domingo, 13 de abril de 2014

I Samuel 14:1-52 - A insensatez de Saul contra Jônatas

Para nos situarmos dentro da narrativa, estamos na segunda parte de nossa divisão de I e II Samuel: II. SAMUEL E SAUL: A ASCENSÃO DE SAUL E SEU REINO FRACASSADO – 8:1 A 15:35 e, dentro dela, já estamos na segunda subparte: B. O reino fracassado de Saul – 13:1 a 15:35.
Para melhor compreensão, também dividimos essa subparte B em 4 seções: 1. Saul é inicialmente rejeitado – 13:1-22 – já vista. 2. O caráter de Saul é exposto por Jônatas – 14:1-46 – veremos agora. 3. A interminável luta de Saul contra os filisteus – 14:47-52 – também será vista neste capítulo. 4. A rejeição definitiva de Saul – 15:1-35.
2. O caráter de Saul é exposto por Jônatas – 14:1-46
Saul tinha acabado de ser rejeitado por Samuel e por Deus a ponto de Deus buscar para si outro homem, alguém que tivesse o seu coração como o dele, alguém que fosse da tribo de Judá, que, principalmente, fosse portador da semente messiânica.
Saul foi derrotado por si mesmo e ainda iria cometer outros atos tresloucados pertencentes a uma mente doentia como o caso com seu filho Jônatas neste capítulo e a insensatez da segunda desobediência ao rejeitar a palavra do Senhor.
Jônatas estava inconformado com a situação de Israel e pegou seu escudeiro e saiu corajosamente a enfrentar o inimigo num plano ousado, mas que demonstrava sua fé em Deus.
Se Saul fosse desse jeito, não haveria filisteu nem inimigo algum que pudesse enfrentar Israel. Ele sozinho resolve testar os filisteus e consigo mesmo bola uma estratégia e pede um sinal a Deus, crendo que Deus estava mesmo com ele naquela jornada meio maluca, mas corajosa, atrevida e ousada.
Jônatas nada contou a seu pai de seu plano ousado porque temia que seu pai fosse estragar tudo e assim lidera o povo numa conquista contra os filisteus e ao fazer isso acaba expondo o verdadeiro caráter de seu pai.
A própria presença de Aías, filho de Aitube, irmão de Icabô que trazia consigo a estola sacerdotal era como um sinal de que Saul tinha fracassado e do seu reino tinha se ido toda a glória como aconteceu ao descendente de Eli que era filho de Fineias, filho de Eli, filho de Belial – I Sm 2:12 (A própria palavra explica o ser “filho de Belial”: eles não conheciam ao Senhor).
Jônatas entendeu que para o Senhor livrar Israel tanto fazia um exército de muitos ou de poucos, por isso saiu e recebeu o total apoio de seu escudeiro ao lhe dizer que fizesse o que seu coração o inclinasse a fazer.
Jônatas, ali mesmo, faz uma oração e uma declaração profética interessante ao lidar com a circunstância contrária e desafiadora que estaria enfrentando. Ele se daria a conhecer aos inimigos e conforme a reação deles, saberia se o Senhor tinha ou não, entregue eles nas mãos deles.
Se eles falassem a eles para ficarem onde estavam que eles iriam até eles, então o negócio era fugir porque Deus não estava com eles, mas, do contrário, se os desafiasse a subir até onde eles estavam, ai, sim, Deus os estaria entregando nas mãos deles. Jônatas e seu escudeiro realmente foram de uma ousadia sem igual.
A guarnição que eles enfrentaram tinha vinte homens de guerra dos filisteus e todos foram mortos por Jônatas e seu escudeiro. Isso foi como o estopim de uma bomba muito forte porque dali em diante o pânico veio sobre os filisteus e grande alvoroço aconteceu.
Saul vendo tão grande alvoroço e tumulto, onde cada um corria de um lugar para outro, procuraram descobrir o causador disso e numa verificação rápida descobriram que Jônatas e seu escudeiro não estavam ali com eles e pede a arca para fazer uma consulta a Deus.
Nisso a perseguição e o alvoroço somente aumentava e a perseguição aos filisteus prosseguia. Saul desiste da consulta e se junta aos que perseguiam os filisteus e assim, naquele tumulto e naquela confusão, o Senhor livrara Israel naquele dia, sendo que a batalha passou além de onde estavam indo para Bete-Áven.
Saul era mesmo um trapalhão medroso, vaidoso, cheio de si mesmo e insensato. Ele não tinha a mínima condição de continuar a governar Israel sendo o que era e fazendo o que fazia, o qual era honrar mais aos homens do que a Deus.
Na sua tolice, ele faz mais outra tolice e obriga o povo a um voto insensato de não comer enquanto não acabar com os filisteus. Até parece que ele era o grande responsável pela vitória que estavam tendo.
