Vamos conhecer o Caminho do Senhor?

Saiba que "O caminho do SENHOR é fortaleza para os íntegros, mas ruína aos que praticam a iniqüidade." (Pv 10:29). Saiba também que aqui no 'JAMAIS DESISTA do Caminho do Senhor' você encontrará, todos os dias uma mensagem baseada na Bíblia que representa o pensamento do autor na sua contínua busca das coisas pertencentes ao reino de Deus e a sua justiça.

domingo, 31 de agosto de 2014

I Crônicas 10:1-54 - A MORTE DE SAUL, SEUS FILHOS E GENERAIS POR JUÍZO DIVINO

Encerramos, no capítulo anterior, a Parte I – AS GENEALOGIAS DO POVO DE DEUS – 1:1 a 9:34 que foram escritas, principalmente, para orientar a restauração do reino depois do exílio, enfatizando especialmente a unidade de Israel, o rei, o templo e as bênçãos e as maldições imediatas da aliança.
Temos visto que,  além de revelarem os privilégios e as responsabilidades daqueles que regressaram do exílio e explicar a eleição e a organização do povo de Deus ao longo da História, elas – as genealogias do povo de Deus - também estariam preservando, de certa forma, a mensagem messiânica originada lá em Gn 3:15 quando Deus falou à serpente.
Ainda no capítulo anterior, a partir do verso de número 35, demos início à Parte II – O REINO UNIDO – 9:35 a II CR 9:31 onde o cronista, depois de estabelecer a identidade, a ordem e os territórios do povo de Deus em listas e genealogias, vai apresentar um retrato do reino unido.
Nesse reino unido, os reinados ideais são os de Davi e de Salomão que exemplificam as bênçãos recebidas pelo povo de Deus quando o rei, o templo e o povo se encontravam unidos.
Foi dividida, então, a Parte II em dois grandes blocos: A. O reinado de Davi – 9:35 a 29:30; B. O reinado de Salomão – II Cr 1:1 ao 9:31.
A. O reinado de Davi – 9:35 a 29:30 - continuação.
Até o capítulo 29, estaremos nos lembrando de que a função de mostrar o reino unido era dar aos exilados um ideal da unidade, principalmente em Davi, onde o cronista irá procurar valorizar muito mais os sucessos do que os fracassos do rei; enfatizará particularmente o apoio geral recebido por Davi e o seu interesse em construir o templo.
Destarte, a divisão dessa primeira parte se dará também em quatro: 1. Davi se torna rei – 9:35 a 10:14 – concluiremos neste; 2. O amplo apoio a Davi – 11:1 a 12:40; 3. Preparativos para o templo – 13:1 a 29:25; e, 4. O fim do reinado de Davi – 29:26 a 30.
1. Davi se torna rei – 9:35 a 10:14 - continuação.
No capítulo anterior vimos dos versos de 35 a 44 o cronista simplesmente repetindo a genealogia de Saul; neste, veremos ele registrando a transferência do poder de Saul para Davi – 10:1 a 14.
Dos versos 1 ao 14, encontraremos seu texto paralelo em I Sm 31:1-13.
I Cr 10:1-14
I Sm 31:1-13
I Crônicas 10:1 E os filisteus pelejaram com Israel; e os homens de Israel fugiram de diante dos filisteus, e caíram mortos nas montanhas de Gilboa.
I Samuel 31:1 Os filisteus, pois, pelejaram contra Israel; e os homens de Israel fugiram de diante dos filisteus, e caíram mortos na montanha de Gilboa.
I Crônicas 10:2 E os filisteus perseguiram a Saul e aos seus filhos e mataram a Jônatas, a Abinadabe e a Malquisua, filhos de Saul.
I Samuel 31:2 E os filisteus perseguiram a Saul e a seus filhos; e mataram a Jônatas, e a Abinadabe, e a Malquisua, filhos de Saul.
I Crônicas 10:3 E a peleja se agravou contra Saul, e os flecheiros o alcançaram; e temeu muito aos flecheiros.
I Samuel 31:3 E a peleja se agravou contra Saul, e os flecheiros o alcançaram; e muito temeu por causa dos flecheiros.
I Crônicas 10:4 Então disse Saul ao seu escudeiro: Arranca a tua espada, e atravessa-me com ela; para que porventura não venham estes incircuncisos e escarneçam de mim. Porém o seu escudeiro não quis, porque temia muito; então tomou Saul a espada, e se lançou sobre ela.
