seus irmãos pelas suas famílias,
                               quando foram postos nas genealogias, segundo as suas
                                               descendências, tiveram por chefes Jeiel e Zacarias,
                               I Cr 5:8 E Bela, filho de Azaz, filho de Sema, filho de Joel,
                                               que habitou em Aroer, até Nebo e Baal-Meom,
                               I Cr 5:9 Também habitou do lado do oriente,
                                               até à entrada do deserto, desde o rio Eufrates;
                                                               porque seu gado se tinha multiplicado
                                                                              na terra de Gileade.
                I Cr 5:10 E nos dias de Saul fizeram guerra aos hagarenos,
                               que caíram pela sua mão; e eles habitaram nas suas tendas
                                               defronte de todo o lado oriental de Gileade.
I Cr 5:11 E os filhos de Gade habitaram defronte deles, na terra de Basã,
                até Salca. I Cr 5:12 Joel foi chefe, e Safã o segundo; também Janai e
                               Safate etavam em Basã.
                I Cr 5:13 E seus irmãos, segundo as suas casas paternas, foram:
                               Micael, Mesulão, Seba, Jorai, Jacã, Zia, e Éber, sete.
                I Cr 5:14 Estes foram os filhos de Abiail filho de Huri, filho de Jaroa,
                               filho de Gileade, filho de Micael, filho de Jesisai,
                                               filho de Jado, filho de Buz;
                I Cr 5:15 Aí, filho de Abdiel, filho de Guni,
                               foi chefe da casa de seus pais. I Cr 5:16 E habitaram em
                                               Gileade, em Basã e nos lugares da sua jurisdição;
                                               como também em todos os arrabaldes de Sarom,
                                                               até aos seus termos.
                I Cr 5:17 Todos estes foram registrados, segundo as suas genealogias,
                               nos dias de Jotão, rei de Judá, e nos dias de Jeroboão,
                                               rei de Israel.
I Cr 5:18 Dos filhos de Rúben, e dos gaditas, e da meia tribo de Manassés,
                homens muito valentes, que traziam escudo e espada, e entesavam o
                               arco, e eram destros na guerra;
                houve quarenta e quatro mil e setecentos e sessenta,
                               que saíam à peleja.
                I Cr 5:19 E fizeram guerra aos hagarenos, como a Jetur,
                               e a Nafis e a Nodabe. I Cr 5:20 E foram ajudados contra eles,
                                               e os hagarenos e todos quantos estavam com eles
                                               foram entregues em sua mão; porque, na peleja,
                                                               clamaram a Deus que lhes deu ouvidos,
                                                                              porquanto confiaram nele.
                I Cr 5:21 E levaram preso o seu gado; seus camelos,
                               cinqüenta mil, e duzentas e cinqüenta mil ovelhas, e dois mil
                                               jumentos, e cem mil homens.
                I Cr 5:22 Porque muitos caíram feridos,
                               porque de Deus era a peleja;
                                               e habitaram em seu lugar, até ao cativeiro.
I Cr 5:23 E os filhos da meia tribo de Manassés habitaram naquela terra;
                multiplicaram-se desde Basã até Baal-Hermom, e Senir,
                               e o monte de Hermom.
                I Cr 5:24 E estes foram cabeças de suas casas paternas, a saber:
                               Hefer, Isi, Eliel, Azriel, Jeremias, Hodavias, e Jadiel, homens
                               valentes, homens de nome, e chefes das casas de seus pais.
                I Cr 5:25 Porém transgrediram contra o Deus de seus pais;
                               e se prostituíram, seguindo os deuses dos povos da terra,
                                               os quais Deus destruíra de diante deles.
                I Cr 5:26 Por isso o Deus de Israel suscitou o espírito de Pul,
                               rei da Assíria, e o espírito de Tiglate-Pilneser, rei da Assíria,
                                               que os levaram presos, a saber:
                                                               os rubenitas e gaditas, e a meia tribo de
                                                               Manassés; e os trouxeram a Hala,
                                                               e a Habor, e a Hara, e ao rio de Gozã,
                                                                              até ao dia de hoje.
A batalha pertence ao Senhor! Mas nosso inimigo não é o outro que se nos opõe até com seu sistema de crenças, mas sua ideologia que o sustenta. Não é contra ele que devemos lutar, mas contra o que o faz ser opositor a Deus e à vida, mesmo que pense estar servindo a Deus e a vida!
Quando olhamos os vídeos feitos pelos grupos altamente radicais e ortodoxos de extermínio de cristãos e de todos os que se opõe à fé islâmica e também os vídeos reais de exemplos de violências em nosso país, nossa tendência natural é o ódio extremado e a vontade de fazer justiça a qualquer custo, mas aí esta o nosso erro e a conquista do outro lado: o cultivo do ódio!
Nossas armas são outras e poderosas em Deus contra todas as fortalezas do mal e do ódio – II Co 10:3-6.
p.s.: link da imagem original:
Contagem regressiva: Faltam 343 dias para 04/08/2015, quando eu irei concluir a Segmentação de toda a Bíblia.

A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdetehttp://www.jamaisdesista.com.br
...

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.