O povo entrou em cansaço extremo e isso ajudou na fuga dos filisteus. Jônatas que não sabia do voto insensato comeu de um mel no caminho o qual muito lhe fortaleceu para continuar a derrotar os filisteus, mas o povo não podia comer e ao verem Jônatas comendo avisaram ele do voto doido de seu pai.
Jônatas, triste e decepcionado com seu pai, declarou que ele acabara de turbar a terra, por permitir, pela sua insensatez, que o povo se fortalecesse para a batalha onde o inimigo sofreria muito maior dano.
O povo estava tão abatido que começaram a agir como bestas selvagens comendo os animais que encontravam com sangue e tudo. Saul tentando consertar as coisas ergue seu primeiro altar ao Senhor onde sacrificava os animais para que pudessem comer sem violarem as regras dos sacrifícios.
Como tudo na vida de Saul era instável, era bem provável que ele começara a construir o altar, mas nem chegara a concluí-lo para dar continuidade a, agora, tola perseguição aos filisteus que, com certeza, ficaram muito gratos por Saul agir como agiu.
Tentaram ainda perseguir os filisteus pela noite toda, mas antes resolveram consultar o Senhor que nada respondeu. Preocupado, quis saber a razão disso e entendeu que havia algo impedindo essa consulta por causa da violação do voto.
Ao descobrir que fora seu filho que violara o voto, não teve dúvidas, iria eliminá-lo, mas o povo interviu diante de sua insensatez e defendeu Jônatas. Não somente defendeu como reconheceu o povo que somente alcançaram os resultados que alcançaram junto aos filisteus por causa exclusivamente de Jônatas e não de Saul.
Depois disso, deixou Saul de perseguir aos filisteus e todos voltaram para casa.
3. A interminável luta de Saul contra os filisteus – 14:47-52
Apesar de tudo, Saul fora vitorioso nas batalhas que empreendeu contra todos os inimigos em redor. Foram muitas batalhas e muitos livramentos. Não por causa dele, mas por pura graça de Deus.
A luta contra os filisteus durou muito tempo e durante todo o reinado de Saul. Sem a presença de Davi, os filisteus se opuseram e eram uma ameaça constante aos filhos de Israel.
I Sm 14:1 Sucedeu, pois, que um dia disse Jônatas, filho de Saul,
            ao moço que lhe levava as armas:
            Vem, passemos à guarnição dos filisteus, que está lá daquele lado.
                        Porém não o fez saber a seu pai.
            I Sm 14:2 E estava Saul à extremidade de Gibeá, debaixo da romeira
                        que havia em Migrom; e o povo que estava com ele era uns
                                   seiscentos homens.
            I Sm 14:3 E Aías, filho de Aitube, irmão de Icabode,
                        o filho de Finéias, filho de Eli, sacerdote do SENHOR
                                   em Siló, trazia o éfode;
                                   porém o povo não sabia que Jônatas tinha ido.
            I Sm 14:4 E entre os desfiladeiros pelos quais Jônatas procurava
                        passar à guarnição dos filisteus, deste lado havia
                                   uma penha aguda, e do outro lado uma penha aguda;
                                   e era o nome de uma Bozez, e o nome da outra Sené.
            I Sm 14:5 Uma penha para o norte estava defronte de Micmás,
                        e a outra para o sul, defronte de Gibeá.
I Sm 14:6 Disse, pois, Jônatas ao moço que lhe levava as armas:
            Vem, passemos à guarnição destes incircuncisos;
                        porventura operará o SENHOR por nós,
                                   porque para com o SENHOR nenhum impedimento
                                               há de livrar com muitos ou com poucos.
            I Sm 14:7 Então o seu pajem de armas lhe disse:
                        Faze tudo o que tens no coração; segue, eis-me aqui contigo,
                                   conforme o que quiseres.
            I Sm 14:8 Disse, pois, Jônatas:
                        Eis que passaremos àqueles homens, e nos revelaremos a eles.
            I Sm 14:9 Se nos disserem assim:
                        Parai até que cheguemos a vós; então ficaremos no nosso lugar,
                                   e não subiremos a eles.
            I Sm 14:10 Porém, se disserem:
                        Subi a nós; então subiremos, pois o SENHOR
                                   os tem entregado nas nossas mãos,
                                               e isto nos será por sinal.
I Sm 14:11 Revelando-se eles à guarnição dos filisteus, disseram os filisteus:
            Eis que já os hebreus saíram das cavernas em que se tinham escondido.
            I Sm 14:12 E os homens da guarnição responderam a Jônatas e ao seu
                        pajem de armas, e disseram:
                                   Subi a nós, e nós vos ensinaremos uma lição.