I Samuel 31:4 Então disse Saul ao seu pajem de armas: Arranca a tua espada, e atravessa-me com ela, para que porventura não venham estes incircuncisos, e me atravessem e escarneçam de mim. Porém o seu pajem de armas não quis, porque temia muito; então Saul tomou a espada, e se lançou sobre ela.
I Crônicas 10:5 Vendo, pois, o seu escudeiro que Saul estava morto, também ele se lançou sobre a espada e morreu.
I Samuel 31:5 Vendo, pois, o seu pajem de armas que Saul já era morto, também ele se lançou sobre a sua espada, e morreu com ele.
I Crônicas 10:6 Assim morreram Saul e seus três filhos; e toda a sua casa morreu juntamente.
I Samuel 31:6 Assim faleceu Saul, e seus três filhos, e o seu pajem de armas, e também todos os seus homens morreram juntamente naquele dia.
I Crônicas 10:7 E, vendo todos os homens de Israel, que estavam no vale, que haviam fugido, e que Saul e seus filhos eram mortos, deixaram as suas cidades, e fugiram; então vieram os filisteus, e habitaram nelas.
I Samuel 31:7 E, vendo os homens de Israel, que estavam deste lado do vale e deste lado do Jordão, que os homens de Israel fugiram, e que Saul e seus filhos estavam mortos, abandonaram as cidades, e fugiram; e vieram os filisteus, e habitaram nelas.
I Crônicas 10:8 E sucedeu que, no dia seguinte, vindo os filisteus a despojar os mortos, acharam a Saul e a seus filhos estirados nas montanhas de Gilboa.
I Samuel 31:8 Sucedeu, pois, que, vindo os filisteus no outro dia para despojar os mortos, acharam a Saul e a seus três filhos estirados na montanha de Gilboa.
I Crônicas 10:9 E o despojaram, e tomaram a sua cabeça e as suas armas, e as enviaram pela terra dos filisteus em redor, para o anunciarem a seus ídolos e ao povo.
I Samuel 31:9 E cortaram-lhe a cabeça, e o despojaram das suas armas, e enviaram pela terra dos filisteus, em redor, a anunciá-lo no templo dos seus ídolos e entre o povo.
I Crônicas 10:10 E puseram as suas armas na casa do seu deus, e a sua cabeça afixaram na casa de Dagom.
I Samuel 31:10 E puseram as suas armas no templo de Astarote, e o seu corpo o afixaram no muro de Bete-Seã.
I Crônicas 10:11 Ouvindo, pois, toda a Jabes de Gileade tudo quanto os filisteus fizeram a Saul,
I Samuel 31:11 Ouvindo então os moradores de Jabes-Gileade, o que os filisteus fizeram a Saul,
I Crônicas 10:12 Então todos os homens valorosos se levantaram, e tomaram o corpo de Saul, e os corpos de seus filhos, e os trouxeram a Jabes; e sepultaram os seus ossos debaixo de um carvalho em Jabes, e jejuaram sete dias.
I Samuel 31:12 Todo o homem valoroso se levantou, e caminharam toda a noite, e tiraram o corpo de Saul e os corpos de seus filhos do muro, de Bete-Seã, e, vindo a Jabes, os queimaram.
I Crônicas 10:13 Assim morreu Saul por causa da transgressão que cometeu contra o SENHOR, por causa da palavra do SENHOR, a qual não havia guardado; e também porque buscou a adivinhadora para a consultar.
I Samuel 31:13 E tomaram os seus ossos, e os sepultaram debaixo de um arvoredo, em Jabes, e jejuaram sete dias.
I Crônicas 10:14 E não buscou ao SENHOR, que por isso o matou, e transferiu o reino a Davi, filho de Jessé.

Percebe-se na tabela acima a preocupação do cronista de explicar nos versos de 13 e 14 de I Crônicas, os fatos ocorridos de 1 ao 12 que tiveram seus paralelos em I Samuel 31.
Por que sendo rejeitado pelo Senhor, morreu Saul e Davi foi colocado em seu lugar? A resposta está nesse acréscimo do cronista:
·         Por causa da transgressão que cometeu contra o SENHOR.
·         Por causa da palavra do SENHOR, a qual não havia guardado.
·         Porque buscou a adivinhadora para a consultar.
·         Porque não buscou ao SENHOR.
Como, aqui em Crônicas, o cronista começa a contar a sua história a partir da morte de Saul para introduzir Davi no reinado de Israel, nos valeremos do texto de nossas reflexões já feitas dos livros de Samuel para um melhor entendimento desse texto que encontra o seu paralelo no último capítulo de I Samuel.
Saul, seus filhos e melhores soldados morrem na batalha contra os filisteus – 31:1-13.
Depois de Davi ter voltado para Ziclague e ter enfrentado uma grande crise na sua liderança por causa dos amalequitas, o Senhor, diante de sua conduta de homem de Deus que buscou em Deus a sua força e direção para saber o que fazer e que depois agiu e lutou e perseverou e confiou, o abençoou muito a ponto de ele poder ajudar os anciãos de Judá e muitas famílias.
Nesse interim, Saul estava com os filhos de Israel em grande peleja contra os filisteus que foram com tudo para cima deles e a batalha se tornou difícil.
Não sendo possível fazer frente ao inimigo filisteu, eles começaram a fugir, mas caíram feridos no monte Gilboa. E o cerco apertava cada vez mais a ponto da batalha se tornar renhida e desfavorável aos filhos de Saul que acabaram sendo mortos em batalha: Jônatas, Abinadabe e Malquisua.
No entanto, os filisteus não queriam terminar o combate até apanharem o rei Saul e continuaram a persegui-lo ferozmente. Saul estava sem espaço e já devia ter tomado conhecimento do fim trágico de seus filhos e se desesperou.
Ele não queria cair morto nas mãos dos filisteus, nem ser capturado para ser exibido como troféu e pediu ao seu escudeiro que desse fim a sua vida.
Seu escudeiro vacila muito e teme tirar a vida de seu rei, mas Saul, impaciente e sempre fujão, orgulhoso e diferente de Davi e de Jônatas, filho de Saul que, na hora da angústia, buscavam forças em Deus – 23:16; 30:6 – e que, como Jônatas, rendiam-se plenamente à sua vontade, resolve tirar a sua própria vida lançando-se sobre a sua própria lança de ataque dos inimigos.
Seu último ataque foi contra ele mesmo ao defender seu orgulho e vaidade. Saul, um péssimo exemplo para os filhos de Israel, estava morto e a batalha chegara ao seu final.
Somente no dia seguinte quando os filisteus foram atrás dos despojos de guerra é que encontraram Saul e seus filhos e não tiveram dúvidas, da mesma forma que um hebreu os humilhou cortando a cabeça de seu maior guerreiro, agora, eles cortaram a cabeça de Saul e a levaram como prêmio.
Colocaram as armas de Saul em seu templo dedicado a Astarote e sua cabeça a penduraram no muro de Bete-Seã, localizada no vale do Jordão, a cerca de 25 km ao sul do mar da Galiléia.
Essa cidade era fronteira do território de Manassés, citada em Js 17:11-16; Jz 1:27, e está entre as cidades que resistiram à ocupação israelita e permaneceram como cananeias; e, como se pode ver aqui, fortalezas filisteias.
Foram os homens valentes de Jabes-Gileade que um dia foram libertados por Saul, talvez em gratidão a ele, que se expuseram ao perigo e heroicamente conseguiram apanhar a cabeça de Saul e os corpos de seus filhos para os queimarem completamente. Depois, pegaram seus ossos e os sepultaram debaixo de um arvoredo em Jabes. Por eles ainda jejuaram sete dias.
Saul morrera e bem assim todos os seus filhos. Davi tinha tido vitória sobre os amalequitas, mas ainda estava em território filisteu. O perseguidor injusto do homem de Deus estava morto, não pelas suas mãos, mas pelas mãos de Deus que usou os filisteus para exercer o seu juízo na vida dele.
Em breve, Davi voltará e será aclamado rei de Israel e derrotará completamente da face da terra os filisteus que tanto causaram males a Israel. Era para terem sido expulsos e julgados já há muito tempo, mas os filhos de Israel vacilaram, agora seria vez do ungido do Senhor fazer este papel.[1]
I Cr 10:1 E os filisteus pelejaram com Israel;
                e os homens de Israel fugiram de diante dos filisteus,
                               e caíram mortos nas montanhas de Gilboa.