E disse Jônatas ao seu pajem de armas:
            Sobe atrás de mim, porque o SENHOR os tem entregado
                        na mão de Israel.
            I Sm 14:13 Então subiu Jônatas com os pés e com as mãos,
                        e o seu pajem de armas atrás dele;
                                   e os filisteus caíam diante de Jônatas,
                                               e o seu pajem de armas os matava atrás dele.
            I Sm 14:14 E sucedeu esta primeira derrota,
                        em que Jônatas e o seu pajem de armas feriram
                                   uns vinte homens, em cerca de meia jeira de terra
                                               que uma junta de bois podia lavrar.
            I Sm 14:15 E houve tremor no arraial, no campo e em todo o povo;
                        também a mesma guarnição e os saqueadores tremeram,
                        até a terra se estremeceu porquanto era tremor de Deus.
I Sm 14:16 Olharam, pois, as sentinelas de Saul em Gibeá de Benjamim,
            e eis que a multidão se dissolvia, e fugia para cá e para lá.
            I Sm 14:17 Disse então Saul ao povo que estava com ele:
                        Ora contai, e vede quem é que saiu dentre nós.
            E contaram, e eis que nem Jônatas nem o seu pajem de armas
                        estavam ali.
I Sm 14:18 Então Saul disse a Aías:
            Traze aqui a arca de Deus (porque naquele dia estava a arca de Deus
                        com os filhos de Israel).
            I Sm 14:19 E sucedeu que, estando Saul ainda falando com o
                        sacerdote, o alvoroço que havia no arraial dos filisteus
                                   ia crescendo muito, e se multiplicava, pelo que disse
                                               Saul ao sacerdote:
                        Retira a tua mão.
            I Sm 14:20 Então Saul e todo o povo que havia com ele se reuniram,
                        e foram à peleja; e eis que a espada de um era contra o outro,
                                   e houve mui grande tumulto.
            I Sm 14:21 Também com os filisteus havia hebreus,
                        como dantes, que subiram com eles ao arraial em redor;
                                   e também estes se ajuntaram com os israelitas
                                               que estavam com Saul e Jônatas.
            I Sm 14:22 Ouvindo, pois, todos os homens de Israel que se esconderam
                        pela montanha de Efraim que os filisteus fugiam,
                                   eles também os perseguiram de perto na peleja.
I Sm 14:23 Assim livrou o SENHOR a Israel naquele dia;
            e o arraial passou a Bete-Aven.
            I Sm 14:24 E estavam os homens de Israel já exaustos naquele dia,
                        porquanto Saul conjurou o povo, dizendo:
                                   Maldito o homem que comer pão até à tarde,
                                               antes que me vingue de meus inimigos.
                                   Por isso todo o povo se absteve de provar pão.
            I Sm 14:25 E todo o povo chegou a um bosque;
                        e havia mel na superfície do campo.
            I Sm 14:26 E, chegando o povo ao bosque,
                        eis que havia um manancial de mel;
                                   porém ninguém chegou a mão à boca,
                                               porque o povo temia a conjuração.
            I Sm 14:27 Porém Jônatas não tinha ouvido quando seu pai conjurara
                        o povo, e estendeu a ponta da vara que tinha na mão,
                                   e a molhou no favo de mel; e, tornando a mão à boca,
                                               aclararam-se os seus olhos.
            I Sm 14:28 Então respondeu um do povo, e disse:
                        Solenemente conjurou teu pai o povo, dizendo:
                                   Maldito o homem que comer hoje pão.
                                               Por isso o povo desfalecia.
I Sm 14:29 Então disse Jônatas:
            Meu pai tem turbado a terra; ora vede como se me aclararam os olhos
                        por ter provado um pouco deste mel,
            I Sm 14:30 Quanto mais se o povo hoje livremente tivesse
                        comido do despojo que achou de seus inimigos.
                                   Porém agora não foi tão grande o estrago dos filisteus.
            I Sm 14:31 Feriram, porém, aquele dia aos filisteus, desde Micmás até
                        Aijalom, e o povo desfaleceu em extremo.
            I Sm 14:32 Então o povo se lançou ao despojo, e tomaram ovelhas,
                        e vacas, e bezerros, e os degolaram no chão;
                                   e o povo os comeu com sangue.
            I Sm 14:33 E o anunciaram a Saul, dizendo:
                        Eis que o povo peca contra o SENHOR,
                                   comendo com sangue.
E disse:
            Aleivosamente procedestes; trazei-me aqui já uma grande pedra.
I Sm 14:34 Disse mais Saul:
            Dispersai-vos entre o povo, e dizei-lhes:
                        Trazei-me cada um o seu boi, e cada um a sua ovelha,
                                   e degolai-os aqui, e comei, e não pequeis contra o
                                               SENHOR, comendo com sangue.