                I Cr 10:2 E os filisteus perseguiram a Saul e aos seus filhos
                               e mataram a Jônatas, a Abinadabe e a Malquisua,
                                               filhos de Saul.
                I Cr 10:3 E a peleja se agravou contra Saul,
                               e os flecheiros o alcançaram; e temeu muito aos flecheiros.
                I Cr 10:4 Então disse Saul ao seu escudeiro:
                               Arranca a tua espada, e atravessa-me com ela;
                                               para que porventura não venham estes incircuncisos
                                                               e escarneçam de mim.
                               Porém o seu escudeiro não quis, porque temia muito;
                                               então tomou Saul a espada, e se lançou sobre ela.
                I Cr 10:5 Vendo, pois, o seu escudeiro que Saul estava morto,
                               também ele se lançou sobre a espada e morreu.
                I Cr 10:6 Assim morreram Saul e seus três filhos;
                               e toda a sua casa morreu juntamente.
                I Cr 10:7 E, vendo todos os homens de Israel, que estavam no vale,                                    
                          que haviam fugido, e que Saul e seus filhos eram mortos,
                                               deixaram as suas cidades, e fugiram;
                                                               então vieram os filisteus, e habitaram nelas.
                I Cr 10:8 E sucedeu que, no dia seguinte, vindo os filisteus a despojar                            
                                 os mortos, acharam a Saul e a seus filhos estirados
                                               nas montanhas de Gilboa.
                I Cr 10:9 E o despojaram, e tomaram a sua cabeça e as suas armas,
                               e as enviaram pela terra dos filisteus em redor,
                                               para o anunciarem a seus ídolos e ao povo.
                I Cr 10:10 E puseram as suas armas na casa do seu deus,
                               e a sua cabeça afixaram na casa de Dagom.
                I Cr 10:11 Ouvindo, pois, toda a Jabes de Gileade
                               tudo quanto os filisteus fizeram a Saul,
                I Cr 10:12 Então todos os homens valorosos se levantaram,
                               e tomaram o corpo de Saul, e os corpos de seus filhos,
                                               e os trouxeram a Jabes; e sepultaram os seus ossos
                               debaixo de um carvalho em Jabes, e jejuaram sete dias.
                I Cr 10:13 Assim morreu Saul
                               por causa da transgressão que cometeu contra o SENHOR,
                               por causa da palavra do SENHOR,
                                               a qual não havia guardado;
                               e também porque buscou a adivinhadora para a consultar.
                               I Cr 10:14 E não buscou ao SENHOR, que por isso o matou,
                                               e transferiu o reino a Davi, filho de Jessé.
Foi o julgamento divino contra Saul que fez com que morresse não somente ele, como seus filhos e os principais de seus comandantes abrindo assim a porta de entrada do novo rei de Israel o qual era desejado e esperado no lugar de Saul, tímido, egoísta e péssimo exemplo para a nação dos escolhidos.
O cronista estava assim já preparando a entrada triunfal de Davi como o seu modelo do rei que Israel precisava nessa nova fase de recomeço difícil tendo voltado do exílio.
A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdete – 
http://www.jamaisdesista.com.br



[1] Do livro do mesmo autor: O REINO ETERNO DE DAVI - Reflexões bíblicas em I e II Samuel.

...

sábado, 30 de agosto de 2014

I Crônicas 9:1-44 - PARTE II - O REINO UNIDO COMO MODELO

Chegamos finalmente ao fim da primeira parte da nossa junção de I e II de Crônicas que foram escritas, principalmente, para orientar a restauração do reino depois do exílio, enfatizando especialmente a unidade de Israel, o rei, o templo e as bênçãos e as maldições imediatas da aliança.
A primeira parte que estamos concluindo é a Parte I – AS GENEALOGIAS DO POVO DE DEUS – 1:1 a 9:34.
Como já temos insistido mesmo para fixação, temos visto que,  além de revelarem os privilégios e as responsabilidades daqueles que regressaram do exílio e explicar a eleição e a organização do povo de Deus ao longo da História, elas – as genealogias do povo de Deus - também estariam preservando, de certa forma, a mensagem messiânica originada lá em Gn 3:15 quando Deus falou à serpente.
A Parte I, como já vimos, foi dividida em três: A. As raízes de Israel – 1:1 a 2:2 – já vista. B. A extensão e a ordem do povo de Deus – 2:3 a 9:1a – estamos finalizando agora. C. A continuidade de Israel – 9:1b a 34 – concluiremos neste capítulo.
B. A extensão e a ordem do povo de Deus – 2:3 a 9:1a - continuação.
No verso de 9:1a “E todo o Israel foi contado por genealogias, que estão escritas no livro dos reis de Israel;”, o cronista resume as listas das tribos de Israel como representantes da totalidade de sua nação.
Essa perspectiva se deve ao seu desejo de apresentar o povo histórico de Deus e seus territórios como um modelo para os leitores pós-exílio.
Também não podemos deixar de registrar que esse cuidado vinha da parte de Deus pois preservava os registros da semente messiânica que estamos acompanhando desde Gênesis 3:15 e que somente irá se concluir em Cristo Jesus, depois de algum tempo ainda.
C. A continuidade de Israel – 9:1b a 34.
Daqui em diante, os versículos a seguir conterão um resumo seletivo dos israelitas que construíram a comunidade pós-exílio inicial. São eles que irão formar a base dos que irão receber o Messias.
Grande parte desse material também aparece em Ne 11. Poderíamos, didaticamente, dividir o presente texto em uma introdução, nos versos 2 e 3; seguida da lista dos judaístas, dos versos 4 ao 6; dos benjamitas, dos versos 7 ao 9; dos sacerdotes, dos versos 10 ao 13; e dos levitas, dos versos 14 ao 34.
Aqui não se percebe nenhuma ênfase no exílio o que indica o grande interesse do cronista pelo repovoamento e o quanto julgava importante que esse se desse de acordo com o padrão estabelecido para a posse anterior da Terra Prometida, conforme se percebe nas exposições vistas desde o capítulo 1 ao 8.
As menções do exílio são feitas muito rapidamente somente para se passar para essa próxima fase importante. A lição tinha ficado clara para todos que somente tinham ido para o exílio por causa da desobediência e rejeição das coisas de Deus.
Esses judeus estariam voltando para suas terras e possessões que lhes pertenciam por direito. Quanto mais registros fossem feitos demonstrando organização e eficiência administrativa, melhor seria para o seu assentamento.
Podemos perceber que do ponto de vista do cronista, os reino do norte e do sul tinham sido reunificados sob Ezequias – II Cr 29:1 a 36:23. Essa é uma razão porque Efraim e Manassés são citados entre aqueles que regressaram.
Também podemos ver o interesse específico do cronista pela música sacra ao tratar dos levitas encarregados da música – 6:39; 9:33.
Nos versos de 4 a 6, vemos o cronista relacionando a linhagem da semente messiânica, dos judaístas que regressaram, que são os filhos de Judá: Perez, vs 4; Selá, vs 5 e Zerá, vs 6. Perez irá gerar a Esrom e depois Aminadabe e outros mais até chegar em Davi e mais ainda para frente em Jesus Cristo, o Messias.
Parte II – O REINO UNIDO – 9:35 a II CR 9:31.
Depois de estabelecer a identidade, a ordem e os territórios do povo de Deus em listas e genealogias, o cronista vai apresentar um retrato do reino unido.
Os reinados ideais de Davi e de Salomão exemplificam as bênçãos recebidas pelo povo de Deus quando o rei, o templo e o povo se encontravam unidos.
A época dos juízes, de Eli, de Samuel, do longo tempo do reinado de Saul são praticamente ignorados pelo cronista que parece apressado em apresentar Davi, já como o escolhido de Deus e querido dos filhos de Israel, exemplo de homem de Deus e também de homem da sociedade que se identificava com seu povo, sua história e seus costumes.
Assim, dividiremos essa Parte II em dois grandes blocos: A. O reinado de Davi – 9:35 a II Cr 9:31; B. O reinado de Salomão – II Cr 1:11 ao 9:31.
A função de mostrar o reino unido era dar aos exilados um ideal da unidade, principalmente em Davi. Ele irá procurar valorizar muito mais os sucessos do que os fracassos do rei. Enfatizará particularmente o apoio geral recebido por Davi e o seu interesse em construir o templo.