            Então todo o povo trouxe de noite, cada um pela sua mão, o seu boi,
                        e os degolaram ali.
            I Sm 14:35 Então edificou Saul um altar ao SENHOR;
                        este foi o primeiro altar que edificou ao SENHOR.
I Sm 14:36 Depois disse Saul:
            Desçamos de noite atrás dos filisteus, e despojemo-los, até que
                        amanheça o dia, e não deixemos deles um só homem.
E disseram:
            Tudo o que parecer bem aos teus olhos faze.
Disse, porém, o sacerdote:
            Cheguemo-nos aqui a Deus.
                        I Sm 14:37 Então consultou Saul a Deus, dizendo:
                                   Descerei atrás dos filisteus? Entregá-los-ás na mão de
                                               Israel? Porém aquele dia não lhe respondeu.
            I Sm 14:38 Então disse Saul:
                        Chegai-vos para cá, todos os chefes do povo,
                        e informai-vos, e vede em que se cometeu hoje este pecado.
            I Sm 14:39 Porque vive o SENHOR que salva a Israel, que,
                        ainda que seja em meu filho Jônatas, certamente morrerá.
                                   E nenhum de todo o povo lhe respondeu.
I Sm 14:40 Disse mais a todo o Israel:
            Vós estareis de um lado, e eu e meu filho Jônatas estaremos
                        do outro lado.
            Então disse o povo a Saul:
                        Faze o que parecer bem aos teus olhos.
            I Sm 14:41 Falou, pois, Saul ao SENHOR Deus de Israel:
                        Mostra o inocente.
                                   Então Jônatas e Saul foram tomados por sorte,
                                               e o povo saiu livre.
I Sm 14:42 Então disse Saul:
            Lançai a sorte entre mim e Jônatas, meu filho.
                        E foi tomado Jônatas.
            I Sm 14:43 Disse então Saul a Jônatas:
                        Declara-me o que tens feito.
            E Jônatas lho declarou, e disse:
                        Tão-somente provei um pouco de mel com a ponta da vara
                                   que tinha na mão; eis que devo morrer?
I Sm 14:44 Então disse Saul:
            Assim me faça Deus, e outro tanto, que com certeza morrerás, Jônatas.
            I Sm 14:45 Porém o povo disse a Saul:
                        Morrerá Jônatas, que efetuou tão grande salvação em Israel?
                                   Nunca tal suceda; vive o SENHOR,
                        que não lhe há de cair no chão um só cabelo da sua cabeça!
                                   pois com Deus fez isso hoje.
                        Assim o povo livrou a Jônatas, para que não morresse.
I Sm 14:46 E Saul deixou de seguir os filisteus;
            e os filisteus se foram ao seu lugar.
I Sm 14:47 Então tomou Saul o reino sobre Israel;
            e pelejou contra todos os seus inimigos em redor; contra Moabe,
            e contra os filhos de Amom, e contra Edom, e contra os reis de Zobá,
            e contra os filisteus, e para onde quer que se tornava executava castigo.
I Sm 14:48 E houve-se valorosamente, e feriu aos amalequitas,
            e liberou a Israel da mão dos que o saqueavam.
                        I Sm 14:49 E os filhos de Saul eram
                                   Jônatas, e Isvi, e Malquisua;
                                               e os nomes de suas duas filhas eram estes:
                                   o da mais velha Merabe, e o da mais nova, Mical.
            I Sm 14:50 E o nome da mulher de Saul, Ainoã, filha de Aimaás;
                        e o nome do capitão do exército, Abner, filho de Ner,
                                   tio de Saul.
            I Sm 14:51 E Quis, pai de Saul, e Ner, pai de Abner,
                        eram filhos de Abiel.
I Sm 14:52 E houve uma forte guerra contra os filisteus, todos os dias de Saul;
            por isso Saul a todos os homens valentes e valorosos que via,
                        os agregava a si.
Essa seção dos versos 47-52 fornece um resumo das façanhas militares de Saul e um retrato de sua família e de seu principal oficial militar, Abner.
Se comparados os resultados, em forma de resumo, dele com Davi, veremos que a diferença será enorme. Também chamará a atenção no resumo de Davi a frase: “o Senhor dava vitórias a ele, por onde quer que ia” – II Sm 8:6,14.
p.s.: link da imagem original:
Contagem regressiva: Faltam 60 dias para a Copa, sem álcool nos estádios.... também faltam 478 dias para 04/08/2015, quando eu irei concluir a Segmentação de toda a Bíblia.

A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdetehttp://www.jamaisdesista.com.br
...

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.