Destarte, a divisão dessa primeira parte se dará também em quatro: 1. Davi se torna rei – 9:35 a 10:14; 2. O amplo apoio a Davi – 11:1 a 12:40; 3. Preparativos para o templo – 13:1 a 29:25; e, 4. O fim do reinado de Davi – 29:26 a 30.
1. Davi se torna rei – 9:35 a 10:14.
Ao contrário do relato extenso da ascensão e queda de Saul em Samuel, o cronista simplesmente repete a genealogia de Saul de 9:35-44 e registra a transferência do poder de Saul para Davi – 10:1 a 14.
I Cr 9:1 E todo o Israel foi contado por genealogias,
                que estão escritas no livro dos reis de Israel;
                               e os de Judá foram transportados a Babilônia,
                                               por causa da sua transgressão.
                I Cr 9:2 E os primeiros habitantes, que moravam na sua possessão
                               e nas suas cidades, foram os israelitas, os sacerdotes,
                                               os levitas, e os netineus.
                I Cr 9:3 Porém alguns dos filhos de Judá, e dos filhos de Benjamim,
                               e dos filhos de Efraim e Manassés, habitaram em Jerusalém:
                I Cr 9:4 Utai, filho de Amiúde, filho de Onri, filho de Inri, filho de
                               Bani, dos filhos de Perez, filho de Judá;
                I Cr 9:5 E dos silonitas: Asaías o primogênito, e seus filhos;
                               I Cr 9:6 E dos filhos de Zerá: Jeuel, e seus irmãos,
                                               seiscentos e noventa;
                I Cr 9:7 E dos filhos de Benjamim: Salu, filho de Mesulão, filho de
                               Hodavias, filho de Hassenua, I Cr 9:8 E Ibnéias, filho de
                                               Jeroão, e Elá, filho de Uzi, filho de Micri, e Mesulão,
                                               filho de Sefatias, filho de Reuel, filho de Ibnijas;
                I Cr 9:9 E seus irmãos, segundo as suas gerações,
                               novecentos e cinqüenta e seis;
                                               todos estes homens foram chefes dos pais
                                                               nas casas de seus pais.
I Cr 9:10 E dos sacerdotes:
                Jedaías, e Jeoiaribe, e Jaquim, I Cr 9:11 E Azarias, filho de Hilquias,
                               filho de Mesulão, filho de Zadoque, filho de Meraiote, filho de
                               Aitube, maioral da casa de Deus; I Cr 9:12 Adaías, filho de
                               Jeroão, filho de Pasur, filho de Malquias, e Masai, filho de
                               Adiel, filho de Jazera, filho de Mesulão, filho de Mesilemite,
                               filho de Imer;
                I Cr 9:13 Como também seus irmãos, cabeças nas casas de seus pais,
                               mil, setecentos e sessenta, homens valentes
                                               para a obra do ministério da casa de Deus.
I Cr 9:14 E dos levitas:
                Semaías, filho de Hassube, filho de Azricão, filho de Hasabias, dos
                               filhos de Merari; I Cr 9:15 E Baquebacar, Heres e Galal; e
                               Matanias, filho de Mica, filho de Zicri, filho de Asafe;
                               I Cr 9:16 E Obadias, filho de Semaías, filho de Galal, filho de
                               Jedutum; e Berequias, filho de Asa, filho de Elcana,
                                               morador das aldeias dos netofatitas.
I Cr 9:17 E foram porteiros:
                Salum, Acube, Talmom, Aimã, e seus irmãos, cujo chefe era Salum.
                               I Cr 9:18 E até aquele tempo estavam de guarda
                                               à porta do rei, do lado do oriente;
                               estes foram os porteiros dos arraiais dos filhos de Levi.
                I Cr 9:19 E Salum, filho de Coré, filho de Ebiasafe, filho de Corá,
                               e seus irmãos da casa de seu pai, os coraítas, tinham cargo
                                               da obra do ministério, e eram guardas das portas do
                                               tabernáculo, como seus pais foram responsáveis pelo
                                                               arraial do SENHOR, e guardas da entrada.
                I Cr 9:20 Finéias, filho de Eleazar, antes era líder entre eles;
                               e o SENHOR era com ele. I Cr 9:21 E Zacarias, filho de
                               Meselemias, porteiro da entrada da tenda da congregação.
                I Cr 9:22 Todos estes, escolhidos para serem guardas das portas,
                               foram duzentos e doze; e foram estes,
                               segundo as suas aldeias, postos em suas genealogias;
                                               e Davi e Samuel, o vidente, os constituíram nos seus
                                                               respectivos cargos.
                I Cr 9:23 Estavam, pois, eles, e seus filhos, às portas da casa
                               do SENHOR, na casa da tenda, junto aos guardas,
                I Cr 9:24 Os porteiros estavam aos quatro lados;
                               ao oriente, ao ocidente, ao norte, e ao sul.
                I Cr 9:25 E seus irmãos, que estavam nas suas aldeias, deviam, de
                               tempo em tempo, vir por sete dias para servirem com eles.
                I Cr 9:26 Porque havia naquele ofício quatro porteiros principais
                               que eram levitas, e tinham o encargo das câmaras e dos
                                               tesouros da casa de Deus.
                I Cr 9:27 E de noite ficavam em redor da casa de Deus,
                               cuja guarda lhes tinha sido confiada,
                                               e tinham o encargo de abri-la cada manhã.
I Cr 9:28 E alguns deles estavam encarregados dos utensílios do ministério,
                porque por conta os traziam e por conta os tiravam.
                               I Cr 9:29 Porque deles havia alguns que tinham o encargo
                                               dos objetos e de todos os utensílios do santuário;
                                               como também da flor de farinha, do vinho, do azeite,
                                                               do incenso, e das especiarias.
                I Cr 9:30 E alguns dos filhos dos sacerdotes eram os obreiros
                               da confecção das especiarias. I Cr 9:31 E Matitias, dentre os
                                               levitas, o primogênito de Salum, o coraíta, tinha o
                                                               encargo da obra que se fazia em sertãs.
                I Cr 9:32 E alguns dos seus irmãos, dos filhos dos coatitas,
                               tinham o encargo de preparar os pães da proposição
                                               para todos os sábados.
I Cr 9:33 Destes foram também os cantores, chefes dos pais entre os levitas,
                habitando nas câmaras, isentos de serviços;
                               porque de dia e de noite estava a seu cargo
                                               ocuparem-se naquela obra.
                I Cr 9:34 Estes foram cabeças dos pais entre os levitas,
                               chefes em suas gerações; estes habitaram em Jerusalém.
I Cr 9:35 Porém em Gibeão habitaram Jeiel, pai de Gibeão
                (e era o nome de sua mulher Maaca). I Cr 9:36 E seu filho
                               primogênito Abdom; depois Zur, Quis, Baal, Ner e Nadabe,
                I Cr 9:37 E Gedor, Aió, Zacarias e Miclote. I Cr 9:38 Miclote gerou
                               a Simeão; e também estes habitaram em Jerusalém,
                                               defronte de seus irmãos, com eles.
                I Cr 9:39 E Ner gerou a Quis;
                               e Quis gerou a Saul, Saul gerou a Jônatas,
                                               a Malquisua, a Abinadabe e a Esbaal.
                I Cr 9:40 E o filho de Jônatas foi Meribe-Baal,
                               e Meribe-Baal gerou a Mica.
                I Cr 9:41 E os filhos de Mica foram:
                               Pitom, Meleque e Taréia.
                I Cr 9:42 E Acaz gerou a Jaerá, e Jaerá gerou a Alemete,
                               a Azmavete e a Zinri; e Zinri gerou a Moza.
                I Cr 9:43 E Moza gerou a Bineá, cujo filho foi Refaías, de quem foi
                               filho Eleasá, cujo filho foi Azel. I Cr 9:44 E teve Azel seis
                                               filhos, e estes foram os seus nomes:
                                                               Azricão, Bocru, Ismael, Seraías, Obadias
                                                               e Hanã; estes foram os filhos de Azel.
Apesar de ter passado 40 anos e de ter sido o primeiro rei em Israel, Saul não é bem visto por ninguém e sua imagem que ficou registrada para a posteridade foi de um homem belo no físico, mas egoísta, falso, mais amante dos homens do que de Deus e que passou a sua vida perseguindo pessoas inocentes e servindo de instrumento do diabo para cometimento de grandes atrocidades.
É por isso que o cronista vai passando por ele de forma bem larga e distante, servindo apenas para a introdução do grande exemplo de rei, de pessoa e de servo de Deus, Davi, o homem segundo o coração de Deus!
A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdete – 
http://www.jamaisdesista.com.br
...